A Única Solução Que Vejo Para o Pré-Escolar

… é adiar a entrada no sistema de crianças com menos de 4 anos permitindo que o distanciamento se faça de forma natural, com menos crianças por sala.

Limitar mesmo assim o grupo a 18/20 crianças por educador(a), permitindo o alargamento de salas onde tal seja possível.

Não consigo imaginar outra solução para o funcionamento do pré-escolar que não este, para além da separação dos grupos, dos intervalos e do período de almoço.

 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2020/07/a-unica-solucao-que-vejo-para-o-pre-escolar/

13 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Filipe on 7 de Julho de 2020 at 0:47
    • Responder

    A única solução escamoteada no Covid-19 , agora um novo vírus nos porcos e por fim a volta modificada da Peste Bubónica é o que realmente está a acontecer a cada minuto escondido por traz da OMS e as estatísticas ? Qual será ? A invasão de Taiwan pela China em breve , para isso neste momento desloca-se para o mar da China a maior frota Americana de porta aviões nucleares , e todas as bases em redor foram colocadas em alerta Vermelho . Esta vai ser a solução chamada WWIII .

    • Pedro C on 7 de Julho de 2020 at 11:00
    • Responder

    Uma grande ajuda para a gestão dos horários escolares, principalmente do Pré Escolar e Primeiro Ciclo seria dar a possibilidade aos pais dessas crianças de ter um horário de trabalho reduzido (menos 2h por dia por exemplo), flexível, com uma parte teletrabalho, etc..

    Qualquer opção que possibilite uma redução da dependência da escola como “depósito” de crianças seria boa para todos. Inclusive para as aprendizagens

      • maria on 7 de Julho de 2020 at 11:22
      • Responder

      E quem paga? Se a mãe for ” caixa” num supermercado ou empregada doméstica pode exercer a sua profissão em teletrabalho?

        • Pedro c on 7 de Julho de 2020 at 15:34
        • Responder

        Não há soluções perfeitas.
        Na minha opinião este tipo de apoio deveria existir para todos os pais de crianças pequenas. Com ou sem pandemia.

        Naturalmente teria que ser o estado a apoiar ( ao mesmo tempo poderia representar um incentivo à natalidade)

          • maria on 7 de Julho de 2020 at 15:59

          O Estado ( com maiúscula ) já apoia em muito . A juntar aos brutais encargos com os desempregados, layoff, aposentados, subsídios disto-e-daquilo, RSI para certas etnias e desvalidos, abonos, eu sei lá, se ainda tivesse de pagar milhares e milhares de ordenados aos “pais” para ficarem em casa bem… como diria o outro, “é só fazer as contas”. Tudo parece fácil. O pior é que a factura disto tudo, mais os dislates, vem a caminho – esperemos uns mesinhos . Ao menos que passemos o Natal em paz – já seria bom.

        • Pierre on 7 de Julho de 2020 at 23:33
        • Responder

        E se a mãe for educadora de infância? Também pode ser em teletrabalho?
        Fica em casa e o Estado paga?
        Maria, parabéns pela lucidez

    • Maria on 7 de Julho de 2020 at 15:05
    • Responder

    Concordo com a decisão de não entrarem as crianças de três anos. Claro que as que já estão têm que continuar. Mas penso que 18 crianças é demais, a avaliar pela reabertura em junho. Algumas salas nem 15 devem ter. Mas na maioria das salas penso que 15 será um n° que se conseguirá gerir melhor.

    • Maria on 7 de Julho de 2020 at 15:45
    • Responder

    E os pais que têm crianças com 3 anos ?! qual a solução para irem trabalhar?


  1. O Arlindo tem alguma razão, pensando em termos de distanciamento na sala…

    Vai ser muito difícil resolver esta situação… de mães e pais a necessitar de trabalhar e, em particular as crianças de 3 anos, sendo obrigadas a assistir às video chamadas…

    ….porque se se voltar de novo a esses momentos não presenciais, estas crianças de 3 anos precisarão de ajuda, em casa, com o computador, com alguém adulto (ou mãe ou pai, ou um irmão mais velho) .

    Não sabem entrar no mail do pai ou da mãe; não sabem ligar e desligar o microfone; a câmara fica direcionada para o tecto e não se vê a cara; se dizemos para falar um de cada vez, fazem birra e vão embora, etc. etc


  2. Arlindo
    Terceira ou quarta nova correção fraterna!!!

    Não é correcto dizer : “DO Pré”
    Se é Educação Pré Escolar , é feminino “DA Pré”

    “A Única Solução Que Vejo Para a Pré-Escolar”
    Soa mal?
    Então refira-se
    “A Única Solução Que Vejo Para os Jardins de Infância”

    obg


    1. Compreendo a irritação, mas quem não está neste nível de ensino por vezes se esquece, mesmo sabendo das suas especificidades, dos termos usados na Educação Pré-escolar.
      Se lhe falar de PEF, CEF, relatores, coadjuvantes, vigilantes, técnico ENEB, PAEB, ou outros termos menos usuais na educação pré-escolar, possivelmente teria a mesma, ou mais dificuldade, em conjugar os termos certos.


  3. Olá, Arlindo, não estou irritada, mas sinceramente? “…teria mais dificuldade?…”
    Eu vejo, ouço e leio.
    Conhecia as duas primeiras siglas e as três palavras.
    e fui ao google pesquisar ENEB E PAEB – dos exames.

    (ok relembro que a educação é feminino, e não é verbo!)
    no hard feelings


  4. Em tempo: Pode usar a sigla EPE.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores:

x
Gosta do Blog