Última hora – Docentes excluídos de concurso

 

ÚLTIMA HORA: Docentes Excluídos de Concurso.

Os docentes excluídos de concurso poderão, no prazo estabelecido para o efeito, manifestar preferências de colocação. Para este efeito, e mesmo para os docentes excluídos, a aplicação permitirá aquela manifestação de preferências.
Apesar desta possibilidade, os docentes excluídos deverão simultaneamente apresentar recurso hierárquico da decisão de exclusão.

Deste modo se, depois de apreciado o recurso, vier a ser-lhes reconhecida razão, manter-se-ão em concurso.

Estas informações foram obtidas pela FNE junto do Ministério da Educação e constituem a via mais rápida para a resolução desta situação.

Porto, 11 de julho de 2017

Fonte(..)
http://www.fne.pt/pt/noticias/go/atualidade/-ltima-hora–docentes-exclu-dos-de-concurso

 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2017/07/ultima-hora-docentes-excluidos-dos-concursos/

61 comentários

1 ping

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. E eu? Fiz reclamação porque me enganei a escolher a prioridade, neste caso sou de 2ª, foi-me indeferido o pedido e estou na 3ª. Mas tenho mais de 365 dias. A escola não enviou as declarações de tempo de serviço de modo a justificar o meu pedido!

      • Pois on 11 de Julho de 2017 at 12:26
      • Responder

      Fosga se… Nem sabem a prioridade que devem escolher… Onde se formaram como professores????

    • SapinhoVerde on 11 de Julho de 2017 at 12:19
    • Responder

    Circular 11 2016.
    Circular B1106994M de 27-04-2011
    Circular B16014474 B 12-02-2016.
    FAQs retiradas do sitio da DGAE em Legislação Geral Dgrhe
    2 Julho 2012 não diponível no site da DGAE mas no endereço:
    http://assistente-tecnico.blogspot.pt/2013/04/faq-dgrhe-tempo-de-servico-docente.html

    Na primeira circular informa que o serviço em acumulação não pode exceder 365/6 dias por ano. Foi revogada pela circular de 12-02-2016, ou seja para o ano letivo de 2015/2016 aplicam-se as regras 22H Semana 7 dias por semana, 28/28/30/31 por cada mês e 365/366 por ano. Antes de 2015 será a soma de todos, sem exceder os tais 365/366. VERIFIQUEM!!!!

    Nas FAQ’s há uma contradição imputável a DGAE. A DGAE não atualizou a informação de 27-04-2011, de modo que a 2 de julho de 2012 informam as FAQS

    Como é contabilizado o tempo que medeia entre dois contratos administrativos de serviço docente (termo de um ano escolar e colocação no 1.º período do ano escolar subsequente) – bonificação interanos ?
    É contado como serviço docente, para todos os efeitos legais, o tempo que mediar entre a cessação do respectivo provimento, se a mesma não tiver lugar antes do termo do correspondente ano lectivo e o início da eficácia do próximo provimento, se este último se verificar até final do primeiro período do ano escolar seguinte – in: D.L. n.º 290/75, 14.06, art. 17º.

    A circular é de 27-04-2011, e a 02-07-2012 ainda não tinha sido actualizada a respectiva informação. MAIS UM TESOURINHO DEPRIMENTE para a coleção.

    Boa luta colegas! e tenho pena de não poder lutar!

      • Pois on 11 de Julho de 2017 at 12:32
      • Responder

      Carago, se tivessem a preocupação de vasculhar as leis assim antes não ficavam excluídos.

      Antes era só contar a mais e ver se colava, não é?

        • SapinhoVerde on 11 de Julho de 2017 at 12:44
        • Responder

        Até uma certa altura era o que dizia a lei, e colava mesmo, até 365/366! Por favor analisa a documentação toda que eu te forneci, e depois vê como são as coisas. Um dos meus passatempos favoritos é descobrir “tesourinhos deprimentes”. Apenas quero repor a verdade, ajudar, eu não tenho nada a ver com o que se está a passar, não estou excluído. Quem prestou falsas declarações voluntariamente (a ver se colava) concordo, quem foi apanhado “desprevenido” que sejam corrigidas as situações.

    • Pois on 11 de Julho de 2017 at 12:24
    • Responder

    Será que ninguém pensa nos colegas que iam ser passados para trás nas listas com os erros destes excluídos?

    Arlindo, em vez de criticar o bom trabalho do ministério, faça essas contas. Quantos professores foram ultrapassados com os erros voluntários destes excluídos.

      • Pois on 11 de Julho de 2017 at 12:29
      • Responder

      Os eruditos da sintaxe que se acalmem. Tenho dedos grandes demais para estes teclados virtuais e correctores automáticos. O que importa é a ideia

    • Fiscal on 11 de Julho de 2017 at 13:16
    • Responder

    .
    Isto da Vinculação Extraordinária é uma fraude.

    O Sistema Público de Educação não necessita de mais Professores a médio e longo prazo. Logo as necessidades actuais (se é que existem) são pontuais e momentâneas e por isso deviam ter optado por “contratados”.

    Estes 3000 que agora vão entrar, não lhes auguro grande durabilidade. Basta uma rabanada de vento para que a porta por onde vão entrar sirva para de novo saírem.

    Existem duplicação de recursos….são tutorias, são coadjuvantes…enfim…um regabofe total na educação….

    O Tiaguinho anda a brincar com o fogo…..
    .

      • Quim Barreiros on 11 de Julho de 2017 at 17:15
      • Responder

      .
      Portugal registou no ano passado a segunda taxa de natalidade mais baixa entre os 28 Estados-membros da União Europeia (UE) e foi um dos países cuja população diminuiu, de acordo com as primeiras estimativas sobre populaçãopublicadas pelo Eurostat.

      De acordo com os dados do gabinete oficial de estatísticas da UE, Portugal teve em 2016 cerca de 87 mil nascimentos — o que representa uma taxa de 8,4 nascimentos por cada 1.000 habitantes, a segunda mais fraca da UE, apenas à frente de Itália, com 7,8), contra 110 mil óbitos (uma taxa de 10,7 mortes por cada milhar de habitantes), tendo visto a sua população total recuar de 10,341 milhões em 01 de janeiro de 2016 para 10,309 milhões em 01 de janeiro de 2017, o que representa exatamente 2% da população comunitária.

      http://www.dnoticias.pt/pais/portugal-teve-a-segunda-taxa-de-natalidade-mais-baixa-da-ue-em-2016-CK1693114

      PARA QUE SÃO PRECISOS MAIS PROFESSORES????????????????????????

      Façam-me um desenho para eu entender.
      .

        • Quim Barreiros on 11 de Julho de 2017 at 17:18
        • Responder

        .
        Portugal está incluído neste grupo, tendo perdido 31.757 residentes, uma quebra que se verificou pelo sétimo ano consecutivo. Como já tinha sido divulgado pelo INE a 16 de Junho, os nascimentos, apesar da ligeira recuperação, não chegaram para compensar o número de mortes no ano passado. E as pessoas que saíram do país continuaram a superar as que vieram viver para cá, não obstante a nova quebra verificada na emigração permanente. As mais recentes projecções apontam que em 2031 já seremos menos de dez milhões.

        http://www.jornaldenegocios.pt/economia/detalhe/portugal-tem-a-segunda-taxa-de-natalidade-mais-baixa-da-europa

        PARA QUE SÃO PRECISOS MAIS PROFESSORES????????????????????????

        Façam-me um desenho para eu entender.
        .

        • Filipe on 11 de Julho de 2017 at 18:26
        • Responder

        Bem, eu faço outra interpretação. Já que quem paga a reforma dos actuais reformados são os trabalhadores activos actuais… Então se a população futura activa geral esta a diminuir mais vale deixar de descontar para a segurança social e fazer poupança !!!

          • Quim Barreiros on 11 de Julho de 2017 at 19:14

          .
          possivelmente vai ser pedido é um esforço maior (mais descontos) para ser possível pagar reformas futuras

          Coisa diferente é estar a VINCULAR PROFESSORES que não vão ser necessários.
          .

    • Andreia on 11 de Julho de 2017 at 13:56
    • Responder

    Então a DGAE admite que invalidou mal? Mas então já não serão 3000 a vincular mas 3360 por incompetência da DGAE. Queremos todos depois conhecer os números dos recursos hierárquicos aceites e já agora a razão por ter sido invalidado antes se estava bem (não pediram documentos? incompetência?). Será que pretendiam chegar a alguém específico em alguma lista. Este erro pode não prejudicar estes se o assunto se resolver nos RH mas prejudica certamente outros porque serão afinal 3360 vinculados para os 3000 lugares que existiam.

      • anonimo on 11 de Julho de 2017 at 14:15
      • Responder

      Onde viu que a DGAE admite que invalidou mal?
      A DGAE FEZ MUITO BEM. Estamos fartos de gente que nunca sabe nada, que não têm culpa nenhuma, cheios de boas intenções… Se não têm nada a temer, por que é que estão com medo dos RH? Não querem recorrer da decisão, por quê se o podem fazer?
      Então os que foram excluídos nos anos anteriores TAMBÉM DEVIAM ter oportunidade de corrigir os seus erros e serem indemnizados dos prejuízos causados.

        • Joana on 11 de Julho de 2017 at 14:29
        • Responder

        Penso que a questão da Andreia não tem a ver com o RH mas pode acontecer que todos os anos entrem mais centenas de candidatos devido a RHs do que aqueles que as escolas precisam e que os contribuintes pagam e mais ainda quando se trata de vinculações. É preciso que se conheçam esses números.

    • Há e à on 11 de Julho de 2017 at 15:09
    • Responder

    Vale a pena “enganar-nos” no tempo de serviço.

    Fazemos uma manif e pronto.

    O que consta no registo biográfico são dados relevantes sobre a vida profissional que devem ser devidamente escrutinados pelos docentes. DEVEM CONHECER! Alegar não sei ou não conheço não pode aproveitar ao infractor, caso contrário deixamos de poder viver em sociedade.

    A minha média é 15, se a universidade me passar um certificado com média de 20 posso utilizar esse certificado?

    A podridão que vai nesses registos biográficos!

      • Corrompido on 11 de Julho de 2017 at 15:28
      • Responder

      …………………………..
      Amigo

      Portugal é a Terra dos CHICOS e CHICAS-ESPERTAS

      Isto já vem do tempo de D. Afonso Henriques. Sempre foi assim.

      ……………….

      • Susana on 11 de Julho de 2017 at 16:00
      • Responder

      Desculpe lá colega mas há muito mais excluídos, por exemplo por ter indicado incorretamente o código de colocação. O meu caso. No entanto foi a DGAE que me colocou lá, ainda estou lá colocada e estou excluída! Perguntei e não sabem porquê, portanto antes de escrever alguma coisa informe-se! Um dia pode ser a sua vez!

    1. O docente é que é responsável pela informação que coloca nos concursos e não as escolas. Sempre me disseram isso…se um diretor me adicionar 500 dias de tempo de serviço eu é que sou responsável por esse número e não ele!

    • Valter on 11 de Julho de 2017 at 17:02
    • Responder

    No efeito da retroatividade da vida, há um ditado que os mais antigos diziam que se aplica que nem uma luva aos dias de hoje: “Filho és e pai serás… como fizeres assim acharás”… as verborreias que hoje certas pessoas vomitam porque estão de cavalinho, um dia…. sim… um dia… vão certamente cair-lhes em cima… e depois haverá alguém para os lembrar destes tempos que para eles são de grande felicidade. São pura e simplesmente doentes… dá apenas para ter pena, não dá sequer para odiar!

    • José Carlos Vinagre on 11 de Julho de 2017 at 18:46
    • Responder

    Mas os docentes estão a ser vítimas de erros da DGRHE e ainda têm de fazer Recurso Hierárquico? Porque é que os Sindicatos não dão entrada com Providências Cautelares para impedira a publicação das listas?
    Fui à DGRHE e não me sabem dizer porque fui excluído. “Tempo de serviço errado após a profissionalização”. Na escola voltaram a confirmar o tempo de serviço, a diretora validou. A Secretaria apenas se enganou comigo? Com os outras dezenas, o tempo está bem contado? E se está mal, qual é o número de dias que a DGRHE apurou.
    Cheira-me a grandes manobras para afastar alguma centenas de candidatos.

      • Ana Margarida on 11 de Julho de 2017 at 20:10
      • Responder

      Por aqui se vê o seu engano. Não existe nenhuma DGRHE. Isso é passado. CHAMA-SE DGAE. Depois queixam-se que se enganam. Mas para passarem à frente de centenas de colegas não tem vergonha nenhuma. Deveriam sim continuar excluídos, não manifestar preferências nenhumas e fora do concurso para ver se aprendiam de uma vez por todas a serem honestos. Acho muita piada a todos os que fazem falcatruas e ainda reclamam. Deveriam era ter vergonha e estar caladinhos, foram apanhador não é??? Que bom que foram denunciados. Nem sequer deveriam poder dar aulas para apreenderem. Cambada de trafulhas.

        • José Carlos Vinagre on 11 de Julho de 2017 at 20:26
        • Responder

        Agora são mais finos. Lixam a vida dos outros com outra categoria.

          • Ana margarida on 11 de Julho de 2017 at 20:49

          Verdade. Depois estrebucham quando são apanhados e pior não tem vergonha na cara, ainda se queixam de ter feito trafulhices. Muito bom mesmo…incrível!!!

          • José Carlos Vinagre on 11 de Julho de 2017 at 20:56

          Já percebemos. Vale tudo para subir nas listas. Nem que seja inventar denúncias para ver se eliminam algumas centenas. O esquema deve estar muito bem apoiado. É preciso ser muito perverso.

          Vai o parecer de António Avelãs, antigo presidente do SPGL. Pelos comentários, vejo que ele está a ser muito ingénuo.

          “DGAE (Direção Geral da Administração Educativa): uma fábrica de conflitos sem sentido

          Cerca de 360 professores ou educadores (segundo a DGAE) viram-se inesperadamente excluídos dos concursos docentes. O M.E. terá detetado, na maior parte dos casos, erros nas suas declarações de tempo de serviço. Coisa como ter declarado – e a sua escola confirmado – 366 dias em vez de 365. Não intencionalmente mas porque terá iniciado o ano letivo com horário incompleto entretanto completado. Por isso não terá 366 dias, mas 365,7 ou 364,8…Como se contam os anos nestas situações?

          Mas o que revolta é esta prática de quem se está “nas tintas” para os cidadãos. Verificada a hipótese de erro, impõe-se que se contacte o professor, a direção da escola que validou a candidatura, se analise a situação e se corrija o que houver que ser corrigido (não falo obviamente de intencionais tentativas de fraude, que creio não haver senão pontualmente). Nunca se justifica tomar uma decisão que pode ser terrível para a situação profissional do docente que não terá culpa nenhuma do erro (?) “cometido”.

          Bastaria um pouco de bom senso e sentido de respeito para com as pessoas para evitar estas situações de conflito. Mas parece haver quem aposte neles.”

          António Avelãs

          • Ana Margarida on 11 de Julho de 2017 at 21:01

          Desde quando um horário com aditamento da direito a 366 dias? Nunca. Não existe arredondamento, como é natural. Pois se houvesse ficariam na mesma situação dos outros colocados em horário completo e muito mais graduados. Tenha vergonha!

          • Ando Cá Há Muitos Anos on 11 de Julho de 2017 at 21:18

          Há tanta coisa “natural” que, só à vista dos seus comentários, escasseia na sua pessoa…
          E por aqui percebo a agonia de alguns alunos em relação a certas aulas. Claro está que não me refiro a “colegas”, por me parecer um termo demasiado… demasiado elegante para o contexto…
          Já agora, permita-me que a cite: “Tenha vergonha!”

          Aprenda alguma coisa com boa música portuguesa 😉

          https://www.youtube.com/watch?v=l_fNv8k5ZnA

          https://www.youtube.com/watch?v=cJDCdhnupeI

          • José Carlos Vinagre on 11 de Julho de 2017 at 21:22

          Deixar os ressabiados entregues às suas paranóias

          • Ana Margarida on 11 de Julho de 2017 at 21:51

          Ressabiado e trafulha sim mas você claro!!

          • Ana Margarida on 11 de Julho de 2017 at 21:50

          Tenha vergonha você que quer subir nas listas à custa de trafulhices!! Devia ter não só vergonha, mas respeito pela profissão que não honra!

          • Ando Cá Há Muitos Anos on 11 de Julho de 2017 at 22:29

          Aqui no Porto a sua patologia trata-se no Hospital Magalhães Lemos; se estiver mais a sul, consulte as páginas amarelas, mas não estou certo de que haja cura para a idiotice crónica (para usar um eufemismo…).

          • Ana Margarida on 11 de Julho de 2017 at 23:53

          E você sabe o que é um eufemismo??? Não claro que não! Aldrabao!

    • José Carlos Vinagre on 11 de Julho de 2017 at 18:54
    • Responder

    PROFESSORES EXCLUÍDOS – Amanhã 14 H ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA

    Não podemos confiar nas promessas da DGRHE. Quem excluiu centenas de professores sem justificação que se veja, não vai ser célere com os Recursos Hierárquicos

      • Denunciante on 11 de Julho de 2017 at 19:11
      • Responder

      .
      Atenção que existe uma esmagadora maioria de excluídos que o foram com fundamento. Não são pobres inocentes…há muito malabarista…

      Destas 3 centenas de excluídos penso que a maioria foi por ILEGALIDADES e deviam ser severamente penalizados.

      Aqueles em que foi por erro da DGAE deve ser reposta a situação.
      .

        • José Carlos Vinagre on 11 de Julho de 2017 at 20:29
        • Responder

        Está muito bem informado! Vale tudo para subir nas listas.

          • Ana Margarida on 11 de Julho de 2017 at 21:59

          Verdade, até mentir no tempo de serviço com aditamento, não é esse o seu caso? Vale tudo para subir nas listas sim.

      • Denunciante on 11 de Julho de 2017 at 19:26
      • Responder

      ,
      isto não vai lá com manifestações.

      Cumpra-se a LEI….quem deseja reclamar porque foi efectivamente lesado faz Recurso Hierárquico

      Caso se venha apurar que existem malabarismos deviam ter PENAS SEVERAS para não voltarem a brincar com a vida de quem é HONESTO.
      .

        • José Carlos Vinagre on 11 de Julho de 2017 at 19:33
        • Responder

        Mas se está tudo bem. Vou recorrer do quê?

        Cheira-me a corrupção entre denunciantes e alguém bem colocado no ME

          • Denunciante on 11 de Julho de 2017 at 20:04

          .
          Bem…Se está tudo bem …vai ter a sua situação reposta….

          Olhe que HÁ MUITAS SITUAÇÕES EM QUE NÃO ESTÁ TUDO BEM

          Mas rapidamente vamos saber quem são os Verdadeiros Artistas….e esses deviam ser Severamente Punidos…Não servem para Professores…
          .

          • José Carlos Vinagre on 11 de Julho de 2017 at 20:28

          Devia saber-se quem foram os denunciantes. Vale tudo para neutralizar alguma centenas de colegas.

          • Ando Cá Há Muitos Anos on 11 de Julho de 2017 at 21:27

          Foi-me dito ao telefone, por uma funcionária do CAT da DGAE, que, na resposta ao recurso hierárquico, provavelmente teremos acesso ao elemento desencadeador da reanálise da candidatura e, em caso de denúncia, ao(s) nome(s) daquele(s) para quem fomos objeto de dedicada atenção. Assim espero, sobretudo nos casos em que, como diz a sabedoria popular, a ignorância é atrevida…

          • Denunciante on 11 de Julho de 2017 at 22:13


          Acho muito bem que tenham acesso a quem denunciou.

          Mas acho também muito bem que saia uma LISTA DOS TRAFULHAS e que estes sejam IMPEDIDOS DE EXERCER A PROFISSÃO por não terem perfil.

          Sim!…Um VIGARISTA não deve poder exercer a profissão docente.
          .

          • gin on 12 de Julho de 2017 at 12:04

          Tem acesso sim aos dados do denunciante!

          • Ana Margarida on 11 de Julho de 2017 at 21:52

          Está tudo bem está. Faça o mesmo no RH e vai ver o que lhe acontece. Incrível o nível de despudor desta gente.

          • Ando Cá Há Muitos Anos on 11 de Julho de 2017 at 22:33

          Deram-lhe alta há pouco tempo, foi? Mas olhe que as abduções alienígenas costumam deixar marcas insanáveis… Parece o caso.

          • Ana Margarida on 11 de Julho de 2017 at 23:56

          Coitado! Excluído, aldrabao e vigarista! E anda isto a ensinar! Aproveite e vá cavar baratas. Mas não se engane a contar, porque depois a colheita não dá certa! Beijo no ombro

    • Professor Contratado on 11 de Julho de 2017 at 19:00
    • Responder

    .
    Finalmente começam a ser repostas as injustiças de fraudes nos concursos. Espero que a seguir sejam revistas as colocações perto de casa, com atestados médicos fraudulentos, os chamados destacamentos por condições específicas. Conheço com cada caso de bradar aos céus mas a verdade é que estão em casa enquanto outros, que se pautam pela honestidade, palmilham quilómetros há anos.
    .

    • Depoimento on 11 de Julho de 2017 at 19:03
    • Responder


    Denunciei dois anos uma colega que ficava colocada sempre em primeiro lugar num agrupamento quando esse lugar não lhe pertencia. Eu sabia do que falava pois ela tinha estudado comigo e eu conhecia o percurso profissional dela. O lugar era meu por direito e justiça. A direção dizia que ” não era entidade inspetora”… À custa disso, nesses anos fiquei longe de casa e a colega a usufruir desse lugar… Embora eu não tivesse nada pessoal contra ela, antes pelo contrário, ela usufruiu de tempo de serviço, ficou perto de casa, mentiu conscientemente com a conivência de uma direção. Quem denuncia é que está errado ?????? Não me parece!

      • Ando Cá Há Muitos Anos on 11 de Julho de 2017 at 21:39
      • Responder

      Diz a sabedoria popular que a ignorância é atrevida… Em muitos casos terá havido denúncias disparatadas! Dou-lhe o meu exemplo, se, como acredito, fui alvo de denúncia. Ainda que imaginasse que a situação poderia suscitar dúvidas e denúncias, nunca pensei que, com provas evidentes como as que tenho e a verificação da escola, fosse excluído. Estou há uns anos com mais de duzentos dias de tempo de serviço descontado erradamente por doença. Só este ano, finalmente, foi corrigido o meu registo biográfico. Contando esse tempo revisto e o efetivamente prestado no ano letivo anterior, concorri com quatrocentos e poucos dias a mais, face ao último concurso. É, naturalmente, um número que, à primeira vista e a olhos ignorantes, causa estranheza. Mas pode caber na cabeça de alguém que tenha dado pela diferença de dias – muito óbvia e fácil de constatar nas listas – que iria inventar esse valor por ser desonesto e querer ultrapassar colegas com esse subterfúgio primário e por demais evidente?
      Mas, pelo que tenho visto e lido nos último dias, não me espanta que tenha havido denúncia. Sobra por aqui regozijo face à situação dos excluídos, mas ninguém pensa que, nos anos em que concorri com menos dias do que aqueles a que tinha legalmente direito, fui prejudicado e ultrapassado por centenas de colegas, possivelmente alguns dos que agora se terão achado no direito e na arrogância de denunciar uma injustiça. E todas as outras que se cometeram com a sua conivência?

      Por isso, reflita sobre a conclusão do seu comentário porque, se há algo que a vida me tem vindo a comprovar é que somos muito ligeiros a falar dos outros, mas os outros, em qualquer outro momento, seremos nós.

        • Ana Margarida on 11 de Julho de 2017 at 21:53
        • Responder

        Comentário tão idiota!

          • Ando Cá Há Muitos Anos on 11 de Julho de 2017 at 22:36

          Resolveu partilhar mais uma observação autoanalítica?

          • Ana Margarida on 11 de Julho de 2017 at 23:58

          Nao resolvi afirmar quanta idiotisse anda por aqui. A começar e a acabar em si. Tome os antidepressivos e aproveite para começar a apreender a contar.

          • Ando Cá Há Muitos Anos on 12 de Julho de 2017 at 8:57

          Ainda bem que não é professora… 0 em todos os parâmetros da expressão escrita. Claro que não percebeu que a falta de pontuação a leva a negar o que queria afirmar veementemente na primeira frase… E essa ortografia? Até dói! Cuide-se! Até sempre.

          • Ana Margarida on 12 de Julho de 2017 at 9:25

          Sim, o colega não se pode chamar de professor, eu sim sou professora. Quanto às suas análises use-as para quem necessitar ou pretender. Eu dispenso-as, são muito pobres para mim, não se esforçe comigo, é demasiado fraco e cai no ridículo frequentemente. Faça uma ação de formação “como deixar de ser aldrabao”, e isso passa-lhe. Idiota!

          • ?? on 12 de Julho de 2017 at 9:56

          “esforçe”??

        • Denunciante on 11 de Julho de 2017 at 22:18
        • Responder

        .
        Vamos AGUARDAR para ver dos TREZENTOS E TAL quem são os VIGARISTAS, os quais deviam ficar INTERDITOS DEFINITIVAMENTE para o EXERCÍCIO DA PROFISSÃO.

        Sim!…Um VIGARISTA não deve poder exercer a docência.

        Aos que foram apanhados no meio dos TRAFULHAS deve ser IMEDIATAMENTE REPOSTA A SUA SITUAÇÃO.
        .

        • Zé Cabra on 11 de Julho de 2017 at 22:30
        • Responder

        Meu caro
        dizes tu que andas cá vai muitos anos…..mas eu garantidamente que ando vai mais anos do que tu. Nesta vida e em PORTUGAL o que não faltam são vigaristas/corruptos/chicos-espertos….E portanto averigúem e façam justiça….
        ……..acrescento e interditem-se aos vigaristas o acesso à carreira docente.
        QUEM NÃO DEVE, NÃO TEME

    • José Carlos Vinagre on 11 de Julho de 2017 at 20:35
    • Responder

    DGAE (Direção Geral da Administração Educativa): uma fábrica de conflitos sem sentido

    Cerca de 360 professores ou educadores (segundo a DGAE) viram-se inesperadamente excluídos dos concursos docentes. O M.E. terá detetado, na maior parte dos casos, erros nas suas declarações de tempo de serviço. Coisa como ter declarado – e a sua escola confirmado – 366 dias em vez de 365. Não intencionalmente mas porque terá iniciado o ano letivo com horário incompleto entretanto completado. Por isso não terá 366 dias, mas 365,7 ou 364,8…Como se contam os anos nestas situações?

    Mas o que revolta é esta prática de quem se está “nas tintas” para os cidadãos. Verificada a hipótese de erro, impõe-se que se contacte o professor, a direção da escola que validou a candidatura, se analise a situação e se corrija o que houver que ser corrigido (não falo obviamente de intencionais tentativas de fraude, que creio não haver senão pontualmente). Nunca se justifica tomar uma decisão que pode ser terrível para a situação profissional do docente que não terá culpa nenhuma do erro (?) “cometido”.

    Bastaria um pouco de bom senso e sentido de respeito para com as pessoas para evitar estas situações de conflito. Mas parece haver quem aposte neles.

    António Avelãs

    • Vim ver a bola on 11 de Julho de 2017 at 22:49
    • Responder

    .
    Os Inocentes e/ou a Canção do Bandido

    Isto dos excluídos é muito parecido com o BPN, BPP, BES….Armandos Varas, robalos e afins….

    Estavam todos inocentes…tadinhos…..eram todos os anjinhos….

    Continuo a achar que tão bom é o que rouba como aquele que deixa roubar….há mais responsáveis nesta bandalheira….sendo que os Diretores tem muita responsabilidade em terem deixado passar 360 casos….clara NEGLIGÊNCIA.
    .

    • José Carlos Vinagre on 12 de Julho de 2017 at 19:28
    • Responder

    Joana Mortágua cumpriu:

    “Colocou o problema dos professores

    injustamente excluídos ao Ministro da Educação”

    Se ele permite que flagrante injustiça prossiga até aos Recursos

    Hierárquicos, é por que é cúmplice da situação

    https://youtu.be/VyBZuYPr7ZM

    • Célia Pereira Rodrigues on 18 de Julho de 2017 at 6:30
    • Responder

    onde posso ver a lista dos excluídos?

  1. […] via Última hora – Docentes excluídos de concurso — Blog DeAr Lindo […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: