The relaxation of school closure was associated with the greatest increase of contaniations by Covid

O estudo que relaciona o efeito de aplicação/remoção de várias medidas de contenção versus o seu impacto na variação de R ao longo do tempo num total de 131 países.
Pelos vistos: “The relaxation of school closure was associated with the greatest increase in R on day 7 (R ratio 1·05, 95% CI 0·96–1·14) and day 14 (1·18, 1·02–1·36).”
A figura 3 é bastante elucidativa do impacto da aplicação/remoção das medidas. Pior que abrir reabrir escolas só mesmo eventos públicos.
Tendo em linha de conta que publicar no “The Lancet” é bastante difícil e revisto, poder-se-á aceitar um grau de confiabilidade elevado ao estudo. É também muito interessante que partilham os dados no GitHub.
A ler com atenção pela DGS, ministério da Saúde e particularmente Ministério da Educação.

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2020/10/the-relaxation-of-school-closure-was-associated-with-the-greatest-increase-of-contaniations-by-covid/

20 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Maria on 25 de Outubro de 2020 at 13:34
    • Responder

    Há que tempos que ando a escrever aqui nos comentários para que fechem as escolas. Não são necessários estudos científicos para chegar a esta conclusão. E nem sequer é preciso entrar numa sala de aula. Basta ver o comportamento dos miúdos nos recreios e à porta da escola…..

    • Alecrom on 25 de Outubro de 2020 at 13:51
    • Responder

    Fechar?
    Só pontualmente.
    Mas,
    como está,
    é garantia de gravíssima disseminação na comunidade.
    Não temos no poder gente com competência para mais do que a política do empurra com a barriga.
    Mas,
    como são da dita esquerda,
    tudo bem…

    Por exemplo:

    “ Ao empresário Pedro Abrunhosa que agora movimenta capitais que lhe permitem ser accionista da TVI e já não se dedica a lamentar  a emigração dos jovens que querem ficar nos braços das mães. É certo que em 2019 o número de enfermeiros que pediram certificado de equivalência para exercer no estrangeiro foi 4506 contra os 2366 profissionais que fizeram o mesmo pedido em 2013, o ano em que Pedro Abrunhosa cantava “Vim em passo de bala/ Um diploma na mala/ Deixei o meu amor pra trás/ Faz tanto frio em Paris/ Sou já memória e raiz/ Ninguém sai donde tem paz/ (…) Quero voltar/ Para os braços da minha mãe.”“

    É o que temos…

    • Maria on 25 de Outubro de 2020 at 14:07
    • Responder

    Mas temos de continuar a pressionar. Não é ficarmos a dizer ” É o que temos”! Porque corremos o risco de ter metade da população em casa, doente ou no hospital. E, qualquer dia, não há camas que cheguem!! E os doentes não-Covid? Como e onde são atendidos?!
    Isto não pode ser uma birra do ME?! Isto é uma coisa grave, gravíssima!

    • Alecrom on 25 de Outubro de 2020 at 15:24
    • Responder

    É o que temos:

    – Cuba é exemplo a seguir;
    – As empresas e os empresários são cancros sociais;
    – A UE e o Euro condenam-nos à servidão e ao grande capital;
    – Não pagamos a Dívida;
    – Aceitamos apenas o dinheiro a fundo perdido, mas só o que vier da impressora e nunca o que vier de empréstimos feitos pela UE junto do grande capital financeiro especulativo internacional, lol;
    – Venezuela é outro exemplo a seguir;
    – O PCP e o BE deixam passar o Orçamento pois é um orçamento anticíclico e expansionista: menos impostos/receita fiscal e mais despesa social, educação, saúde… e muiiiitoo mais investimento (outro milagre);
    – Também temos de olhar de outra forma para a Coreia do Norte;
    – Nas escolas o contágio da Covid é absolutamente residual;
    – Já não nascem crianças nas ambulâncias;
    – As associações e os representantes de utentes do SNS já não têm razões de queixa;
    – Lenine foi um grande homem;
    – …

    É o que temos.

    • Maria on 25 de Outubro de 2020 at 17:22
    • Responder

    Só 4 comentários, colegas?!! Então esta notícia não é passível de indignação??!!
    Quando a própria comunidade científica diz que a abertura das escolas é responsável pela propagação do vírus…. acho que está tudo dito!

    • pretor on 25 de Outubro de 2020 at 17:25
    • Responder

    e eu a pensar que as escolas eram herméticas!!!
    e eu a pensar que eram os casamentos, os batizados e a praia os culpados!!!
    e eu a pensar que o gel e as setinhas no chão é que resolviam tudo!!!
    e eu a pensar que era a app e mascaras ao ar livre que resolviam !!!!!

    sou mesmo tótó

    • Prof Possível (aka Maria Indignada) on 25 de Outubro de 2020 at 18:02
    • Responder

    Porra, arre burros, lentos como o caraças a tirar conclusões óbvias.

    Neste momento, face ao que tem ocorrido, tenho mesmo sérias dúvidas que as máscaras sejam suficientemente eficazes para evitar a propagação do vírus, a menos que seja uma p2 ou p3 MAS muito bem colocadas (ie, bem pressionadas contra a face).

    Só mesmo assegurando uma boa dispersão do vírus e uma boa distância de segurança é que as probabilidades de contágio se tornam negligenciáveis.

    • PROFET on 25 de Outubro de 2020 at 18:05
    • Responder

    Nas estimativas (baseadas no Boletim da DGS) que tenho feito e colocado aqui no blog, o abrupto aumento da taxa de transmissão já era bem patente desde o início do ano letivo.

    Hoje não coloco aqui uma estimativa em números, digo apenas isto (que poderão confirmar no Boletim da DGS):

    Desde o início do ano letivo (em pouco mais de um mês) já houve mais casos de infeção em crianças e adolescentes que frequentam a escola do que na totalidade dos primeiros 6 meses e meio desde o início da pandemia até ao dia em que se iniciou o ano letivo. Somos governados por mentirosos, negligentes e criminosos.

    Este estudo só vem complementar o que eu já aqui tinha dito, demonstrando que a taxa de transmissão cresceu abruptamente desde o início do ano letivo, como seria de prever, ainda mais com a falta de condições que temos nas nossas escolas. Este estudo revela um crescimento da taxa de transmissão que reflete uma média de 131 países, repito, uma MÉDIA, e todos sabemos que temos das piores condições que podem existir dentro das escolas e que, portanto, a nossa taxa de transmissão é bem maior do que a desta média.

    Só quando os hospitais entrarem em rotura, quando os profissionais entrarem em exaustão e começarmos a cair que nem tordos é que irão fechar as escolas.

    Estes mentirosos e assassinos do governo irão pagar bem caro, irão sentar-se no banco dos réus, tal como já está a acontecer noutros países.

    • Sónia on 25 de Outubro de 2020 at 18:28
    • Responder

    Maria, é assustador!
    E temos de falar mais, trocar ideias. Acho que anda tudo anestesiado.
    Eu estou com muito medo. Mas o “engraçado” é que cai sempre melhor dizer “ok, vamos em frente. Vai ficar tudo bem. Temos de saber viver com isto.” Mostrar “fraqueza” é que não. Então talvez andemos a fingir que estamos/somos todos muito fortes e valentes. Enquanto isso, o problema avoluma-se. Não queremos o SNS impotente e sem capacidade. Por isso, as escolas devem encerrar, nem que seja de vez em quando, para se travar o colapso. Colegas, digam-me por favor: têm ido trabalhar sem medo, concentrados e com a cabeça no lugar?
    Quanto aos sindicatos, pois…Se calhar temos de fazer pressão através de um grupo, não sei, espontaneamente … porque os sindicatos continuam a dizer que tudo o que queremos é que as escolas não encerrem e que temos de ter condições etc etc. O tempo passa e, mais uma vez, a situação vai piorando.

    • PROFET on 25 de Outubro de 2020 at 18:49
    • Responder

    “Covid-19. EUA registam maior aumento diário:
    O país registou mais de 84 mil novos casos de Covid-19, o número mais alto desde o início da pandemia. Especialistas alertam que situação vai piorar e que casos diários podem chegar aos seis dígitos.”

    Que horror, nos Estados unidos, 84 000 novos casos num só dia. Esse Trump é um #%$&!!!

    Pois é, meus amigos, pois é…

    Agora façam uma pequena conta de matemática, Os Estados Unidos têm uma população 32 vezes maior do que a população portuguesa. Se dividirmos 84 000 por 32 dá: 2 625…

    Nós já estamos praticamente em 4 000 casos diários.

    Isto quer dizer que, na gestão da pandemia, Costa é pior do que Trump’s, Bolsononaro’s, etc.

    Estes mentirosos e assassinos do governo irão pagar bem caro, irão sentar-se no banco dos réus, tal como já está a acontecer noutros países.

    • Pirilau on 25 de Outubro de 2020 at 19:05
    • Responder

    As escolas só poderão encerrar se a Sra Merkel autorizar.
    Quem passa o cheque é quem manda…

    • luis on 25 de Outubro de 2020 at 19:18
    • Responder

    se nao querem que as escolas fechem, desdobrem as turmas, deem todos os dias mascaras FFP2/3 , e arranjem sistemas de ventilacao eficazes para as salas

    • Madalena on 25 de Outubro de 2020 at 20:35
    • Responder

    No final do ano lectivo passado o ME foi muito claro, ensino precencial e a fechar, começariam pelos mais velhos. Os últimos seriam as crianças dos Jardins de Infância porque precisam muito e os pais são novos.
    Esqueceram que os educadores são Velhos!
    Temos que fazer ouvir a nossa voz. As escolas estão a tornar-se um local mais perigoso a cada dia que passa. Saúde para todos

    • Madalena on 25 de Outubro de 2020 at 20:36
    • Responder

    Presencial

    • Manuel M on 25 de Outubro de 2020 at 20:37
    • Responder

    RELATIVAMENTE A FELGUEIRAS, PAÇOS DE FERREIRA E LOUSADA A DECISÃO NÃO FOI O ENCERRAMENTO DE ESCOLAS PORQUE O QUE NÓS QUEREMOS CONTROLAR É UMA DISSEMINAÇÃO DA INFEÇÃO EM TERMOS DE OUTROS CONTEXTOS “não queremos saber da saúde dos professores, quase todos com mais de 50 anos, nem das famílias dos alunos. A DISSEMINAÇÃO ESTÁ MUITO ASSOCIADA A OUTROS CONTEXTOS QUE NÃO SÃO ESPECIFICAMENTE O TRABALHO OU A ESCOLA”Na escola se o vírus se portar mal, tem uma falta disciplinar, marcada pelos professores que sobreviverem”, não é preciso testar as turmas, nem os professores nem os assistentes operacionais, o vírus só ataca na festa do Avante, em Fátima, em casamentos e em batizados, Não ataca na volta a Portugal em bicicleta nem encontros motard com mais de 2000 motas, tudo há 2 semanas!!!

    • Prof Possível (aka Maria Indignada) on 25 de Outubro de 2020 at 20:41
    • Responder

    Pelo que assisti até agora (pais, sindicatos, tutela, media) as escolas irão manter-se abertas a todo o custo.

    Venham os estudos que vieram, a ordem é para estar tudo aberto, custo o que custar.

    Os pais que assim o pretendem, e podem, têm a liberdade de manter os filhos em ensino online, por isso, vai manter-se tudo na mesma.

    Por isso, restava a nossa revolta, mas nunca será aceite, pois seremos demonizados até à exaustão se formos por aí.

    • Maria on 25 de Outubro de 2020 at 21:55
    • Responder

    E como a maioria dos professores têm mais de 55 anos e muitas doenças crónicas, vamos caminhar alegremente para uma cama de hospital ( se houver vaga,claro!) para não sermos demonizados…..Que belo argumento!

    • Prof Possível (aka Maria Indignada) on 25 de Outubro de 2020 at 22:05
    • Responder

    A questão não é essa.

    Estava a tentar dizer que todas as nossas tentativas de revolta serão ignoradas, silenciadas ou demonizadas, ou tudo ao mesmo tempo.

    Por isso, creio que não terão efeito algum.

    Fiquei chocada com a greve para o excesso de trabalho, quando o que é mais premente neste momento são as faltas de condições de segurança no nosso trabalho, a ocultação da realidade e a tentativa de a mascarar com a não realização de testes na comunidade educativa.

    Perdi toda a esperança aí, sinceramente, aquando dessa convocação.

    • Maria on 25 de Outubro de 2020 at 23:32
    • Responder

    Bom, a boa notícia da noite é que o PS perdeu a maioria nos Açores!
    Já é um começo!

    • Cármina Vaz on 26 de Outubro de 2020 at 11:58
    • Responder

    Óptima notícia Maria!

    Questão: porque não existe agora botão like / dislike nos comentários? Aguardo resposta p. f.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: