Diretores de escolas rejeitam prolongar pausa do Natal

Confederação Nacional Independente de Pais e Educadores lamenta o eventual regresso do ensino à distância e lembra que “o plano digital ainda não está concluído”.

Diretores de escolas rejeitam prolongar pausa do Natal, pais pedem rapidez na decisão

Os diretores dizem que prolongar a pausa do Natal “é uma asneira” e defendem o regresso do ensino a distância a 10 de janeiro. Também os pais não querem mais férias, mas pedem uma decisão rápida sobre o assunto.

O presidente da Confederação Nacional Independente de Pais e Educadores (CNIPE) está preocupado com a possibilidade de as escolas não abrirem a 10 de janeiro, uma hipótese levantada pela diretora-Geral da Saúde, Graça Freitas. Rui Martins pede rapidez numa decisão “para que as famílias se possam organizar”.

Face à perspetiva da decisão ser tomada só na próxima semana, depois da reunião com os especialistas, no dia 5, o presidente da CNIPE diz à Renascençaque “era de bom tom que a decisão fosse tomada com mais dias de antecedência”.

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2022/01/diretores-de-escolas-rejeitam-prolongar-pausa-do-natal/

6 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Luluzinha! on 1 de Janeiro de 2022 at 13:34
    • Responder

    Finalmente um parecer acertado. Haja algum bom senso a contrariar esta histeria acéfala “covideira”.

  1. Em novembro com cerca de 3000 casos adiou-se o início do ano letivo, agora com cerca de 30 000 casos só espero que se arranque com o e@d. O regresso a escola traz sempre um aumento de casos, ora com o nível de infeção que o país já tem será o caos.

    • on 1 de Janeiro de 2022 at 17:20
    • Responder

    Não me espanta! Ponham esses kapos, horas seguidas, dentro de salas com 40m2 e 30 alunos para ver se defendem o imediato regresso presencial.
    Essa escumalha não entra numa sala de aula há 30 anos e quer enviar, rapidamente e em força, os professores para autênticas câmaras de gás.

    • alice on 1 de Janeiro de 2022 at 19:10
    • Responder

    neste momento o que interessa a infeção? nada
    com vacina e omicron é apenas uma constipação

    antigamente tb confinavam com constipações? ainda me lembro dos beijinhos apos ferias natal … agora ate açaime usam! qual o problema?

    acordem ja nao estao em janeiro de 2021

    • Maonda on 1 de Janeiro de 2022 at 19:26
    • Responder

    Estou p’r’aqui a pensar… se um dia os professores fizessem uma greve a sério – tipo, uma semaninha, como esta que aí vem… ao terceiro dia, no máximo, os papás já estavam a suplicar aos devidos ministros, governantes e afins para cederem tudo e mais alguma aos professores…
    Não?…
    Bom ano!…

      • Rita on 2 de Janeiro de 2022 at 14:36
      • Responder

      As decisões a tomar no Conselho de Ministros não vão ter por base os pareceres dos cientistas, mas sim os interesses políticos, tanto mais que se aproximam as eleições.
      Ainda há quem defenda uma maioria absoluta?! As que já tivemos trouxeram-nos ótimos resultados! E, mesmo que não estivesse a ser irónica, qualquer maioria absoluta acarreta muitos riscos…
      Quanto a greves, se algumas que estavam previstas em vários setores foram adiadas já há algum tempo, entendo que fará mais sentido voltar a esse assunto após as eleições de 30 de janeiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: