APROCES – Direito de Resposta

Face ao pedido de reunião urgente da APROCES com a Senhora Secretária de Estado Adjunta da Educação, Doutora Alexandra Leitão, para discutir a renovação dos que considera serem OS FALSOS TÉCNICOS, pedido este publicado no Blog DeAR Lindo, no dia 18 de agosto, vem um Grupo de Técnicos Especializados para Formação, dar conhecimento do e-mail enviado à Secretaria da Educação.

Download do documento (PDF, 88KB)

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2019/08/aproces-direito-de-resposta/

14 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Benvinda Branquinho on 26 de Agosto de 2019 at 19:09
    • Responder

    Uma festa . E viva o velho!

    • Maria on 26 de Agosto de 2019 at 19:18
    • Responder

    Boa tarde, sou professora de QA, licenciada em Gestão de Empresas e, na verdade, não entendo o desagrado dos Técnicos Especializados perante APROCES. Lecionei e leciono há vários anos as diferentes disciplinas da componente técnica do curso profissional de Turismo, nomeadamente e, como refere, a disciplina de Operações Técnicas em Empresas Turísticas. Pois bem, Seja por módulos ou UFCD’s, nunca senti ou sinto qualquer dificuldade/constrangimento em transmitir as competências essenciais, levando o formando compreender/adquirir/desenvolver/ e aplicar essas mesmas competências aquando da sua inserção no mercado de trabalho. O que me revolta, é fazer todos os dias 120km, quando na verdade, existem escolas mais próximas da minha residência que optam por canalizar determinadas disciplinas para Técnicos Especializados e não, por uma boa gestão dos recursos humanos disponíveis. Não tenho nada contra Técnicos Especializados, até porque, tenho muitos colegas/amigos e que fazem um excelente trabalho, mas…existem disciplinas que não faz sentido e mais concretamente aos que fazem referência.

    • Luis on 26 de Agosto de 2019 at 19:41
    • Responder

    Os Técnicos especiais não estão a entender o problema e a confundir as coisas. Eu por exemplo nada tenho contra um licenciado em turismo leccione as disciplinas de turismo, o problema está em que algumas escolas contratam precisamente professores profissionalizados do grupo 430 para leccionar disciplinas deste grupo, como técnicos especializados, em vez de enviar o horário a concurso de forma a colocarem quem querem. Acontece também em outros grupos tal como Francês, Inglês, Física. Em vez de enviarem os horários a concurso para disciplinas com Técnicas de tradução, técnicas laboratoriais, pedem técnicos especializados, assim as escolas colocam quem querem. Há que abrir os olhos e ver o que realmente está em jogo.

    • Mariana Marques on 26 de Agosto de 2019 at 21:14
    • Responder

    Ninguém está a dizer que os colegas do GR 430 não são capazes de lecionar a formação técnica dos cursos profissionais. O que está em causa é que, num ensino que se pressupõe que seja prático, é conveniente que o professor que dá esse tipo de formação tenho algum tipo de experiência “in loco”, ou seja, experiência empresarial. Desta forma a formação ministrada será certamente mais rica. E atenção, friso novamente que não está em causa a competencia dos colegas, mas sim a mais-valia que os técnicos especializados trazem para este tipo de ensino. Os colegas do 430 podem sempre assegurar diversas disciplinas (direito, economia, sociologia, área de integração, etc…), mas penso fazer sentido a formação técnica ser dada precisamente por técnicos.

      • Benvinda Branquinho on 26 de Agosto de 2019 at 23:18
      • Responder

      Mas têm MESMO que ser técnicos e nunca poderão fazer concorrência com os professores dentro de um grupo de recrutamento. Mas não é isso que acontece. São técnicos mas pouco.

        • Joana on 27 de Agosto de 2019 at 11:18
        • Responder

        Ai se a arrogância pagasse imposto…

      • Ninita on 27 de Agosto de 2019 at 0:02
      • Responder

      Existem neste momento, por exemplo, Agrupamentos que estão nos pedidos para Técnicos especializados a fazerem algo fantástico. Requerem alguém com a licenciatura de Educação Física e Desporto (grupo 620) para lecionar disciplinas dos cursos profissionais de salvamento em meio aquático, com horas acima das 8h. Será que ninguém reparou ou não quer reparar na trapaça? Claro que sim! Há anos muitas famílias comiam da mesma gamela, hoje em dia muitas pessoas mantêm essa política aldrabona. Depois falam em seriedade

    • Carla on 26 de Agosto de 2019 at 22:56
    • Responder

    Nenhum técnico tem pretensão de assumir a regência de economia, contabilidade, gestão ou administração, se há técnicos que pretendem tal pois, eu com técnica não posso concordar. Essas disciplinas têm, naturalmente, de ser assumidas pelo grupo 430.

    Outra coisa é os colegas do 430 considerarem que estão melhor preparados para leccionar disciplinas técnicas, como por exemplo otet, do que um técnico licenciado em Turismo e com experiência na área profissional.

    Do programa de Otet fazem parte programas informáticos de turismo que apenas se aprendem na Universidade ou em agência de viagem. Sabe melhor um professor de contabilidade trabalhar com o Galileo do que um técnico com experiência em avt? Nunca. E peço desculpa se ofendo mas há que reconhecer a mais valia de conhecimentos técnicos quando estamos a falar de formação prática.

    Há que existir modéstia, ninguém sabe tudo muito menos domina tudo! E para ensinar é preciso domínio dos conteúdos e,neste caso, da prática.

      • Benvinda Branquinho on 26 de Agosto de 2019 at 23:30
      • Responder

      Convinha mesmo era clarificar o grupo. $30 – Economia e Contabilidade e deveriam lecionar as disciplinas das áreas de economia, sociologia, direito , área de integração , gestão económica e financeira, stocks, logística e afins. E, apenas, o que cabe nestas áreas, assim como o que se leciona nestas faculdades / institutos dentro das disciplinas ou nas áreas disciplinares deste grupo.

      O serviços sociais, os alpinismos e os caravanismos e turismos façam outro grupo.

        • Carla on 26 de Agosto de 2019 at 23:46
        • Responder

        X-Men pois é como alguns professores … São professores mas pouco pois preferem ser técnicos. Transformam se em alpinistas e escalam uns lugares nas listas do vosso grupo. E vocês aplaudem, espetacular!😂😂

        • João Lima Ferrreira. on 30 de Agosto de 2019 at 16:18
        • Responder

        E qual a justificação , da área do turismo ser excluída do grupo 430Economia e Contabilidade.
        1.Sabe que o turismo é uma atividade
        Económica.?
        2. Sabe que essa actividade económica se desenvolve através de empresas do
        sector dos serviços,?
        3. Conhece os conteúdos programáticos das disciplinas técnicas.?
        Gaste um bocadinho do seu precioso tempo e estude e reflita.
        Já agora tenha em consideração o diploma das habilitações para a docência.
        Agradecido!

          • Carla on 30 de Agosto de 2019 at 22:04

          Realmente deveria conhecer o programa e os conteúdos das disciplinas técnicas.
          O curso de Turismo não tem economia na componente científica, muito menos na componente técnica.
          Não tem qualquer disciplina de gestão, contabilidade ou administração.
          Tem sim 3 disciplinas técnicas que pressupõem o desenvolvimento de atividades práticas, não se resolve com qualquer manual comprado no info manuais.
          Resolve-se com exemplos e com experiência no mercado de trabalho.
          E olhe a desculpa do Turismo ser uma atividade económica não é justificativa para ser o 430 a dar os conteúdos, a hotelaria também o é, também querem lecionar as disciplinas técnicas de restauração e cozinha?
          Relativamente ao diploma das competências pedagógicas … fala o grupo da profissionalização em serviço com dispensa de estágio 🙂
          Top 😉

    • Sofia on 26 de Agosto de 2019 at 23:57
    • Responder

    Tem toda a razão, ao que parece isso tsmbeldtambém foi denunciado na carta.

    • Maria on 27 de Agosto de 2019 at 10:58
    • Responder

    Há colegas de diversos grupos de recrutamento a quem são atribuídos horários das disciplinas técnicas de vários cursos, e mesmo não tendo nada a ver com a formação destes (licenciatura), fazem esse trabalho com empenho e muita dignidade. Esta parte não questiono! E até hoje vi muitos assim e só tinham esses horários porque as escolas assim distribuíam o serviço. Se pedem ajuda, só demonstram humildade e a postura certa de quem quer aprender… Agora, o que me indigna, é esta sobranceria de que os horários lhes pertencem, sejam de que área for, pois consideram-se mais habilitados do que aqueles que têm licenciaturas, com pós-graduações, mestrados, doutoramentos,… nessas áreas especificas. conjuntamente com experiência nesses mercados de trabalho! Ah e são profissionalizados porque os deixaram ser (Também grande parte das profissionalizações foram em serviço)!… Não vale tudo, muito embora possa haver alguns horários que pareçam ser de grupos de recrutamento e vão para Oferta de Escola para T. E. para Formação, como muitos mais horários das disciplinas técnicas (vertente tecnológica dos cursos) são assegurados por colegas dos grupos de recrutamento sem nenhuma experiência prática nessas áreas, pois também não lhes é exigido! Não vale nem deve valer tudo! Haja bom senso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores:

x
Gosta do Blog