Igec inspeciona 100 estabelecimentos à caça das notas inflacionadas

 

Inspetores fiscalizam notas numa centena de escolas

A Inspeção-Geral da Educação e Ciência (IGEC) está a fiscalizar 100 escolas secundárias, desde o dia 3, no âmbito do combate à inflação de notas nos 11.º º e 12.º anos, apurou o JN.

A ação abrange 76 estabelecimentos de ensino públicos e 24 privados e pretende ter um efeito “regulador e dissuasor”.

 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2020/06/igec-inspeciona-100-estabelecimentos-a-caca-das-notas-inflacionadas/

31 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Zaratrusta on 11 de Junho de 2020 at 18:52
    • Responder

    Interessante. Há muito menos inspeções no âmbito do combate à corrupção económica e financeira. Enfim, sinais de um país atrasado.

    • José Carlos on 11 de Junho de 2020 at 18:59
    • Responder

    Pensei que iam investigar a situação de, neste terceiro período, haver alunos a realizar testes à distância, com o seu explicador ao lado…
    E as notas desses testes contam para a nota do 3º período…
    Depois ainda falam na inflação de notas…
    Querem afinal o quê?

    • Voltaire on 11 de Junho de 2020 at 19:46
    • Responder

    Está aberta, a época de caça aos patos. Os senhores caçadores, não se esqueçam como fazem habitualmente de avisaram os donos das coutadas, antes de entrarem em ação. Boa caça!

    • prof550 on 11 de Junho de 2020 at 20:39
    • Responder

    Se os cursos profissionais fossem para levar a sério, haveria muitas notas inflaccionadas para investigar. Em alguns casos, inflações de quase 10 valores!!! Sim, eu no ano passado vi dar 18 e 19 a alunos de programação que uns meses antes não sabiam fazer um ciclo “for”!!! Notas dadas por uma daquelas senhoras professoras com selo “Excelente”, numa escola de Coimbra.

      • Fernando on 11 de Junho de 2020 at 21:14
      • Responder

      Ó 550, não estás atualizado. 18 e 19 valores? Deixa-te disso!
      Os que têm 10 valores, nesses cursos, já estão inflacionados à burra, alguns com todos os valores dados ( sim, os 10 valores estão inflacionados em 10…)
      Quando deviam ter 0.

      • Brigas on 12 de Junho de 2020 at 0:01
      • Responder

      Para mim a nota mínima nos profissionais é 10, logo 19 não me escandaliza.
      Se deres menos de 10 tens trabalho a triplicar e não adianta nada. No fim acabam sempre por passar.
      Acorda 550

        • prof550 on 12 de Junho de 2020 at 20:10
        • Responder

        A questão aqui é um aluno que já tinha à volta de 10, passar a ter 18. Quem é que aqui falou de dar negativas? Do que eu falo aqui é duma situação em que uma senhora “doutora” (da farinha Amparo) diretora de curso, neo-fascista, duma escola de Coimbra, inflacionar notas indiscriminadamente, para manter a sua imagem de “prof maravilha”. Pior do que isso, sem qualquer contestação em reuniões do CT, mesmo perante o desfasamento em relação à média de cada aluno nas restantes disciplinas!

        Acordado para a fraude dos profissionais/vocacionais já estou há muito tempo.

    1. Os cursos profissionais fechavam todos!
      😂😂😂😂😂

        • Carlos on 12 de Junho de 2020 at 9:59
        • Responder

        E acabava-se o dinheirinho dos fundos para a escola, Está viciado desde o início.

      • Luluzinha! on 12 de Junho de 2020 at 16:29
      • Responder

      Não seja troglodita e mentecapto. A propósito: com ou sem AO90, escreve-se “inflacionado” com um único c. Percebe-se agora que fique tão frustrado com a capacidade expressiva dos outros comentadores.

        • prof550 on 12 de Junho de 2020 at 19:46
        • Responder

        Ai Lulu que eu dizia-te o troglodita dizia…

    • TACHOS E PANELAS on 11 de Junho de 2020 at 20:50
    • Responder

    Mais uns tachos para uma equipa de artistas que só querem é passear e almoçar à conta dos contribuintes.

      • Fernando on 11 de Junho de 2020 at 21:16
      • Responder

      Deixa lá, eles só comem frango assado.

      • Filinto Rocha on 12 de Junho de 2020 at 9:18
      • Responder

      Eles nem onde há denúncias conseguem ver…
      Deve ser da idade avançada dos inspetores…ou…

    • Joao Lima Ferreira on 11 de Junho de 2020 at 21:36
    • Responder

    Já agora a contratação de técnicos especializados, para horários, que são pertença dos grupos de docência (disciplinas da componente técnica). Total desrespeito pelas habilitações para para a docência. Com a colaboração dos próprios docentes/diretores, que não estão para se atualizar, porque dá muito trabalho , porque não há manuais e também para não abrir vaga. …
    Há situações, como p.ex duas escolas secundarias separadas pela linha de caminho de ferros. A Gama Barros e a Ferreira Dias (Cacém/ Agualva), a primeira não contrata técnicos especializados, a segunda toda a componente técnica é para estes, no curso Técnico de Turismo.!!!
    Tentem queixar se ao ministério………….
    Está cultura bem portuguesa , de capturar
    um ” BEM PÚBLICO” , dispondo dele como se tratasse de um “quintal privado”.

      • Alexandra S on 12 de Junho de 2020 at 20:08
      • Responder

      E qual dos grupos de recrutamento pode “dar” turismo?
      O 430?
      Formado por contabilistas, juristas, economistas, jornalistas?
      Não me parece.

      O 420?
      Que formação em turismo tem o curso de geografia?

      Enviar para contratação de escola estes horários parece-me lícito.

        • Joao Lima ferreira on 13 de Junho de 2020 at 17:16
        • Responder

        * Sabia que o turismo é uma atividade
        ECONÓMICA .?
        * Sabia que a oferta turística é realizada por EMPRESAS ?
        * Sabia que os colaboradores de uma empresa se agrupam por departamentos funcionais, sendo um deles o de vendas( marketing,etc), de serviços e /ou produtos?
        * Sabia que as empresas para funcionarem têm normativos jurídicos, bem como o setor a que pertencem?
        ” Conhece os currículos dos cursos , que jacosamente enunciou?
        * Conhece com rigor os programas das disciplinas técnicas do curso técnico de turismo?
        * Tem conhecimento que os cursos de gestão geral , de gestão hoteleira e planeamento turístico, fazem parte integrante do diploma das habilitações para do grupo disciplinar 440 de Economia & Contabilidade.?
        * Tem conhecimento que os mais importantes livros sobre o tema turismo, são da autoria de economistas e gestores?
        * Conhece o livro ” Introdução ao Turismo”, a bíblia do turismo português
        do economista Licínio Cunha, nas suas várias edições,?
        O grupo 440 é no ensino publico o mais multidisciplinar , que não necessita nem reconhece COMPETÊNCIA TÉCNICO PEDAGÓGICA a um CAP.!!!
        Este grupo, assegura há dezenas de anos o ensino técnico / tecnológico
        nas áreas das ciências económicas e empresários, bem o da Economia Pura.
        Quanto à tirada do jornalismo desconheço, mas sei que existem jornais na área económica, de que sou
        leitor assíduo e não consta que os jornalistas sejam técnicos especializados.,!!!!
        Por último o grupo 430 de economia e contabilidade, não ” dá turismo”, LECIONA !!!
        Juridicamente o seu “parece lícito”,
        tem o valor ZERO.
        A Ilicitude é de alguns colegas, que para além de ignorarem a lei não têm vergonha?
        A pergunta que fica é: gostavam de ser tratados deste modo?????????
        O grande problema é programa informático Galileu…..só para génios..

          • Alexandra S on 13 de Junho de 2020 at 21:24

          E se o professor colocado tiver formação em direito?

    • Matilde on 11 de Junho de 2020 at 21:51
    • Responder

    Qual o propósito desta “fiscalização” neste momento?
    O ano lectivo ainda não terminou e as classificações finais de ano também ainda não foram atribuídas… Qual a sua pertinência nesta altura?

    A amostra das 100 escolas foi constituída de forma aleatória ou não?

    Se o que se pretende é um efeito “regulador e dissuasor”, infere-se que a perspectiva inerente é preventiva, no sentido em que pretende evitar que a inflação de notas venha a acontecer… Assim sendo, a constituição da amostra das 100 escolas teve que ser aleatória, pois só assim se compreende que a perspectiva seja preventiva…

    Numa amostra aleatória todos os elementos que constituem um determinado universo têm idêntica probabilidade de serem seleccionados para a amostra. Sendo assim, a amostra será efectivamente representativa do universo total de escolas em Portugal, pelo que é expectável que das 100 escolas algumas pratiquem a inflação de notas e que a a maioria não o faça…

    As escolas que praticam a inflação de notas deixarão de o fazer, devido a esta acção de fiscalização? E as escolas que não a praticam continuarão a não o fazer, devido a esta acção de fiscalização?

    Isto é tão absurdo como acreditar que as “Operações STOP” anunciadas pela Polícia com 1 mês de antecedência previnem efectivamente a ocorrência de infracções graves de trânsito ou acidentes rodoviários graves…

    Se a mensagem que se pretende transmitir é de justiça e de equidade em todas as escolas, esta não será certamente a melhor forma de o demonstrar, sobretudo pelo despropósito do momento em que ocorre e pela justificação do seu objectivo, muito pouco convincente…

    As escolas não podem ficar todas sob a suspeita de uma prática em que a maior parte não incorre, mas para que isso não aconteça é necessário identificar e sancionar todas as que efectivamente deturpam a verdade e a transformam em desonestidade… Custe o que custar, doa a quem doer… Sem isso não há moralização nem prevenção possível…

    • maria on 12 de Junho de 2020 at 3:13
    • Responder

    Concordo com o combate à inflação de notas porque é injusto para os alunos, porque cria situações de falta de equidade entre as escolas, desigualdade de acesso, porque cria situações de injustiça em relação aos colegas professores, cria elevadas expectativas aos alunos que não correspondem à realidade. É corrupção e deve ser investigada. Concordo com a iniciativa … pergunta qual o papel dos diretores !? bem poderiam travar essa tendÊncia dentro da escola

    • Zabka on 12 de Junho de 2020 at 10:03
    • Responder

    Tanta virgem ofendida, parece que serviu o barrete.
    É tudo aldrabado nas privadas, mas em algumas públicas a pouca vergonha até mete medo (escalas que passam o 20 com “bonificações” extra, por exemplo).
    Também falta retirar os exames das privadas (nenhuma é de confiança) e vigiar bem algumas públicas de “excelência”.

      • maria on 12 de Junho de 2020 at 13:51
      • Responder

      Se as medianas criaturinhas da “inspecção” conseguirem o efeito dissuasor já será alguma coisa.

      Mas as aldrabices, como diz zabka, terão de ser combatidas a montante com medidas enérgicas.

      • Alexandra S on 12 de Junho de 2020 at 20:14
      • Responder

      Quais públicas?

      Aqui pelo Porto, numa das secundárias com melhores alunos, o professor que fica com opcional de física do 12.º ano ano após ano, corre os miúdos a 10-12 valores.
      Numa escola que até há poucos anos tinha 3 turmas com opção de física, resta 1 turma.

      1. Se é disciplina de opção os alunos que não a escolham, pois já sabem com que se cosem.
        Tem tempo de ter fisica na universidade.

          • Alexandra S on 12 de Junho de 2020 at 21:35

          É o que os miúdos têm feito. Não só não escolhem a disciplina como pedem transferência de escola.

        • prof550 on 12 de Junho de 2020 at 22:00
        • Responder

        Moral da história: coitadinhos dos “miúdos”, o “sacana” do prof é que lhes dá os 10/12 porque, enfim, é um “sacana”… Típico pensamento que leva à inflação de notas.

          • maria on 12 de Junho de 2020 at 22:37

          Honra a esse professor: exigente , competente e honesto. Como gostaria ele de premiar os seus alunos com 16 e 18 ! Pois, mas é probo, honesto!
          Tenho a certeza, sem o conhecer, que nenhum aluno se sentiu lesado. Mas sabem que há formas, noutras paragens, de conseguir o almejado 18 ou 20 sem se “chatearem” muito . Náuseas.

    • Brigas on 12 de Junho de 2020 at 22:58
    • Responder

    Uma coisa são os testes outra é o que ensina e como ensina.

    É muito fácil fazer testes dificílimos. Aliás é facilissimo.

      • Alexandra S on 13 de Junho de 2020 at 20:31
      • Responder

      É isso.
      Alguns consideram isso exigência.

    • Matilde on 13 de Junho de 2020 at 23:31
    • Responder

    E há escolas que querem inflacionar as notas no período,com o domínio sócio-afectivo.

    • J. Faria on 14 de Junho de 2020 at 2:36
    • Responder

    Conheço uma escola privada de Braga que em 200 testes de Matemática ninguém falhou uma resposta de escolha multipla, logo estamos a falar de 1200 questões.
    Resultado congelaram as notas, depois passou o barulho e lá descongelaram.
    Hoje deve ser a melhor no ranking do distrito.
    Vão mas é ver o que se passa no primeiro ano das universidades à conta destas brincadeiras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: