A liberdade de expressão pratica-se. De preferência, todos os dias…

A liberdade de expressão pratica-se. De preferência, todos os dias…

 

As agressões à Classe Docente, infligidas por António Costa, enquanto 1º Ministro, não têm sido metafóricas… As sucessivas bordoadas aplicadas por si aos Professores têm sido muito reais e concretas, com consequências desastrosas e danos irreparáveis…

A propósito das comemorações do Dia de Portugal, em Peso da Régua, António Costa, cinicamente, tentou passar a ideia de que existiu um “descongelamento” integral da Carreira dos Professores e que isso se devia a si…

É praticamente impossível que alguém se comova por essas palavras de António Costa, ou se demova da presente luta, uma vez que esse discurso é cabalmente desmentido pela versão dos factos…

E, por muito que custe a admitir a António Costa, a verdade que acompanha esses factos será esta:

– Em 2017, a Classe Docente sofreu o maior vilipêndio de que há memória (subtracção de mais de 9 anos de tempo de serviço), com implicações definitivas e prejuízos irrecuperáveis na Carreira, em termos salariais, patrocinado pelo 1º Ministro António Costa;

– Em 2019, o 1º Ministro António Costa fez uma inadmissível chantagem, ameaçando com a demissão do Governo, se a Assembleia da República aprovasse o Diploma que previa a recuperação integral do tempo de serviço dos Professores;

– Em 2023, mantendo-se António Costa como 1º Ministro, continuam por recuperar 6 anos, 6 meses e 23 dias do tempo de serviço sonegado em 2017;

– Em 2023, António Costa, enquanto 1º Ministro, é o principal responsável por um embuste denominado Vinculação Dinâmica.

 No fundo, António Costa é um fingidor…

Os Professores estão cansados das mentiras, da desonestidade intelectual, das ideias delirantes, da prepotência, da obstinação, da arrogância e do cinismo que têm vindo a ser observados na actuação do Ministro da Educação e do 1º Ministro, de resto, muitas vezes acompanhados nesse insano desígnio por determinados Directores…

A paciência e a tolerância dos Professores parecem estar a esgotar-se, face aos constantes atropelos à sua dignidade profissional e ao recorrente desrespeito de que têm sido alvo…

Também parece óbvia a indignação crescente dos Professores relativamente às tentativas de limitar a sua liberdade de expressão, o direito de reunião e de manifestação e, de forma ainda mais acintosa, o direito à greve…

António Costa parece não ter ainda percepcionado, nem aceite, a realidade anterior, optando, em vez desse reconhecimento, por conduzir as políticas educativas em “contra-mão”…

A actuação habitual do Ministro da Educação e do 1º Ministro faz lembrar a anedota de um homem que conduzia em contra-mão numa auto-estrada, sem perceber o motivo dos inúmeros sinais de luzes e das muitas buzinadelas dos outros condutores…

Do ponto de vista daquele homem, as reacções dos outros condutores eram incompreensíveis, pelo que o melhor seria ignorá-las…

Temos um Ministro da Educação e um 1º Ministro em “contra-mão”, que recusam percepcionar a realidade; que se mostram incapazes de compreender os motivos pelos quais são criticados; que se vitimizam frequentemente, aproveitando para deturpar as evidências fornecidas pela realidade, interpretando-a de forma enviesada e de acordo com o que melhor lhes convém em cada ocasião…

Mas as sucessivas declarações do Ministro da Educação e do 1º Ministro têm sido, frequentemente, desmentidas pelas evidências fornecidas pela realidade, o que, inevitavelmente, torna as suas interpretações cada vez menos credíveis…

O respeito não se impõe pela autoridade ou pelo medo. O respeito conquista-se pela seriedade, pela honestidade e pela justiça das acções e, neste momento, parece muito difícil respeitar as figuras do Ministro da Educação e do 1º Ministro, pelo reconhecimento dessas três qualidades…

A propósito das comemorações do Dia de Portugal, em Peso da Régua, António Costa, viu-se confrontado com alguns cartazes incómodos, qualificados por si como “racistas”…

Contrariamente ao afirmado pelo 1º Ministro, parece difícil vislumbrar nesses cartazes algum vestígio de racismo, pelo que será legítimo inferir que António Costa enveredou pela estratégia da vitimização, tentando, dessa forma,  desviar as atenções do essencial e colher apoios pela pretensa condição de “mártir”…

Ao que tudo indica, o mais certo é que o 1º Ministro se veja, cada vez mais, confrontado com muitas vozes incómodas e discordantes, algumas potencialmente desagradáveis, mas esse também será o preço a pagar por uma governação marcada por tiques ditatoriais, pelo autoritarismo, pela sobranceria e pelo despotismo…

Pessoalmente, não teria optado por aqueles cartazes, se me fosse dado a escolher, mas, e ainda assim, não os renego nem me demarco dos mesmos, como alguns estão a fazer…

Não os interpreto como um insulto pessoal, vejo neles uma alusão ao “O Triunfo dos Porcos”, incontornável obra literária de George Orwell e, nesse sentido, considero-os como uma forma legítima de protesto, de indignação e de liberdade de expressão…

Censurar aqueles cartazes, pretendendo, de alguma forma, bani-los de um protesto, em defesa do politicamente correcto, será sempre uma forma de obstrução ao exercício da liberdade de expressão, pela tentativa de impedir que a mesma possa ser ilustrada pela indignação e pela sátira…

Sátira. É disso que se trata naqueles cartazes.

E a sátira, onde se incluem o escárnio, a caricatura, o mal-dizer e até a obscenidade, não costuma, por definição, ser politicamente correcta…

O politicamente correcto pode, na verdade, e em determinadas condições, ser muito mais ofensivo do que a sátira explícita…

As ofensas à dignidade profissional e os atentados à inteligência alheia, perpetrados pelo 1º Ministro e pelo Ministro da Educação, alegadamente, sempre “bem intencionados” e infligidos com “muito carinho” e com toda a polidez linguística, são disso um exemplo…

Na verdade, a ditadura do politicamente correcto não tem trazido nada de bom aos Professores, começando pela Tutela e acabando na actuação das maiores estruturas sindicais…

E por muito que se tente, não é possível “pegar num pedaço de excremento pelo lado limpo”, conforme a definição de politicamente correcto dada por um Aluno da Griffith University, Austrália…

Em resumo, “o politicamente correto é uma tirania bem educada”. (afirmação atribuída a Rita Lee).

Confesso o meu enjoo por todas as tiranias bem educadas, quase sempre disfarçadas de bons modos…

O inalienável direito de exercer a liberdade de expressão das mais variadas formas, incluindo a satírica, não pode ser intransigentemente defendida somente quando ocorrem tragédias, como a que sucedeu em 2015, no Jornal francês Charlie Hebdo…

Independentemente de se concordar ou não com determinada “linha editorial”, não é aceitável, numa Democracia, limitar o respectivo direito à liberdade de expressão…

A liberdade de expressão também se teoriza, mas, sobretudo, pratica-se. De preferência, todos os dias…

 

(Paula Dias)

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2023/06/a-liberdade-de-expressao-pratica-se-de-preferencia-todos-os-dias/

21 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Prosa perfeita.

    • Luís Miguel Cravo on 12 de Junho de 2023 at 13:29
    • Responder

    Muito bem, cara Paula Dias! Mais claro do que o que escreve, é pouco crível.
    Se esta gente (os senhores Costas) agisse assim em França, por exemplo, os cartazes eram, unicamente, um exercício amadorístico….
    Que sorte a deles!
    Um bem haja 🙏

    • Moisés on 12 de Junho de 2023 at 13:52
    • Responder

    O monhé parecia uma virgem ofendida!

      • José Silva on 12 de Junho de 2023 at 22:26
      • Responder

      Como é que este comentário passou na moderação. E intitulam-se professores!

        • E será que é? on 12 de Junho de 2023 at 22:41
        • Responder

        Como é que sabe que se trata de um professor?
        Andam aqui muitos que não são professores. Aliás, alguns até são pagos pelo PS para virem para os blogues e redes sociais a dizer mentiras e a denegrir os professores.

    • Maria Simões on 12 de Junho de 2023 at 13:53
    • Responder

    Texto perfeito. Admiro muito a sua lucidez.
    O S.TO.P que se inspire nele para a redação do comunicado para a comunicação social.

    • Ribeiro on 12 de Junho de 2023 at 14:08
    • Responder

    Eu ainda preciso que me confirmem o seguinte, já que vejo mts vezes esse argumento a ser usado pelos governantes:

    – Estiveram realmente todas as carreiras do estado congeladas os 9 anos? Não foram só os professores?
    E quais as carreiras q estiveram congelas então? E dos 9 anos recuperaram tb os 2 anos e pico?
    Essas carreiras não se juntam aos protestos porquê?

      • Atento on 12 de Junho de 2023 at 14:48
      • Responder

      Porque já recuperaram tudo !

        • Ribeiro on 12 de Junho de 2023 at 18:21
        • Responder

        Não me parece pelo que tenho lido

      • Esclarecimento on 12 de Junho de 2023 at 22:06
      • Responder

      Todas as carreiras estiveram congeladas.
      Mas muitos recuperaram o tempo de serviço entretanto.
      Outros levaram aumentos de posicionamento remuneratório como compensação.

      A acrescer que, na Madeira, os próprios professores irão recuperar todo o tempo de serviço ao longo de 7 anos, e nunca houve vagas para aceder a algum dos escalões remuneratórios.

      Aliás, em nenhuma outra carreira na função pública, e, pelo que sei, no privado, há vagas para aceder a escalões remuneratórios. E muito menos deixa de haver vagas para alguns e passam a haver menos para outros, como o governo agora quer fazer passar, prejudicando os “mais novos” (ou melhor, os menos “velhos”).

  2. Subscrevo. Ainda faltam os serviços mínimos ilegais que tem imposto.

  3. Mas quem é que pôs em causa a liberdade de expressão? Ninguém, nem o PM.
    O problema é a estética e o gosto, que é mau. Aliás, quem diz que aquilo são caricaturas, não sabe o que são caricaturas.
    Bonecos que demonstram, aliás, um tremenda falta de criatividade e de inteligência. Características necessárias para a prática da caricatura. Onde está a mensagem política naqueles bonecos? Acho interessante que agora já se arranjou uma explicação, afinal o nariz de porco é uma referência ao Triunfo dos Porcos, de G.O. Trata-se de uma caso interessante, onde a prática precedeu a teoria….
    Até nas caricaturas da I República, buscam agora um respaldo para a falta de decoro e educação que as ditas evidenciam.
    Estamos mal quando na nossa classe se acha isto normal ou se tente normalizar o insulto fácil e vulgar. Todos opinam nas redes, todos erguem os seus argumentos. As redes sociais democratizaram tudo, incluindo a cretinice e a idiotice.
    Os coletes amarelos entraram em Portugal pela educação, quem diria? Se calhar já devia estar à espera. Afinal, basta frequentar 30 minutos por dia a sala de professores, para perceber o grau de analfabetismo político que a grassa pela classe. Neste filme, o único triunfo, não foi o dos porcos, mas a cartilha Trump e Bolsonaro.
    E não, não sou militante PS, nem tão pouco seu simpatizante. Neste momento, já passamos a fase da nossa luta. Isto é uma questão de Ética. Posso perder, mas quero sair disto de cabeça erguida.

    1. JC….subscrevo inteiramente tudo o que diz e escreve! Mas como vê…somos uma minoria a pensar dessa forma…
      Mas fico feliz por saber que ainda há pessoas com bom senso e com princípios!
      Cumprimentos.

      P.S. Em jeito de “gozo”, também não sou militante do PS…para aqueles que usam esse argumento quanto as verdades não são convenientes…

      E…só mais uma nota: todos aqueles que, hoje, acham normal o insulto e a ameaça, esquecem-se de uma coisa: não acontece só aos outros! Boa sorte, quando sentirem na pele…Pode ser que passem a ver as “coisas” de outra forma…

        • Luís Santos on 12 de Junho de 2023 at 20:19
        • Responder

        Então identifique-se, não se esconda como os ratos.

      • Só podem estar a gozar on 12 de Junho de 2023 at 22:17
      • Responder

      Não posso concordar com o que diz. Aliás, desculpe mas roça o ridículo.
      Então o problema afinal é a estética e o gosto das caricaturas? Afinal parece que, de repente, passámos todos a ser críticos de arte.
      Afinal não se trata de racismo, como o PM e o PS apregoam à boca cheia.
      Afinal não se trata de injustiças, como o PM aludiu.
      Afinal … é só mau gosto estético.
      Se formos por aí, acho que teremos de fechar metade do país, de tão mau gosto estética anda por aí.
      O que se passa é que temos um PM que alude ao racismo, que é algo bem sério e complicado, para distraír as pessoas de um protesto justo.
      Temos um partido que se diz socialista, mas que tem grandes aspetos de autoritarismo e farsa, como não se via em Portugal desde a União Nacional.
      E temos um Estado que parece adormecido, a gostar de ser ludibriado por um conjunto de ilusionistas de um profundo mau gosto, e manipuladores da opinião pública.
      Alguém acredita que, um político de carreira como António Costa, que passou a perna á parte do partido que não concorda com uma visão utilitarista e medíocre da política, como os dele (que aliás são os de Sócrates, mas sem o dito), não sabia o que iria acontecer quando se aproximasse daqueles manifestantes.
      A resposta é simples. Não. Ninguém acredita nisso. Pelo menos ninguém que comece a juntar as poucas peças do puzze.
      Costa ia com o discurso encenado. Os seguranças até o avisaram de que podia se sentir mal (não que dizer que fosse mal tratado fisicamente). Mas os seguranças não viram o filme político que Costa previa há dias.
      Ele sabia que ao ir falar com aqueles manifestantes (podia ir falar com outros, porque havia manifestações de outro tipo lá), teria de entrar em bate-boca com os professores que lá estavam.
      E entrou. E mentiu, dizendo que descongelou e que nunca os professores tinham ficado tanto tempo descongelados. Mentira, claro. O congelamento começou com Sócrates, no governo onde Costa era Ministro da Justiça, continuando com a Troika, com o aplauso mudo do PS, que é, desde o fim dos governos de Guterres, anti-professores e anti-Educação Pública.
      A juntar a isso, havia que provocar um facto que distraísse as atenções do povo da vergonha nacional que se tem passado há meses. Havia que aliviar a carga Galambista, depois de semanas de peso morto, ou ramos mortos. Então aproveita-se qualquer pseudo-caricatura (podia ser uma discussão ou outra coisa qualquer), para simular um ataque pessoal.
      E nós acreditamos.
      Será mesmo que somos assim tão ingénuos?!
      Acordem!!

      • Só podem estar a gozar on 12 de Junho de 2023 at 22:19
      • Responder

      Cá estãon caricaturas claramente racistas.
      Vejam.
      Estas notam-se que são mesmo racistas. Os lábios grossos denotam tudo.
      Espera. Então mas este não é o Guterres?

      https://alamedashopping.pt/art-spot/antonio-guterres-na-caricatura-internacional/

      Mas é racista, com certeza.
      Se é PS é porque só pode ser um ataque racista.

      • Esclarecimento on 12 de Junho de 2023 at 22:22
      • Responder

      E mais uma caricatura racista.

      Esta contra Angelina Jolie. Claramente racista.

      Vejam bem a grossura dos lábios. Tal como naquele livro do Timtim, que nem me lembro do nome. Mas como diriam certas mentes iluminadas socialistas, claramente racista.

      Enrão, mas ele não é branca? Mas deve ser racista. Tem lábios grossos. Só pode ser racista, não é?!
      https://www.shutterstock.com/pt/image-illustration/caricature-angelina-jolie-american-actress-1657683355

      • Só podem estar a gozar on 12 de Junho de 2023 at 22:25
      • Responder

      Mais uma caricatura profundamente racista … contra Arnold Schwarzenegger.

      Vejam os lábios grossos. Que gente tão racista, estes caricaturistas. Ainda bem que temos o PS para nos ensinar que estas caricaturas são profundamente racistas.

      https://br.pinterest.com/pin/497014508849572773/

      • Só podem estar a gozar on 12 de Junho de 2023 at 22:27
      • Responder

      Já agora, caros colegas.
      Ninguém sairá de cabeça erguida com lutas contra ditaduras encapotadas, com políticos que iludem a opinião pública e a envenenam contra uma classe inteira, a não ser que não vergue a essas manipulações.
      Cumprimentos democráticos.

  4. O Costa levou a cabo uma operação de charme muito bem sucedida. Atirou-se para o meio dos professores em Lamego como o Mário Soares se pôs a jeito para levar as bofetadas na Marinha Grande.

    Os professores têm servido ao PS como válvula de escape para a índole invejosa do nosso povo. Quanto mais o PS malha nos professores, mais votos tem.

    O PS quer desmantelar a escola pública. Os filhos dos governantes estudam em colégios particulares. Aos filhos do povo, o faz de conta, a doutrinação, a “escola a tempo inteiro”.

    O PS malha, agrada ao povão, ganha votos, e ainda vai buscar um bom dinheiro, para colmatar as gatunagens socráticas e costalinas.

    E agora, caricaturar primeiros-ministros socialistas é racismo!

    Continuem a votar PS & Geringonça, L.da, caros professores!!!

    • Indignada on 12 de Junho de 2023 at 16:23
    • Responder

    “06/06/23 é igual a Professorado e a Vidas adiadas.”,
    Humilhação e espezinhamento de uma classe achincalhada diariamente pelos políticos do sistema: PS e PSD! Lembrem-se disto quando forem votar, é só o que vos peço, caros colegas! Tenhamos memória! façamos o trabalho de casa junto dos nossos! Só assim recuperaremos alguma dignidade!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: