Como preparar as escolas para setembro?

António Dias Figueiredo reuniu algumas sugestões.

Que Educação para a Era Pós-Covid-19?

Em resumo, são estes os desafios que se colocam à educação em Portugal a partir do próximo mês de setembro:

  1. Reforçar radicalmente a autonomia nas escolas.
  2. Assegurar que cada escola ou agrupamento constitui uma infraestrutura tecnológica sustentável e um padrão de práticas que a prolongue de forma permanente para o espaço online.
  3. Desenvolver de forma gradual a competência dos professores para a educação online.
  4. Iniciar um percurso gradual de apropriação cultural do telemóvel para a prática pedagógica.
  5. Manter um serviço público, pedagógico, televisivo de alta qualidade para as populações que pretendam aprender mas não têm alternativas e assegurar, desde já, através desse serviço, um programa de alfabetização e de literacia digital.

 

LER O TEXTO COMPLETO AQUI

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2020/05/como-preparar-as-escolas-para-setembro/

3 comentários

    • Ana Tavares on 9 de Maio de 2020 at 12:26
    • Responder

    Será que no próximo ano letivo iremos continuar com o ensino à distância? Não acredito. Já não aguento!

    • Matilde on 9 de Maio de 2020 at 13:01
    • Responder

    “Reforçar radicalmente a autonomia nas escolas.”

    Esta afirmação suscita-me, sempre que alguém a profere, uma série de reservas e de apreensões…

    Se isso significar, apenas e só, em termos práticos, o reforço do poder das direcções, atribuindo-lhes a autoridade para exercerem um poder discricionário e arbitrário, não se lhe reconhece qualquer vantagem ou virtude, antes pelo contrário…

    É que, para muitos, “autonomia” significa “quero, posso e mando” em vez de dever significar independência e liberdade na tomada de decisões pedagógicas…

  1. Autonomia para as escolas é sinónimo de desgraça das mesmas.
    Conhecendo dezenas de Diretores como eu conheço é meio caminho andado para os pequenos ditadorzinhos/políticos quererem fazer bonito só para inglês ver e não para construir uma escola pedagógica e estruturalmente melhor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: