Carta Aberta ao ministro da Educação, de uma professora do Grupo 120

 

Download do documento (PDF, 235KB)

 

Rui Cardoso

Latest posts by Rui Cardoso (see all)

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2019/06/carta-aberta-ao-ministro-da-educacao-de-uma-professora-do-grupo-120/

8 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Sílvia Carvalho on 20 de Junho de 2019 at 12:29
    • Responder

    Felizmente existe este blog!
    Parabéns pelo excelente trabalho e obrigada por darem voz aos professores do grupo 120! Bem hajam!

    • Sílvia Carvalho on 20 de Junho de 2019 at 12:35
    • Responder

    Infelizmente as situações retratadas na carta são extensíveis a todo o país!
    Mas parece conveniente ao ministério e às direções não se darem conta….

    • Do Contra on 20 de Junho de 2019 at 16:56
    • Responder

    Não foi apenas o Inglês que foi implementado no 1° CEB, começando-se pelo “telhado”; esta carta também é uma construção sem alicerces sólidos. Aborda pontos irrelevantes, como a importância da disciplina no currículo do 1° CEB e a formação dos seus professores, está pauperrimamente redigida, com vocabulário e pontuação desadequados, e o seu término é desastroso. Não é missiva que se enderece a um ministério.
    O argumentário é válido, mas a forma invalida o conteúdo. Facam-se as coisas, mas como deve ser.

    • Helena Carmona on 21 de Junho de 2019 at 1:53
    • Responder

    Compreendo e concordo plenamente com o exposto pela colega de Inglês. Sou professora do grupo 290 – EMRC e sinto exatamente o mesmo. A disciplina de EMRC é a 26ª hora no 1º ciclo e somos tratados como se de uma atividade extra curricular se estivesse a falar. Horários maus, más condições de trabalho em alguns estabelecimentos de ensino e em relação aos professores titulares de turma há muito trabalho para fazer. Não sei se o mal vem dos estabelecimentos de ensino superior de professores de 1º ciclo, ou se é uma cultura de escola que em pouco tempo aprendem, mas sei que existe e todos nos queixamos do mesmo. A lógica de conselho de docentes é muito diferente da de conselho de turma, o que faz com que tudo o vá para além do que é lecionado pelo professor titular é visto como “ET” na escola. É preciso mudar mentalidades, porque nós somos professores com formação superior na área que lecionamos e para o ensino e estamos na escola para ensinar com seriedade não para “entreter” meninos.

    • SMCSA on 21 de Junho de 2019 at 9:30
    • Responder

    Para mim, o ponto mais importante relativamente ao gr120 nem sequer foi referido, apesar de subscrever tudo o que está na missiva. O que mais me choca e desmotiva é o facto de a avaliação estar, em última análise, à responsabilidade dos colegas titulares. Para quem tem coluna vertebral, isto não significa nada. Mas para quem não tem – e, colegas, infelizmente há muita gente a trabalhar nas escolas que não a tem!, isto significa que as notas são alteradas à vontadinha. Sim, à vontadinha, por exemplo, para que os alunos entrem nos quadros de honra. E a justificação que fica em ata não corresponde à veracidade dos factos!! Trabalhar assim é humilhante! São 15 anos de serviço a ver coisas inacreditáveis e chegar a este ponto com a sensação de que o governo dá um passo em frente e, sistematicamente, dois para trás.
    E falha redondamente na monitorização das escolas, que trabalham como lhes apetece, subvertendo valores e um compromisso sério com a educação, mascarando a realidade com notas insufladas e resultados fraudulentos.

    • alfman3994 on 22 de Junho de 2019 at 14:55
    • Responder

    o que dirão os professores de outros grupos de recrutamento ( Educação Visual, Educação Física, Educação Musical, etc…) que têm horários de 5horas semanais, precisando de 50anos pra juntar 5 ou 6 de serviço… ficaria muito triste se me dessem horários desta envergadura… realmente coitadinhos dos professores de inglês que têm de dar aulas nos período da tarde…

    • Sagi on 23 de Junho de 2019 at 10:31
    • Responder

    GRUPO 120 é curricular, não AEC. Não é a “bater” no grupo 120 que e melhora a situação dos outros. 🙁 É por causa destas atitudes que não se muda nada.

    • Sagi on 23 de Junho de 2019 at 10:39
    • Responder

    Felizmente há agrupamentos em que isto não é assim. Concordo que as turmas mistas são um disparate e aulas sempre ao fim do dia também. Agora os professores do 120 precisam de se impor é nos órgãos dos agrupamentos, reuniões, departamentos, etc.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores:

x
Gosta do Blog