Desenvolvimentos sobre agressão a professora em Campo de Ourique

A PSP deteve uma mulher, de 32 anos, suspeita de ter agredido a professora do filho. O caso ocorreu numa escola de primeiro ciclo em Campo de Ourique.

“A suspeita, mãe de um aluno de um estabelecimento de ensino na freguesia, deslocou-se à escola onde agrediu a professora de 54 anos motivada por um conflito entre alunos no dia anterior, que teria levado a uma agressão ao seu filho por parte da agora vítima”, explica um comunicado o Comando Metropolitano de Lisboa da PSP, citado pelo Jornal de Notícias. A Escola já instaurou um processo disciplinar ao aluno.

O Blog DeAr Lindo teve conhecimento da versão da professora sobre os acontecimentos. Na fila da cantina da escola, o aluno, passou à frente dos colegas, empurrando-os. A professora chamou-o à atenção e é imediatamente insultada pelo aluno que, a tenta agredir fisicamente. Na tentativa de agressão por parte do aluno, a professora, para se defender, prende-lhe o braço impedindo a agressão. Também se apurou que a criança vem de um ambiente de carências sociais, de outro modo a progenitora não lhe daria estes exemplos.

À colega, com 54 anos e ainda contratada, desejamos coragem. Faça queixa formal da mãe.

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2020/02/desenvolvimentos-sobre-agressao-a-professora-em-campo-de-ourique/

6 comentários

6 pings

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • maria on 7 de Fevereiro de 2020 at 1:55

    deve fazer queixa na policia. Não deixe ficar assim… sem consequência

    • Jonas on 7 de Fevereiro de 2020 at 11:13

    “Também se apurou que a criança vem de um ambiente de carências sociais, de outro modo a progenitora não lhe daria estes exemplos.”
    A treta do costume.

    • Sergio on 7 de Fevereiro de 2020 at 11:33

    Estes casos, pela sua relevância e gravidade, justificariam, da parte dos sindicatos, que se disponibilizassem para patrocinar judicialmente a colega, fosse ela ou não associada. Há matérias e situações onde a prontidão e o vigor da resposta se deveriam sobrepor a questões formais e conjunturais. Já que a tutela não protege os docentes… nem disponibiliza apoio psicológico à professora agredida no seu local de trabalho…

    • Maria Olinda Marques on 7 de Fevereiro de 2020 at 13:14

    Torne-se este tipo de agressões “crime público”! Chega de protelar!

    • Anselmo Pinheiro on 7 de Fevereiro de 2020 at 13:31

    Devíamos unir-nos. Criar uma conta solidária para, nestas horas, ajudarmos os colegas que precisem de ajuda financeira para avançar com a queixa até às últimas consequências.

    Estou cansado das desculpas do ambiente familiar. Se as pessoas fossem devidamente punidas haveria menos agressões.

    • João on 9 de Fevereiro de 2020 at 15:45

    Aprovado voto do Chega para condenar agressões a professora e assistente em Setúbal.
    Voto de condenação e preocupação foi apresentado por André Ventura.

    https://www.cmjornal.pt/politica/detalhe/aprovado-voto-do-chega-para-condenar-agressoes-a-professora-e-assistente-em-setubal

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores:

x
Gosta do Blog no Facebook