Os professores vão receber a vacina da Pfizer

 

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2021/04/os-professores-vao-receber-a-vacina-da-pfizer/

28 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Mortadela Maria on 11 de Abril de 2021 at 21:54
    • Responder

    Espero que sejam mesmo.todos.Eu tenho 61 anos e ja conseguiram instalar me a desconfiança na da astra.Tb nao me.parece justo que sendo todos profissionais em.igualdade de circunstancias, haja diferentes vacinas

      • Alda on 11 de Abril de 2021 at 22:14
      • Responder

      Eu também espero que sejam mesmo todos independentemente da idade
      Astrazeneca não

    • Fernando, el peligroso de kas verdades. on 11 de Abril de 2021 at 22:02
    • Responder

    O Atento Pintelko anda fugido?
    Estará a levar a sua vacina diária?

    • Atento on 11 de Abril de 2021 at 22:24
    • Responder

    Ó fernandito de kas, não tens nada a ver com o que faço. Se tomo todos os dias ou se só de vez em quando cá no bairro.

    • Maria on 11 de Abril de 2021 at 22:44
    • Responder

    Eu tomei a primeira toma da astrazneca no dia 26 de fevereiro. Estive muito doente nos 4 dias seguintes. Muita febre, dores musculares e de cabeça. Passou…
    Entretanto no dia 4 de abril comscei com petequias por baixo dos seios e roturas de vasos sanguíneos superficiais? nas pernas e braços. Depois com cefaleias e braços e pernas inchados..
    Dia 8 fiquei pior e tive de recorrer as urgências do hospital. Paresia do lado esquerdo ( braço e perna) nariz inchado, lábios também e ainda fortes dores de cabeça. TAC, hemograma e bioquímica decretaram AIT. 6h em tratamento hospitalar e agora a recuperar em casa e fazer fisioterapia. Tenho a acrescentar que tenho 65 anos e 4 meses e sou doente cardiovasvular e tomo anticoagulantes orais. NÃO DEVIAM AS PESSOAS COM ESTA MORBILIDADE, DEIXAR DE TOMAR ESTA VACINA? O meu caso goi reportado ao Infarmed. Adianta alguma coisa.? Só quem passa por elas é que sabe! Ao fim de 48 dias esta trapalhada toda!!! Haja Decoro!!!

    1. Maria, posso lhe perguntar se consultou o seu médico antes de tomar a vacina e se este a autorizou? É que ainda não tomei conhecimento de nenhum médico a desaconselhar a toma desta ou de qualquer outra vacina… E qual o anticoagulante que toma?

      • faria on 12 de Abril de 2021 at 11:59
      • Responder

      As suas melhoras colega.

    • PROFET on 11 de Abril de 2021 at 23:02
    • Responder

    Pois, vamos lá a ver se não andam a mudar os rótulos dos frasquinhos. Depois de tanta aldrabice que se tem visto neste governo, sinceramente, eu já não confio nem um bocadinho nesta gentalha, porque eu já estou convicto que eles são capazes de tudo. Reparem numa coisa: ainda há poucos dias, as vacinas que estavam disponíveis em stock para uma vacinação massiva eram as da astrazeneca, sendo que os professores teriam que se “contentar” com esta vacina… visto que as das outras marcas (pfizer, moderna, etc.) não existem em stock e que não seria possível que chegassem tão cedo por encomenda para suprir as necessidades de uma testagem massiva… e eis que, de repente, vão vacinar massivamente professores e funcionários com pfizer! O que aconteceu para que, de repente, aparecessem dezenas de milhares de vacinas pfizer? esfregaram a lamparina do génio? ou estão a esfregar os frasquinhos com diluente para substituir os rótulos. A sério, eu já não acredito em nada e já acredito em tudo.

      • PROFET on 11 de Abril de 2021 at 23:31
      • Responder

      Ou então…
      Já li algures, relatos de pessoas que foram convocadas para tomar a vacina, da pfizer (marca discriminada no sms que receberam) mas quando chegaram ao local repararam que afinal era um frasquinho da astrazeneca, sendo que, recusaram tomar a vacina. A explicação das “enfermeiras” que lhes iam administrar a vacina, foi “Deve ter sido algum engano!”. Estou em crer que muitos outros possam não ter reparado no rótulo do frasquinho e que, por conseguinte, tomaram gato por lebre.

        • Atenta on 12 de Abril de 2021 at 2:17
        • Responder

        O seu relato não me parece claro porque o que se vê., no momento da vacina, é um conjunto de seringas pois fraquinhos, nem vê-los…. Como tal, de que forma visualizou o nome da vacina?
        Estranhos alguns destes testemunhos….

          • Idade e cartão on 12 de Abril de 2021 at 8:48

          Ao que parece é dado um cartão com o nome da vacina e com a data da segunda toma.

          Atenção que o Sr. Almirante disse na semana passada que os professores seriam vacinados com as vacinas mais indicadas para a idade…

          O Portas também referiu que vão receber uma encomenda da Johnson e que será uma grande ajuda na vacinação. Esta é igual à Astra e é uma dose única. Vai ser bonito!

  1. A da Pfizer parece ser pouco, ou nada, eficaz contra a estirpe Sul Africana.

  2. Maria, posso lhe perguntar se consultou o seu médico antes de tomar a vacina e se este a autorizou? É que ainda não tomei conhecimento de nenhum médico a desaconselhar a toma desta ou de qualquer outra vacina… E qual o anticoagulante que toma?

    • Mortadela Maria on 12 de Abril de 2021 at 9:18
    • Responder

    Atrevo me a desafiar os colegas com +de 60 a dizer nao à astra, caso nos queiram distinguir!!,Claro que respeito a decisao de cada um!Aguarfo info do centro de vacinação e se for a dita vacina,NÃO!!

      • Prof on 12 de Abril de 2021 at 10:44
      • Responder

      Eu que tenho 40, respondi não à primeira mensagem que recebi. Fui contactada por uma Sra. Enfermeira que me pediu autorização para gravar a conversa e me questionou o porquê de não tomar a vacina. Eu falei-lhe da polémica que envolvia a vacina em causa, no entanto, a Sra. apesar de referir que respeitava a decisão sempre foi falando que os riscos eram inferiores aos benefícios, todos os medicamentos acarretam riscos… seria desejável que os professores fossem vacinados para proteção das crianças e jovens (!?!?!?!) dado que eles não o serão. Ou seja, existem 3 grandes grupos que neste momento não serão vacinas: < 18 anos, grávidas e pessoas com determinadas doenças graves/incapacitantes. Assim, a política de vacinação consiste em vacinar todos os outros para diminuir a possibilidade de contágios. Assim, numa escola a grande maioria que são os alunos não será vacinada!!!! E os professores não podem sujeitar-se a levar qualquer coisa. Na minha opinião esta vacinação em massa a nível mundial é que será o verdadeiro estudo clínico. As reações adversas imediatas ou posteriores (semanas, meses ou anos) é o que a ciência continuará a estudar, assim como as estirpes existentes, novas, etc. A tecnologia usada é nova…

        • Maria on 12 de Abril de 2021 at 12:03
        • Responder

        Gostava é que a srª enfermeira explicasse como é que eu levar uma vacina que não me impede se contagiar os outros vai proteger os meus alunos e outras pessoas. Eu dispensei a vacina, e tenciono continuar a fazê-lo.

    • Mortadela Maria on 12 de Abril de 2021 at 9:41
    • Responder

    Desafio os colegas+60 a não aceitarem a astra, casa seja essa a que nos destinam.Claro q ha q respeitar as decisoes.Uns não podem serf ilhos e outros enteados .
    A mim podem me contactar,o NÃO é garantido.

    • Mortadela Maria on 12 de Abril de 2021 at 10:34
    • Responder

    Duna, os medicos lavam as mãos , invariavelmente, dizem: a decisão é sua!!
    E a saúde é demasiadamente importante, para olhar para as estatisticas.Eu não quero incluir me na estatística dos que tiveram efeitos adversos graves e alguns fatais.

    • Ana Pereira on 12 de Abril de 2021 at 11:42
    • Responder

    Espero que não tenha sido censurada, pois deixei 4 importantes links que poderão poupar a vida ou a saúde de muitos professores.

    • Ana Pereira on 12 de Abril de 2021 at 11:42
    • Responder

    #1 Para quem ainda não percebeu o que está em causa quanto às vacinas, vejam:
    https://www.bitchute.com/video/hlJG2AodNjbn/

      • prof on 12 de Abril de 2021 at 19:22
      • Responder

      E que tal traduzir as ideias principais? Obrigada.

    • Judite on 12 de Abril de 2021 at 11:59
    • Responder

    Alguém acredita ou confia nisto tudo?
    Agora é o irrevogável do Portas que vem transmitir a informação?
    Este país está IGOVERNÁVEL! Ninguém se entende!!
    Desde a justiça até à saúde, passando claro pela desgraçada da educação, está tudo de pernas para o ar!
    E as pessoas estão desnorteadas…
    A verdade nua e crua é esta: NINGUÉM sabe o resultado prático REAL das vacinas, seja na IMUNIDADE que conferem, seja nos EFEITOS ADVERSOS a médio e longo prazo. Estamos todos a atirar no escuro.
    E alguém vai ter que tomar as doses da Astra…
    E a da Jansen vai pelo mesmo caminho da Astra…
    E a da Pfizer levanta dúvidas na China pelo desconhecimento dos efeitos a longo prazo da tecnologia mRNA…
    E as chinesas não protegem nada…
    E… E…

  3. O senhor Paulo Portas sabe tudo, menos onde está o submarino amarelo.

    • naufrágio! on 12 de Abril de 2021 at 15:02
    • Responder

    Acho que o submarino está à deriva já o dinheiro de um ou de mais está bem guardado nalgum paraíso fiscal!! Caso venha a ser descoberto, não faz mal pois certamente já prescreveu.

  4. Mas esta telenovela não vai terminar?
    Primeiro, queixavam-se (e com razão) dos efeitos secundários da vacina da Astra em relação às outras vacinas e das tretas dos “delegados de propaganda médica” aqui do blog que, mesmo assim, enalteciam os seus benefícios
    Agora, que mandaram a Astra tomar ventos (pelo menos para o pessoal abaixo dos 60) queixam-se dos (possíveis) efeitos a longo prazo da vacina da Pfizer.
    Não há pachorra!

    • Filipe on 12 de Abril de 2021 at 20:13
    • Responder

    Nesta altura os vacinados em Dezembro já não tem praticamente anticorpos alguns e para mais , as novas variantes agora em vigor deitam todas as vacinas ao lixo . Se querem aproveitar e testar o vosso o corpo humano , tomem a vacina , mais tarde queixem-se a Jesus Cristo .

    https://www.publico.pt/2021/04/11/ciencia/noticia/estudo-israelita-aponta-resistencia-variante-sulafricana-vacina-pfizer-1958073

    • Paulo Pereira on 14 de Abril de 2021 at 1:40
    • Responder

    As vacinas apenas têm como propósito impedir que cada cidadão desenvolva sintomas ao vírus da COVID.
    Vírus esse que pode perfeitamente estar hospedado em qualquer um que tome a vacina.
    Logo, quem toma a vacina tem as tais probabilidades de ficar imune, mas pode ser portador do SARS-COV-2 e transmiti-lo a qualquer outro cidadão. A vacina não mata o vírus. Apenas torna as pessoas imunes aos efeito do vírus.
    A imunidade de grupo só se atinge se todos tomarem a vacina. O vírus, por outro lado, vai continuar por aí.

    Quanto aos efeitos secundários das vacinas, a questão é outra.
    Fala-se muito das probabilidades estatísticas de haver maior ou menor probabilidade de cada cidadão ser vítima de efeitos secundários decorrentes da toma da vacina.
    Pois bem, os ditos “estatísticos” falham num detalhe de comunicação: Para um cidadão comum, se há, por exemplo, 5% de este vir a desenvolver efeitos secundários decorrentes da toma da vacina, e que podem pôr em causa a sua qualidade de vida ou mesmo conduzir à sua morte, esse mesmo cidadão comum terá certamente o receio legítimo de vir a fazer parte desses 5%.
    (É um pouco semelhante à probabilidade de se ganhar o Euromilhões, só que, neste caso, numa sorte negativa.)

    Desconheço, pois não vi ainda estudos nesse sentido, qual a probabilidade de contrair o vírus e ficar com sequelas crónicas (e quais são elas), relativamente à probabilidade de ficar igualmente com sequelas decorrentes da toma das vacinas (e quais os efeitos secundários que acarretam).

    Dito isto, a minha opinião para a supressão de todos esses riscos passa por rígidas medidas sanitárias e de saúde pública, como o uso obrigatório de máscaras e desinfectantes, as quais deverão manter-se ainda por muito tempo, provavelmente anos.
    Com ou sem vacinação, o vírus veio para ficar. É como o vírus da Gripe.
    A toma da vacina é uma mera precaução pessoal.

    • mario silva on 17 de Abril de 2021 at 23:31
    • Responder

    a biologia e a matemática contestam facilmente essas probabilidades, que são falaciosas…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: