O flagelo do bullying regressou às escolas em força

Menina agredida no recreio da escola em Cascais por colegas que filmam

A PSP foi chamada ao Agrupamento de Escolas de Alapraia, no Estoril, em Cascais, devido a um caso de bullying que ocorreu no recreio – uma menina, de 12 anos, foi agredida a pontapé por uma colega mais velha. O caso, que aconteceu na terça-feira, foi filmado por vários jovens que depois colocaram os vídeos nas redes sociais. Neles ouvem-se gritos de incitamento à violência. A jovem ficou com ferimentos ligeiros, mas a mãe não a deixou regressar .

Mãe da aluna apresentou queixa na PSP e quer a agressora expulsa da escola. A vítima já vinha a ser ameaçada há uma semana pela colega.

  

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2021/06/o-flagelo-do-bullying-regressou-as-escolas-em-forca/

8 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Falar verdade on 10 de Junho de 2021 at 20:37
    • Responder

    Lamentável!
    Tudo começou com a entrada dos pais/ee nas escolas, não para colaborar mas sim para fazer queixas dos professores e funcionários, os professores perderam a sua autoridade, os assistentes operacionais perderam a sua autoridade porque temem que o a criança vá fazer queixa e o pai/ mãe/ tia /tio, etc entrem pela escola adentro a apresentar queixa e às vezes até a bater naqueles que aparecem à frente.
    A mentalidade de alguns jovens com estes pais, pensam que podem fazer tudo. É o quero, posso e mando dentro e fora da sala de aula.
    Enquanto não houverem medidas sérias, para os alunos que o fazem e para os pais, isto não irá parar. E qual será o dia que se dá uma catástrofe, perda de alguma vida, (já não falo dos jovens que tentam o suicídio por serem vítimas de bullying) e aí é que se irá a legislar.

    Lamentável.

    • Mortadela Maria on 10 de Junho de 2021 at 21:17
    • Responder

    Subscrevo,em género e em número!!
    Responsabilizem.os ees desses meninos e mostrem lhes que ha uma linha que separa o seu papel na escola, dos restentes funcionarios das escolas.Cada macaco no seu galho!!

      • Catarina on 10 de Junho de 2021 at 23:54
      • Responder

      Enquanto as Direções das escolas continuarem a esconder casos de violência e indisciplina e não atuar a tempo e em conformidade dá nisto.

      As Direções gostam de fazer bonito … Gostam de mostrar estatísticas de sucesso e de de paz podre e depois admiram-se.
      O ME esconde…as direções escondem… Se não fosse as redes sociais nada se sabia.
      As redes sociais são atualmente desculpa para tudo.

    • Farwest on 11 de Junho de 2021 at 7:19
    • Responder

    Pois, com os alunos regressou!
    Com os professores continua cada vez mais musculado e … nem pio!
    Mudando de assunto, viram o Medina, e a Vitorino? Não. Ah, está bem. Era previsível essa resposta num meio pejado de bufos e sonsos. Beijinhos e abraços !

    • Alecrom on 11 de Junho de 2021 at 9:23
    • Responder

    E chegará bem mais longe.
    Enquanto a escola-embuste perdurar,
    este e tantos outros problemas vão continuar a agravar-se.
    O espírito beatopatriótico de esquerda assim dita.

    • Prof on 11 de Junho de 2021 at 11:33
    • Responder

    Enquanto não cortarem os Rendimentos Sociais de Inserção aos Pais e o Abono de Família aos alunos agressores, vai continuar tudo na mesma.

    Falta haver alguém no Governo que os tenha no sítio, há pois agora estão a chegar as eleições e não convém sequer falar nisso.

    Filho meu a ser agredido, era o fim do mundo, desfazia agressores e pais, garanto que nunca mais batiam em ninguém.

    • Maria on 11 de Junho de 2021 at 13:36
    • Responder

    Trabalho comunitário na escola. Ponham estes agressores de vassoura e pá, pano e balde e eles que limpem a escola. Já que não lhes dão educação em casa que a recebam na escola. Não é com dias de suspensão que lá vamos, pois isso são férias!

  1. Enquanto as Direções das escolas continuarem a esconder casos de violência e indisciplina. Este é o problema e deve ser assumido por todos. Temos o dever de denunciar e tomar medidas sérias em relação a estes agressores , violentos, desinteressados. Várias são as medidas: trabalho comunitário. É necessário agir …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: