A Interpretação Correta da Recuperação de Vagas

Que foi enviada à direção de uma escola a seu pedido.

Porque sei que não foi isto que muitas escolas fizeram só espero que o erro cometido por algumas direções não tenha qualquer implicação com a correta recuperação de vagas.

Porque se tiver, garanto que haverá muito menos colocações do que aquelas que deveriam ocorrer.

E nesse caso a culpa não será do MEC, mas sim de quem interpretou mal a questão da recuperação de vagas da questão 12.

E depois não adianta andar a fazer-se formações de líderes inovadores quando os mesmos continuam presos aos mesmos erros do passado.

 

 

Exmo(a). Sr(a). Diretor(a)

Tendo em conta o teor do e-mail infra, cumpre-nos clarificar o pretendido na resposta à questão 12 “Há lugar à recuperação automática de vaga caso este docente seja colocado?”:

a)    Se docente QA/QE e QZP das Regiões Autónomas, LSVLD (QA/QE e/ou QZP) ou Externo – deve selecionar “Não relevante”;

b)    Se docente QZP colocado por Concurso Externo Extraordinário de 2013 (DL n.º 7/2013 de 17/01) ou 2014 (DL n.º 60/2014 de 22/04)– deve selecionar “Não (não recupera)”;

c)     Para os restantes candidatos  QA/QE  ou QZP  (não enquadrados nas situações atrás referidas)  – deve selecionar “Sim (recupera)” , exceto se, o provimento na carreira, resultou de execução de recurso hierárquico ou  de outra forma de integração excecional, como por exemplo ao abrigo  DL nº 41/97, de 06/02,  DL n.º66/2000, de 26/04, DL n.º109/2002, de 16/04.

Com os melhores cumprimentos,

DGAE/DSCI

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2015/03/a-interpretacao-correta-da-recuperacao-de-vagas/

27 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • paulo on 31 de Março de 2015 at 15:18
    • Responder

    Boa tarde,
    Uma questão que não entendo: um QA se mudar de escola recupera vaga, no caso de existirem vagas negativas nessa escola?

    • fdoc on 31 de Março de 2015 at 15:24
    • Responder

    A DGAE tem tudo tão bem organizado e umas bases de dados tão completas (NOT) que depois têm de fazer este tipo de perguntas às escolas.

    Ainda acreditam que o MEC apurou com exactidão o nº de docentes em 1ª prioridade?
    Mais depressa sai-me o euro milhoes…

      • MTF on 31 de Março de 2015 at 18:10
      • Responder

      Também é essa a ideia que tenho na cabeça. Vai ser lindo, quando estiverem na primeira prioridade 50 ou 100 candidatos em determinados grupos e o ministério só abriu 10%. Aí é que nós nos vamos rir à brava, o Crato é que não deve achar graça nenhuma, no entanto lançará as culpas para as escolas alegando que não souberam interpretar as directrizes emanadas pelo ministério!!!

    1. A questão é saber se as discrepâncias que alguns têm revelado aqui é incompetência ou esconde algo mais.

    • sofia on 31 de Março de 2015 at 16:12
    • Responder

    O Arlindo acha que devemos contactar as escolas e alertar para isto?

    1. Eu acho que algumas escolas vêm aqui ler e depois passam a mensagem a outras.

        • MTF on 31 de Março de 2015 at 18:12
        • Responder

        É verdade, a minha escola retirou da primeira prioridade uma professora devido a um esclarecimento seu neste blog.

    • jose on 31 de Março de 2015 at 17:12
    • Responder

    Que grande confusão!… Imaginemos este cenário: a escola tem 2 lugares negativos, dois docentes desse quadro vão a concurso, de acordo com esta informação a escola deve indicar sim recupera.. Então se tem dois lugares negativos e se esses docentes são colocados outros entram no seu lugar… para que serviu então o levantamento de vagas!? Há algo de muito confuso nesta interpretação da DGae… se correr mal, ja´sabemos… a culpa foi do diretor…

    1. A DGAE sabendo que saem dois docentes tem depois a portaria de vagas para não colocar lá nenhum se existirem 2 vagas negativas.
      Mas se a escola considerar que os dois lugares não são recuperados as 2 vagas negativas passam a 4 vagas negativas (teoricamente) no caso desses dois docentes saírem.

        • jose on 31 de Março de 2015 at 17:22
        • Responder

        E tu acreditas nisso Arlindo!? já ontem o referi, parece-me um erro crasso essa resposta.. vais ver a bronca que vai dar… A escola quando valida tem sempre em conta a portaria das vagas (se estiver correta)… Foi assim que ajudei a fazer… No caso dos Qzp ainda o caso é mais esquisito… Espero para ver…

        1. Tecnicamente só faz sentido esta resposta. Como disse, nenhum director tem controle em saber quem sai da sua escola para saber se ESSA vaga é recuperada ou não.

          • Ana C on 31 de Março de 2015 at 19:36

          No meu caso, a escola invalidou a minha candidatura por ter
          interpretado mal o meu tipo de permuta e quando fiz o aperfeiçoamento reparei
          que, caso saia da escola, a minha vaga não será recuperada.

  1. Bem, sou QE destacada noutro serviço mas concorri porque sei que quando regressar o mais provável é estar em horário zero na minha escola: se assim é, a escola errou ao colocar NÃO recupera!

    • António on 31 de Março de 2015 at 20:59
    • Responder

    É a única explicação lógica, Arlindo.
    À semelhança dos anteriores concursos, os docentes providos em lugares dos quadros recuperam vaga. Só não recuperam os que estão em vagas criadas para efeitos de vinculação, que se extinguem quando vagam.
    Óbvio!
    O problema é que os diretores têm deparado com tanta incongruência nos concursos, que já não arriscam interpretações avulsas, pois não se sabe o que vi na cabeça de quem faz estas coisas.

    1. Preciso de um dicionário: o que quer mesmo dizer “recuperar” e “vaga” / “vagar”?

  2. Insisto na pergunta: o que se entende por “recuperar vaga”? É que parece que não só sou eu que tenho a dúvida relativamente a este detalhezito! 🙂

      • J. Justo on 4 de Abril de 2015 at 18:23
      • Responder

      Sou QA/QE, tenho na candidatura “Não, Não recupera”, contactei a escola e a diretora disse que estava muito bem visto que há uma vaga negativa… Insisti neste mail que foi postado aqui e na nota informativa da DGAE mas ela nem tinha conhecimento dela…ficou espantada e disse que ia ver o que deveria fazer, mas que não estava a acreditar muito naquilo que eu estava a dizer…e que, de qualquer maneira, isso não interferia na minha colocação ou não…fiquei espantado e confuso…que dizem? Devo contactar a escola via institucional (mail) para ficar registo ?…e se isto me for prejudicial (para mim e para outros em termos de colocação…)…?

      1. Pois, pelos vistos a nota informativa não chegou a todos. Não interfere seguramente na sua colocação mas fecha uma porta. A questão é: que porta? A “recuperação” possível seria para um outro QA/E ou QZP que quisesse a sua escola? Se não conseguir sair da sua escola, é garantido que a NÃO recuperação dá direito a horário zero? Já aqui perguntei várias vezes sem ter tido uma resposta até hoje: na prática, o quer dizer “RECUPERAÇÃO”? Das duas, uma: ou é muito básico e óbvio que ninguém se maça em responder ou não interessa muito… mas eu acho que interessa e MUITO.

          • Recuperação on 4 de Abril de 2015 at 23:05

          Até percebo porque não obtêm respostas.
          .Porque as respostas são mesmo muito básicas e óbvias.

          – “A recuperação” possível seria para um outro QA/E ou QZP que quisesse a sua escola? ”

          Se estamos a falar de um concurso interno, é óbvio que uma uma eventual vaga recuperada iria para outro QA/QE ou QZP.

          – “Se não conseguir sair da sua escola, é garantido que a NÃO recuperação dá direito a horário zero?”

          Não há relação direta entre vagas negativas e a existência de horários zero. Pode acontecer que uma escola tenha vagas negativas e em agosto pedir mais professores.

          – “o quer dizer “RECUPERAÇÃO”?”

          Recuperação quer dizer que se um colega mudar de quadro, a sua vaga (se não existirem vagas negativa) é recuperada para o concurso, podendo outro colega ser lá colocado.

          • A on 5 de Abril de 2015 at 20:01

          A nota informativa da DGAE contraria o que me respondeu: nelas diz-se que todos os QE/QA recuperam vaga, ainda que estejam colocados numa escola com vagas negativas.

          • recuperação on 5 de Abril de 2015 at 21:33

          Não contradiz.
          As vagas negativas, por definição, não são recuperáveis.
          A recuperação de vagas é um processo que é feito durante as colocações.
          Acontece que os diretores não podem atribuir uma vaga negativa a um determinado candidato (dizendo que não recupera a vaga) porque não sabe se esse candidato sai ou não.

          Imagine o seguinte exemplo:
          Numa escola existe 1 vaga negativa e 2 candidatos.
          Se sair 1 dos candidatos não há recuperação de vagas, mas se saírem os dois já há recuperação de 1 vaga.
          Por este motivo o diretor deve indicar que ambos vão recuperar vaga. Se não o fizer arrisca-se a não existir nenhuma recuperação (se disser que ambos não recuperam).

          • A on 5 de Abril de 2015 at 21:51

          Supondo que há -4 e só 1 professor concorre, nesse caso a vaga deveria ser não-recuperável pois, se ele sair, ainda ficam “a arder” com -3. Certo?

          • recuperação on 5 de Abril de 2015 at 23:09

          Nesse caso não haveria recuperação de vaga. Mas a indicação correta continua a ser que a vaga deve ser recuperada.

          • A on 5 de Abril de 2015 at 23:39

          Pois, porque embora a vaga seja realmente irrecuperável SE as 4 vagas negativas se mantiverem (podem ter concorrido 4 ou a escola pode ter mais turmas, etc), não é a escola que tem de decidir se a vaga deixada por A é recuperável ou não, mas o MEC. A questão é que nem todas as escolas irão corrigir muitos “Não recupera” que enviaram…

          • A on 5 de Abril de 2015 at 23:45

          Lembrei-me agora que o prazo da 2ª validação é até dia 7…como amnhã as escolas estão fechadas…. mais uma vez, tudo em cima do joelho!

          • recuperação on 6 de Abril de 2015 at 0:01

          Amanhã as escolas não estão fechadas..
          Mesmo em agosto as escolas está sempre alguém da direção e na secretaria.

        • Nanda on 6 de Abril de 2015 at 22:58
        • Responder

        J. Justo,
        aconteceu-me o mesmo. Não sei o que fazer. Como resolveu a situação?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: