Em Matosinhos estão 1200 alunos de 45 turmas em quarentena

 

Segundo números da Unidade de Saúde Pública, o concelho de Matosinhos tem, neste momento, 45 turmas em quarentena, num total de cerca de 1.200 alunos.

A autarquia recorda que a Comissão Municipal de Proteção Civil de Matosinhos pediu ao Governo, há menos de um mês, que ponderasse o ensino à distância para os alunos do 3.º ciclo, ensino secundário, ensino profissional e universitário.

Isto, para baixar a pressão existente nas escolas e ajudá-las a fazer uma gestão mais eficaz dos fluxos de estudantes.

 

 

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2020/11/em-matosinhos-estao-1200-alunos-de-45-turmas-em-quarentena/

10 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Alecrom on 19 de Novembro de 2020 at 12:21
    • Responder

    E íamos colocar os jovens em casa a serem contaminados pela família?

    Se repararem, os setores etários dos pais deles são onde mais crescem as infeções.

    Talvez devêssemos aplicar aos pais a mesma política de não testagem que aplicamos aos filhos.

    Não acham que assim conseguíamos baixar a curva?

    .

      • Alecrom on 19 de Novembro de 2020 at 15:57
      • Responder

      Já agora,
      e porque não quero enganar seja quem for,
      registo que não defendo o encerramento puro e duro das escolas (nem a forma obtusa como as abriram).

      Considero absolutamente inaceitável esta política fascista de sonegação de informação. Tratam-nos como se fôssemos imbecis.

      Os próprios sindicatos, que se dizem nossos, também nos tratam como se fôssemos imbecis (por enquanto, dou o benefício da dúvida ao STOP).

      Repararam nas novas regras/plano de contingência da Assembleia da República?

        • Alecrom on 19 de Novembro de 2020 at 16:53
        • Responder

        E manipulação da informação:

        “Nos slides apresentados por António Costa, depois do Conselho de Ministros de 7 de novembro de onde saiu, por exemplo, o recolher obrigatório aos fins de semana, o valor apontado para casos sem link epidemiológico era de apenas 5% — uma percentagem muito inferior à de outros países. Na Alemanha, por exemplo, os casos de origem desconhecida são 75% e na Áustria são 77%. Em Espanha, um estudo feito no verão, revelava que 50% dos casos aconteciam em lugar e com origem desconhecida.”

          • Pirilau on 19 de Novembro de 2020 at 21:58

          Da reunião de hoje no Infarmed, saiu que o valor apontado para casos sem origem conhecida é de 80% … Mas o famoso virologista Costa dizia ainda há poucos dias que dois terços dos contágios (cerca de 67%) tinha origem nas reuniões familiares… Deve ter sido por isso que ele está sempre a dizer “fiquem em casa!”.
          Estou a imaginar a cena:
          – Mulher, hoje não me apetece sopa, passa para cá a travessa dos vírus.:
          Psssados dois dias:
          – Ai home que tens a testa a arder! Deixa-me cá ver a febre…
          – Tou! É do 24? Olhe eu acho que o meu home tem o coiso! Sintomas? Sim, tem isso tudo e além disso é um chato! Tá bem, eu ligo pó centro de saúde.
          – Raisparta que ninguém atende no centro de saúde!
          – Liga outra vez lá pó 24, antes que me fine!
          – Olha, home, agora os do 24 dizem pra ligar ao delegado da saúde!
          – Tou! é o .. ?
          – Não, minha senhora, o Sr Dr não pode atender. Ligue daqui por um mês.
          – E o teste?
          – Não se preocupe, minha senhora. Espere que o sino toque. Assim evitará a maçada do teste.

    • PROFET on 19 de Novembro de 2020 at 13:14
    • Responder

    É isso mesmo, Alecrom.

    As crianças e adolescentes infetados, na sua grande maioria, por serem assintomáticos, só são testados depois dos seus familiares sintomáticos testarem positivo ao Covid-19.

    CONCLUSÃO DOS RETARDADOS, INCOMPETENTES E NEGLIGENTES DAS ENTIDADES GOVERNAMENTAIS:
    Os familiares é que contagiaram os miúdos!

    CONCLUSÂO DE QUEM TEM UM MÍNIMO DE INTELIGÊNCIA: As crianças e adolescentes foram contagiadas nos antros de contaminação das escolas e locais de acesso (devido à falta óbvia das condições mínimas de segurança dentro das escolas, proximidades imediatas das escolas e transportes públicos), contagiaram os seus familiares, que então são testados e detetados positivos, sendo que as crianças e adolescentes só então são testados e detetados positivos.

    BASE SÓLIDA PARA UMA CONCLUSÃO FIDEDIGNA E INTELIGENTE:

    QUANDO AS ESCOLAS ESTAVAM FECHADAS: O número de infetados e níveis de contágio eram quase insignificantes. Os convívios familiares, supostamente, eram os mesmos, ou até talvez em maior número durante o verão.

    A saber:
    EM 6 MESES E MEIO: (dos 0 aos 9 anos) cerca de 2500 casos; (dos 10 aos 19 anos) cerca de 3300 casos.

    DESDE QUE AS ESCOLAS ABRIRAM: O número de infetados e níveis de contágio cresceu abruptamente e exponencialmente. Os convívios familiares, supostamente, são os mesmos, ou até talvez em menor número do que no verão.

    A saber:
    EM 2 MESES: (dos 0 aos 9 anos) cerca de 8600 casos; (dos 10 aos 19 anos) cerca de 16400 casos.

    CONCLUSÔES FINAIS:

    NESTES ÚLTIMOS 2 MESES HÁ 25000 CASOS (DOS 0 AOS 19 ANOS), FACE A APENAS 5800 QUE SE REGISTARAM NOS 6 MESES E MEIO ANTES DAS ESCOLAS ABRIREM. É QUASE 5 VEZES MAIS, EM APENAS DOIS MESES.

    Dados retirados do Boletim da DGS.

    Observação: Estes dados não contemplam nem professores nem funcionários, nem todas as outras crianças e adolescentes que não foram testados por estarem assintomáticos.

    • Atento on 19 de Novembro de 2020 at 17:34
    • Responder

    —————-
    —————————-

    As BESTAS Socialistas do (des)Governo dizem que as Escolas são locais seguros.

    CRIMINOSOS Xuxalistas da Treta.

    Bandalhos!………..

    Eu não votei neste ESTERCO XUXALISTA e espero que os professores comecem a abrir a pestana.

    ————————-
    —————

    • Ana on 19 de Novembro de 2020 at 19:09
    • Responder

    Há covid nas escolas??? Impossível!

    • Pirilau on 19 de Novembro de 2020 at 21:30
    • Responder

    O vírus não frequenta a escola. Para que saibam, o caso até está a ser acompanhado pela CPCJ.

    • f* on 19 de Novembro de 2020 at 21:47
    • Responder

    Segundo o Governo, Escolas e Transportes são lugares, altamente seguros! E nós somos uns aldrabões e temos macaquinhos nas nossas cabeças!

    • Ana on 20 de Novembro de 2020 at 10:36
    • Responder

    Isto devem ser alucinações! O vírus a atacar estudantes? Não gosta mesmo dos profs!
    Covid-19: Novos casos disparam entre a população com idade escolar
    Por Revista de Imprensa 09:55, 20 Nov 2020
    A Covid-19 está espalhar-se rapidamente nas camadas mais jovens no Norte do país. A taxa de crescimento de novos casos é de 32% entre os menores de dez anos e de 24% entre os adolescentes – dados que saíram da reunião do Infarmed, esta quinta-feira, citados pelo Jornal de Notícias (JN).

    Segundo Óscar Felgueiras, professor na Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (FCUP) e um dos peritos ouvidos na reunião, a incidência no Norte “é quase sete vezes superior à registada em abril no momento mais alto da pandemia”. No distrito do Porto, apesar da estabilização entre a população ativa, a subida é notória entre as crianças e adolescentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: