Contrapartidas do Acordo

Vagas em 2013 para docentes há 10 anos

Fonte: JN (07/03/2012)

 

Aos poucos se vão conhecendo alguns contornos do acordo sobre o modelo de concursos.

Também não posso de deixar de referir que as expectativas com a entrada em funções deste governo eram:

  • O fim dos concursos nacionais
  • A entrega total das contratações às escolas.

E muitos já se esqueceram disso.

 

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2012/03/contrapartidas-do-acordo/

8 comentários

3 pings

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • maria on 7 de Março de 2012 at 11:02
    • Responder

    Bom dia.
    Arlindo, poderias indicar de onde foi retirada esta notícia? Obrigada

    • Pedro on 7 de Março de 2012 at 15:03
    • Responder

    Convém guardar a noticia, pois já estamos muitos escaldados e poderá servir para desta vez, se não cumprido o acordo, os contratados colocarem a questão aos tribunais.

    Mas acreditando na ética dos nossos governantes , que seja também definido um mecanismo de vinculação dinâmica para os que não têm 10 anos de serviço.

    Quanto às necessidades do sistema, o número de professores contratados com mais de dez anos de serviço, não é suficiente para as colmatar, a não ser que haja uma deformação total dos horários e das ofertas educativas, assim por aqui não haverá desculpas.

    • Zaratrusta on 7 de Março de 2012 at 15:08
    • Responder

    INCONGRUÊNCIAS

    Hoje fui contactado pelo director da escola. Pretendia saber se eu estaria interessado em ser credidato pelo CCPFC para dar formação nos CFAE. Segundo os critérios daquele conselho, eu sou o único professor dos 80 existentes na escola que está habilitado científica e pedagogicamente (curso de especialização, pós-graduação e mestrado) para o ser.

    A minha resposta foi a seguinte: como é isso possível se, de acordo com os critérios do MEC, eu não sou um bom professor? Sou contratado, não tenho 10 anos de serviço, nunca dei aulas numa escola particular e, só por pouco, vou conseguir concorrer em 1ª prioridade com 90% de probalidades de não ser colocado. Sou o único da escola que tem competências para ensinar os professores a ensinar, mas não as tenho para ensinar aos alunos. O diretor não respondeu e eu terminei: diga ao CCPFC que recomende ao MEC que altere a proposta dos concursos de modo a que sejam introduzidos critérios que efectivamente sonduzam à selecção dos melhores.

    É por aparentes pequenos pormenores destes que Portugal se transformou num país medíocre.

    • Zaratrusta on 7 de Março de 2012 at 16:54
    • Responder

    Agora vamos à notícia.

    Mas que 10 anos? Será 10 x 365? Serão 10 anos, independentemente do tempo de serviço em cada um desses anos? Isto é uma outra 1ª prioridade? Ou é uma 1ª prioridade dentro da outra 1ª prioridade? Sendo assim, como fica a graduação? É que há muitos colegas com 7, 8 ou 9 anos que são mais graduados que os que têm 10. Serão ultrapassados?

    Enfim, outra bronca!

    1. Touché!!!

    • Jake on 7 de Março de 2012 at 19:44
    • Responder

    http://www.youtube.com/watch?v=tX55HEX0hb0&ob=av2n

    • FarinhaDoMesmoSaco on 8 de Março de 2012 at 13:12
    • Responder

    Uma coisa são as especulações e outra são os factos. Se compararmos o diploma assinado agora com o que estava em vigor, para os professores contratados o documento é muito mau.

  1. […] há a promessa de abrir vagas para os docentes com 10 anos de serviço. Desculpem a frontalidade: no quadro financeiro da TROIKA […]

  2. […] – na vinculação de professores contratados […]

  3. […] há a promessa de abrir vagas para os docentes com 10 anos de serviço. Desculpem a frontalidade: no quadro financeiro da TROIKA […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: