A crise demográfica teve repercussões na Escola com menos 401 mil alunos

Escolas portuguesas perderam 401 mil alunos na última década

Nos últimos dez anos, o sistema de ensino português (público e privado) perdeu mais de 401 mil alunos. A conclusão é do relatório ‘Educação em Números – Portugal 2020’, do Ministério da Educação, citado esta terça-feira pelo ‘Correio da Manhã’ (CM).

Segundo o mesmo documento, ao comparar os últimos 10 anos é possível observar a tendência descendente. No ano letivo 2018/19, o mais recente para o qual há dados disponíveis, registavam-se 1.613.334 alunos nas escolas nacionais, sendo que em 2009/2010 eram 2.014.831.

Nos últimos dez anos, o ano letivo com maior número de alunos matriculados nas escolas portuguesas foi o de 2009/2010, altura em que se verificavam 2.014.831 estudantes. A partir daí, segundo o ‘CM’, os números começaram a descer, com a maior baixa a registar-se no terceiro ciclo, menos 146 mil alunos. Também o ensino pré-escolar foi bastante afetado por esta quebra, com menos 30 mil nos últimos dez anos.

O relatório revela ainda que existem atualmente 8.367 estabelecimentos de ensino em Portugal, uma visível redução face há dez anos, quando o total era de 11.76. O ensino público registou a maior descida, perdendo 3.394 estudantes, já o privado perdeu cerca de 248. Quanto aos professores, há 146.992, menos 33 mil do que em 2009/2010.

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2020/12/a-crise-demografica-teve-repercussoes-na-escola-com-menos-401-mil-alunos/

6 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • pretor on 29 de Dezembro de 2020 at 12:36
    • Responder

    Menos 400. Mil alunos !!!! Mas de que adianta isso se as turmas até estão maiores este ano? Uma vergonha… Nem a pandemia as diminuiu !!!

    Se há menos alunos que se faça um ensino de maior qualidade e com turmas de 15 alunos. Um ensino onde a atenção mais reforçada ao aluno predomine.

    Para os professores e alunos não interessa nada se há menos ou mais alunos. Interessa é o número de turmas existentes numa escola e a sua dimensão.

    Parem com a treta do HA MENOS ALUNOS

    Ajam … Diminuam as turmas

    • Atento on 29 de Dezembro de 2020 at 18:43
    • Responder

    ——————-
    —————————

    Com que então há falta de professores!…………..

    Tenham VERGONHA!…..Os novitos (digo, contratados com 41 anos de Idade) nem sabem o que os espera!…..

    Há EXCESSO de PROFESSORES e FALTA DE ALUNOS. Isto SIM!……

    —————
    ——————————

      • Lucas on 29 de Dezembro de 2020 at 19:32
      • Responder

      és um burro de 2 pernas.
      Mata-te

    • Fernando, el peligroso de las verdades. 147 mil? on 29 de Dezembro de 2020 at 23:19
    • Responder

    Ainda há 147 mil professores?
    Bem, eu conheço Babás às dezenas em MD que nada fazem nas escolas. E se lhes derem trabalho, dizem que não sabem fazer, pois foran feitas para ensinar (diga-se guardar) crianças.
    Os bandidos que criaram a carreira única deviam ser julgados e se o fossem seriam condenados à prisão perpétua pela bacorada que fizeram…

      • N. Ribeiro. on 30 de Dezembro de 2020 at 9:44
      • Responder

      A proporção da perda de alunos é semelhante à diminuição do número de professores.

      Já a perda de qualidade do ensino público, essa é vertiginosa.

      Carreira única é uma aberração..

    • Silva on 29 de Dezembro de 2020 at 23:31
    • Responder

    Nem mais Atento, há sim professores a mais e alunos a menos, triste realidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: