Governo diz que será dificil aumentar a função pública

Quem pagará a crise serão os mesmos. Os enfermeiros do particular já chegaram a acordo com os patrões para um aumento médio de 1,5%… Os funcionários públicos verão, novamente, o seu poder de compra baixar. Isto é que é motivação…

O Governo voltou a não apresentar proposta de aumentos salariais para a função pública, na segunda e última reunião com os sindicatos, esta sexta-feira, passando a mensagem de que esse caminho “será difícil”, adiantou a Federação dos Sindicatos da Administração Pública (Fesap).

“O que o Governo nos disse é que há uma situação económica muito difícil”, disse secretário-geral da Fesap, José Abraão aos jornalistas, no final da reunião com o secretário de Estado da Administração Pública, José Couto, no Ministério da Modernização do Estado e da Administração Pública.

 

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2020/10/governo-diz-que-sera-dificil-aumentar-a-funcao-publica/

5 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • joao on 9 de Outubro de 2020 at 14:43
    • Responder

    os funcionários públicos tem é de amochar e calar
    senao chama-se o Ventura e vai ser tudo despedido

    https://partidochega.pt/programa-politico-2019/

  1. A esquerda está em pânico com o CHEGA, e a campanha de alarmismo e aldrabice tudo invade. O CHEGA foi até hoje o único partido que se preocupou com os professores, que deu ouvidos às nossas queixas sobre a violência física e psicológica que é exercida sobre nós.

    • António on 9 de Outubro de 2020 at 15:26
    • Responder

    E professores a fazer o trabalho das operadoras e que usem os seus telemóveis, os seus dados, etc. para fazer o trabalho que as interessadas (Vodafone, NOS e MEO) deveriam fazer:

    Medição da velocidade de ligação nas escolas | NET.mede da ANACOM

    O Ministério da Educação solicita a sua melhor colaboração, para que possam ser efetuado um conjunto de testes rápidos à conetividade de Banda Larga Móvel nas escolas que compõem o seu agrupamento.
    O objetivo é conhecer o estado e eventuais limitações de acesso / conetividade que permitam determinar ou ajustar iniciativas futuras do Ministério ou dos operadores de telecomunicações.
    Em colaboração estreita com o regulador das telecomunicações, a ANACOM, determinou-se que a melhor forma de obter a “fotografia” atual, em termos de Banda Larga Móvel (BLM) disponível em cada escola, assenta na utilização da ferramenta detida pela ANACOM, o NET.mede, utilizando, pelo menos, um smartphone de cada um dos três operadores móveis.
    O NET.mede permite efetuar testes de velocidade a um serviço de acesso à Internet e, assim, confirmar a disponibilidade de banda larga, a todo o perímetro de cada escola, não apenas nos recreios, mas também dentro das salas de aula.
    No sentido de facilitar a execução destes testes, a ANACOM preparou um flyer que numa única página pretende ilustrar o procedimento a seguir. Estamos todavia, à disposição para apoiar no esclarecimento de quaisquer dúvidas adicionais.

    1. Quantidade e onde testar
    A informação sobre a qualidade do serviço que é disponibilizada pelas redes, em espaço exterior e interior – implica proceder à realização de, pelo menos, 6 testes em cada uma das escolas:
    a. 3 testes, um por cada operador de rede móvel, dentro do edifício da escola, em sala de aula
    b. 3 testes, um por cada operador de rede móvel, no exterior do edifício.
    Sem prejuízo, nota-se ser desejável a realização de um maior número de testes em cada um dos 6 casos (i.e. fora e dentro do edifício, em diferentes salas de aula, com diferentes modelos de telemóveis, mais antigos e mais recentes, na rede de cada um dos 3 operadores).

    2. Quem efetue o teste, deve proceder à utilização da funcionalidade de Global Navegation Satelity System (neste caso, o GPS) para determinar as coordenadas geográficas do local onde cada teste é realizado.

    3. Para realização do teste, os participantes deverão:
    a. usar um dos browsers recomendados pelo NET.mede (Caso seja usado um browser não recomendado será emitido um aviso e sugerida a utilização de um browser recomendado)
    b. autorizar a recolha da geolocalização através do browser (só mediante a qual poderão ser recolhidas as coordenadas geográficas via GPS, de modo a assegurar o indicado nos dois pontos anteriores) e a recolha de dados (de acordo com a política de privacidade do NET.mede).
    Assim, nesta página específica do projeto, o botão para “Iniciar teste” apenas ficará ativo, após indicada a escola (podendo ser criado mecanismo adicional de sugestão de escolas num raio de ação do local do teste), o tipo de localização (indoor ou outdoor), bem como autorizada a geolocalização e a recolha de dados.

    4. Os testes devem ser realizados em dados móveis, devendo assim os participantes desligar o Wi-Fi no seu equipamento, antes de iniciar os testes.

    5. O NET.mede permite, contudo, detetar se o teste foi iniciado via BLM ou pode ter sido iniciado via Wi-Fi. Desta forma, caso o teste possa ter sido efetuado em Wi-Fi, no final do mesmo o utilizador receberá indicação para, se possível, se ligar apenas via BLM (desligar a interface Wi-Fi) e efetuar novo teste.

    • CHEGA! - II on 9 de Outubro de 2020 at 15:42
    • Responder

    Aliás, os governos de esquerda (PSD) e extrema-esquerda (PS/Geringonça) só nos têm dado coisas boas. A Ana Benavente, o Sócrates, Maria de Lurdes Rodrigues, o Lemos, o Pedreira, o Roberto Carneiro, o Nuno Crato, tudo malta muito nossa amiga.

    • maria on 9 de Outubro de 2020 at 17:19
    • Responder

    CHEGA
    Aos “professores” de manualidades, primários , desporto, infâncias, religiões , flauta e coisas assim, esses governos deram “coisas boas”, como diz.

    Os professores de liceu, com anos de Universidade, quando muito ( sim, quando muito) estão igualados aos destemidos “professores” acima indicados. Sem mais comentários…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: