David Justino Reconhece a Indignidade de Quem Tem Muitos Anos de Contrato

A solução para resolver isso é fácil.

Estudem os dados que tenho apresentado e ponderem os custos que uma medida dessas pode ter.

Mas costuma-se dizer que a dignidade não tem preço.

David Justino contratados

Quanto à posição mista sobre a colocação de professores que David Justino defende desde há bastante tempo apenas pergunto o seguinte?

Porque razão uma necessidade transitória deve ter um processo de colocação mais longo e demoroso se a maioria das vezes é para um período curto de tempo e uma necessidade permanente que será para um período longo o processo de colocação será rápido?

Faz sentido perder imenso tempo no processo de selecção para uma necessidade de curta duração?

Talvez mais importante que descentralizar as colocações nas necessidades transitórias seja encontrar caminhos para encurtar o tempo de selecção dos professores e como vimos na BCE e vamos vendo nas Contratações de escola o processo é mais demorado e não compensa pelo tempo que se perde com ele. Em muitos casos a colocação do docente ocorre quando a necessidade dele já não se justifica, por ser um concurso descentralizado.

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2015/02/david-justino-reconhece-a-indignidade-de-quem-tem-muitos-anos-de-contrato/

3 comentários

    • Lima on 6 de Fevereiro de 2015 at 20:07
    • Responder

    Indigno é permitir a vinculação dos mais jovens na profissão e perpetuar a precariedade de quem tem 15 ou 20 anos de trabalho nas escolas de todo o país. Chega de demagogias!!!

    • gerimbeco . on 7 de Fevereiro de 2015 at 12:12
    • Responder

    Indigno é ter “srs” deste calibre a comandar os destinos da educação em portugal. Sou professor há 15 anos, contratado, claro!, e nunca houve um ministro com honestidade e capacidade para compreender o universo da educação. É pena sermos (des)orientados por gente desta…

    • Leonor on 8 de Fevereiro de 2015 at 23:54
    • Responder

    Indigno é sermos apenas números e não termos famílias; indigno é fazermos um grande nº de km, pagarmos um enorme nº de euros para trabalhar e deixarmos para trás um nº de familiares durante um imenso nº de dias. Os nºs tornam-se boomerang; pagam-se muito mais caros um dia…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: