adplus-dvertising

UM MORTO PROFESSOR!

 

~Se lá chegar, brevemente farei 62 anos de idade e 42 a lecionar ininterruptamente, tendo desempenhado em cerca de uma dezena de escolas todas as funções possíveis, desde a faxina da limpeza, passando pelo alombamento do mobiliário/equipamento para lecionar, até à presidência de todos os órgãos escolares, chegando a permanecer nelas dias seguidos das 7.30 horas até depois das 24 horas (com ensino noturno), comendo pagando e tomando conta dos alunos nos refeitórios. E agora, frequentemente dias com manhãs, tardes e noites de trabalho seguidas. Família sempre em segundo ou terceiro plano. Até a formação esteve sempre depois das aulas e primeiro que a família. Em todo este tempo estive um dia de atestado médico.

~Descontei mais de 30 daqueles anos para a aposentação, com base em 100% do ordenado, na proporção de me aposentar sem penalização com 55 anos de idade e 36 anos de serviço (era assim considerado pelo desgaste da profissão e outros motivos). Assim foi durante muitos anos e ainda continua a ser para alguns  agora privilegiados. Se me aposentar um dia será com base em menos de 60% (simulação da CGA). Neste país, durante algum tempo a seguir ao 25 de abril de 74, havia carne e osso para todos, agora para os protetores do sistema vai a carne e para os trabalhadores vai o osso já rapado.Repetidamente o aumento dos ordenados nunca acompanhou de perto a inflação. Recebo menos vencimento líquido hoje do que há mais de 20 anos e dois escalões atrás.

~Nos últimos anos despediram milhares de professores, alguns com dezenas de anos de carreira, como por exemplo na disciplina prática que leciono em que reduziram para menos de metade os professores ao cortarem 50% da carga horária e ao atribuírem o dobro dos alunos a cada professor, colocando em risco permanente a segurança de alunos/professores e sem qualquer investimento em equipamentos/condições de trabalho que são completamente obsoletas. À balela da falta de professores crucificam-se os que já trabalharam uma vida.Para os iluminados que andam a propor bonificações aos professores que depois de aposentados queiram continuar a trabalhar devido à falta deles, pela minha parte nuncanem condecorado.

~Sem qualquer justificação, porque há dinheiro do Estado para estádios de futebol megalómanos sem qualquer utilidade, bancos falidos por ladrões, subsídios perdidos a empresas de empresários oportunistas, chorudas reformas sem para elas descontarem proporcionalmente para administradores e afins, favorecimentos por fora em tudo o que é administração pública, lei da autonomia para roubar/desviar verbas, etc., quase no fim da carreira foi-me imposto trabalhar e descontar pelo menos mais 12 anos para cobrir os desfalques facilitados/abafados por políticosou gestores corruptos. Nunca vi alguém estar perto de atingir um objetivo e imporem-lhe humanamente um outro incompreensível.

~Atualmente leciono a mais alunos do que no início da carreira, com a incomparável diferença entre respeito/reconhecimento àquela data e a agressividade/espezinhamento atual, por alunosencarregados de educação e administração educativa.

~Por considerar ser, pelo Estado e minha entidade patronal, enganado, aldrabado, vigarizado, manipulado, vilipendiado, explorado, roubado, abusado, violado, torturado, trucidado, agredido, enxovalhado, discriminado, desrespeitado, desprezado, humilhado, inferiorizado, achincalhado, despromovido, desvalorizado, etc..

~Obviamente, estou pessoal e profissionalmente exausto, saturado, desgastado, fragilizado, estoirado, deprimido, descontrolado, stressado, indignado, revoltado, sem qualquer motivação, assumidamente à beira do abismosujeito a arrastar comigo alguém próximo, etc..

~Fiquei no ensino, a troco de tudo de muito melhor, porque adorava lecionar e o trabalho complementar, mas atualmente detesto esta profissão que mata os que não querem guerra.

~Por isso, considero-me um professor morto a trabalhar/lecionar como nunca, fora do prazo de validadepara alunos com idade de serem meus bisnetos, em adiantado estado de decomposição sem que alguém note o cheiro nauseabundo que emano e com ar de parolo retrógrado por ter sido professor de informática dos primeiros engenheiros informáticos estando atualmente no grau zero das qualificações digitais, até porque recusei todas as vacinas e todos os testes covid-19 até hoje, devido ao primeiro-ministro atribuir exclusivamente aos professores uma marca de vacina que ele veio a considerar berbicacho e que eles cobardemente aceitaram. Até agoranão beneficiei de qualquer bónus para ter covid19.

~E como, com o horizonte de anos que ainda tenho para trabalhar e poder receber a aposentação sem penalização, só vejo a possibilidade de sair na HORIZONTAL pela porta das traseiras da Escola onde trabalho, talvez em resultado dum pressuposto enforcamento. Olho para o lado e vejo os colegas mais velhos ou da minha idade no meuestado e os próximos da minha idade quase como eu, a dizerem que já não aguentam mais. Transformaram-nos numa cambada de velhos transtornados prematuros. Os vacinados a terem todos covid19.

~Assim, os alunos vão ter um futuro risonho, com um ministro da educação competentíssimo, há mais de seis anos a governar os professores deste país e por pelo menos mais quatro anos e meio, para quem interessa é que tenham aulas (segundo ele, mas eu sinto precisamente o contrário), por professores no meu estado cadavérico-degenerativo. Com professores neste estado que ensino estão a/vão ter os alunos? Apenas aulas! Um morto professor dá aulas, mas não ensina. Ainda bem que os meus filhos não querem ter filhos para terem este futuro.

~Que fique bem claro. Estou morto, mas não morri. Fui simplesmente assassinado e muito lentamente com inqualificável sofrimento. Pena que neste país cavaquistasoarês os incógnitos bandidos doutorandos, seus discípulos e afins que me assassinaram continuem à solta e a viverem à minha custa, nomeados ou eleitos até com maiorias absolutas conquistadas sem o meu voto que deixei de o dar desde que me começaram a matar.

PARABÉNS SENHOR MINISTRO (ex-secretário)!Medalhável brevemente pelo presidente selfimarcelista digno descendente do pai que por mero acaso também foi ex-secretário de estado da educação do fachismarcelista ainda do meu tempo de lutador.

 

Carlos Tiago

(o assassinado professor)

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2022/05/um-morto-professor/

28 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Grande texto, colega Carlos !
    É isso !
    Esta guerra não passa a tv, mas está no duro sofrimento de muitos !

    • Carlos Manuel Moreira on 22 de Maio de 2022 at 13:11
    • Responder

    É pena que só agora se comecem a ouvir gritos de revolta!

      • ZéZé Camarinha on 22 de Maio de 2022 at 15:26
      • Responder

      Não se ouvem gritos……..ouvem-se é PEIDOS
      Os professores sofrem de flatulência…………ainda outro dia uma das sitôres que anda a bater tacão na sala de professores e que leciona apenas 14 horas semanais peidou-se num dos sofás da Sala de Professores……….foi um pivete do caralho……….são umas porcas………..muito perfumadas, mas umas porcas……………
      Tenho lá uma em Faro que só gosta de levar no cú …………é cá uma puta!…..foda-se, mas que grande vaca………..mas tem um cú que é um autentico parque de diversões……………maravilha…………………..
      Já coloquei muitas de 4 e acreditem que comi os três pratos (Cú, Pito e Broxe)………….maravilha

      Tu ouves é os gritos delas a Virem-se abundantemente………………….

    1. O texto reflecte o que eu sinto também!
      Defraudado, enganado, usado para deitar fora!
      Obrigado.

    • Luluzinha! on 22 de Maio de 2022 at 13:14
    • Responder

    Sinceramente, já cansa, já não há paciência para este discurso do coitadinho. Deve ter tido muitas oportunidades de mudar de profissão. Que lamechice insuportável!

    1. Tem toda a razão, o mesmo se pode dizer do discurso de insatisfeita afrontada e obstipada até ao gargalo.

      • Conversa de taberna. on 22 de Maio de 2022 at 14:03
      • Responder

      LuluZINHA , o teu comentário é tão deprimente como os teus comentários e de outros na Sala de Conversa no Blog.

      1. É sempre tempo de dizer
        BASTA !

      • Apache on 22 de Maio de 2022 at 14:41
      • Responder

      Luluzinha também podes mudar de profissão, tenho falta de pessoal nas obras.
      As pessoas ainda são livres de escrever o que lhes vai na alma. Se não queres este tipo de liberdade, aproveita e vai fazer companhia ao putin, pode ser que ele te envie para a frente de batalha.

      • Revoltada on 22 de Maio de 2022 at 16:53
      • Responder

      Luluzinha vai dar uma volta ao bilhar grande. Grande texto do Carlos Tiago, tal como ele eu, também com 62 anos, só penso na reforma e estou indignada, sinto-me desprezada e enxovalhada. Espero que estas vozes de indignação se levantem. Pronta para a luta.

    • sempre@tento on 22 de Maio de 2022 at 14:37
    • Responder

    Como eu o compreendo, Carlos…
    Mas os nossos sindicalistas, que não dão aulas há muito tempo, e alguns nem sabem o que é isso, nada dizem. Enfim…
    É meter o ombro e aguentar e quando não puder arreia, com atestado. O Ministério da Educação prefere assim. A hipocrisia passa também pela formação dos nossos jovens, pois como pode um docente fazer o seu trabalho com este grau de saturação? Mas será que alguém se importa?

    • Apache on 22 de Maio de 2022 at 14:53
    • Responder

    Está visto que o senhor Karamba só vive com o mal dos outros. Também pode marchar para a Rússia. Tem todas as qualificações e mais algumas para fazer a propaganda do putin. Na frente de batalha era ótimo para dar moral as tropas do putin.

    • Aura Borges on 22 de Maio de 2022 at 14:59
    • Responder

    Esta choraminguice envergonha-me enquanto docente.
    Este colega Carlos Tiago vem para aqui chorar lagrimas de corcodilo. Este colega é de trabalhos oficinais ou trabalhos manuais (sei que o grupo de recrutamento agora tem uma designação mais pomposa). Este colega foi mais um que se fosse trabalhar para o setor privado não ganharia nem um terço do que ganha na função publica.
    O Povo lá fora não anda a dormir e os salários dos professores são publicos. As horas de trabalhoi dos professores são publicas. Os artigos 102º – 7 por ano – são publicos. Os horários entre as 14 e as 22 horas letivas são publicas. as Mobilidades por Doença – MPD é publica. Os destacamentos para outras organizações através de conhecimentos/cunhas é publica.
    Tudo isto envergonha-me enquanto docente.

      • professor karamba inteligente on 22 de Maio de 2022 at 15:05
      • Responder

      Aura Borges aka professor karamba/Luluzinha/Camões/Atento/Ana Quinas/…:
      O colega é docente de TO ou TM? O que interessa isso? É um docente, não é verdade? Como snob que você é, e só lhe interessa tentar achincalhar quem trabalha, é só isso que lhe ocorre?

    1. A mim envergonha-me constatar que há professores que nem sequer sabem escrever corretamente a Língua de Camões !” corcodilo”!!!; ” publico” sem acentos!!!
      O Colega Carlos Tiago é, segundo diz, professor de ” trabalhos oficinais ou trabalhos manuais (sei que o grupo de recrutamento agora tem uma designação mais pomposa)”. E a colega? Até tenho medo de saber….
      Haja paciência para tanta displicência!

    • Alexandra Salagdo on 22 de Maio de 2022 at 15:23
    • Responder

    A mim a única coisa que me envergonha é este tipo de comportamentos e achincalhamentos por parte de gente douta. Vergonha de Classe! Nem educação e respeito têm pelas opiniões divergentes das suas e ainda dizem ensinar alguma coisa a alguém… São coitadinhos mesmo! Mas de espírito e comportamento!
    Mas como está tudo bem…continuemos a sorrir e a aplaudir! Afinal de contas deve haver quem ganhe demasiado para o que faz e o país está ótimo!
    Venham mais rendeiros, Tios Ricardo, Sócrates, Bancos…… Nós todos pagamos! Até porque é uma merda a lamechice!

    • Alexandra Salgado on 22 de Maio de 2022 at 15:44
    • Responder

    O que lhe dói? Não ser do Público porque nunca lá conseguiu chegar?
    Não diga barbaridades e já que é tudo público pesquise melhor! Ou se é assim tudo tão bom no Público, que até nomes pomposos dão (qual é o eu??), venha para cá e deixe o privado onde ganha tão mal, não tem regalias algumas e trabalha o tripulo….há muita falta de professores! Siga. Não me parece que seja muito inteligente da sua parte achincalhar o BOM optando pelo Péssimo!
    Pois, eu por acaso tive duas TVP, Tenho Fibromialgia, uma lesão de 50% no ouvido interno; duas hérnias cervicais; fratura lombar; em recidiva do C. do útero…..o meu mais novo de 3 filhos, tem problemas de coração, síndrome nefrótico e tudo terminados em “ites” com eu! Vivo no hospital há 20 anos e 27 na escola.
    SEMPRE trabalhei! Meti baixa por me terem dado TODOS os níveis, antiga portaria 201 e 4 (3 primárias) escolas em 2014. Sou professora do PÚBLICO há 27 anos, de Inglês e Português, tenho 50 anos. Mas quer trocar? Ou pode meter uma dessas cunhas por mim? Pelo meu filho primeiramente… Agradecida. Desculpe a lamechice, mas a sua empatia comoveu-me!

    • Ana Barata on 22 de Maio de 2022 at 15:47
    • Responder

    Estou a ver que há aqui comentadores que não são professores. Não têm mais nada para fazer ? Gostava que me dissessem nos olhos aquilo que escrevem aqui, escondidos no anonimato. Mas sem vernáculo, está bem? Não há necessidade.

  2. Carlos Tiago, o seu depoimento retrata os sentimentos de muitos profissionais que podem ser causados pelas mais diversas situações. A nossa profissão é uma das que mais desgaste provoca. O que mais dececiona, não é os outros estarem ou não de acordo com o seu ponto de vista, ou com a visão sofrida que tem da sua história profissional, o que dececiona, na leitura de vários comentários ao seu desabafo, é o vocabulário, as críticas mordazes, as alfinetadas, dadas por colegas , usando o calão que jamais deveria ser utilizado por um profissional que se dedica à educação e à formação das gerações futuras. A nossa profissão não é dignificada porque muitos profissionais deixarem de a dignificar com atitudes, com modos se ser e de estar, de não saber comunicar com os outros respeitando a sua consciência, com o aproveitarem regalias que deveriam ser para os docentes que necessitavam delas começando a vicia-las contornado a lei para benefício próprio, como foi a MPD. Muitas são as irregularidades que se vão deixando passar quando beneficiam alguém e atacando quando não trazem benefícios. Falta sermos uma classe unida, capaz de se defender, de lutar. O reino que se ataca assim próprio acaba por cair.

    • João on 22 de Maio de 2022 at 18:04
    • Responder

    Grande texto.
    Os professores ditos “velhos” que estão a aguentar o sistema e toda esta má educação deviam unir-se e dizer basta. Onde andam os sindicatos?

    • Rosinha on 22 de Maio de 2022 at 18:13
    • Responder

    O Zézé Camarinha é porco….tenha vergonha com o que diz.

    E não percebo como deixam publicar as “dissertações” deste “senhor”…francamente….

    • Ronaldo Mateus on 22 de Maio de 2022 at 21:00
    • Responder

    Pensa bem na tua vidinha velho porco de 62 anos, pois pelo que dizes não tens tempo para nada, mas te falta tempo para escreveres lamentações, és porco e contínuas a ser porco, pois foi porcos como tu que a profissão docente encontrasse como está. Aproveita o exemplo do Rendeiro, grande capô.

      • Isabel on 22 de Maio de 2022 at 22:30
      • Responder

      Alguém faltou às aulas de português….

  3. A mim envergonha-me constatar que há professores que nem sequer sabem escrever corretamente a Língua de Camões !” corcodilo”!!!; ” publico” sem acentos!!!
    O Colega Carlos Tiago é, segundo diz, professor de ” trabalhos oficinais ou trabalhos manuais (sei que o grupo de recrutamento agora tem uma designação mais pomposa)”. E a colega? Até tenho medo de saber….
    Haja paciência para tanta displicência!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: