adplus-dvertising

Vai Vigorar a Lei do Presidente da Assembleia da República…

Que contrapõe o direito à greve com o direito à educação.

 

Greves. Quem pode declarar serviços mínimos? E como?

Colégio arbitral já está constituído. Na educação, a obrigação de serviços mínimos está fixada por lei apenas para o caso de avaliações nacionais, como os exames.

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2023/01/vai-vigorar-a-lei-do-presidente-da-assembleia-da-republica/

13 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Fenprof II on 24 de Janeiro de 2023 at 15:48
    • Responder

    Melhor que marchas, por muito grandes que sejam, é a atuação junto dos Tribunais. O governo prepara-se para subverter o Direito à Greve em nome de “necessidades sociais impreteríveis” que de “impreteríveis” só têm o nome. Se isto passa em claro sem reação jurídica dos sindicatos, deixa de ser possível fazer greves que sejam realmente incómodas. Não deixem que isso aconteça. Ou então tornam-se uma Fenprof II, e aí é de pensar se vale a pena ser sindicalizado.

    • Lutem caramba on 24 de Janeiro de 2023 at 15:55
    • Responder

    Augusto Santos Silva faz parte da quadrilha. É obvio que ia falar contra a greve e “a favor das crianças”. Cabe ao Departamento jurídico do STOP desmontar esta cabala no Tribunal. A marcha será inútil, por muito grande que seja, para parar esta delimitação do Direito à Greve. Por mim é de desafiar os serviços mínimos ilegais que se preparam para destruir a greve, isto claro se o Departamento jurídico do STOP garantir a nossa defesa. Caso contrário, é melhor acabar com a greve, pois os serviços minimos que já ouvi estão a ser preparados é praticamente ter todas as escolas a funcionar, e voltar à luta fofinha da Fenprof, não obrigado.

    • Tecas on 24 de Janeiro de 2023 at 16:22
    • Responder

    URGENTE- RECIBOS DESTE MÊS
    Lutemos mesmo.
    Parece que fui aumentada 62.58 (sessenta e dois euros e cinquenta e oito cêntimos) e fiquei a ganhar menos 2.96 (dois euros e noventa e seis cêntimos).
    Vejam os vossos recibos. Comecem a falar também neste assunto pois é muitíssimo grave.
    Somos mesmos uns descamisados!!!

      • Manuel on 24 de Janeiro de 2023 at 17:26
      • Responder

      Não se preocupe, o ajuste será feito em abril,maio ou junho com a declaração do IRS.

        • Henrique on 24 de Janeiro de 2023 at 18:56
        • Responder

        A declaração do IRS é sempre referente ao ano anterior, como tal a 2022. Talvez ande distraído ou desconheça as regras do IRS. Já agora aproveito para o informar que o MF não se dignou a actualizar as tabelas de retenção do imposto. Mais um prego…

    • Calm down on 24 de Janeiro de 2023 at 16:56
    • Responder

    Augusto Santos Silva, não decide serviços mínimos nem a composição deles. Um tribunal arbitral é que decide e além de não poder afastar-se da Lei que existe – aliás tomáramos nós que se afastasse e fosse parcial, mais fácil era recorrer – todo o que esse tribunal arbitral decidir, é passível de contestação em Tribunal. Quanto aos recibos, atentos sempre, mas devem ser efeitos das tabelas de IRS que ainda não foram atualizadas. Os retroativos virão. Talvez …

    • Memória on 24 de Janeiro de 2023 at 17:12
    • Responder

    Essa pérfida personagem socretina quer é MALHAR nos professores.

    • Tecas on 24 de Janeiro de 2023 at 17:34
    • Responder

    Não sei se virão retroativos, ou coisa alguma, de bom nunca vem nada!
    Aqui há uns anos fomos aumentados e em conversa na sala de professores, verificamos que só uma colega tinha sido aumentada uns cêntimos.
    Até brinquei e disse:
    Colegas, só ela é que vai trabalhar, nós ficamos aqui.

    • Manuel on 24 de Janeiro de 2023 at 19:03
    • Responder

    Bem,declaração de interesses, sou prof no ISCAL de Contabilidade e Finanças. O que é que não percebeu? Poderei explicar.

    • Isabel Carreira Gomes on 24 de Janeiro de 2023 at 20:34
    • Responder

    Eu ainda não percebi, porque os sucessivos governos são sempre contra os professores. Quando são outras classes de trabalhadores cedem, e conosco não, porquê? É porque somos muitos? Nós não temos culpa de sermos tantos. E se somos, é porque o país precisa. Eles já sabem disso há muito tempo, então acautelavam essa situação.
    Em vez de cederem em alguns pontos, ainda nos afrontam com serviços mínimos e com juntas médicas às grávidas.
    É de uma profunda injustiça a vários níveis.
    E que tal irmos para tribunal europeu, dar conhecimento do que se passa em Portugal, com os professores?

      • Luluzinha! on 24 de Janeiro de 2023 at 22:58
      • Responder

      Escreve-se connosco. Oh, meu Deus, até alguns alunos escrevem melhor!

    • Maria Miquelina on 24 de Janeiro de 2023 at 21:33
    • Responder

    O ministro já disse, mais do que uma vez, que não pode dar um passo maior do que a pissa.

    • Marta on 25 de Janeiro de 2023 at 15:17
    • Responder

    E o facto da nossa tabela remuneratória já não ser equiparada a Técnico Superior, também é lapso, ou é deliberado? Gostaria de esclarecimentos. Ou é mais uma despromoção/humilhação ? E os sindicatos ainda não deram conta? Então não somos técnicos superiores da Educação? Então não temos licenciaturas, mestrados, alguns até doutoramentos… especializações ?!!! Eu sei (sofro na pele) que as razões de queixa são muitas e o Governo não vai/pode ceder a todas. de imediato. Não seria melhor elencar meia dúzia delas para o imediato , (vinculação, não municipalização, Não conselho local de diretores, desburocratização, tempo de serviço, Prof= técnico superior, já..) e depois negociar as restantes?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: