Blogosfera – pé-ante-pé

Salários dos professores em 2013

 

Os salários dos professores aplicando estas novas tabelas e a sobretaxa 3,5% ficarão do seguinte modo:

salarios_2013

A maior parte dos professores perderão mais de dois salários em 2013.

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2013/01/blogosfera-pe-ante-pe-4/

15 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. “A maior parte dos professores são não casados sem filhos…”

  2. Francamente, estive a olhar outra vez e não percebo esta tabela. Especialmente o salto quântico entre o 126 e o 136.
    Care to explain?

  3. É preciso ter mais uma ou duas para fazer a comparação. Mas penso que uma das normas que está no TC é a não progressividade do imposto, certo?

    1. Na minha modesta opinião, e eu não percebo nada disto, essa da progressividade é tanga. Está garantida a progressividade. À medida que aumentam os rendimentos aumenta a taxa marginal. São menos escalões, é certo, mas a progressividade está lá. Aquele salto quântico dá-me a impressão que é um soluço da tabela. Se eu tiver algum tempinho faço uma tabelinha em condições. Se tiver tempo… e pachorra.

    • maria on 14 de Janeiro de 2013 at 23:12
    • Responder

    Ficando sempre “traumatizada” quando se trata de impostos, poderiam explicar-me (sou quase loira) como é que um docente que recebe 1470 €, perdendo 459 € por ano, como é que isso corresponde 2,3 salários?
    Brigada!

      • oleg on 15 de Janeiro de 2013 at 9:01
      • Responder

      Perde em relação a 2012. Ano em que não recebeu 2 salários. Os tais 459 correspondem aos 0,3 adicionais em 2013.

      • Helder R. on 15 de Janeiro de 2013 at 10:09
      • Responder

      Exacto oleg! Realmente este governo consegue o que quer, com voltas e reviravoltas consegue confundir os mais distraídos, mas ainda há quem não se deixe enrolar!

    • C. Pires on 14 de Janeiro de 2013 at 23:21
    • Responder

    Maria, perde um subsídio que não é reposto (1 salário); perde na totalidade o subsídio reposto (2 salários) e ainda perde em média entre 1,5 e 2,5 por cento (mais de dois salários).

    • maria on 15 de Janeiro de 2013 at 9:35
    • Responder

    Muito obrigada!!!!!

    • JCP on 15 de Janeiro de 2013 at 16:49
    • Responder

    Topo da carreira – em relação ao salário base – cerca de 3000 Euros (ilíquido), toma lá 50% de impostos (IRS, taxa 3,5%, roubo no salário, CGA, ADSE).
    Salário liquido, cerca de 1650 euros. E não tenhamos ilusões… vai baixar até aos 1200 euros. Em tempos, falava-se na progressão, agora pensa-se na regressão.

    • AF on 15 de Janeiro de 2013 at 16:50
    • Responder

    Confirmo: os cálculos estão corretos. Agora é visível, tal como o Arlindo já referiu, que a progressividade do imposto não é cumprida.

    • Filipe on 15 de Janeiro de 2013 at 20:01
    • Responder

    Boa Noite.
    Como foi calculada a sobretaxa dos 3,5%? Por exemplo como no índice 151 dá 20 euros?

  4. Mais um cálculo real e não uma simulação: casado, dois titulares com dois filhos no 8.º escalão (índice 299). A perda será de 76,90 € mensais líquidos! Ou seja, uma perda de 2,73 salários líquidos relativamente a 2011 (dois subsídios + 922.80 €)!! É obra! Degaspar, ou decapar, o rendimento das pessoas?

  5. Caro Filipe: vencimento líquido = (vencimento bruto) – (ADSE+CGA+IRS) = (1373.13) – (20.59 + 151.04 + 226.04) = 974.20 €
    Agora, para calcularmos a sobretaxa de 3.5 €, e uma vez que esta se aplica à diferença entre o vencimento bruto e a soma de todos os descontos mais o salário mínimo, obtemos: sobretaxa = 3.5 € * [vencimento bruto – (20.59 + 151.04 + 226.04 + 485)] = 3.5 € * 490.46 = 17.17 €.
    Efetuando cáculo semelhante para o duodécimo, obtemos a sobretaxa de 1,42 €, isto é, um total de 17.17+1.42 = 18.59 € (os valores da tabela são aproximados)
    Feitas as contas, o salário líquido mensal para este escalão será sensivelmente igual ao de 2012 (diferença não será superior a 1,00 €
    Nota: cálculos efetuados para um titular, não casado, sem dependentes (IRS = 16.5 %). O asterisco (*) indica a operação de multiplicação.

    • Filipe on 16 de Janeiro de 2013 at 13:54
    • Responder

    Muito Obrigado AF.
    Tinha esquecido o facto de se ter que descontar o salário mínimo antes de calcular os 3,5%. Obrigado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: