Jovem pontapeada em escola por namorado

Continua a violência…

Adolescente foi violentamente agredida por ex-namorado em escola em Gaia

Uma jovem, de 16 anos, foi violentamente agredida na Escola Secundária Almeida Garrett, em Vila Nova de Gaia, por um estudante da mesma idade, esta quarta-feira.

Segundo a notícia avançada pelo Correio da Manhã, o agressor, ex-namorado da vítima, atirou a jovem ao chão e ponteou-a repetidamente após uma discussão.

A adolescente teve de ser assistida pelo INEM e foi encaminhada para o Hospital de São João, no Porto.

Na sequência do incidente, a PSP foi chamada ao local e os pais dos jovens estiveram na esquadra para prestar declarações, escreve o mesmo jornal.

O aluno foi suspenso e foi-lhe instaurado um processo disciplinar. O Ministério da Educação confirmou ao Correio da Manhã a suspensão do jovem e acrescentou que o caso  “está agora entregue às autoridades” e que “não há antecedentes de violência naquela escola, nem em relação aos alunos em causa”.

“O Ministério repudia veementemente todas as formas de violência, em particular em contexto escolar”, esclareceu o gabinete de comunicação do Ministério da Educação, citado pelo Correio da Manhã.

A direção da escola também foi contactada pelo mesmo jornal, mas não prestou qualquer declaração sobre o caso.

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2020/02/jovem-pontapeada-em-escola-por-namorado/

4 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Limite on 6 de Fevereiro de 2020 at 11:04
    • Responder

    Sei por fontes seguras que há antecedentes, o miúdo já no início do ano letivo agrediu um aluno do 7º ano, embora sem ter chegado à necessidade de chamar uma ambulância.
    A este tipo de aluno é expulsar da escola e coloca-lo numa instituição para ver se ainda vão a tempo de se redimirem (embora duvide).

    • maria on 6 de Fevereiro de 2020 at 18:22
    • Responder

    Limite
    Agora , aposto, segue-se um processo disciplinar ( !!) o qual implica , para os professores, um calvário de reuniões. No fim, o costume : uma suspensãozita – quando muito – e a criatura fica a rir-se.
    Sem um castigo exemplar, dissuasor, que “desencoraje ” dislates deste tipo, nada feito.

    • Luís Miguel Cravo on 7 de Fevereiro de 2020 at 12:39
    • Responder

    Este blogue parece – se, cada vez mais, com o CNMTV… E é anedótico. Aliás, as fontes das notícias bombásticas de escolas transformadas em favelas brasileiras, com a tentativa claríssima de passar um retrato de caos (porque a qualquer outsider assim o sentirá), provam cabalmente o que eu digo. Mais uns tempos e o Professor Arlindo pode convidar o tal de André Ventura a ser colunista neste blogue. O discurso tem traços em comum.

    • maria on 7 de Fevereiro de 2020 at 15:10
    • Responder

    Luís Miguel
    A sua observação até pode fazer sentido. Porém, os sucessivos casos mais conhecidos – mesmo “residuais” – pela sua gravidade têm de ser denunciados por todos os meios . Basta os muitos que são silenciados.
    As denúncias podem fazer com que alguém ( e já tarda) diga … chega. E esse alguém deverá ser o ME – nada de equívocos …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: