Pela Hora de Almoço

Existem alguns sinais que alguns sindicatos de menor dimensão possam ter aceite o horário de trabalho de 40 horas, não se conhecendo mais pormenores sobre o compromisso assumido pelo MEC onde serão colocadas as 5 horas a mais no horário dos professores.

A FENPROF junta de tarde o secretariado nacional ao mesmo tempo que continua a reunião com o MEC. Ao fim da manhã deu também sinais de haver vontade de acordo com o MEC.

Quer FNE, quer Pró-ordem ainda não se reuniram hoje com o MEC e apenas têm a reunião marcada para a tarde.

 

Sindicatos de professores regressam ao Ministério à tarde

 

Os sindicatos de professores que estiveram hoje de manhã em reuniões no Ministério da Educação regressam à tarde e admitem que possa haver mudanças na mobilidade geográfica dos docentes.

 

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2013/06/pela-hora-de-almoco/

12 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Só espero que não se vendam por 3 patacos, pois se o conseguido foi 40h mas as 5h na CNL e mobilidade até 60 KM podem limpar as mãos à parede.

  2. Em troca não marcar greves a exames e às avaliações

    • Maria on 24 de Junho de 2013 at 14:36
    • Responder

    Os sindicatos de menor dimensão não, apenas a representante de um sindicato referiu isso…

    • Duarte on 24 de Junho de 2013 at 14:56
    • Responder

    E os do QZP que como eu que fazem atualmente 200KM por dia??? Andam a brincar?? Tenho 24 anos de serviço no meu anterior QUADRO DE VINCULAÇÃO(agora ainda mais alargado)!O que interessa é ser do QA, Professores de 1ª???

    • P.Sampaio on 24 de Junho de 2013 at 15:03
    • Responder

    Garanto que se mandarem os QZP às urtigas, como se preparam para fazer, amanhã dezenas deles mandarão passear o sindicato… sei bem do que estou a falar… o dinheirinho faz muita falta… e sempre se poupa ao fim do mês.

    • jota on 24 de Junho de 2013 at 15:07
    • Responder

    Depois disto tudo é bom que não assinem por nada.
    Pessoalmente penso que aquilo que os sindicatos querem, em primeiro lugar, é garantir que continuam nos seus lugares (ou seja não voltam para as escolas).
    (Apesar de ter esta ideia realço que aderi à greve)

      • ferpin on 25 de Junho de 2013 at 2:19
      • Responder

      Não percebi a dos sindicalistas regressarem às escolas. Alguns coordenadores regionais já dão aulas.

      O que se passa? O governo vai acabar com os sindicatos?
      Vai proibi-los?
      Vai cortar as horas que os sindicalistas das empresas têm para assuntos sindicais?
      Em todos os sindicatos?
      Só nos da educação?
      Ou só na FENPROF?
      (Não sou sindicalizado. Entendo que só há um sindicato digno, a FENPROF, e sou contra os líderes sindicais terem prática ativa num partido, seja o PCP seja o PS ou PSD)

      No caso dos do PS e PSD torna-os uns câezinhos amestrados do governo de turno. No caso do nogueira, permite os gajos do governo pulhento em vez de discutirem os problemas berrarem “aqui del rei que ele é do pcp”, e muita professorada-carneirada come estas…

    • P.Sampaio on 24 de Junho de 2013 at 15:10
    • Responder

    Que lugares? Sem dinheiro das quotizações vivem de quê? Daquilo que o Estado dará? é bem possível, pode ser esse um dos termos do acordo…

    • Frankie on 24 de Junho de 2013 at 16:00
    • Responder

    Se assim for só espero que não tenha sido a compensação pela benesse dos sindicalistas ficarem fora da dita mobilidade.

    Mas dá-me a sensação que foi uma luta inglória. a ver, vamos

    • Pantufas on 24 de Junho de 2013 at 16:02
    • Responder

    Se é só isso… resultado: quem recusar deslocar-se para além dos 60 Km vai para a reaqualificação, uma vez que, em princípio, não tem componente lectiva. Estarei a ver mal?!
    O que é que ganhou com todas estas movimentações?!
    E as DT?! Os 110 minutos para apoio aos alunos?! Por exemplo…

    • Duarte on 24 de Junho de 2013 at 17:16
    • Responder

    Pois é Pantufas, 60 Km… E quem anda 200km com 24 anos de QZP???

    • Atónita on 24 de Junho de 2013 at 17:24
    • Responder

    Eu sou do quadro e tenho feito greve às avaliações desde o dia 7. Se os sindicatos aceitarem as condições que por aqui se falam serei uma das que vão deixar de ser sindicalizadas. Depois de tanto esforço é inadmissível. É bom que os sindicatos mostrem respeito pelo esforço de muitos professores que vão ter um salário bem mais pequeno no próximo mês.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: