Os Professores Estão Disponíveis Para o Ensino à Distância?

Já todos perceberam que esta paragem letiva de 15 dias (entre o dia 22 de janeiro e o dia 5 de fevereiro) é feita porque o estado não cumpriu a promessa de entregar aos alunos e aos professores as condições para todos passarem para o ensino à distância.

Não é em 15 dias que o governo vai resolver este problema, nem é em 15 dias que o maior perigo de contagio vai passar e a decisão por manter-se as escolas encerradas não vai ter fim à vista, pelo menos até ao início do 3.º período.

A decisão de se passar para o ensino à distância tem de acontecer antes do dia 5 de fevereiro, sem que alunos e professores estejam nas melhores condições técnicas para isso.

E os professores vão estar disponíveis para usar os seus recurso para o ensino à distância?

Sim. VÃO, se…

  • por cada semana de ensino à distância for recuperado mais um ano de tempo de serviço.
  • todos os docentes afunilados no 4.º e no 6.º escalão puderem seguir o seu percurso na carreira para os escalões seguintes e com a consideração do tempo em que estiveram parados nas listas de espera.

 

Estas são as condições que me estou a lembrar assim de repente.

E acho que pela primeira vez os professores e os sindicatos estão em vantagem para exigir a recuperação do tempo de serviço e a eliminação das vagas de acesso ao 5.º e ao 7.º escalão.

E mais importante que isso, não é necessário qualquer greve e a sociedade já percebeu a importância do trabalho dos professores e compreenderá perfeitamente estas reivindicações.

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2021/01/os-professores-estao-disponiveis-para-o-ensino-a-distancia/

48 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Maria on 23 de Janeiro de 2021 at 14:32
    • Responder

    Concordo.
    E não estamos a pedir nada que não seja nosso de direito

      • Joaquim on 23 de Janeiro de 2021 at 20:26
      • Responder

      Os do 10°escalão, podem ver a sua reforma antecipada.

        • Maria Laura Neves de Almeida Correia Correia on 24 de Janeiro de 2021 at 15:47
        • Responder

        Essa é que era,davam lugar aos novos,descia a taxa de desemprego e os profesdores com mais de 60 anos podiam finalmente descansar.

        • Maria Laura Neves de Almeida Correia on 3 de Fevereiro de 2021 at 22:28
        • Responder

        Pois a questão da reforma é muito pertinente nesmo!

    • Fernando, el peligroso de kas verdades. on 23 de Janeiro de 2021 at 14:46
    • Responder

    E mais uma vez os do 10 é que se lixam que nada podem recuperar. Quando o governo estava quase de cócoras para dar um tempo para a aposentaçao, os bandidos dos sindicatos em vez de aceitarem, não, foi o tudo ou nada. Foram bandidos!

      • Joaquim on 23 de Janeiro de 2021 at 20:31
      • Responder

      Os dos 10° teriam acesso a reforma mais cedo..NEM QUE FOSSE DE UM ANO. com 65 anos de idsde e 40 e4 meses de trabalho, nao chega????

      • Josquim on 23 de Janeiro de 2021 at 20:36
      • Responder

      Os que estão no 10 teriam redução no tempo da sua aposentação… Certo? Com 40 anos e 4 meses de serviço e 65 anos… Já chega!!!!

    • Paulo on 23 de Janeiro de 2021 at 15:11
    • Responder

    Que me desculpe o autor do texto, mas não estou de acordo. Aproveitar uma tragédia, para reivindicar direitos ( mesmo que adquiridos ) , transparece uma imagem mais uma vez negativa dos docentes, a roçar o oportunismo .

      • J.F. on 23 de Janeiro de 2021 at 18:40
      • Responder

      Coloque a imagem onde bem entender!

    • Isabel on 23 de Janeiro de 2021 at 15:29
    • Responder

    Paulo, oportunistas são os que andam há anos a explorarem-nos sem que possamos fazer nada e continuem agora.
    Ensino à distância???? Não tenho computador…

      • J.F. on 23 de Janeiro de 2021 at 18:42
      • Responder

      Nem mais!

    • Marcie on 23 de Janeiro de 2021 at 15:37
    • Responder

    “(…)a sociedade já percebeu a importância do trabalho dos professores e compreenderá perfeitamente estas reivindicações.”…. Não deve ser a sociedade portuguesa. É ler o que escrevem acercas dos professores nas redes sociais.

    • Roberto Paulo on 23 de Janeiro de 2021 at 15:51
    • Responder

    Meus caros, muitos de vós não estais a ser inteligentes.

    Então, vão fazer uma espécie de chantagem num contexto de pandemia, com os mortos a empilharem-se, o pessoal médico e de suporte/apoio numa situação de guerra?

    Querem um conselho amigo? Não pensem sequer nisso. Vão sair queimados e bem queimados.

    • Atento on 23 de Janeiro de 2021 at 15:55
    • Responder

    —————
    ———————————-

    Em março de 2020, num fim de semana, professores, alunos e respetivas famílias viram-se forçados a reconfigurar as suas vidas e práticas. Durante semanas e meses, os docentes foram imersos num bombardeamento em ambiente digital de formação para o então denominado E@D. Os responsáveis políticos, vários académicos na área das Ciências da Educação e formadores veicularam um discurso em que se exaltaram as virtudes do referido E@D, sendo que houve mesmo quem afirmasse que essa modalidade seria para perdurar além pandemia, tão relevantes eram as suas potencialidades.

    Entretanto, sobretudo, a partir da fase inicial do presente ano letivo, o discurso político rodou significativamente, passando a enfatizar as limitações das aulas não presenciais.
    Agora, a 21 de janeiro de 2020, o mesmo Primeiro Ministro e o mesmo Ministro da Educação defendem o oposto do que defendiam em março e nos meses subsequentes. A hipótese de aulas não presenciais está completamente afastada, pelo menos, até dia 05 de fevereiro. Sim, digo “pelo menos” porque no final do mesmo dia 21 o Diretor Geral dos Estabelecimentos Escolares remeteu para as escolas um documento com instruções e recomendações em que, no ponto 5, consta “Regime não presencial: Tendo as escolas, na preparação do ano letivo, previsto o funcionamento em regime não presencial, este deve estar preparado para poder ser ativado.”
    Afinal, em que ficamos?

    Que MXXDA de (des)Governo é este??????

    Quem é o Tiago Cagalhão Rodrigues (o dito sientista da treta com s)????…Não será um grande OPORTUNISTA e Tachista do Xuxalismo da Treta do Partido Socialista (do António Bosta e de José Socas) que em boa hora conseguiu um Cartão Partidárrio para poder Mamar como ministrinho da tanga?????

    CHEGA!………..CHEGA!………CHEGA!………..CHEGA!………CHEGA!………..CHEGA!………CHEGA!………..CHEGA!………CHEGA!………..CHEGA!………CHEGA!………..CHEGA!………CHEGA!………..CHEGA!………CHEGA!………..CHEGA!………CHEGA!………..CHEGA!………CHEGA!………..CHEGA!………CHEGA!………..CHEGA!………CHEGA!………..CHEGA!………CHEGA!………..CHEGA!………CHEGA!………..CHEGA!………CHEGA!………..CHEGA!………CHEGA!………..CHEGA!………CHEGA!………..CHEGA!………CHEGA!………..CHEGA!………CHEGA!………..CHEGA!………CHEGA!………..CHEGA!………

      • Rui on 23 de Janeiro de 2021 at 17:38
      • Responder

      TENHO MESMO QUE LER ESTA MERDA ???

        • Atento on 23 de Janeiro de 2021 at 20:55
        • Responder

        ——
        —-‐——-

        Tens que ler meu grande Totosinho…..es um fofinho……..

        Como eu gostava de te acariciar… meu setor TOTO……

        ——–
        —————-

          • Rui on 23 de Janeiro de 2021 at 23:15

          Deves ser um reformado, sem mais nada que fazer.

          • Fernando, el peligroso de kas verdades. on 24 de Janeiro de 2021 at 0:28

          Ó Atento, tu precisas é de tau-tau no cucu.

    • Prof Possível (aka Maria Indignada) on 23 de Janeiro de 2021 at 15:59
    • Responder

    Também não estou de acordo.

    Reivindicações relativas a condições sanitárias e a equipamentos, muito bem, reivindicações salariais/progressão de carreiras e afins, é mesquinho nesta altura, nem pensar.

    1. Plenamente, de acordo com Prof Possível. Neste momento, queremos condições de trabalho, para nos protegermos e protegermos os nossos familiares. A Vida acima de tudo.

    • Rosinha on 23 de Janeiro de 2021 at 16:04
    • Responder

    E VINCULAR a maioria dos contratados também!!!!!!!!!!!

    • Rosinha on 23 de Janeiro de 2021 at 16:08
    • Responder

    E VINCULAÇÃO para os contratados com 10 ou mais anos de serviço.

    • Maria da Conceição Pereira de Pinho Couto on 23 de Janeiro de 2021 at 16:20
    • Responder

    Concordo.
    É uma exigência muito justa.

    • Mixa on 23 de Janeiro de 2021 at 16:43
    • Responder

    nao concordo … o povo está a passar um momento dificil … ninguem nao docente ia perceber

    alem de … têm filhos?

    • Maria Miranda on 23 de Janeiro de 2021 at 16:52
    • Responder

    Concordo em absoluto.

    • Nuno M. on 23 de Janeiro de 2021 at 17:07
    • Responder

    Será por aqui que os sindicatos têm de ir. Afinal a Escola tem um papel essencial na sociedade. Os professores têm tarefas primordial e a sociedade deve reconhecê-lo finalmente. Alguns dirão que são indignas estas reivindicações, face ao momento atual. Não serão para agora, mas após a pandemia os sindicatos devem ser duros em futuras negociações. Não é aceitável que a grande maioria dos professores estejam no 4.º e 5.º escalões. Vencimentos vergonhosos face às habilitações e às funções desempenhadas. O ECD, o sistema de avaliação (nem sei como o qualificar sem dizer impropérios), o sistema remuneratório têm de ser revistos urgentemente.

    • PROFET on 23 de Janeiro de 2021 at 17:11
    • Responder

    E quanto aos contratados, em precariedade há dezenas de anos? no meu caso há 25 anos… com ordenados, por vezes, que nem dão para as deslocações, e sem escalões para subir? que andam em 2 e 3 escolas, com procedimentos e documentação diferentes, com 11 e até 22 turmas? Nem uma palavrinha para estes?

    • Maria on 23 de Janeiro de 2021 at 17:21
    • Responder

    Reivindicações dos equipamentos , net, computador…. respeito pelas horas de trabalho, abolição de papeladas….Sim, outras reivindicações, não! Iríamos ser duramente criticados e com razão, face a catástrofe que estamos a viver. Pensem bem! Não demos motivo s , temos que ser inteligente s e solidários com o resto do país. É como se estivéssemos numa guerra!

    • Maria on 23 de Janeiro de 2021 at 18:06
    • Responder

    Posso acrescentar mais uma reivindicação?
    E a sobrecarga de trabalho para quem tem por exemplo, 8 turmas ( disciplinas de ciências humanas e sociais e com mais de 200 alunos ) e ainda lhe dão 6 apoios/tutorias ou coadjuvações a alunos, na componente não letiva?

    -integrar todo o trabalho com alunos na componente letiva

    • Roberto Paulo on 23 de Janeiro de 2021 at 18:20
    • Responder

    Não façam isso, porque ninguém vai compreender que façam uma espécie de chantagem, num contexto de pandemia, com os mortos a empilhar-se e os infetados e internados a acumularem-se.

    Fazer isso agora não é um tiro nos pés, é um rombo do qual não recuperarão no tempo útil das vossas vidas.

    • Ana on 23 de Janeiro de 2021 at 18:24
    • Responder

    Maria, nem mais!

    • Margarida on 23 de Janeiro de 2021 at 20:05
    • Responder

    Mais importante: alterar a regra dos concursos de mobilidade interna. Só é apenas por graduação em TODAS as fases do concurso!

    • margarida on 23 de Janeiro de 2021 at 20:09
    • Responder

    Não concordo!

    Concordo em que se exijam condições de trabalho (equipamentos, horário, instalações, segurança).
    Mas fazer exigências relativas a progressões, nesta situação atual, só revela falta de bom senso e humanismo!

    • Ana on 23 de Janeiro de 2021 at 20:30
    • Responder

    Colegas, sinceramente, não acho que seja a altura para reivindicações deste género.
    O governo tem a maior quota parte da responsabilidade (para não dizer toda), mas em termos práticos o país está imerso numa gravíssima crise de saúde e no descalabro económico sem fim à vista. Há gente sem ganhar há praticamente um ano. Os professores nunca deixaram de ter o seu ordenado ao fim do mês. E outros, não tendo perdido rendimentos, estão a trabalhar sem férias e sem folgas , com horas extraordinárias em cima de horas extraordinárias, a lidar com a morte todos os dias sem verem a luz ao fim do tunel- estive a falar com uma vizinha enfermeira e fiquei arrepiada (e incapaz de me queixar)…
    Simplesmente, não é a hora de nos vitimizar-nos. Quem quiser usar o seu equipamento usa, quem não quiser vai para a escola, quem não tiver equipamento e a escola não o disponibilizar, envia trabalho por correio, por telefone…faça o que for possível !
    Nenhum aluno morre se o ensino à distância tiver menos qualidade, mas o contacto com o professor e alguma normalidade na sua vida podem fazer a diferença para muitos.

    • Josquim on 23 de Janeiro de 2021 at 20:37
    • Responder

    Os que estão no 10 teriam redução no tempo da sua aposentação… Certo? Com 40 anos e 4 meses de serviço e 65 anos… Já chega!!!!

    • Joaquim on 23 de Janeiro de 2021 at 20:49
    • Responder

    Os Profs que estão no 10° escalão podem ver o tempo para a reforma reduzido… Quem tem 40 anos e 4 meses de serviço e 65 anos… Ainda não chega????

    • me, myself and I on 23 de Janeiro de 2021 at 20:50
    • Responder

    Posso acrescentar a questão das ultrapassagens motivadas pela norma travão? Obrigado pela adenda…

    MAS NÃO AGORA… Ninguém iria compreender para além dos docentes! Neste contexto, exigências traduzidas em euros não serão compreendidas!

    • Joaquim on 23 de Janeiro de 2021 at 20:52
    • Responder

    Aos profs do 10° teriam desconto de tempo para a aposentação….

    • Joaquim on 23 de Janeiro de 2021 at 20:56
    • Responder

    Aos do 10° seriam descontafos tempo para a reforma…

    • Giz on 23 de Janeiro de 2021 at 21:16
    • Responder

    Perfeitamente de acordo,
    Este é momento de todas as reivindicações,
    Acho que está no momento de todo o pessoal médico tb exercer o seu direito, está no momento do pessoal de enfermagem dizer:
    Estamos dispostos a fazer turno em cima de turno?
    Sim, mas só depois de:
    – fazerem a atualização da carreira de técnico, atualizações de salários e demais regalias de técnicos superiores, equiparados a licenciados que são…

    os médicos também devem aproveitar o momento para verem recolocados direitos de outrora, e só então estarão prontos para continuar o seu trabalho de horas sem fim

    Depois, basta aumentar uns impostos, às empresas que entretanto fecharam, ou criar impostos sobre o consumo num país com gente com cada vez menos poder de compra, porque não pode sair para trabalhar!!

    • Rui on 23 de Janeiro de 2021 at 22:22
    • Responder

    hoje tomei banho! estava a chover!

    • Ana on 23 de Janeiro de 2021 at 23:44
    • Responder

    Na minha opinião, não é altura para reivindicações! Teremos muita sorte se não sofrermos um corte no ordenado e os tempos avizinham-se muito difíceis….
    Os professores são essenciais, é verdade…mas reparem que agora mandaram-nos 2 semanas para casa e nunca poderiam fazer isso aos médicos, enfermeiros, pessoal auxiliar…..

    • a vaca da Esmeralda (d.duarte de coimbra) on 24 de Janeiro de 2021 at 0:33
    • Responder

    EU NÃO VOU! Estarei na escola a cumprir horário presencialmente, se tal não for possível então quero um computador com microfone e acesso à Internet, se tal também não for possível então não cumprirei o serviço. Contas de luz de tantas horas a preparar aulas já chegam, ide todos tomar naquele sítio que nós sabemos…

    • Teresa* on 24 de Janeiro de 2021 at 10:01
    • Responder

    Parece-me má ideia, sinceramente. Pedir condições de trabalho claro, mas o descongelamento e outras reivindicações, não houve greves em dezembro, porque não as fizeram? eu fiz, custou-me bastante olhar para o meu recibo de janeiro mas o pior foi ver que poucos aderiram. Neste contexto já se querem aproveitar…

    • Maria Esgotada on 24 de Janeiro de 2021 at 19:34
    • Responder

    Nem nisto, nos entendemos!

    Somos uma classe mesmo da treta!

    Como é que conseguimos alguma coisa, se nunca estamos unidos?

    Bolas!

    Só damos aulas em casa se nos derem condições e material para isso. Ponto final.

    Estou mesmo farta disto!!!

    • M. Margarida on 25 de Janeiro de 2021 at 16:55
    • Responder

    Os professores que não tiverem realmente equipamento de certeza que, expondo a situação à direção, lhes arranjam um dos computadores velhinhos que existem na escola.
    Os que não querem usar o seu equipamento, podem ir para a escola, usar o equipamento lá disponível e dar a aula para os alunos que estão em casa.

    Reinvindicar progressões e aumentos??
    O país está parado! Os nossos vencimentos não caem do céu!
    Muita sorte teremos se não houver de novo congelamento e suspensão de subsídios de Natal e férias !!

    • Porto42o on 27 de Janeiro de 2021 at 23:03
    • Responder

    Concordo na íntegra! Muito bem!

    • Maria Laura Neves de Almeida Correia on 3 de Fevereiro de 2021 at 22:50
    • Responder

    Se nos entendessemos ,tinhamos tudo na mão ,acreditem que já tenho 64 anos e 42 de serviço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: