Alto Aí e Para o Baile

Há alguma coisa que me está a escapar e precisa de ser esclarecida relativamente às prioridades ao concurso externo.
Se os docentes de estabelecimentos particulares com contrato de associação podem concorrer na 1ª prioridade tendo como única condição terem sido opositores aos concursos previstos na alíneas b) do n.º 2 do artigo 6.º, no ano imediatamente anterior ao da realização do concurso externo, porque é exigido aos restantes docentes que para estarem na 1ª prioridade precisam de 2 horários anuais não inferiores a 12 horas letivas nos últimos 6?

Será que basta ter o “passaporte” de uma escola particular sem qualquer tempo de serviço mínimo e ter concorrido para se obter a 1ª prioridade?
Porque razão os que não têm 2 horários anuais nos últimos 6 terão de ser passados para a 2ª prioridade apenas porque não têm o “passaporte” do ensino particular.
Há qualquer coisa na alínea b) que não bate certo, porque pode acontecer que alguém que tenha trabalhado apenas 1 ano no ensino particular possa passar à frente de quem nos últimos 6 anos teve contratos em todos os anos mas não anuais ou acima de 12 horas.

Esta nova formulação das prioridades não podem estar corretas porque não obriga a um tempo mínimo de permanência no ensino particular com contrato de associação como obriga a essa prestação no ensino público.

a) 1.ª Prioridade — indivíduos qualificados profissionalmente para o grupo de recrutamento a que se candidatam, que tenham prestado funções docentes num horário anual não inferior a 12 horas letivas, em dois dos seis anos letivos imediatamente anteriores ao da data de abertura do concurso.
b) São igualmente ordenados na 1ª prioridade os docentes de estabelecimentos particulares com contrato de associação, desde que tenham sido opositores aos concursos previstos na alíneas b) do n.º 2 do artigo 6.º, no ano imediatamente anterior ao da realização do concurso externo.

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2012/03/alto-ai-e-para-o-baile/

25 comentários

4 pings

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Zé Augusto on 3 de Março de 2012 at 0:17
    • Responder

    Como é óbvio Arlindo!
    Dou-te o meu exemplo: tenho cerca de 12 anos de tempo de serviço. Nos últimos 6, tive o azar de não ter tido horários anuais completos. Estou bem classificado no meu grupo de recrutamento.
    Com esta aberração vou para a 2ª prioridade!!!
    É justo??
    UMA VERGONHA

    • Zé Augusto on 3 de Março de 2012 at 0:18
    • Responder

    Vão-me passar à frente centenas e centenas de pessoas!
    Nunca mais irei para a 1ª prioridade.
    Isto é tudo muito baixo.
    Gozam com a vida das pessoas.

    • Lili Andrade on 3 de Março de 2012 at 0:34
    • Responder

    Só não entendo qual o intuito dessa alteração das prioridades?
    Porquê prejudicar tantos professores contratados em função dos colegas do privado?
    Será que o ME entende que desta forma muitos de nós desistirão da profissão … só pode.

  1. A dúvida subsiste, horario anual tem de ser de 1 de Setembro até 31 Agosto (mesmo nao completando 365 dias de serviço) ou basta ter a indicação de ser anual?

      • Desesperada on 3 de Março de 2012 at 0:49
      • Responder

      Neste momento tudo é uma dúvida, e sinceramente, antes de falar em horários anuais, foco mais no tempo que se dedica a salta de escola publica em escola…. e depois é isto!!! Será que assim vão faltar professores para o contratos temporários, o que é que eles querem???? Se querem tanto proteger os profs do particular com c.a. Bastava por uma alinea ao actual sistema e que poderiam por esses profs. na 1ª prioridade, mas n se entende por querem prejudicar os “nomadas” que se dedicam a ensinar e educar este país!!!!

    • Andreia Rocha on 3 de Março de 2012 at 0:53
    • Responder

    Acho que não, PC. Caso contrário, na formulação teriam colocado, dois anos completos de serviço. E vejamos, nesta última reformulação da lei, fala-se em horários anuais, nunca inferiores a 12 horas. Se, por exemplo, tiver 14h, nunca poderia prefazer os 365 dias de serviço, portanto julgo que anual, advém de um contrato a termo resolutivo certo com duração até ao fim do ano letivo.

      • Maria110 on 3 de Março de 2012 at 11:53
      • Responder

      E se tiver sido colocada em meados de Setembro num horário completo e de 1 mês e a meados de Outubro ser colocada num horário completo e anual???? Este 2.º contrato pode ser considerado para 1.ª prioridade?

    • José Barros on 3 de Março de 2012 at 1:34
    • Responder

    Mas andamos anos e anos seguidos a trabalhar para a primeira prioridade (sempre a tapar buracos para cumprir a treta de “ter trabalhado num dos 2 últimos anos no público”) NÃO PODEM MUDAR AS REGRAS DESTA FORMA! Há 6 anos que ando em horários de merd* a “N” kms. Sempre fui pau para toda a obra e os reles que aceitam horários de 8 e 10h agora recebem este tratamento? ISTO NÃO PODE FICAR ASSIM.

    1. José Barros, estou contigo!!!

      Há anos que faço substituições! Tenho, em 10 anos de profissão, bem espremidinhos, cerca de 8 anos de serviço… Tenho ficado colocada em BR, em Setembro, em substituições até Dezembro ou Janeiro e depois, OE… logo, nunca tenho horários anuais!!! NUNCA TIVE! Ando a tapar buracos e, dependendo da boa vontade das escolas, ou fico até terminarem as avaliações, ou então até me concedem um contrato até 31 de Agosto…
      De facto, faz-me muita confusão e irrita-me profundamente que esta nova proposta exija 2 anos com horário anual aos contratados que estão no ensino público e, aos meninos que, com cunhas ficam em colégios com C.A, apenas terem sido opositores ao concurso!!!!
      Andam mesmo a gozar connosco!!!! E, definitivamente a ver se desistimos disto!… Porque depois de anos a penar, a aceitar toda a m**** que os outros não querem para somar tempo de serviço e conseguir uma melhor posição, vêm estas aberrações do MEC humilhar-nos ainda mais!!!!

      Definitivamente, se os sindicatos não se mexerem para por fim a esta afronta, e isto for aprovado, e depois de 10 anos de dedicação e amor à profissão e ao ensino público, vou certamente mandar isto tudo à fava e dedicar-me à agricultura!!!!
      Estou farta de ser enxovalhada por estes almofadinhas que nada sabem da vida das pessoas e jogam connosco como se fôssemos números…

        • pedro on 11 de Março de 2012 at 11:12
        • Responder

        E bem mereces ser tratada como número, pois andas a tratar os do privado de meninos, sem saberes nada do que se passa, pois quase ninguém no privado foi opositor no ultimo ano, e a 1 prioridade é uma falácia, pois só meio duzia poderão concorrer!!

        Dedica-te mas é à agricultura!!!

      • Bruno on 3 de Março de 2012 at 22:28
      • Responder

      José,
      Tem razão quando fala que as regras são mudadas a meio do jogo e que quem andou a fazer sacrifícios “a tapar buracos” em horários temporários tenha que ir para a 2.ª prioridade.
      Mas sinceramente perde a razão toda quando chama “reles”aos colegas que aceitaram horários de 8h e 10h anuais. Acha que estes também não fizeram sacrifícios que chegassem? Acha que um horário de 8h ou 10 horas anual a 400km de casa deixou alguém rico?Um horário anual de 8h a 400km de casa ou nem que seja a 50km de casa não dá para pagar despesas!!!Perde ainda mais razão porque os “reles” que conseguiram os espetaculares horários de 8h e 10h , não são contemplados na 1.ª prioridade!Só quem tem 2 horários de no mínimo 12h/Anual nos últimos 6 anos é que passa para a 1.ª prioridade…Não descarregue a ira em quem não tem culpa…Canalize-a para quem tem estas ideias luminosas 🙂

    • Vitor Agostinho on 3 de Março de 2012 at 7:43
    • Responder

    É claramente uma proposta que prejudica milhares de bons profissionais que tanto esforço fizeram ao longo de uma carreira. Eu, com mais de 15 anos de serviço, reunia em qualquer dos casos, condições para aceder à 1ª prioridade, mas não deixarei de mostrar a minha indignação pelo que estão a fazer aos colegas. Gostaria também de fazer uma pergunta ao Arlindo, ou a quem me conseguir responder:
    – Não enconteri, na leitura que fiz do documento, nenhum ponto que esclareça se os horários dos TEIP ou das Escolas com Contrato de Autonomia, vão a concurso nacional, ou somente a oferta de escola? Seria bom que a FNE se batesse por esta questão. São milhares de horários que poderiam ser atribuídos logo no início de setembro. Nas CE é sempre pior, embora com as novas regras seja mais difícil fazer batota.

    • JC Narciso on 3 de Março de 2012 at 9:03
    • Responder

    «Alto aí e pára o baile !» – ORDENADOS IGUAIS para os professores que tiverem o mesmo tempo de serviço; FORA com a distinção entre Concurso Externo e Interno; EM FORÇA para os Quadros os professores com muitos anos de serviço que ainda se encontram a contrato e sempre a trabalhar em horários anuais.

    • M........ on 3 de Março de 2012 at 9:55
    • Responder

    Eu estou nessa situação!

    TSou do grupo 110 e tenho 3027 dias de serviço após a profissionalização (sempre em horário completo) , até 31 de Agosto de 2011… Já estive a ver e os únicos dois anos em que me contaram os 365 dias foram 2004/2005 e 2005/2006! Logo por azar… 2004/2005 foi há 7 anos! Pelo que não contará!
    Além disso, em ambos os anos só fui colocada em finais de Setembro!
    Tenho trabalhado sempre… mas, nunca fui colocada numa vaga com a terminologia “anual”… Nos anos mais recentes, os meus contratos têm terminado em Julho ou meados de Agosto (depois de gozar os dias de férias)…
    Isto não pode ficar assim! Deveriam apenas estabelecer um número de dias necessário (ou graduação profissional mínima) para aceder à 1ª prioridade! E pronto!
    Cada vez me sinto mais desiludida com tudo….

    1. Eu não me sinto desiludida, sinto-me revoltada, humilhada e enxovalhada por esta cambada de anormais que têm pretensões de fazer leis, mas não têm a mínima ideia do que andam a fazer…

        • Isabel on 3 de Março de 2012 at 12:02
        • Responder

        Concordo consigo! Quem é que esta gentinha pensa que é ? Têm carro, casa, tlm….. tudo pago à custa dos nossos impostos!!! E querem acabar com anos de trabalho e sacrifícios feitos por milhares de professores para colocarem os amigos que querem sair dos privados!!! Nem nos meus piores pesadelos pude imaginar uma coisa destas!

    • Professor on 3 de Março de 2012 at 11:29
    • Responder

    Tantos professores revoltados na Internet e caladinhos na.vida real…

    • Elsa Borges on 3 de Março de 2012 at 11:38
    • Responder

    Continua a injustiça relativamente ao tempo de serviço para se ficar em 1ª prioridade, porque há muitos colegas contratados que não têm tido horários anuais ( desde 1 de setembro até 31 de agosto), deveria ser contabilizado em dias e não desta forma…
    ainda não analisei tudo, apenas vi esta parte porque é o que me preocupa verdadeiramente!

    1. Continuo com dúvida relativamente a isso. Para mim horário anual é todo o horário que começa durante o 1º periodo e vai até 31 de Agosto.

    • Flávia on 3 de Março de 2012 at 12:15
    • Responder

    Tenho duas perguntas:
    Primeira: esses dois horários anuais com um minímo de 12 horas só contam em contratos a termo certo ou também dá os com termo incerto tendo em conta que terminaram a 31 de Agosto?
    Segunda: esse dois horários só contam se o docente já fôr profissionalizado aquando os cumpre ou também dá antes da profissionalização desde que esteja dentro dos 6 anos?

    • Paula on 3 de Março de 2012 at 13:16
    • Responder

    Ola

    relativamente ao alto aí a para o baile…

    os professores do privado passam à 1ª prioridade desde que tenham sido opositores ao concurso 2011/2012 e QUE ESTEJAM NAS MESMAS CONDIÇÕES DOS COLEGAS DO PUBLICO ou seja tenham tido 2 horários anuais com um mínimo de 12h nos últimos 6 anos é assim tão difícil a interpretação…

    TENHO PENA QUE ANDEM POR AÍ COLEGAS A COLOCAR LENHA NA FOGUEIRA… SO PARA SE DIVERTIREM….
    pois está a chover e não há mais nada que fazer… certo!!!!

    não sou professora do privado nem nunca la estive mas começo a ficar FARTA dos colegas inseguros e com medo do papao do privado e dos outros que gostam de chatear o próximo…

    Vamos discutir coisas que valha a pena como avaliação por exemplo…
    Tenham um bom fds

    1. A Paula é uma iluminada e consegue ler o que lá não está escrito. A única exigência para os professores do “privado” é terem concorrido ao concurso anterior e não refere que têm de ter 2 anos nos últimos 6.

      Vale a pena discutir a avaliação se as carreiras estão congeladas até não se sabe quando? Ou queres discutir as 3 páginas (incluindo os anexos) que são necessárias para a avaliação dos contratados?

        • Paula on 3 de Março de 2012 at 19:07
        • Responder

        Já me chamaram muito coisa mas iluminada ainda não… :))
        ainda bem que no meio de tanto “sesese” há alguém com humor…
        Um bom fds para todos nós
        (e claro que continuas a contar com as minhas interpretações/iluminações :DDD)

    • Maria on 3 de Março de 2012 at 13:21
    • Responder

    Indiscutivelmente temos que ir à luta. Não podemos ficar por aqui. A falta de respeito com que nos tratam tem que ter alguma resposta. Sou contratada à 12 anos. Sempre precisaram de mim. Não somos lixo, reciclado ao belo prazer dos numerosos governantes, que há anos nos tratam como tal. Somos gente que merece respeito, por tudo, …. pelo sacrifício que fizemos (nós e a nossa família) ao longo da nossa vida de trabalho. Nenhuma outra “empresa” tem tanta falta de respeito por um trabalhador. Ao fim de um ano, dois ou três, rua. Não recebi uma única indemnização. Por vezes nem um voto de boa sorte. Por acaso, ao longo do meu percurso resolvi fazer formação em educação especial,… por que se não, estava na rua este ano como tantos colegas nossos de EVT. A nossa frustração por vezes faz-nos ficar apáticos, mas não podemos. Este ministro, que não é meu, que devia estar do nosso lado, só nos tem lixado, mais ainda, do que qualquer outro. Temos que nos unir com os alunos e com os pais destes, pois para eles também não se avizinham tempos fáceis. Até aqui tudo se justificava com a troika, a contenção económica. Agora, já não é só isso, …. isto é perseguição aos contratados, aos miúdos do 12º ano, aos pais que investiram no futuro deles. Andam a brincar com todos, fazem de nós marionetas de uma qualquer trágico/comédia. Temos que os para ……….

    • maria on 3 de Março de 2012 at 21:59
    • Responder

    concordo com JCNARCISO.
    acabem com distinçoes sem fundamento.
    sigam as leis de há uns anos atrás e haverá mais justiça;
    SALARIO IGUAL PARA TEMPO DE SERVIÇO IGUAL.
    quantosQZP têm menos tempo de serviço publico que os contratados(o tal concurso..) e alem do descanso têm beneficiado dos euros.

    justiça é o que os contratados precisam,

    tempo deserviço no publico e graduaçao profissional,deve contar para tudo.tudo o resto,só para desempates.

  1. […] No Professores Lusos está disponível uma primeira análise, tal como no Blog de Ar lindo. […]

  2. I liked your blog very much.

    I want to thank you for the contribution.

  3. […] No Professores Lusos está disponível uma primeira análise, tal como no Blog de Ar lindo. […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: