600…

imagesAGRB7EZJ

O Projeto de Iniciação à Programação no 1º ciclo do ensino básico teve uma adesão fenomenal…

600 Escolas aderiram ao projeto, um sucesso…

Não vamos ensinar as crianças a utilizar um processador de texto ou uma folha de cálculo, isso é irrelevante. Vamos ensiná-los a programar… qual escola lá do norte da Europa!!!

Em junho começa a formação express de 1800 professores… em apenas um mês vamos formar este pseudogrupo de docência…

Isto é uma Escola de Excelência… rigor…

Sempre quero ver onde as escolas vão arranjar os computadores necessários, vai ser um computador para cada 3 alunos… com alguns Pentium 386 e 486 à mistura e quem sabe, um ou outro Spectrum…

Quem estiver interessado em completar horário, tem agora uma boa oportunidade…

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2015/04/600/

29 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Pois on 23 de Abril de 2015 at 20:19
    • Responder

    Era bom viver numa realidade igual a esta:

    https://www.youtube.com/watch?v=OWsyrnOBsJs

    Mas infelizmente vivemos num país carregado de idiotas que, ainda por cima, são responsáveis por educar as futuras gerações!

    • Cristóvão Oliveira on 23 de Abril de 2015 at 20:19
    • Responder

    Fico à espera da formação 🙂

    • Fafe on 23 de Abril de 2015 at 20:22
    • Responder

    Os idiotas já se progamaram em ser o picaxe muito inferior ao arduino? Irão apostar no quarentaequátrico!

      • Pois on 23 de Abril de 2015 at 20:24
      • Responder

      Este é que inventa! 🙂

        • Fafe on 23 de Abril de 2015 at 20:28
        • Responder

        Não sou este, sou aquele.

    • Informático on 23 de Abril de 2015 at 20:23
    • Responder

    Vai ser uma barracada porque muitos dos professores já aprendem com os alunos nessas idades! Na minha escola, são os alunos que dão formação aos professores sobre como utilizar os computadores. É uma vergonha (O Zé, ajuda lá a professora a ligar o projetor e o computador!).

    Deveriam ser professores com formação na área a assumir esta responsabilidade. Assim, será uma palhaçada!

    • Fafe on 23 de Abril de 2015 at 20:48
    • Responder

    Meus ,’bora lá a programar com´ó caraças, o gaijo que programar a melhor cenaça – coiso!

    • Fafe on 23 de Abril de 2015 at 20:56
    • Responder

    Seiscentos maricas e todos gregos!

    Consta que foram apanhados na retaguarda…

    • Maria Gomes on 23 de Abril de 2015 at 21:04
    • Responder

    A ideia é serem os professores do grupo 550 a lecionar a disciplina….

    1. Isso sim …é a verdade…

    • Talvez on 23 de Abril de 2015 at 21:06
    • Responder

    Agora todos são professores de INFORMÁTICA …LOL … como aconteceu à anos todos Professores de TIC ….Pelos vistos vamos banalizar isto como novamente aconteceu com TIC …Todos davam..mas ninguém sabia …Disciplinas de Programação … SGBD ..etc Vamos lá estragar mais uma …

      • Fafe on 23 de Abril de 2015 at 21:30
      • Responder

      “à”?

        • professormartelada on 23 de Abril de 2015 at 23:24
        • Responder

        é de tic e o computador não corrigiu para há… lol

          • Pois on 24 de Abril de 2015 at 8:12

          Banalidades… só percebeis disso e é disso que só falais! De tudo o resto, sois anormais!

          • Farto on 24 de Abril de 2015 at 8:23

          Estes gajos são melhores que qualquer corretor! Mal uma gajo se esquece duma tecla vêm logo às manadas… deve ser a única coisa que sabem falar, de sintaxe e semântica! Devia ser proibido o uso da Net a estes corretores anormais!

    • Frei Ricardo Caramujo Pepineir on 23 de Abril de 2015 at 21:15
    • Responder

    Agora que já sabem contar, com a ajuda de um Aipede ou uma calculadeira, parece-me bem que aprendam a pilotar essas maquinetas novas.

    Pode ser que, entrementes, aprendam a ler e a escrever o ABC…

    1. Nunca mais vem a tua reforma, não é? Deixa lá, não falta assim tanto, nã te chateies… (nota: o uso do nã foi proposeteda pra chatear aquilos que niada fala e sabe a na ser ABC)

        • Frei Ricardo Caramujo Pepineir on 24 de Abril de 2015 at 23:09
        • Responder

        Não se tema pelo ofício, que lhe não falecerá por culpa minha.

        Não fui professor de liceu nem mestre de meninos. Na vida terrena não passei de aprendiz de estudante e ledor de letras bem gordas. Antes de ingressar no ermitério, fiquei-me por gato-pingado da Misericórdia e ajudante de comédia nos pátios e teatros da velha Lisboa.

        Voejando agora o meu espírito entre os viventes, quando vagas e livres aproveito essas maquinetas com as suas tabuletas de botões em quadra e patalha alumiada para dedilhar umas letrinhas.

        Se o meu biógrafo não se enganou:

        —-

        A sua pobre alma libertou-se da prisão que constituía tão acanhado e
        doentio corpo aos 31 dias do mês de Junho de 1931, com a provecta
        idade de 85 anos.
        À sua morte sobreviveram inéditas algumas obras joco-sérias da sua
        autoria que esperam ver a auspiciosa luz da tipografia, para que, assim, e finalmente, a incomensurável bondade do Criador se desavergonhe de tão desinfeliz criatura, e esta desventurosa Pátria possa conhecer um escritor de tão assinaláveis talentos na literatura burlesca e satírica.

        Ermo dos Desditosos, 31 de Setembro de 1934.

        Frei Bernardo Galhofeiro
        (Cronista-Mór da Terceira Ordem Seráfica
        dos Piadéticos Calçados)

        Nota de Marcial Roiz:

        Este texto foi extractado, com as devidas
        adaptações, do Elogio Fúnebre com que foi homenageado o falecido Frei Ricardo Espirituoso, em cerimónia pública a que concorreu para cima de uma assinalável multidão de gente, composta pelos dois últimos religiosos da Terceira Ordem Seráfica dos Piadéticos Calçados – o próprio defunto e o orador –, e à qual se juntou ainda o coveiro, para a ocasião contratado e devidamente estipendiado, o qual, não obstante ser mouco de nascença, escutou especialmente compungido as ardorosas palavras de Frei Bernardo Galhofeiro. Baldadamente se tem tentado averiguar se a dita compunção do coveiro se deveu às dores costais de que era muito achacado por causa de uma
        hérnia discal de que sofria, se à comoção provocada na vastíssima assistência pelo solene e mui edificante momento em que Frei Caramujo, depois de restituir a sua alma ao Criador, devolveu a sua diminuta matéria corpórea ao terreal pó de que se compõem todas as viventes criaturas neste transitório Mundo Sub-Lunar.

        —-

        Votos de mais humor e menos azedume!

    • Professor do 550 on 23 de Abril de 2015 at 21:18
    • Responder

    Sr. Rui Gualdino Cardoso, sabe o que é iniciação à programação? Pela forma como expõe a situação, não sabe certamente. Vai por aqui muita ignorância…enfim…falam daquilo que desconhecem… Assim, fazem-me lembras um certo comentador da SIC…

      • Rui Cardoso on 23 de Abril de 2015 at 21:27
      • Responder

      Às tantas até tem razão, não devo saber, mas conheço bem as crianças de 8 e 9 anos… conheço bem as realidades físicas da escola… e, talvez, saiba alguma coisita de programação!!! Da iniciação, já “malembra” pouco…

        • paula f. on 24 de Abril de 2015 at 22:00
        • Responder

        Claro que tem razão! Programação? Mas o que querem mais destas crianças, coitadas! Os curriculos extensíssimos , as metas, o inglês, mandarins e afins. Mas o que vai ser destes miúdos! ? Deixem-nos brincar um pouco…

  1. adesão .. 🙂

    • Zé Manel on 23 de Abril de 2015 at 23:51
    • Responder

    Elas estão quase a chegar, só lhes falta colocar a carapaça…

    https://wiki.sugarlabs.org/images/8/81/Numeric_integration_program.png

    1. Turtle Art blocks da Sugar Labs:) Acho que não vai incidir nisto o programa! Além disso, isto é o desenho de uma função e uma aproximação ao integral de Riemann, caso não saibam….

      Para os curiosos: http://www.sugarlabs.org/

  2. O Arlindo nunca ouviu falar do construtivismo?
    Dar asas à ignorância fica mal…

  3. É com artigos destes que se vê o estado da (falta) classe dos Professores.
    Se as escolas não estão preparadas, têm que se preparar.
    Se vão existir problemas na implementação, claro que vão.
    No entanto o problema disto tudo é que se olha para estas horas pela perspetiva dos professores que não têm horário e não pelos alunos que devem ter as aulas com qualidade.
    Apesar da resistência de determinados governantes e professores obsoletos, os empregos no futuro estão na tecnologia.

    1. No entanto estou para ver como se fazem omeletes sem ovos…Tem receita? A realidade que conheço no 1º ciclo são computadores que mal arrancam, com memórias de menos de 200MB, dois ou três, para os professores imprimirem e uma impressora tão velha como os computadores…

  4. Estas horas não completam horários nem contabilizam sequer para o mínimo das 6h lectivas.

    • João on 24 de Abril de 2015 at 17:06
    • Responder

    Eu já ficava super satisfeito se os alunos apenas saíssem do 1º ciclo a saber ler e escrever corretamente. Depois e a partir do 5ºano era uma boa altura para introduzir programação etc.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: