Batalha Terrestre

 

(A presente cena ocorre numa das incontáveis reuniões de conselho de turma de 3º ciclo, de final de 1º período, professores sentados em torno de mesas em circulo, ar cabisbaixo, taciturno e quase desesperado, resmas de papel espalhados, ouvem-se vários suspiros de contrição. Após discussão de vários casos e lançamento de notas, chegou, finalmente, um momento que se antevê animado. É notório algum entusiasmo nos docentes).

Diretor de turma (DT): Bom vejamos, agora quanto às medidas universais destes alunos, basta preencherem a cruzinha, ok? É, assim, digamos, tipo, a batalha naval, certo?

CT: Cerrrrtoooooo!

DT: Vejamos, a Joana, o Martim, a Rita e o André têm 10 negativas a dividir por todos, vão para as universais. Então, alguém tem diferenciação pedagógica?

CT em Coro: Eu!! É um submarino!!

DT: Muito bem! E acomodações curriculares?

Os de Inglês, Francês, Matemática e Geografia: Eu!

DT: Que perspicácia, já vai ao ar um navio de 2 canhões!!

O de Educação Visual que toma Prozac: Mas eles não fazem nada, nada, nada, como é que posso fazer acomodações? Nem trazem material…, não pode ser…

O sensato de Ciências: Cala-te e joga, pá!!! Isso não interessa nada, tu é que tens de fazer o que tu é que tens de fazer, assinala lá a cruz e não lixes o jogo, pá!

DT: Enriquecimento curricular?

O de Físico-Química: Nem me lembrei disso…, água!!!

DT: Promoção do comportamento pró-social, alguém?

A de Inglês (visivelmente perturbada): Caramba, lá se foi o meu navio de 4 canhões… não acredito,… que cena!!!

DT: Muito bem, muito bem, então só falta a intervenção com foco académico ou comportamental em pequenos grupos…

CT em Coro: Porta-aviões foi ao fundo!!!

DT: Brilhante! Está despachado. Vejamos, agora os que eram NEE, mas agora são 54, e têm RTP, quando antes tinham também PEI, além das universais também são seletivas, estes em particular, também estavam institucionalizados, mas agora estão na nossa escola.

A Maria e o Joaquim? Adaptações curriculares não significativas? Apoio psicopedagógico? Antecipação ou reforço das aprendizagens?

A de História que também toma Prozac: Ouve, isto não me parece nada bem. A Maria não faz nada do que lhe peço, a colega de Educação Especial está na sala de aula já assistiu, estipulei metas básicas, bolas, está no 7º ano!! Até lhe repeti o mesmo teste 3 vezes com consulta, nem sequer abriu o livro, um teste de cruzinhas com cores… No outro dia cuspiu-me na cara…

A de Educação Especial: Pois, pois, é verdade, mas a menina tem uma problemática muito problemática, ela ainda não escreve o nome, mas estamos confiantes que há-de conseguir, quanto à cuspidela, bem, o seu discernimento…, já sabemos, coitadinha… Enfim, no outro dia deu-me uma cabeçada e custa um bocadinho, mas depois habituamo-nos, faz parte, enfim, é normal, é mesmo assim.

DT: É pá, ó coisinha, tu já sabes que estes meninos são assim, mete mazé lá as cruzinhas que ainda faltam mais 5 reuniões disto. Não estou para estes filmes…

O sensato de Ciências: Ó colegas, só não estou a perceber onde é que, nessas medidas, a inclusão prevê limpar o rabo. É que no outro dia fui eu que a levei à casa de banho…

DT: Hum, deixa, ver… adaptações curriculares não significativas????

 

______________________________

Qualquer semelhança do conteúdo deste texto com a realidade é… pura semelhança.

Diana Souza

 

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2019/12/batalha-terrestre/

2 comentários

    • on 18 de Dezembro de 2019 at 17:49
    • Responder

    Professores de merdda, nem um murro na mesa sabem dar!

    • Vanda Maria de Bragança Serrão on 18 de Dezembro de 2019 at 19:21
    • Responder

    Automutilação, não. Nem as mesas, nem as nossas mãos têm culpa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: