A Versão Extensa da Entrevista de Nuno Crato ao Correio da Manhã

Já disponível no site do Correio da Manhã.

 

 

“Não me sinto odiado pelos professores”

 

 

nuno crato

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2013/09/a-versao-extensa-da-entrevista-de-nuno-crato-ao-correio-da-manha/

18 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • sandra s. on 7 de Setembro de 2013 at 16:44
    • Responder

    E o número de políticos, é para manter?

      • TFT on 7 de Setembro de 2013 at 19:09
      • Responder

      Pergunte ao Seguro pois, consta, que não aceitou reduzir o nº de deputados quando o actual governo lhe propôs essa medida.

        • Profa farta de medíocres on 7 de Setembro de 2013 at 21:35
        • Responder

        Bem dito TFT. Mas não foi só o Seguro, é a esquerda toda. PCP + BE sabem que com a diminuição de deputados vão ficar reduzidos a pó na Assembleia da República.

      • Profa farta de medíocres on 7 de Setembro de 2013 at 21:38
      • Responder

      Prestaram atenção às notícias de hoje? Na Austrália aconteceu o que é normal numa democracia avançada: houve eleições e a esquerda, naturalmente, perdeu. Mas o interessante foi registar que num país com aquela dimensão e cerca de 20 milhões de habitantes tem………150 deputados.

        • Ana on 9 de Setembro de 2013 at 14:16
        • Responder

        Não me parece que neste momento seja fácil distinguir esquerda de direita. Nem sequer que essa denominação faça muito sentido. Há muitas esquerdas e muitas direitas. E há direitas mais à esquerda que muita esquerda… Por isso é simplista e ao mesmo tempo confuso, diferenciar assim a política. Só espero que a direita atualmente eleita na Austrália, seja mais tolerante para com a comunidade aborígene… Em relação aos deputados… acho que 150 chegam muito bem!!!! Para nós seria, mais ou menos na mesma proporção, uns simpáticos 75! Mas nenhum partido quer… nem de da chamada esquerda, nem de denominada direita.

    • Maria on 7 de Setembro de 2013 at 17:33
    • Responder

    Não se sente odiado???? Mas devia sentir-se: eu acho este fulano um palhaço que só pensa em medidas puramente economicistas, mais nada… de resto para ele nada mais interessa!!!
    Como pode dizer que não se sente odiado!?!
    Pacóvio!!!

      • Doc on 7 de Setembro de 2013 at 19:13
      • Responder

      “só pensa em medidas puramente economicistas”? Então porque permitiu e permite a mobilidade por “doença” (DCE) mesmo sem horário e para a escola que escolheram? Qual foi o ministro antes do Dr. Crato que permitiu isso?

      • Profa farta de medíocres on 7 de Setembro de 2013 at 21:40
      • Responder

      É natural que num país em bancarrota se tomem medidas economicistas. A 1ª República foi a vergonha que foi porque não se tomaram medidas economicistas. Depois veio o Salazar colocar ordem na casa.

        • José Carlos Gil on 8 de Setembro de 2013 at 17:01
        • Responder

        “Colocar ordem na casa”… O seu conceito de “ordem” é interessante, assim como o facto de “naturalmente” a esquerda ter perdido na Austrália. Olhe que o doutor Crato já lá deve ter um lugarzinho para si. Bravo!

    • tecas on 7 de Setembro de 2013 at 18:12
    • Responder

    Pois é melhor que lhe seja dito de forma explícita para que perceba: É ODIADO SIM!
    O Salazar ao pé dele era um anjo de coro!

      • GF on 7 de Setembro de 2013 at 19:14
      • Responder

      Odiado? Acabou com as festinhas foi?

        • Profa farta de medíocres on 7 de Setembro de 2013 at 21:48
        • Responder

        Festinhas, projectos e semanas disto e daquilo era tudo para ir para o lixo.

      • Profa farta de medíocres on 7 de Setembro de 2013 at 21:42
      • Responder

      Odiado porquê? Um político culto, calmo, sereno, sabe o que quer e como se chega lá. Comparado com a porcaria da Lurdinhas o prof. Nuno Crato é um anjo!

        • JPT on 7 de Setembro de 2013 at 22:27
        • Responder

        Nem mais.

    • maria on 7 de Setembro de 2013 at 19:49
    • Responder

    Eu não o odeio. Penso é que algumas medidas são elaboradas para pensar em défices e não nos alunos, nas instituições, ou nos professores. E claro medidas erradas, só trazem desmotivação, descrédito…
    Penso, que se pudesse, este ministro mudava algumas das regras.

      • Profa farta de medíocres on 7 de Setembro de 2013 at 21:47
      • Responder

      Muito mais desmotivação e injustiças trazem os directores imbecis, e nós temos de os aturar.

        • JPT on 7 de Setembro de 2013 at 22:26
        • Responder

        Concordo.

    • Alberto on 8 de Setembro de 2013 at 22:58
    • Responder

    Para “Profa farta de mediocres”, bem como para “JPT” e afins: Portugal ainda tem Portugueses, portanto…
    Já agora, aprendam algo sobre Portugal, em vez de tanta lambidela…
    .
    http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=pMNShtjCYH8

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: