Greve na interrupção do Carnaval

Dias 24 e 26 deste mês.

Professores em greve durante interrupção letiva do Carnaval

A Federação Nacional de Professores (Fenprof) vai avançar para uma greve nos dias 24 e 26 de fevereiro, durante a interrupção letiva do carnaval, avançou esta quarta-feira o secretário-geral, Mário Nogueira.

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2020/02/greve-na-interrupcao-do-carnaval/

16 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Carlos Bico on 12 de Fevereiro de 2020 at 21:15
    • Responder

    GREVE????????? Este parvalhão só está do lado do governo.

    • Clara Costa on 12 de Fevereiro de 2020 at 21:35
    • Responder

    O fulano sabe o que faz??????? qual é a lógica fazer-se greve na altura da interrupção lectiva?
    Estamos entregues à bicharada!!!!
    Só deve servir para nos prejudicar…. quem não faz greve tem de ir à escola?
    Está tudo maluco!!!!!!

    • Maria Rocha on 12 de Fevereiro de 2020 at 21:38
    • Responder

    Incrível… 🙁 . Só pode ser brincadeira de Carnaval

    • Sara on 12 de Fevereiro de 2020 at 21:52
    • Responder

    O cérebro desta criatura deve ter parado! Está na hora de se tratar! Que sentido de oportunidade para encher os cofres do governo! 🙁

    • Prof QZP on 12 de Fevereiro de 2020 at 22:06
    • Responder

    Ótimo sentido de oportunidade!… Enfim. Acho que está na hora de irem dar aulas, poderão fazer greve nas interrupções letivas para não perturbar muito todo o sistema.

    • Ana Farinha on 12 de Fevereiro de 2020 at 22:59
    • Responder

    Uma greve a interrupção de Carnaval porquê? Vai prejudicar quem?
    Supostamente uma greve faz-se com o intuito de causar incómodo… Realmente, não entendo.

    • Joana on 12 de Fevereiro de 2020 at 23:12
    • Responder

    Que absurdo!!!

    • Pardal on 12 de Fevereiro de 2020 at 23:35
    • Responder


    O Dr. Mário Nogueira tem todo o direito de convocar uma greve de professores.

    Desconheço os fundamentos, mas é um direito que deve ser respeitado. Terá possivelmente a ver com a questão dos aumentos salariais que se encontram, neste momento, em negociação. A proposta do Governo é de 0,3%, mas as negociações ainda não estão fechadas. Teria sido melhor aguardar pelo menos até a próxima 2ª feira.

      • Josefina Pardal on 13 de Fevereiro de 2020 at 15:31
      • Responder

      O anormal do Pardal pronunciou-se!

    • João Bom on 12 de Fevereiro de 2020 at 23:38
    • Responder

    Por acaso, tenho duas opções para dia 26.
    1ª – Fazer greve.
    2ª – Passar o dia em Reuniões Intercalares.
    … e esta, hem?!

    • Luís Manuel Braga on 13 de Fevereiro de 2020 at 3:23
    • Responder

    Há muitos anos atrás, as greves eram precedidas de reuniões nas escolas para discutir a convocação da greve. Claro que era só fachada, a convocação ia para a frente quer houvesse concordância maioritária ou não, da parte dos professores. Agora, talvez por questões de eficácia, manda quem pode, obedece quem deve. Uma nova forma de tornar a democracia mais expedita!
    Chama-se a isto estar em sintonia com os novos tempos, numa sociedade totalmente resignada, professores resignados. Resignados perante os poderes, sejam eles os directores, os ministros, os pais dos alunos ou mesmo os seus alegados representantes!
    Assim vai a nossa pobre Democracia. Cada vez mais expedita até à expedição total!

      • Falcão on 13 de Fevereiro de 2020 at 21:13
      • Responder

      Caríssimo Luís Braga,

      Dizes bem, era tudo fachada. E continua a ser tudo fachada. Mas só faz greve quem quer. Este senhor devia era ser deixado a falar sozinho, mas a malta gosta muito de descer a Avenida que se há-de fazer…?

      Grande abraço e todo um respeito por um professor e ex-Diretor que soube sempre, com brilhantismo, remar contra a maré!

    • Tio on 13 de Fevereiro de 2020 at 8:01
    • Responder

    Pronto o governo já lixou a greve do Marito. Tolerância de ponto dia 26.
    Vai ser uma greve que irá fazer mossa ás famílias de forma agressiva.

    • Em nome do bom senso on 13 de Fevereiro de 2020 at 16:02
    • Responder

    Só pela agenda da greve, já decidi que não vou aderir. Se tiver que ir à escola na interrupção letiva, vou! O Mário Nogueira está de uma forma subtil a obrigar os professores a terem que ir à escola se não concordarem com o timming da greve. Sempre fiz greve!!!!! É altura de nos unirmos e não sermos joguetes nas mãos dos sindicatos. Vou pensar se saio de vez do sindicato. Chega de brincadeiras!!!!!!

    • Gui on 14 de Fevereiro de 2020 at 20:07
    • Responder

    Devido à estupidez das declarações desse senhor deixei de ser sindicalizada. Não me arrependo e se tiver de ir a escola, irei!
    Ridiculo!!!!

    • carla on 16 de Fevereiro de 2020 at 13:10
    • Responder

    A greve foi uma forma de contornar o que acontece em alguns agrupamentos: os docentes são convocados para reuniões; formações e traquinices afins!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores:

x
Gosta do Blog