Escolas com 30 ou Mais Contratados Colocados

Estes dados mostram onde existem mais necessidades de professores contratados.

Nenhuma das escolas com 30 ou mais colocações de contratados situa-se a centro ou norte do país.

Sinceramente não sei como se consegue gerir uma escola e planear um trabalho a longo prazo com números destes. Nem com estes, nem com a entrada de 50 ou mais docentes em Mobilidade por Doença num único agrupamento.

Como curiosidade, no agrupamento onde estou foram colocados 4 professores contratados.

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2019/08/escolas-com-30-ou-mais-contratados-colocados/

12 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Paulo Anjo Santos on 19 de Agosto de 2019 at 12:07
    • Responder

    Uma vergonha tantas escolas a funcionarem com tantos contratados. E não devemos esquecer que essas escolas ainda terão muito provavelmente de contratar mais professores, para substituir os que estão de baixa, para suprimir eventuais necessidades de horários inferiores a 8 horas e até algumas necessidades que ainda não estão verificadas agora. Uma vergonha um país da UE poder fazer isto a professores.

    • Pardal on 19 de Agosto de 2019 at 13:27
    • Responder


    Colega Paulo Santos

    O colega acha “uma vergonha tantas escolas a funcionarem com tantos contratados”.

    Eu acho precisamente o contrário, seria uma vergonha as escolas, neste momento, não funcionarem com contratados. Se fosse o caso e, dado os Estudos Prospetivos que, apontam claramente, para a diminuição drástica do número de alunos seria delapidar Dinheiro Público (dinheiro dos contribuintes), estar a efetivar mais professores.

    Sobre este assunto, importa dizer que, neste momento, já existem professores a mais nas Escolas Públicas. Verificam-se muitos casos de professores efetivos, nomeadamente QZPs, com Horários Incompletos e a ganharem por inteiro e muitas outras situações que constituem esbanjamento de Dinheiro Público.

    Neste momento o Sistema Público de Educação necessita de racionalização económica e uma boa gestão dos Recursos Humanos. Professores a mais significam desperdício de dinheiro público. O Ministério da Educação não deve ser visto como uma Agência de Emprego.

    Estou convencido que a próxima legislatura se encarregará de introduzir racionalidade económica ao sistema.

      • Paulo Anjo Santos on 19 de Agosto de 2019 at 22:18
      • Responder

      Não dizes nada de jeito, vamos por partes.

      1- Então não és tu que escreves aqui constantemente que os contratados são apenas para as necessidades provisórias? Achas que isto se enquadra no que defendes??!

      2- «…os Estudos Prospetivos que, apontam claramente, para a diminuição drástica do número de alunos…» Podes colocar aqui o link de um desses estudos?! É que eu não conheço nenhum… a não ser que consideres drástica uma diminuição de 10 a 15% do número de alunos?!! Usas termos esquisitos quando te dão jeito…

      3- «…seria delapidar Dinheiro Público (dinheiro dos contribuintes), estar a efetivar mais professores.» Ao contrário do ponto anterior, conheço é muitos estudos que apontam para o aumento «drástico» de professores a reformar-se nos próximos anos, muito superiores à redução do número de alunos. Mas, mesmo que fosse válido o teu raciocínio, achas correto que o governo deste país (este e os anteriores) continuem a contratar professores ad eternum, durante 20, 30 ou até mais anos?!?? Eles estão realmente a poupar dinheiro aos contribuintes, mas, na minha forma de ver, eles estão é a ROUBAR os contratados, mantendo-os precários durante quase toda a sua carreira.

      4- Para ti racionalidade económica é manter professores precários durante toda a sua carreira?! O governo que temos é de um partido de centro esquerda ou de extrema direita?!?

      5- Tu és claramente um boy do governo, um daqueles boys que estão encarregues de andar nos fóruns a mandar areia para os olhos dos outros. Há falta de professores sim, e este ano vão faltar ainda mais. O governo sabe disso, mas quando os problemas começarem a surgir já as eleições decorreram, depois logo se vê qual a estratégia que se usará para passar as culpas para os outros! Só para te dar um exemplo, desde a troika que não entrava no inicio de setembro e também não tinha um horário anual, foram todos de substituição, nenhum deles completo. Este ano, não só já fiquei colocado, como estou num horário anual e completo. E, na escola onde fiquei, foi também colocada uma colega também com um horário completo que está atrás de mim…. isto deve acontecer porque há menos alunos!

      Deixa-te disso, aprende a fazer qualquer coisa útil para a sociedade, pensa pela tua cabeça, deixa os interesses de lado… ou precisas do que ganhas com isso para comer?!

      • Pardaleco on 19 de Agosto de 2019 at 22:44
      • Responder

      Este Pardal é um infiltrado, passa o tempo todo a dar coices nos professores. Grande cabr-o! Sempre gostava de saber onde trabalhas.

      • Ricardo Silva on 20 de Agosto de 2019 at 10:13
      • Responder

      Oh Pardal, o que é que fazes na vida? Como é que ganhas a vida? És reformado? És avençado? De onde teclas? Do Largo do Rato ou da Avenida do Brasil?

      Passas aqui o dia a vomitar essa diarreia mental contra os professores… isso tem de ter uma explicação.

      Terá sido alguma paixão não correspondida por uma stora quando andavas no 3º ciclo, que te deixou um trauma insanável e uma raiva incontida contra os professores?

      Se estás no ativo… devias ser despedido, não produzes muito… dado o tempo que perdes aqui a esvaziar a bílis…

      A menos que a profissão seja a de palhaço, nesse caso, está tudo certo, podes continuar que a malta até se diverte! Sobretudo nesta altura, em que estamos mais ou menos a meio dos nossos 3 meses de férias, e a gozar o belo do subsídio de férias que tu pagas com os teus impostos…

      Força Palhaço Pardal, os profs aplaudem enquanto comem mais umas pipocas… Viva o circo, vivam os palhaços!

        • Congas on 20 de Agosto de 2019 at 22:40
        • Responder

        Pardal tu és um idiota incompetente
        Enforca-te pá

    • Nuno Costa on 19 de Agosto de 2019 at 14:41
    • Responder

    Estou convencido de que és do quadro e pertences a algum órgão de gestão. Para além de me cheirar que deves ser xuxa de papo cheio. Não concordo minimamente com a tua visão neoliberal do ensino. A educação não se resume a dinheiro. O próximo governo fará aquilo que o povo permitir. Podemos e devemos começar por não dar maioria absoluta ao PS. Da minha parte farei tudo para que tal não aconteça.

      • Pardal on 19 de Agosto de 2019 at 14:56
      • Responder


      Colega Nuno Costa

      A minha visão sobre as coisas nata tem a ver com neoliberalismo, mas sim com racionalidade económica. Quanto ao Governo, penso ter feito um Bom trabalho na área da Educação e, por isso, merecer a confiança dos Professores.

      Não resisto a fazer-lhe a si a este Blog o seguinte desafio: – façam Listas do número de:

      – Professores QZPs colocados em Horários Incompletos e a auferirem um vencimento integral;

      – Professores enviados a concurso com Horário Zero (isto é, a que não foi possível atribuir pelo menos de 6 Horas Letivas);

      – Professores do Quadro de Agrupamento a quem foi apenas possível atribuir Horários Letivos menores do que aqueles a que estariam obrigados, embora iguais ou superiores a 6 Horas Letivas;

      – Professores do Quadro em Baixa Médica; sobre este assunto (este sim, vergonhoso, diria que temos cerca de “10.000 doentinhos anualmente” (ou seja, cerca de 10% da mão-de-obra efetiva) que quando acabam as aulas se apresentam e, quando começam, voltam a meter baixa médica).

      – (…)

      – (…)

      Vão chegar rapidamente a várias conclusões, das quais destaco as seguintes:

      1. Existe, atualmente, EXCESSO DE PROFESSORES;

      2. Existe falta de racionalidade económica na gestão de recursos humanos o que provoca desperdício e esbanjamento de dinheiro público;

      3. O maior excedente de professores verifica-se na Região Norte e Centro do País;

      4. (…)

        • Alecrim Dourado on 19 de Agosto de 2019 at 15:08
        • Responder

        Mas nós não temos um governo liberal , nem neoliberal. Nós, neste momento, temos um GOVERNO que deveria ser SOCIALISTA mas não é. Levamos com uma geringonça, é bem verdade. Com um pouco de sorte, e se os portugueses burros souberem votar , talvez venhamos a ter um governo Democrata . Mas como deve ser.

        • Paulo Anjo Santos on 19 de Agosto de 2019 at 22:26
        • Responder

        Há excesso de professores?! Então porque é que houve bastantes alunos que não tiveram aulas de algumas disciplinas no ano passado?! Isso não consegues explicar, já tentaste negar mas depois não respondes quando te mostram dados concretos… no grupo de Geografia vai ser lindo, não me admirará nada que, em algumas zonas do país, já nem na RR2 consigam um professor para substituir um que está de baixa…

        Quanto às baixas fraudulentas, até acho provável que haja algumas, é difícil pensar que em mais de 100 mil não haja alguém que o faça, mas acho curioso que tenhas a certeza disso e até consigas quantificar a coisa! Se não fosse um assunto sério fartava-me de rir, mas levar aqui com um boy como tu não dá realmente vontade de rir!

        • Pardaleco on 19 de Agosto de 2019 at 22:46
        • Responder

        Este Pardal é um infiltrado, passa o tempo todo a dar coices nos professores. Grande cabr-o! Sempre gostava de saber onde trabalhas.

    • torradeira on 19 de Agosto de 2019 at 21:19
    • Responder

    Já estive na primeira escola da lista e numa das mais cá de baixo. Gostei muito da primeira e tenho uma colega de curso que efetivou este ano e casou por lá há 1 ou 2 anos. Muita gente gostou de lá estar e foi pena não me terem proposto a renovação porque só entrei em Outubro nesse ano. Mesmo assim eram 600kms até lá, vindo a casa de 15 em 15 dias. Da segunda eram só ciganos e tendeiros, foi oferta de escola e no ano seguinte não entrei outra vez lá por 2 lugares e ainda bem…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: