13 de Junho de 2020 archive

Listas Definitivas Provavelmente Entre 6 e 10 de Julho

O próximo quadro apresenta as datas dos concursos desde 2010 até este ano. Apresenta também o número de dias que se passaram desde a publicação das listas provisórias até à publicação das listas definitivas. Nos últimos 4 anos a diferença de dias entra as duas listas tem sido entre os 55 e os 58 dias. Mantendo-se uma diferença de dias semelhante em 2020 é muito provável que as listas sejam publicadas na semana de 6 a 10 de julho.

E nada garante que a manifestação de preferências para a contratação seja feita logo de seguida. Veja-se a diferença entre a publicação das listas definitivas para a manifestação de preferências para a contratação para se verificar que tal raramente aconteceu (apenas em 2018 a manifestação de preferências ocorreu passado dois dias da publicação das listas definitivas, mas foram publicadas quase no final de julho).

 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2020/06/listas-definitivas-provavelmente-entre-6-e-10-de-julho/

Duplicam casos de Covid-19 em crianças desde a reabertura das creches e 11.º e 12.º anos

 

Crianças infetadas pela Covid-19 duplicaram desde maio

Mais do que duplicaram os casos de covid-19 em crianças com menos de 10 anos, durante o último mês e meio. Desde o início de maio, foram confirmados 500 casos do novo coronavírus em crianças – 224 destes só no mês de junho, que marcou o regresso do ensino pré-escolar. Isto quer dizer que um em cada quatro casos de Covid-19 em crianças foi diagnosticado desde que voltaram a abrir as creches.

 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2020/06/duplicam-casos-de-covid-19-em-criancas-desde-a-reabertura-das-creches-e-11-o-e-12-o-anos/

Urge a necessidade de aumentar o número de intervalos, de modo a minimizar as diferenças!

Intervalos a Concurso dos Professores Contratados
O Decreto-Lei n.º 132/2012de 27 de junho veio alterar os intervalos a concurso, nomeadamente o ponto 8 do artigo 9º, com a seguinte redação:
“8 – Os candidatos à contratação a termo resolutivo previstos nas alíneas b) e c) do n.º 2 do artigo 6.º podem manifestar preferências para cada um dos intervalos seguintes:
a) Horário completo;
b) Horário entre quinze e vinte e uma horas;
c) Horário entre oito e catorze horas.”
A tipologia destes intervalos lesa os professores, nomeadamente na discrepância de tempo de serviço, de vencimento e dias de trabalho contabilizados à SS, criando ultrapassagens dentro do próprio intervalo.

 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2020/06/urge-a-necessidade-de-aumentar-o-numero-de-intervalos-de-modo-a-minimizar-as-diferencas/

Grupos de recrutamento mais “jovens” (vídeo)

No seguimento do vídeo de ontem, várias pessoas solicitaram que colocasse os grupos de recrutamento que não apareciam. Se colocasse os 34 grupos no mesmo vídeo ficaria ilegível, por isso publico uma 2ª parte com os 20 grupos com a média de idades “mais baixa”.

Brevemente será publicado um vídeo comparando estas médias de idades nos diferentes QZP’s.

Inscrevam-se no canal para serem logo notificados quando o vídeo sair!

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2020/06/grupos-de-recrutamento-mais-jovens-video/

João Gonçalves vai ser o novo Diretor Geral da DGEstE

Apesar de ter estado pouco mais de um ano no cargo de Delegado Regional do Norte, João Gonçalves, foi um delegado regional bastante acarinhado na Zona Norte.
O seu trabalho foi reconhecido e levou-o agora a ser convidado para substituir a Dr.ª Maria Manuela Pinto Soares Pastor Fernandes Arraios Faria.

Depois de César Israel Paulo ter rumado a Lisboa para um cargo de destaque na DGAE, segue agora outro elemento do Norte para um cargo na DGEstE.

 

João Gonçalves vai ser o novo Diretor Geral da DGEstE

 

Exerce atualmente o cargo de Delegado Regional do Norte, depois de vários anos ligados à Escola Profissional de Agricultura e Desenvolvimento Rural de Marco de Canaveses.

O professor João Gonçalves será o novo Diretor Geral da Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares (DGEstE), apurou este sábado o Jornal A VERDADE.

DGEstE é uma entidade governamental, dependente do Ministério da Educação, e que tem por missão “garantir a concretização regional das medidas de administração”, contando com delegações no Porto, Coimbra, Lisboa, Évora e Faro.

João Gonçalves exerce atualmente o cargo de Delegado Regional de Educação da Região Norte da DGEstE, cargo que assumiu em outubro de 2018.

Até àquela data, contava com um percurso profissional intimamente ligado à Escola Profissional de Agricultura e Desenvolvimento Rural de Marco de Canaveses (EPAMAC), na qual exercia o cargo de Diretor, desde julho de 2013.

Antes ainda foi subdiretor e diretor pedagógico da EPAMAC, tendo sido também presidente da assembleia constituinte da Escola Profissional de Agricultura e Desenvolvimento Rural de Marco de Canaveses, no ano letivo 2000/2001.

Licenciado em Filosofia, foi professor na escola de Marco de Canaveses desde 1997.

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2020/06/joao-goncalves-vai-ser-o-novo-diretor-geral-da-dgeste/

Conta a nota mais alta para alunos que concluíram o secundário em 2018 e 2019

 

Os alunos que fizeram exames do ensino secundário em 2018 e 2019, e que ainda não entraram no ensino superior, podem candidatar-se este ano utilizando apenas as notas internas para efeitos de apuramento da classificação final. Esta hipótese encontra-se consagrada no projecto de portaria que aprova o regulamento do concurso nacional de acesso ao ensino superior para 2020-2021, que nesta sexta-feira foi colocado em consulta pública por 30 dias.

Download do documento (PDF, 1.05MB)

 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2020/06/conta-a-nota-mais-alta-para-alunos-que-concluiram-o-secundario-em-2018-e-2019/

Dilemas dos professores sobre a travessia do “Oceano Educativo” – Marco Bento

Dilemas dos professores sobre a travessia do “Oceano Educativo”

Anuncia-se o novo (?) caminho para uma circum-navegação pela “transição digital”. Esta proposta surge alguns anos após uma outra viagem por mar alto, em que devido a um tal de “Magalhães” muitos se afogaram seguros à bóia de um computador, sem grande noção de como poderiam salvar-se “pedagogicamente” nesse imenso Oceano.

A questão centra-se no planeamento do que queremos para a Educação. O que podemos e sabemos fazer com a tecnologia educativa que nos vem parar às mãos? Se toda esta “nova” tecnologia anunciada, usada e prevista, muita já existente em diversas escolas ditas do futuro, não for pensada e refletida, voltaremos a afogar-nos. Uma das razões é o facto de a tecnologia nos ser oferecida sem a pedirmos, ou, por outro lado, nos ser facultada tendo pedido, mas sem sabermos muito bem o que fazer com ela, afinal, serve apenas para “surfar” pelas ondas dos principais problemas burocráticos do sistema educativo. Ao invés disso, teremos de ter necessidade de a utilizar, mas para criar e produzir, para comunicar e interagir, como o fez tão rapidamente a Sra. Covid. Na verdade, se por um lado a necessidade técnica está criada (tenho dúvidas, se resolvida), nesta pandemia pela distância de se comunicar com professores e alunos, fica a questão: está criada a necessidade pedagógica que nos fará alterar a forma como poderemos atravessar o Oceano de forma mais profunda? E não nos voltarmos a afogar…

LER MAIS…

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2020/06/dilemas-dos-professores-sobre-a-travessia-do-oceano-educativo-marco-bento/

Professor Marcelo dá aula em direto na telescola

Marcelo Rebelo de Sousa dá aula em direto na telescola

O Presidente da República vai estar na RTP Memória esta segunda-feira, em direto, a dar uma aula de Cidadania. A novidade já está na grelha do canal.

Marcelo Rebelo de Sousa vai dar uma aula de Cidadania nesta segunda feira, dia 15, na telescola, da RTP Memória.

O Presidente da República vai para o ar às 13.30 H, em direto, a partir do estúdio 1 da estação pública, para uma aula do “Estudo em Casa” de 30 minutos.

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2020/06/professor-marcelo-da-aula-em-direto-na-telescola/

Movimento Dos Professores Monodocentes

Caros colegas em monodocência:

A partir do momento em que os monodocentes, educadores de infância e professores do 1º ciclo, deixaram de usufruir de um regime especial de aposentação, tendo os restantes colegas do 2º, 3º e secundário, em pluridocência, mantido todas os direitos conferidos pelo Estatuto da Carreira Docente (ECD), a situação tornou-se confrangedora uma vez que os docentes, com o mesmo ECD, são tratados de forma desigual. Para ilustrar este facto, cita-se, como exemplo, a redução da carga horária letiva, em função da idade, nos 2º, 3º ciclos e secundário, assim como o número de horas efetivas, passadas na escola, também se mostra diferente, maior número de horas para educadores de infância e professores do 1º ciclo.

Em concreto, e retomando o horário docente, são atribuídos 1100 minutos, num horário completo dos colegas dos 2º, 3º ciclos e secundário, o que equivale a apenas a 18, 3 horas letivas, enquanto que os colegas, em monodocência, mantêm a carga de 25 horas letivas semanais, referindo que cada hora equivale, efetivamente, a 60 minutos.

Se, a estes 1100 minutos, adicionarmos as reduções que advêm da aplicação do artigo nº 79, do ECD, facilmente, se conclui que, entre docentes que se encontram num mesmo patamar, em termos de tempo de serviço, têm efetivamente uma carga letiva diferente conforme desempenham funções nos 2 º, 3º ciclos ou secundário em relação aos docentes que se encontram na educação pré-escolar e 1º ciclo. De facto, tudo isto acontece porque 2 tempos, atribuídos aos educadores e professores do 1º ciclo,  equivalem a 120 minutos efetivos enquanto que para o 2º, 3º e secundário, esses 2 tempos, equivalem apenas a 90 minutos.

Essa desigualdade está, também, patente nas horas atribuídas à direção de turma. Os professores monodocentes, por inerência da função, são obrigatoriamente diretores da sua turma, uma vez que assumem as sete áreas curriculares, não lhes sendo atribuída qualquer redução horária, ao contrário dos colegas dos restantes ciclos.

Em termos de medidas compensatórias consignadas no ECD, encontra-se apenas, quando solicitada, a redução da componente letiva, em 5 horas letivas semanais aos monodocentes, que completam 60 anos de idade (art.º 70, nº 2). Esta medida, considera-se discriminatória e não compensa a desigualdade que se verifica ao longo da vida do profissional docente. Além de não repor qualquer igualdade no que se refere às condições de trabalho, apresenta também ambígua regulamentação, que permite o tratamento desigual, em situações arbitrárias como a substituição de docentes, consideradas por uns, atividades não letivas e, por outros não. De referir, ainda que, se o docente usufruir de um dia sem atividade letiva, poderá ser obrigado a repor essas (5) horas, ao longo dos restantes dias da semana.

Mencionam-se apenas exemplos, a lista seria longa, pois está sempre depende da gestão de cada diretor de agrupamento.

Até à data, desconhece-se qualquer esforço de sindicatos que tentassem alterar este estado de coisas, mas é objetivo o descontentamento existente entre a classe, desigualdade esta que tem vindo a ser perpetuada pela passividade e inércia de nós todos.

Há um tempo para tudo e, consideramos que é tempo de agir e repor a equidade consubstanciada no ECD, a todos os docentes.

Propõe-se, por isso, a mobilização da classe monodocente em torno das questões elencadas, no sentido de aferir, se existe de facto, um interesse real e nacional em trazer estas e outras questões, específicas da monodocência para a ordem dia, para um debate sério e honesto com a tutela.

Pretende-se formar um movimento que salvaguarde estes profissionais, possa encontrar respostas e dê sentido às preocupações reais deste grupo de docência.

Deseja-se tentar aferir, numa primeira fase, a sensibilidade dos interessados, recorrendo às redes sociais para que, posteriormente, se possam tomar outras medidas.

Assim, solicita-se que divulguem este texto pelos vossos contactos profissionais e deixem registada a vossa opinião.

Também podem entrar em contacto connosco através do email:

professoresmonodocentes@gmail.com

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2020/06/movimento-dos-professores-monodocentes/

Duas creches e um jardim de infância encerrados depois de detetados dois casos

Nas zonas, atualmente, mais afetedas pelo vírus seria de repensar a manutenção da reabertura das creches e jardins de infância.

Duas creches e um jardim de infância encerrados depois de detetados dois casos

Duas creches e um jardim de infância da Amadora foram encerrados esta sexta-feira, depois de terem sido detetados dois casos positivos de Covid-19 nas instalações.

Ao que a TVI apurou, existem ainda vários casos suspeitos. Tratam-se das creches da Atalaia e do Ulmeiro, que ficam na Damia, tal como o jardim de infância.

As três instituições foram contactadas, mas a TVI não obteve qualquer resposta.

Contactada pela TVI, a Administração Regional de Saúde de Lisboa (ARSL) confirmou que todos os casos suspeitos se encontram a ser testados, estando todas as crianças em isolamento.

Para acompanhar a situação, segundo a ARSL, foram estabelecidas as medidas de Saúde Pública adequadas à situação, entre as quais a suspensão temporária do funcionamento das três instituições. Os edifícios vão ser desinfetados e todas as crianças estão em isolamento profilático.

 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2020/06/duas-creches-e-um-jardim-de-infancia-encerrados-depois-de-detetados-dois-casos/

Ensino e Aprendizagem a Distância: O Presente e o Futuro

 

Download do documento (PDF, 383KB)

a

 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2020/06/ensino-e-aprendizagem-a-distancia-o-presente-e-o-futuro/

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: