Fenprof Entrega 4 Propostas para Negociação

FENPROF dá início a processos negociais, com a apresentação de quatro propostas fundamentadas, e entrega propostas para o OE 2021

 

As propostas apresentadas pelas Fenprof incidem na:

 

Pelo que li as propostas da Fenprof vão ao encontro de muitas das exigências dos professores, desde a recuperação total do restante tempo de serviço de forma faseada que pode também ser substituída pela antecipação da aposentação, pela  abertura de vagas para acesso ao 5.º e 7.º escalão para todos os docentes que em 31/12/2020 reúnam todas as condições de progressão com nota igual ou superior a bom. Com a eliminação das ultrapassagens. Com um regime específico de aposentação aos 36 anos de serviço que poderá ser feito de forma faseada e 40 anos como a condição para uma reforma sem penalizações.

Com a redução da componente letiva para os docentes em regime de monodocência para as 22 horas e nos restantes ciclos para as 20 horas. Com o aumento do número de lugares QA/QE, incluindo a abertura já em 2021 de lugares que estejam preenchidos pelo menos 3 anos seguidos acima da dotação do quadro. Reduzir a dimensão dos QZP para o que existira anteriormente (23 QZP). Alargar a norma travão aos docentes colocados até 31 de dezembro em horário anual. Abertura de concursos extraordinários (automáticos) de vinculação em 2022 e 2023 para os docentes de segunda prioridade com 10 e 5 anos de serviço, respetivamente.

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2020/10/fenprof-entrega-4-propostas-para-negociacao/

7 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Zaratrusta on 11 de Outubro de 2020 at 10:47
    • Responder

    Norma travão até 31 de dezembro- e os horários que são completados com aditamentos logo na segunda semana de aulas, não?
    Concursos extraordinários de vinculação- seria razoável que as vagas abrissem nos grupos de recrutamento mais carenciados, caso contrário iremos ter GR com excesso de professores.

    • Joana Alves on 11 de Outubro de 2020 at 10:59
    • Responder

    Bem ao estilo da FENPROF: baralhar tudo no concurso interno e ignorar os contratados. Assim quando as coisas correrrem mal eles saltam fora!
    A FENPROF com os constantes alargamentos das mobilidades só fazem com que os professores tenham cada vez menos estabilidade.
    O alargamento da Norma-Travão até 31 de dezembro é a coisa mais estúpida que vi nos últimos tempos… não saberão que os professores que ficam colocados a partir de outubro estão centenas de lugares atrás nas listas? Vão obrigar os professores a restringir o concurso, para almejarem o horário completo e correr o risco de nunca serem colocados?

    E aproximar os vencimentos do início e do topo da carreira? Um professor contratado que trabalha mais horas, com as piores turmas, com muitos níveis recebe metade do vencimento… e depois queixam-se que ninguém quer ser professor…. continuem… até gostava de saber quantos sócios têm com menos de 35 anos!

    • Zaratrusta on 11 de Outubro de 2020 at 11:14
    • Responder

    É isso mesmo Joana. Propostas bem ao nível da FENPROF.

    • fgk on 11 de Outubro de 2020 at 19:08
    • Responder

    Vergonhoso. Só demonstra que defendem os pré reformas. Os novos não contam.

    • Ana on 11 de Outubro de 2020 at 19:54
    • Responder

    Não há sócios novos, só velhos.

    • Maria on 12 de Outubro de 2020 at 1:18
    • Responder

    Concordo plenamente com a Joana Alves! Propor o alargamento da norma travão é inacreditável, parece que não sabe que todos ou quase todos os professores colocados mais tarde estão muito abaixo daqueles que por “sorte” ou “azar” apanham logo colocação. Na maioria das vezes ficam prejudicados… porque não se limitam a concorrer só a horários completos, logo podem apanhar horários desde 15 h a 21 h. Outros bem cá para baixo, logo com menos graduação em Reserva de Recrutamento podem ter em “sorte” um horário completo. O Mário Nogueira não sabe isto?! Se propusesse que o intervalo de horários fosse alterado e voltasse ao que era, isso sim. Bem como a redução dos QZP, como parece que consta da proposta. Assim como não concordo nem compreendo que um professor contratado que por sorte apanhe um horário completo e anual e seja renovado ao fim de 4 anos (1461 dias)passa para o índice 188. Então e os que não têm a mesma sorte e apanham 18, 19, 20 h e já têm 21 anos de serviço e estão no índice 167 ?! Que lógica é esta?!

    • Maria on 12 de Outubro de 2020 at 18:04
    • Responder

    Estava a esquecer-me de uma proposta importantíssima que o Mário Nogueira não deveria esquecer de fazer. Mas parece que nem fala nisso, ou andarei eu distraída. Trata-se da situação dos Professores, quando apanham horário incompleto, perante a Segurança Social. É injusto a todos os níveis, prejudicando a carreira contributiva de uma forma brutal! Os professores contratados não necessitam de sindicatos que só agitam as águas …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: