63 escolas com surtos ativos de covid-19

 

Portugal contabiliza, esta sexta-feira, 63 escolas com surtos ativos de covid-19, anunciou a ministra da Saúde, Marta Temido.

Na conferência de imprensa de atualização sobre a evolução da pandemia, a ministra foi questionada sobre o encerramento das escolas dos agrupamentos de Borba e Vila Viçosa, no distrito de Évora, devido aos casos de covid-19 e se tal também vai acontecer nos estabelecimentos de ensino de Lousada, Felgueiras e Paços de Ferreira, onde o aumento do número de casos mereceu medidas especiais anunciadas na quinta-feira pelo Governo.

A governante explicou que a decisão das autoridades de saúde pública é “MÉDICA E TOMADA EM FUNÇÃO DE UM DETERMINADO CONTEXTO” e que “A REGRA É NÃO FECHAR ESCOLAS”.

RELATIVAMENTE A FELGUEIRAS, PAÇOS DE FERREIRA E LOUSADA A DECISÃO NÃO FOI O ENCERRAMENTO DE ESCOLAS PORQUE O QUE NÓS QUEREMOS CONTROLAR É UMA DISSEMINAÇÃO DA INFEÇÃO EM TERMOS DE OUTROS CONTEXTOS. A DISSEMINAÇÃO ESTÁ MUITO ASSOCIADA A OUTROS CONTEXTOS QUE NÃO SÃO ESPECIFICAMENTE O TRABALHO OU A ESCOLA”, afirmou.

Marta Temido salientou também que não faz parte da estratégia “encerrar escolas a não ser em casos extremos, algo que a Organização Mundial da Saúde tem apelado”.

 

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2020/10/63-escolas-com-surtos-ativos-de-covid-19/

18 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Zaratrusta on 24 de Outubro de 2020 at 12:40
    • Responder

    E continuamos a esconder o que se passa nas escolas. Esta foi uma das muitas parvoíces que a Marta disse.
    Outras: O SNS é um harmónio – deve ser por nos estar a dar música
    Os portugueses devem proteger o SNS – não deveria ser ao contrário

    Dos surtos nas escolas a que a Marta se refere, não deve fazer parte o da escola profissional de Serpa, com uma turma em confinamento e 13 professores (dos 26 que a escola tem), mas a escola continua aberta.

    • Prof Possível (aka Maria Indignada) on 24 de Outubro de 2020 at 12:57
    • Responder

    Enfim, alienação e falácia, para além de uma gestão desnorteada.

    • Acordem! on 24 de Outubro de 2020 at 13:34
    • Responder

    A “culpa” é de um casamento e dois batizados!!!
    (Todos os dias ocorrem nas escolas mais de 1000 (MIL) almoços com mais participantes do que em qualquer boda…!!!!)
    E os portugueses “comem” esta mentira difundida pelo governo, com a colaboração de uma comunicação social VENDIDA.

    • Lena on 24 de Outubro de 2020 at 13:41
    • Responder

    A comunicação social de qualidade determina o nível de democracia e evolução de um país atual.

    Atualmente Portugal está a definhar nesse campo.

    • Manuel M on 24 de Outubro de 2020 at 16:36
    • Responder

    Nas Escolas de Paços de Ferreira existem inúmeros alunos com COVID 19 posítivos e vários alunos em casa de quarentena porque tem familiares positivos.
    Quando se verifica um caso positivo numa turma, esse aluno vai para casa, o resto da turma fica na escola e não é chamado pelas autoridades de saúde, mesmo tendo o aluno positivo referenciado que esteve com os colegas sem máscara durante muito mais de 15 minutos e todos os professores, quase todos com mais de 50 anos e doenças próprias destas idades, continuam a trabalhar com esta turma e com outras, disseminando o vírus por toda a escola, alunos e professores desta e das outras turmas, em que existem casos positivos e também pela sua família,

    • Manuel M on 24 de Outubro de 2020 at 16:39
    • Responder

    Em Paços de Ferreira os professores nunca são chamados pelas autoridades de saúde, para fazer testes ou serem avaliados relativamente ao COVID, aqui, o vírus só morde fora da escola, na escola o vírus não está em contexto para fazer mal….ninguém acredita nisto!!!! As funerárias agradecem

    • Manuel M on 24 de Outubro de 2020 at 16:48
    • Responder

    RELATIVAMENTE A FELGUEIRAS, PAÇOS DE FERREIRA E LOUSADA A DECISÃO NÃO FOI O ENCERRAMENTO DE ESCOLAS PORQUE O QUE NÓS QUEREMOS CONTROLAR É UMA DISSEMINAÇÃO DA INFEÇÃO EM TERMOS DE OUTROS CONTEXTOS “não queremos saber da saúde dos professores, quase todos com mais de 50 anos, nem das famílias dos alunos. A DISSEMINAÇÃO ESTÁ MUITO ASSOCIADA A OUTROS CONTEXTOS QUE NÃO SÃO ESPECIFICAMENTE O TRABALHO OU A ESCOLA”Na escola se o vírus se portar mal, tem uma falta disciplinar, marcada pelos professores que sobreviverem”

    • Atento on 24 de Outubro de 2020 at 17:00
    • Responder

    —————-
    ———————————

    Senhora Dra. Marta (quase Temido) divulgue quantos Professores, Funcionários e alunos estão contaminados. Divulgue também quantos estão INTERNADOS e o número destes que estão nos CUIDADOS INTENSIVOS.

    Não peço para divulgar quantos já MORRERAM. E não peço porque o primeiro falecimento por COVID verificou-se no Algarve e foi precisamente um PROFESSOR.

    Tenha coragem Sra. Dra. Marta (quase Temido)!……

    Varrer a ESQUERDALHA do (des)Governo deve ser um DESIGNIO NACIONAL!……..

    CHEGA!…………CHEGA!…………….CHEGA!………..CHEGA!…………..CHEGA!…………CHEGA!…………….CHEGA!………..CHEGA!…………..CHEGA!…………CHEGA!…………….CHEGA!………..CHEGA!…………..CHEGA!…………CHEGA!…………….CHEGA!………..CHEGA!…………..CHEGA!…………CHEGA!…………….CHEGA!………..CHEGA!…………..CHEGA!…………CHEGA!…………….CHEGA!………..CHEGA!…………..

    —————
    —————————————-

    • Matilde on 24 de Outubro de 2020 at 17:20
    • Responder

    63??? Será para rir ou para chorar?

    Continua a MENTIRA DESCARADA e a OCULTAÇÃO INTENCIONAL do verdadeiro número de contágios em cada escola, muitas vezes com total conivência e participação d@s director@s…

    E tentar esconder da própria comunidade educativa o real número de infectados também parece ser uma prática instituída em algumas escolas…

    VERGONHA pela ministra e VERGONHA por aqueles director@s que actuam de forma vil e desonesta, pondo em perigo a própria comunidade que lideram… O que importa é que a “sua” escola não apareça em qualquer lista de infectados, mesmo que com isso estejam a enganar deliberadamente alunos, professores e pais/encarregados de educação…

    Lodo e muita escória… Estamos atolados em lodo e escória…

    • Ana Tavares on 24 de Outubro de 2020 at 17:40
    • Responder

    Na atual conjuntura, penso que justificava uma greve contra as condições de trabalho dos professores e assistentes operacionais. É uma vergonha o que se está a passar e é um claro desrespeito pelos profissionais que trabalham diariamente e lado a lado com alunos sem saberem o estado de saúde em que se encontram.

    • PipaII on 24 de Outubro de 2020 at 17:51
    • Responder

    Só quando houver mortos diretamente ligados a contaminações em meio escolar é que acontece alguma coisa.
    A malta é tão pacifica, não se revolta, não sai nada para fora, não consigo perceber tanta inércia da parte dos professores que se encontram nessas escolas a correr um risco enorme sem que ninguém lhes dê importância.
    E da parte dos pais e EE de educação também não percebo tanta inatividade!

    Agora é que era de decretar uma greve até testarem todos os professores que estiveram em contacto com alunos infetados; Todos à porta das escolas sem arredar pé até acontecer alguma coisa. M@rda de sindicatos que nós temos.

    • Manuel M on 24 de Outubro de 2020 at 18:03
    • Responder

    Testar era o mínimo necessário

    • Atento on 24 de Outubro de 2020 at 19:13
    • Responder

    —————-
    —————————–

    Foi nesta ESQUERDALHA (PS, BE, PCP) que votaram…..agora aturem esta gentinha mediocre e criminosa.

    ————-
    ——————————–

    • Manuel on 24 de Outubro de 2020 at 20:41
    • Responder

    Dinheiro e vaidade falam mais alto do o bom senso:
    https://poligrafo.sapo.pt/fact-check/imagens-de-multidao-sem-distanciamento-fisico-no-autodromo-do-algarve-sao-autenticas

    • Acordem! on 24 de Outubro de 2020 at 21:06
    • Responder

    Matilde,
    Os diretor@s são o verdadeiro cancro das escolas. Agora escondidos que nem ratos em gabinetes bem isolados e obrigando os professores a múltiplas e INÚTEIS reuniões e tarefas burocráticas presenciais.

    • greve on 24 de Outubro de 2020 at 22:55
    • Responder

    Estou farto de pedir que marquem greve, mas ninguém liga. Parece que está tudo amorfo, pacífico, assistindo impávido e sereno, havendo casos em quase todas as escolas; em muitas, sendo estes ocultados; noutras, os casos estando assintomáticos; e, as estruturas sindicais, como se nada fosse, vendo os seus colegas indo para a guerra, totalmente, desprotegidos, com a porcaria de uma máscara, num espaço fechado, com 30 alunos, onde nem metade cabem!; amontoados de alunos, intervalos quase inexistentes; horas e horas a fio, dentro da uma sala, saindo apenas para irem ao wc, um a um; comendo dentro da sala; professores usando os mesmos apagadores do quadro; os mesmos teclados, ratos e computadores; janelas que não abrem; olhares pesados no corredor; alunos saturados de estarem fechados; professores tentando animar os alunos que dias melhores virão e, pensando que nem sabem se os seus e eles próprios estarão vivos; assistentes operacionais exaustos, com olhar cansado, sempre a correr para limpar, ora aqui, ora acolá; AT a atenderem sem qualquer proteção. Mas que escola é esta, em que todos usam apenas uma máscara de pano, que nada protege e, um frasco de álcool gel????

    • labrego on 24 de Outubro de 2020 at 22:59
    • Responder

    Nas terras dos labregos, só querem saber do pópó e da propriedade privada, cambada de egoístas ignorantes sem civismo, o que aprendem na escola é a pequena corrupção que perpetua a sua imbecilidade inata. Na de Lousada, por exemplo, aprendem como se faz o 12º em 2 anos, a insultar e ameaçar profs à frente de DTs e outros profs do sítio, com trabalhos feitos por DTs, com exames finais passados na véspera por profs, a comer/dormir/jogar/ver vídeos nas aulas, etc. Não admira que seja nesse tipo de terras que estas coisas acontecem.

    • Prof Possível (aka Maria Indignada) on 25 de Outubro de 2020 at 18:21
    • Responder

    63 escolas com surtos…

    Que jeito que dá evitar ao máximo fazer testes na comunidade educativa e nem haver transparência na divulgação dos casos nas escolas.

    A desgraça Freitas devia ser obrigada a ver todas as suas declarações desde o início desta pandemia, e tentar perceber qual a credibilidade que lhe resta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: