Milhares de alunos continuam sem aulas porque faltam professores

Milhares de alunos continuam sem aulas porque faltam professores

Inglês, Matemática, Geografia, Eletrotécnia e Informática são as disciplinas com as maiores falhas. Este ano, já foram colocados mais de metade dos docentes disponíveis através das reservas de recrutamento, uma situação que no ano passado aconteceu só em dezembro.

Nesta altura, pelas contas do blogue do professor Arlindo Ferreira, dedicado a questões de educação, faltam 851 professores.

Lisboa, Setúbal e Faro são os distritos onde a falta de docentes mais se faz sentir. Só no agrupamento de escolas das Laranjeiras, em Lisboa há 16 profissionais por colocar.

Esta situação origina muitos furos nos horários de milhares de alunos, como diz Rui Martins, presidente da Confederação Nacional Independente de Pais e Encarregados de Educação (CNIPE). “As aulas começaram a 16/17 de setembro e até hoje há muitas turmas que não têm professores a uma ou duas disciplinas.”

Nesta altura, há 136 horários completos por preencher. Só no grupo de Informática são 106, mas os grupos de Inglês, Matemática, Geografia e Eletrotécnia também têm falta de professores.

“Percebe-se que é mais no Sul do país, uma parte do Alentejo e Algarve, mas a incidência é enorme em Lisboa e Vale do Tejo. Temos que isto se alastre ao resto país…de facto escasseiam os professore”, reconhece Filinto Lima, presidente da Associação de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas.

Segundo este responsável, a falta de docentes só pode ser atenuada com uma carreira mais atrativa ao mesmo tempo que é preciso combater a precariedade.

Este ano por causa da pandemia por Covid-19, mais de duas centenas de professores de risco estão de baixa uma situação, o ainda assim, para Filinto Lima tem um impacto reduzido no sistema. “Esta profissão não é motivadora. Temos até bastantes professores contratados, que estão no sistema já há 15 ou 20 anos, mas não entram para os quadros. Já alguns dos professores que estão nos quadros de agrupamento começam a pedir meia jornada e licenças sem vencimento por um ano ou mais, porque querem experimentar outras atividades, eventualmente mais rentáveis, como melhor futuro, em prejuízo da Educação.”

Atualmente, estão por colocar cerca de 12 mil docentes, a maior parte do Norte do país, mas que não querem dar aulas em regiões onde o custo de vida é mais elevado. O vencimento muitas vezes não dá para pagar as despesas de aluguer de casa e o transporte.

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2020/10/milhares-de-alunos-continuam-sem-aulas-porque-faltam-professores/

15 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Pardal on 6 de Outubro de 2020 at 15:07
    • Responder

    .
    Um chorrilho de mentiras.

    Não há qualquer falta de professores, bem pelo contrário existe sim, EXCESSO DE PROFESSORES.

    O que se passa na Grande Lisboa e região do Algarve é uma situação pontual de ausencia de alguns docentes devido á questão dos valores de arrendamento de alojamento. De facto naquelas duas regiões, devido ao turismo, os valores de arrendamento são muito elevados para professores a lecionar 10, 12, 14….horas letivas.
    A unica forma de resolver esta questão que é pontual passa pelo Poder Autarquico que deve intervir disponibilizando instalações para estes casos pontuais.

    Volto a referir que o País, neste momento, possui EXCESSO DE PROFESSORES, nomeadamente nos Grupos de Educadoras de Infancia, Professores do 1º Ciclo e Professores de Educação Fisica do 2º e 3º Ciclos. Este fenomeno transporta consigo frustração aos Jovens Docentes aos quais resta o DESEMPREGO ou a Emigração.

    Apelo aos autores do Blog para terem respeito por estes Jovens frustrados, desempregados e desiludidos que não encontram saida para a sua situação. Parem de dizer que há falta de docentes. Não Mintam!…..
    .

    • anónima on 6 de Outubro de 2020 at 15:37
    • Responder

    pardal, olhe que na disciplina de Francês há falta.

    • anonima on 6 de Outubro de 2020 at 15:43
    • Responder

    na disciplina de inglês também.

    • Profeta on 6 de Outubro de 2020 at 16:09
    • Responder

    Pardal

    Olha que na disciplina de Informática são 106 horários completos não estamos a falar de horários de 10,12,14 horas lectivas. Se são horário completos ganham o ordenado inteiro e mesmo assim não têm candidatos. A tua conversa dos professores primários e educadores de infância é muito certa. Mas como existem excesso de professores nestes grupos se calhar a tua solução é colocar esses professores a dar informática, geografia, matemática, electrónica.

  1. Este Pardal é pago pelo Trump para negar evidencias? Ou terá algum trauma?

    • Joaquim Monteiro on 6 de Outubro de 2020 at 19:19
    • Responder

    Por horrível que pareça até fico contente com esta notícia.
    Nos últimos anos, desde a Lurdes, a classe docente tem sofrido os mais vis ataques do poder político.
    Poder político que envenena a comunicação social e a sociedade contra os professores.
    Isto conjugado com a continua sonegação de direitos e o baixo salário de muitos docentes, faz o que já acontecia em Inglaterra e que se previa á muito iria a acontecer em Portugal.
    Falta de professores.
    Pode ser que assim a sociedade torne no novo a olhar para a docência como uma profissão digna e merecedora de respeito.

    • Apache on 6 de Outubro de 2020 at 19:39
    • Responder

    O pardal parece o ministro da informação iraquiano. Qualquer semelhança é pura coincidência…

    • Prof Possível (aka Maria Indignada) on 6 de Outubro de 2020 at 19:51
    • Responder

    Joaquim, parece que mais alguém se lembra de como o ataque à classe docente começou,com esse trio de Sampaio, Lulu e Sócrates.

    Desde aí, continuamos a ser achincalhados na praça pública de forma recorrente.

    Sou mais uma das que vai recorrer à licença de vencimento durante 1 ano, no próximo ano letivo, para a transição para outro setor de atividade e país.

    PS – O Pardal aparenta ser do 1ºciclo ou de Ed.Física, por isso, o stress com tais conclusões.

    • torradeira on 6 de Outubro de 2020 at 20:19
    • Responder

    O sr. jornalista deve ter escrito a notícia com tamanha voracidade (ou vontade de despachar!) que comeu letras e vírgulas em demasiados sítios. Não sabem rever os textos antes de os publicarem?

    Dantes havia uma profissão em que essa pessoa revia os textos antes de serem publicados.

    Outros tempos!

    • João Gonçalves on 6 de Outubro de 2020 at 23:16
    • Responder

    Os horários dos revisores ficaram por preencher.

    • FIlipe on 6 de Outubro de 2020 at 23:36
    • Responder

    O que interessa no país é difundir a Igualdade de Género na parte que interessa , a demência disfuncional cerebral de certas pessoas . Nunca conseguirão mudar a origem da espécie , cromossoma XX e XY sempre vingará , podem-se transformar de menino em menina , mas nunca poderão ter filhos . E , aproveitem a deixa para difundir e apertar a Igualdade de Género para que no Tour de France a competição ser mista , de mulheres e homens e nos Jogos Olímpicos igualmente . Para irem aos Hipermercados difundir que não pode haver um corredor de brinquedos de menina e brinquedos de menino , produtos de higiene de homem e diferentes para mulheres . Ou mesmo , acrescentar na Lei dos Animais que o ser humano pode ter com eles relações sexuais e poder acasalar . Tratem-se todos com morfina e depois primeiro criem a IGUALDADE na educação para todos , o que hoje não acontece , alguns estão a ser deitados no lixo , espezinhados por uma Geringonça de Lésbicas e Gays a somar um Governo de Fascistas puros .

    • Luís Pereira on 6 de Outubro de 2020 at 23:45
    • Responder

    O Pardal faz lembrar o célebre ministro da propaganda do Saddam Hussein. Por maiores que sejam as evidências, continua sempre a apregoar o aposto. Enfim, é o cómico deste blog.

    • Luís Pereira on 6 de Outubro de 2020 at 23:49
    • Responder

    Pena não existir um grupo de recrutamento para comediante, senão o Pardal já estava efetivo e com emprego vitalício.

    • Roberto Paulo on 7 de Outubro de 2020 at 0:47
    • Responder

    Pardal, seu xuxa, culambista miserável, ainda bem que é tudo mentira e não há falta de professores. Imagine o caro rastejante que houvesse. Em vez de o meu filho mais novo não ter professor de Física e Química, não teria desta disciplina e de mais quatro ou cinco.

    E cita três grupos de professores. Muito bem! Esqueceu-se foi das outras dezenas de disciplinas.

    Caro pardaleco, enquanto pai, você merece o meu desprezo, por se tratar de um rastejante a defender o tacho político. Tenha vergonha e volte para a toca infecta e imunda de onde nunca deveria sair. Vade retro!

  2. Estranho não haver falta de professores! Há turmas na minha escola com falta de 3 professores….Nem imagino como seria se houvesse falta….

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: