Pedido de Divulgação – Providência Cautelar

A acção tem de dar entrada até 5ª feira com, pelo menos, 100 nomes. Não vale a pena andarem-se a lamentar apenas na caixa de comentários e no Facebook. Podem também agir.

 

PROVIDÊNCIA CAUTELAR + AÇÃO PRINCIPAL para exigir abertura de vagas para trabalho permanente para os docentes com mais de 5 anos

 

 

COLEGAS,

Esta ação entra no tribunal 5ª fª. Quem reunir condições (5 anos seguidos completos, independentemente do grupo de recrutamento), pode inscrever-se na mesma. Esta irá defender o respeito pela diretiva europeia e a inconstitucionalidade da norma-travão.

Os valores previstos por pessoa: Valor total 250 euro/pessoa + taxa justiça para intentar a ação é de 612€ que será dividida por todas as pessoas (612€:100 pessoas = 6.12 euro)

Estes valores são estipulados com base em 100 pessoas. Menos do que isso não serve para nada e o valor aumenta.

Quem se quiser inscrever deve mobilizar outros a fazê-lo.

Inscrição aqui:

 

arlindovsky
Seguir:
Latest posts by arlindovsky (see all)

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2015/04/pedido-de-divulgacao-providencia-cautelar/

29 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Fafe on 21 de Abril de 2015 at 20:43
    • Responder

    E eu a pensar na directiva, nunca na “diretiva”, não sei aonde é que a “avogada” foi buscar os cinco anos

      • gaivota on 21 de Abril de 2015 at 21:14
      • Responder

      isto já deixou de ser sério há muito! a coisa está a saque. vale tudo até arrancar olhos!!!

      • Pois on 21 de Abril de 2015 at 21:19
      • Responder

      Comentário acessório! Estavas bem calado…

        • gaivota on 21 de Abril de 2015 at 21:37
        • Responder

        não seja boçal, pois.

          • Pois on 21 de Abril de 2015 at 21:50

          Ainda só no principio do registo boçal! Mas tu continuas a engrossar a lista de mensagens adorno, fúteis…

          • gaivota on 21 de Abril de 2015 at 21:55

          🙂 cínico…

          • Pois on 21 de Abril de 2015 at 22:16

          Podes crer… sem qualquer pudor! Mas assertivo.

          Parabéns a quem se sente injustiçado e avança com providencias como esta. Para os outros, boçalmente, metei qualquer objeto de forma fálica no orifício por onde se expelem matérias excrementícias para se entreter e não vir para aqui encher chouriços!

          • gaivota on 21 de Abril de 2015 at 22:22

          🙂 que bem, senhor professor!!! fica-lhe bem!

          • gaivota on 21 de Abril de 2015 at 22:24

          brinque muito, senhor professor! 🙂

    • Cristina on 21 de Abril de 2015 at 22:27
    • Responder

    Porque é que tem de ser 5 anos seguidos? 20 anos não é suficiente, mesmo que com poucos dias de intervalo????

      • ângela morais on 22 de Abril de 2015 at 0:01
      • Responder

      Concordo! Acusamos o MEC de injustiça, mas esta providência não está melhor! GRADUAÇÃO!


    1. Exatamente! Nessa situação são milhares. Centenas em cada grupo. Entalados entre o ultimo da 1º prioridade e o primeiro da segunda. estão centenas. São esses que estão a ser ultrapassados vergonhosamente.


    2. “Alguns” fingem que só agora é que deram conta das ultrapassagens que a norma travão ia gerar. O grande problema não é apenas a diferença entre o último da 1a prioridade e o 1o da 2a. O problema é a ultrapassagem de todos os que estão no meio dos dois. O grande problema está nessas centenas de ultrapassados em cada um dos grupos o que dá milhares. E porquê os sindicatos nada fizeram até agora? Estavam a ver se ninguém dava conta? Estavam à espera que milhares de candidatos não se apercebessem do efeante?
      Infelezmente, a norma travão é um cavalo de tróia e foi pensado nesses termos: para pôr nas Escolas e mais importante para pôr nos quadros do MEC “boys e girls” do PS e do PSD. Só por curiosodade façam o exercicio de tentar descobrir de que escolas vem os colegas da 1ª prioridade. E de onde vem a maior parte dos ultimos candifatos da 1a prioridade? Já descobriram? Já? Porque acham que uma lei como a norma travão passou? Fixem bem os nomes pois vão encontrá-los no futuro sempre bem instalados.

    • Fafe on 21 de Abril de 2015 at 22:51
    • Responder

    Suspeito sempre que uma advogada me chame “colega”. Manias!

    • Fafe on 21 de Abril de 2015 at 23:02
    • Responder

    Não me acho um nicho do mercado!

      • gaivota on 21 de Abril de 2015 at 23:13
      • Responder

      pois.


      1. O Pois sou eu e começo a achar que alguém tem algo a perder com isto!

    • João Branco on 21 de Abril de 2015 at 23:44
    • Responder

    Li o manual, mas não consigo entender como devo reclamar de 2 colegas que me ultrapassaram por graduação profissional indevida.(Obtiveram uma 2ª habilitação profissional para o meu grupo após alguns anos a lecionar outro e concorreram como se tivessem essa habilitação profissional desde o início da carreira)

    • ângela morais on 21 de Abril de 2015 at 23:59
    • Responder

    Não assinem! O critério também é injusto! Providência ou petição apenas pela GRADUAÇÃO!!!


    1. Isto não é uma petição! 🙂

    • Luís on 22 de Abril de 2015 at 0:45
    • Responder

    Estou colocado, ininterruptamente, nos últimos 13 anos no mesmo grupo de recrutamento e hoje, para minha frustração, reparei que colegas com muito menos tempo de serviço/graduação passaram-me à frente e, apesar da sucessão de contratos (nem todos completos), voltei a dar uma queda na lista… É desmotivante e revoltante. Ou seja, o que passa a interessar é ter horário completo para contornar a norma-travão do MEC ou deixa de compensar andar a percorrer o país de norte a sul para mendigar um horário. Até agora, apesar dos custos ia com horário incompleto com a esperança de amealhar algum tempo de serviço para o concurso… e eis que deparei que o que ganhei foi um trambolhão na lista… Fosse mais novo e mandava esta vida para um determinado sítio…

    • Paulo on 22 de Abril de 2015 at 10:01
    • Responder

    Não sou da 1ª prioridade, no entanto não entendo o alarido que está a acontecer com as listas, são tal e qual o que já se sabia… quer nós, quer os sindicatos, quer a ANVPC… etc. o 83-A só saiu agora?! Que foi feito no último ano contra isto? Agora que saíram as listas é que há preocupação? Depois de a casa ter ardido, chamam-se os bombeiros para apagar o que já ardeu???
    Há injustiças, claro que há, nomeadamente colegas com contratos interrompidos por poucos dias… com mais de 6,7,8 anos no mesmo GR em contratos anuais interrompidos por atrasos do MEC nas colocações.
    Muitos, mas mesmo muitos da 1ª prioridade nunca estiveram em escolas TEIP nem com C. Autonomia. Qual a razão de terem menos graduação do que muitos da 2ª prioridade???!!! Simples, não é? Fizeram muitas opções que os mais graduados nunca quiseram fazer!!! Verdade!? Não?
    Deixemo-nos de hipocrisias sindicais e associativas!

      • Alexandre M. on 22 de Abril de 2015 at 10:44
      • Responder

      Caro colega, não utilize o argumento de que “Fizeram muitas opções que os mais graduados nunca quiseram fazer”. Este comentário não serve para todos! Tenho pelo menos um colega que vai efetivar e tem uma graduação inferior à minha. Já lecciono há cerca de 14 anos e sempre, todos os anos, concorri para todo o país. Ao que parece o colega tem ficado colocado numa escola TEIP e, já sabe, nestas escolas tudo pode acontecer para que um determinado candidato se mantenha por lá!!

    • Alexandre M. on 22 de Abril de 2015 at 10:35
    • Responder

    No meio desta confusão há pelos menos uma pessoa que vai ganhar com tudo isto!
    250€x100 = 25000€ (vinte cinco mil euros)
    E ainda acrescenta: “Menos do que isso não serve para nada e o valor aumenta.”


  1. “…a contratação a partir de uma lista nacional em que os
    candidatos são ordenados pela sua
    graduação profissional é a mais justa…“ – Plataforma de Sindicatos de
    Professores.

    • Sílvio Miguel on 22 de Abril de 2015 at 11:46
    • Responder

    Será que vai implodir antes do seu término?

    Exmo. Sr. Ministro da Educação e Ciência, Dr. Nuno Crato, será que com todas estas irregularidades a acontecerem no início deste processo de concurso de professores 2015/2016 conseguirá manter-se em funções até terminar o seu mandato?

    Isto não é a Norma-Travão! Isto, é sim, a Norma-Aceleração para o processo de irregularidades na ultrapassagem de candidatos ao concurso de professores 2015/2016 orquestrado pelo MEC.

    Exmo. Sr. Ministro de Educação e Ciência, olhe que agora não se meteu com apenas 15 docentes do Quadro como aconteceu com o processo de Requalificação de Professores. Agora são aos milhares, professores do Quadro e Contratados, que estão a ser injustiçados com este concurso!

    CAROS COLEGAS, ESTÁ NA HORA DE AGIR.

    Eu, estou ao lado, dos Colegas Contratados que estão a ser vítimas de ultrapassagens no concurso por outros com graduação profissional inferior. O MEC tem estes procedimentos com a intenção de criar instabilidade no corpo docente e tirar os seus dividendos mesquinhos, tanto a nível económico como social.

    Já o referi publicamente que uma das formas é denunciar estas situações, mas dando a cara.
    Temos os blogues, as redes sociais, as nossas escolas, os sindicatos, os nossos colegas, os amigos, as instituições que nos tutelam para apresentar reclamações e recursos hierárquicos, a comunicação social, a Assembleia da República, o espaço público, etc. Esta divulgação pode assumir as mais variadas formas, sejamos criativos.

    Por vezes, o caminho é duro em algumas destas áreas que referi, principalmente na
    comunicação social e na internet quanto à divulgação de vídeos porque existem
    forças de bloqueio organizadas, como já o constatei na prática. Mas não é impossível, conseguir essa divulgação.

    Com a nossa determinação vamos conseguir vencer esta batalha porque a verdade está do nosso lado.

    • Luís Miranda on 22 de Abril de 2015 at 12:14
    • Responder

    Ando a lutar contra a norma – travão desde o inicio . Fui mal tratado neste blog, por defender a sua revogação. Espero que agora acordem. Também eu vejo passar gente à minha frente. Continuo a defender a vinculação com 3 anos completos ou 5 incompletos, no total de 1825 dias de serviço em escolas públicas, de modo a proteger os colegas dos horários incompletos e temporários.. Nós fazemos falta. É só ver os o número de contratados.


  2. Já preenchi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores:

x
Gosta do Blog