Um Longuíssimo Preâmbulo

… para justificar os novos cortes provisórios, a reversão de 20% dos cortes a partir do dia 1 de Janeiro de 2015 e a próxima Tabela Remuneratória Única (TRU).

Volto a recordar as palavras da ministra das Finanças no direto das televisões em 30 de Abril deste ano que também se referiu à recuperação de parte do tempo congelado dos funcionários públicos)

Lembro que os docentes estão dependentes da contagem de tempo de serviço para progressão, que voltou a deixar de contar em 2011, ao contrário de outros funcionários públicos em que basta ter um determinado número de pontos da sua avaliação de desempenho para efeitos de progressão.

 

[youtube=https://www.youtube.com/watch?v=F9vT3–HFl4]

 

Download do documento (PDF, 317KB)

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2014/06/um-longuissimo-preambulo/

1 comentário

    • Monteiro on 17 de Junho de 2014 at 22:00
    • Responder

    Pois é, mas a avaliação de desempenho na carreira docente, é algo sem qualquer sentido. Simplesmente é algo muito difícil de ser justa, devido à heterogeneidade de turmas, cargos, etc. que existem nas escolas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores:

x
Gosta do Blog