Quem deve denunciar um crime paticado numa escola?

O Código Penal é claro em relação a esta questão. Da próxima vez que forem agredidos, tenham conhecimento ou presenciem uma agressão a um professor, aluno, AT ou AO, já sabem quais os vossos deveres.

Artigo 242.º

(Denúncia obrigatória)

1 – A denúncia é obrigatória, ainda que os agentes do crime não sejam conhecidos:
a) Para as entidades policiais, quanto a todos os crimes de que tomarem conhecimento;
b) Para os funcionários, na aceção do artigo 386.º do Código Penal, quanto a crimes de que tomarem conhecimento no exercício das suas funções e por causa delas;
2 – Quando várias pessoas forem obrigadas à denúncia do mesmo crime, a sua apresentação por uma delas dispensa as restantes.
3 – Quando se referir a crime cujo procedimento dependa de queixa ou de acusação particular, a denúncia só dá lugar a instauração de inquérito se a queixa for apresentada no prazo legalmente previsto.
A Denuncia é obrigatória para os funcionários. Quem são eles?
Artigo 386.º
Conceito de funcionário
1 – Para efeito da lei penal a expressão funcionário abrange:
a) O funcionário civil;
b) O agente administrativo; e
c) Os árbitros, jurados e peritos; e
D) Quem, mesmo provisória ou temporariamente, mediante remuneração ou a título gratuito, voluntária ou obrigatoriamente, tiver sido chamado a desempenhar ou a participar no desempenho de uma atividade compreendida na função pública administrativa ou jurisdicional, ou, nas mesmas circunstâncias, desempenhar funções em organismos de utilidade pública ou nelas participar.
2 – Ao funcionário são equiparados os gestores, titulares dos órgãos de fiscalização e trabalhadores de empresas públicas, nacionalizadas, de capitais públicos ou com participação maioritária de capital público e ainda de empresas concessionárias de serviços públicos.
3 – São ainda equiparados ao funcionário, para efeitos do disposto nos artigos 335.º e 372.º a 374.º:
a) Os magistrados, funcionários, agentes e equiparados de organizações de direito internacional público, independentemente da nacionalidade e residência;
b) Os funcionários nacionais de outros Estados, quando a infração tiver sido cometida, total ou parcialmente, em território português;
c) Todos os que exerçam funções idênticas às descritas no n.º 1 no âmbito de qualquer organização internacional de direito público de que Portugal seja membro, quando a infração tiver sido cometida, total ou parcialmente, em território português;
d) Os magistrados e funcionários de tribunais internacionais, desde que Portugal tenha declarado aceitar a competência desses tribunais;
e) Todos os que exerçam funções no âmbito de procedimentos de resolução extrajudicial de conflitos, independentemente da nacionalidade e residência, quando a infração tiver sido cometida, total ou parcialmente, em território português;
f) Os jurados e árbitros nacionais de outros Estados, quando a infração tiver sido cometida, total ou parcialmente, em território português.
4 – A equiparação a funcionário, para efeito da lei penal, de quem desempenhe funções políticas é regulada por lei especial.

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2020/02/quem-deve-denunciar-um-crime-paticado-numa-escola/

5 comentários

1 ping

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • João on 2 de Fevereiro de 2020 at 17:15
    • Responder

    Partido CHEGA quer devolver a autoridade aos Professores:
    “Em todos os graus de Ensino os professores recuperam totalmente a autoridade perdida sobre os alunos, sendo-lhes devolvidos todos os meios que lhes permitam manter a disciplina nas aulas.”
    https://partidochega.pt/programa-politico-2019/

      • André on 3 de Fevereiro de 2020 at 9:26
      • Responder

      Isto inclui a régua e choques elétricos?…o que nos vão “devolver” que já não esteja na Lei?…Que haja uma maior articulação com a Escola Segura e CPCJs, que haja mais funcionários (com formação e não POCs…), que haja mais recursos disponíveis, que se não se desprestigie a profissão de professor (o que realmente mina a “autoridade” do professor) é uma coisa…agora que se escrevam umas coisas que não querem dizer nada…

    • cincocincozero on 2 de Fevereiro de 2020 at 19:54
    • Responder

    Essa lei não se aplica para algumas criaturas especiais. Numa escola a Sul do Mondego, há uma gaja que é diretora de curso profissional de informática, que recebe gravações de aulas que são feitas por alunos. Os alunos primeiro mandam para a DT, esta depois encaminha para a DC, que depois faz o favor de reencaminhar para um ou outro acólito do círculo íntimo. Queixas do crime nem vê-las, não há provas, só há rumores, mas os registos dos emails lá estão na Google, ninguém de lá os tira. Investigue-se.

    • Lelo on 2 de Fevereiro de 2020 at 21:38
    • Responder

    Basta ver este título “Direção nega invasão a escola que policia confirma”, para perceber que a VIDA REAL é muito diferente da lei.

    • Alberto Miranda on 3 de Fevereiro de 2020 at 17:09
    • Responder

    Qualquer partido que tenha elementos da extrema-direita e que tenha membros nos órgãos sociais que estiveram em movimentos neonazis, não são solução para o Ensino em Portugal, pelo contrário.

  1. […] Quem deve denunciar um crime paticado numa escola? […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: