12 alunos por turma…

 

Lá por fora (França) tenta-se aplicar uma reforma de redução de alunos por turma corajosa, para não lhe chamar ideal… 12 alunos por turma. Fica a “dica”.

 

França limitará o número de alunos por turma a 12, no 1º e 2º anos

Emmanuel Macron chegou ao Eliseu com uma série de reformas para serem implementadas antes do final do ano. Uma das preocupações  mais ambiciosa é a educação: o centrista quer limitar a 12  o número de alunos no primeiro e segundo anos antes do retorno à escola em setembro. O ministro da educação, Jean-Michel Blanquer, anunciou no início de julho que a primeira fase de implementação incluirá apenas 2.500 turmas em escolas de zonas desfavorecidas, antes de estender a medida a 12.000. Blanquer, ex-diretor da ESSEC Business School insistiu que a reforma é baseada em “estudos na França e no exterior”, demonstrando a eficácia das turmas pequenas. “O objetivo é obter 100% taxa de aprovação no ensino primário”, explicou. Com a reforma, Macron espera reduzir os 98.000 abandonos de 2016 e criar milhares de empregos em toda a cadeia educativa.
No entanto, os professores e os sindicatos veem a reforma como impossível e não esperam bons resultados. Por um lado, a sua aplicação é limitada porque as escolas que não podem criar salas de aula adicionais não podem realizá-la. De acordo com David Constans-Martigny, consultor de uma associação de prefeitos de grandes cidades, “os prefeitos estão à procura de soluções.”

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2017/07/12-alunos-por-turma/

2 comentários

    • Fátima Graça Ventura on 4 de Julho de 2017 at 21:05
    • Responder

    Quem de direito que sugira, na nova remodelação, a mudança no nosso ministério!
    Por que não um Professor a dirigir a Educação?
    Eu não posso. Já sugeri demais.

      • era_o_que_faltava on 4 de Julho de 2017 at 21:18
      • Responder

      A Educação em Portugal, como muitas outras áreas, tem uma gestão exclusivamente política. É mesmo para fazer de conta. Enquanto o turismo durar e o petróleo estiver barato a coisa vai-se aguentando.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: