Mãe do primeiro-ministro quer escolas fechadas um ano

 

Mãe do primeiro-ministro quer escolas fechadas um ano

A mãe do primeiro-ministro, Maria Antónia Palla, defende que as escolas devem ficar fechadas um ano. Os estabelecimentos escolares foram os últimos a fechar neste confinamento, e o Executivo tem vindo a sinalizar que a reabertura deverá começar pelas escolas. A ex-jornalista defende que não compreende porque serão as crianças as primeiras a testar o desconfinamento, apontando que não se fala do que se ganha ao estarem em casa. “Senhor Presidente, não deixe abrir as escolas”, apela a mãe do primeiro-ministro. Leia a notícia completa na Sábado (link indisponível).

 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2021/03/mae-do-primeiro-ministro-quer-escolas-fechadas-um-ano/

19 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Falar verdade on 4 de Março de 2021 at 9:14
    • Responder

    Espetacular. Alguém com sabedoria e muito bom senso.
    Um bem haja à ex-jornalista Maria Antónia Palla.
    Fico estupefacta quando dizem que o facto das crianças estarem em casa há 3 semanas, que vão ficar doentes, obesas, deprimidas, depressivas. Ou seja, retira-se à família o dever de educar e ajudar a crescer e passou-se toda esta responsabilidade para as escolas. Porque a família tem por obrigação de evitar que se tornem obesas (e não é só quando estão em casa devido à pandemia) e que não fiquem depressivas, uma criança é mais feliz no seio familiar (mesmo com pouco) do que muitas vezes na escola. O importante é não passar às crianças umas mensagem de infelicidade por estarem em casa e é isto que acontece. Algures ouvi algumas vozes a dizer “vou ficar em lay-off, mas por favor não fechem as escolas, porque não consigo estar com o meu filho em casa!” Foi por ouvir estas vozes e aquelas que diziam que as escolas não eram perigo (quando movimentam cerca de 2,5 milhões diariamente de pessoas) é que não se fecharam as escolas e vimos o caos instalado entre janeiro e a primeira semana de fevereiro. Ainda hoje estão a morrer diariamente mais de 30 pessoas, outras lutam entre a vida e a morte na UCI, e cada vez existe mais pressão para colocarem as crianças a desconfinar. Alguns com 4, 5, 6 anos nunca passaram tanto tempo em família, sobretudo com os pais como agora! e isto não é benéfico?
    Triste e lamentável.

      • Ensinar a viver on 4 de Março de 2021 at 13:56
      • Responder

      Concordo em absoluto!
      Por todo o desespero dos pais instalado e manifestado, se deteta o mau estar de algumas famílias não porque estão com pena dos filhos, mas sim porque não estão habituados a estar tanto tempo com eles e sendo assim não sabem como atuar, entreter e sobretudo brincar!
      São eles que precisam de ajuda e não as crianças, pois desde quando é que as crianças pequenas quando são oriundas de famílias normais e felizes, preferem estar afastados da sua família?
      Nem se preocupam em sair de casa para as crianças poderem arejar e passear naturalmente! Tudo isto tem nome, chama-se comodismo e preguiça!
      E depois claro que lamentam a escola estar encerrada, pois para estas famílias é muito mais cómodo a escolar ensinar e sobretudo educar!

        • Manuel Silva on 4 de Março de 2021 at 15:55
        • Responder

        “Por todo o desespero dos pais instalado e manifestado, se deteta o mau estar de algumas famílias não porque estão com pena dos filhos, mas sim porque não estão habituados a estar tanto tempo com eles e sendo assim não sabem como atuar, entreter e sobretudo brincar!” A Sério? Muitos professores com filhos se queixaram do mesmo, ou não? É que não podiam trabalhar e tomar conta dos filhos ao mesmo tempo! Ou será que os outros profissionais podem e devem: ensinar (quando muitos não tem conhecimento para tal e não tem de ter…esta é a função do professor que é pago para isso), brincar, cuidar e educar e os professores são uma estirpe diferente? Realmente a classe docente olha muito bem para o seu umbigo! Certamente, um ano com as escolas fechadas seria fantástico para hipotecar o futuro das crianças, mas, principalmente, para alguns professores (não todos, há bons profissionais) que se pudessem (se o ordenado que caísse na conta mensalmente) ficariam por casa o ano inteiro. Esses mesmo que também defendem ser “fura filhas” na toma das vacinas, porque correm maior risco que a restante população! Pergunto: E os padeiros? Os empregados dos hipermercados? Os pescadores? Os transformadores de bens alimentares…não correm risco? Aqueles que nunca pararam para que tu e eu pudéssemos comer…não merecem ser vacinados primeiros que os professores? Estes continuam, desde sempre, na linha da frente! Menos…muito menos egoísmo e mais empatia fazia vos bem.

        • PROFET on 4 de Março de 2021 at 18:31
        • Responder

        Verdade!

      • PROFET on 4 de Março de 2021 at 18:30
      • Responder

      Verdade!

        • PROFET on 4 de Março de 2021 at 18:33
        • Responder

        Verdade! … Em resposta ao colega Falar a Verdade e ao colega Ensinar a viver.

    • Maria on 4 de Março de 2021 at 9:47
    • Responder

    Muito obrigada pela opinião da Sra ex jornalista Maria Antónia Palla. Também muito acertiva no que diz. Estou totalmente de acordo. Oxalá muita gente possa ler a revista “Sabado” e aprenda a dar valor, amor e educação aos seus filhos que é MUITO IMPORTANTEna sua formação como pessoas… Bem Haja Maria Antónia!!!

      • Manuel Silva on 4 de Março de 2021 at 15:59
      • Responder

      “acertiva” a sério? És professora? Assertiva

    • Cleps on 4 de Março de 2021 at 10:06
    • Responder

    Mas vocês são professores?! Concordar com escolas fechadas UM ANO?! Mas estão bem da cabeça?!

  1. Convido a ouvir a opinião de Carlos Neto. Neste e nos anos seguintes quem por cá andar poderá constatar os problemas dos alunos mais novos, quer em contexto de escola quer em contexto familiar. Há opiniões que valem o que valem. Acordem pois a realidade é muito diferente!!!

    • Fofo on 4 de Março de 2021 at 13:10
    • Responder

    “a mãe do primeiro ministro disse…” e pronto, isto é notícia. Como se fosse uma grande personalidade com algum contributo para a humanidade à moda do Albert Einstein. Vivemos numa época onde as pessoas viraram carneiro sem cérebro, perderam completamente a noção da realidade. Se isto não é para lançar o vírus é o quê, piada?

    • Fernando, el peligroso de kas verdades. on 4 de Março de 2021 at 13:30
    • Responder

    Mas será que isto é tudo normal?
    Alguma coisa não anda a funcionar bem!

    • Filipe on 4 de Março de 2021 at 14:36
    • Responder

    Tenham cuidado , estão a lidar com mentes contaminadas pelo Partido Nacional Socialista de Hitler , defensoras dos Campos de Concentração para Crianças , contra o ativismo social das crianças , prós na administração das anfetaminas ( Ritalinas ) e das Amnistias aos braços armados da ETA ( FP-25 Abril ) . Esperavam que ela venha dizer que prefere ver o os Socialistas no Tarrafal ? O Socialismo sempre escondeu lá no fundo o Fascismo puro do quero posso e mando , e quem se mete com eles – Leva ! .

    • João on 4 de Março de 2021 at 15:34
    • Responder

    Não sei o que pensam de gerações anteriores (avós e bisavós) seguiam o ensino depois da 4°classe pela rádio e televisão por não haver continuidade do ensino primário em muitas aldeias e vilas. Foram gerações perdidas?

    • Karen on 4 de Março de 2021 at 16:08
    • Responder

    É mais inteligente a mãe do primeiro ministro do que aqueles que escrevem cartas abertas e que estão fartos dos putos em casa. Não os deixam beber vinho tinto á vontade…

    Os professores boomers que não sabem nem ligar um PC tb estão um bocado fartos… Chatice

    Ninguém pensa que os putos quando vão para a escola, vão para casa infetar pais avós tios primos etc

    • Prife on 4 de Março de 2021 at 19:07
    • Responder

    Um ano!!! Mas anda tudo tolo!!! É o que faz estar tanto tempo confinado… Como professor acho um atentado esta ideia e sinceramente deve-se ouvir e respeitar a opinião dos outros mas há limites! Mas esta senhora está no mesmo nível do seu filho, perdida do juízo.
    Mas enfim perdoai que eles vão sabem o que dizem.

    • Bernarda on 4 de Março de 2021 at 23:27
    • Responder

    Nasci em 1972. Fui para a escola aos seis anos, para a primeira classe. Nunca frequentei o pré-escolar. Até aos seis anos vivi integralmente em família. Não me parece que tenha ficado traumatizada. Penso que sou equilibrada, atenta aos outros e à natureza… Na escola primária, eu era do turno da tarde. Começavam as aulas às 13h30m e duravam até às 18h. De manhã, não precisava de me levantar de madrugada. Fazia os TPC, brincava e aprendia as tarefas domésticas, ou seja, ajudava a família. Aos 12 anos eu já conseguia, se fosse preciso, fazer um almoço, sozinha, para seis pessoas e dividia, com as minhas irmãs a limpeza da casa. Qual é o adolescente que faz isso , hoje? São raros. Sempre fui boa aluna e bem comportada. Fiz a minha licenciatura e tenho alguma cultura geral . Esforço-me por ser uma boa profissional. (…) Ou seja, aquilo que sou, hoje, devo muito à minha família.
    Não terão as crianças destes tempos escola a mais?

    • Montas on 5 de Março de 2021 at 11:08
    • Responder

    Concordo consigo. Eu nem consigo entender estas pessoas… os que “dizem” ser professores deviam ter vergonha de defender o fecho das escolas. Fechar 1 ou 2 meses devido ao aumento dos casos e mortes é completamente diferente de fechar 1 ano.
    O contexto social nas crianças é muito importante, e não me digam que ficar em casa só em família é suficiente para a sua evolução. E já agora defendem o fecho durante 1 ano certo? E as crianças ao menos podem ir brincar umas com as outras ou enquanto as escolas estão fechadas as crianças são obrigadas a ficar fechadas em casa?
    Só me faz pensar que há pessoas que deviam reconsiderar a sua profissão…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: