A perplexidade do Secretário de Estado

 

Aquando da intervenção de um aluno no programa Prós e Contras, foi referido que há cursos que não retomaram as atividades presenciais no 11.º e 12.º ano. Acabou por mencionar alguns cursos.

O SE afirmou estar perplexo com essa constatação e referiu que o decreto-lei é claro, todos deviam ter voltado às aulas presenciais, não só os Científico- Humanísticos. Afirmou também que a situação iria ser averiguada.

Tenho para mim que haverá muito a averiguar e talvez a perplexidade venha a aumentar. Não sei se o número de interpretações dignas de perplexiade.

Fica o artigo que causou a celeuma…

Artigo 3.º

Atividades letivas em regime presencial

1 – As atividades letivas em regime presencial são retomadas no dia 18 de maio de 2020 para os alunos do 11.º e 12.º anos de escolaridade e dos 2.º e 3.º anos dos cursos de dupla certificação do ensino secundário, bem como para os alunos dos cursos artísticos especializados não conferentes de dupla certificação, nas disciplinas que têm oferta de exame final nacional, mantendo-se, sem prejuízo do disposto nos números seguintes, as restantes disciplinas em regime não presencial.

2 – Consideram-se em regime presencial, para o efeito do disposto no número anterior:

a) Nos cursos científico-humanísticos, todas as disciplinas do 11.º e 12.º anos com oferta de exame final nacional, bem como as línguas estrangeiras, com exceção das disciplinas trienais no 11.º ano;

b) Nas restantes ofertas educativas e formativas, as disciplinas com conteúdos idênticos ou com a mesma designação das que, nos termos da alínea anterior, têm oferta de exame final nacional.

3 – As disciplinas oferecidas em regime presencial são frequentadas por todos os alunos, independentemente das suas opções quanto aos exames que vão realizar enquanto provas de ingresso.

Quantas interpretações estarão em vigor?

 

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2020/05/a-perplexidade-do-secretario-de-estado/

6 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Zaratrusta on 26 de Maio de 2020 at 9:45
    • Responder

    Passei pela RTP e quando vi o tema do programa e quais os intervenientes rapidamente mudei de canal. Qualquer programa sobre educação já não surpreende. Os protagonistas são sempre os mesmos e devidamente domados e encartilhados. Só faltaram o Filinto e o Ascensão. Pelo que li no post anterior, o secretário Costa não perdeu a oportunidade, como é costume, de mostrar mais uns tiques de ditador. Enfim, nada de novo.

      • Maria on 26 de Maio de 2020 at 11:32
      • Responder

      Fiz o mesmo !

    • Matilde on 26 de Maio de 2020 at 10:01
    • Responder

    Tal e qual.

    Também já não tenho paciência para assistir a programas de televisão em que se adivinha, quase sempre, aquilo que determinados intervenientes irão afirmar…

    O “guião” foi lido e previamente decorado…

    Há programas muito mais estimulantes para ver, sobretudo aqueles em que só se descobre quem era o criminoso, mesmo só no fim… 🙂

    • Matilde on 26 de Maio de 2020 at 10:39
    • Responder

    “Quantas interpretações estarão em vigor?”

    A força da Lei nem sempre é suficiente para impedir actos criativos e imaginativos, como o são muitas interpretações da mesma Lei…

    O SEAE devia saber isso, e certamente sabe, pelo que não se compreende a sua alegada perplexidade…

    A não ser que a suposta demonstração de perplexidade tivesse sido uma espécie de exercício de “role playing”, com o objectivo de querer fazer parecer que se desconhece algo que, na verdade, se conhece…

    Por outras palavras, e como ficaria mal ao representante da Lei aceitar tacitamente algumas das ditas interpretações, faz-se de conta que se desconhecia as mesmas e ninguém se compromete… Alguém acredita que o ME desconhece essas interpretações?

    Enfim, jogos políticos, certamente inspirados em Maquiavel, mas ao mesmo tempo, e paradoxalmente, ingénuos, ou a querer fazer parecer..

  1. a perplexidade do SE é só estúpida para nao dizer outra coisa
    na lei está bem explicito que é a escola que decide se as aulas praticas dos cursos profissionais são presenciais ou nao

    qual a duvida?

    é mesmo bronco…

    • Catarina Leal on 28 de Maio de 2020 at 16:59
    • Responder

    O aluno em questão é da minha escola. Frequenta um EFA C do ensino noturno. Em nenhum lugar na legislação é dito que o ensino noturno tem aulas presenciais, nem o foi nos esclarecimentos que a escola solicitou à tutela. Todos sabemos que será impossível garantir funcionários para assegurar as funções de desinfeção da escola durante o dia (temos mais de 600 alunos) e à noite. Seria uma enorme irresponsabilidade optar por um horário dos auxiliares operacionais que não permitisse a segurança dos elementos da comunidade escolar….

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: