O Mário continua na Luta…

Mário Nogueira: “Serei candidato a secretário-geral. Podem agradecer ao PS”

Líder da Fenprof decidiu avançar com uma candidatura à liderança do sindicato no congresso que se realiza em junho

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2019/05/o-mario-continua-na-luta/

10 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • JOSE Martins on 10 de Maio de 2019 at 14:11
    • Responder

    treinador que perde desta forma só tem que ir embora. É o principal responsável pelo clima criado e pela má imagem dos professores


  1. Claro que é candidato

    Então ai perder o TACHO.

    E a seguir é candidato à CGTP

    Tem de ter sempre TACHO

    • orquidea neves on 10 de Maio de 2019 at 15:48
    • Responder

    Afinal eu tinha razão! Vim aqui parar para desabafar o meu desagrado quer contra o governo e afins, quer contra o clima que se vive na maioria das escolas e, sobretudo, contra os sindicatos, nomeadamente a fenprof.
    Sabia que não era o caminho certo. Desenvolvia-se um movimento, cego e intransigente, nos dois sentidos. Mediam-se forças sem pensar nas possíveis consequências com um dos lados ligado/filiado/obediente ao PCP que diz tudo contra todos menos com aqueles que diz, de modo arcaico e falso, porque politicamente lhe convém, defender os professores. Faltou-lhe independência politica, e aqui teria muito a dizer Mais tarde, o mesmo apela à esquerda para votar a favor da proposta do psd/cds. O partido recusa e justifica-se. Seguidamente aventa a hipótese de sair do sindicato e do partido. Perante as câmaras de televisão diz “nim” para depois dizer não
    Vieram as contas: inflacionadas pelo governo, por um lado, revistas em baixa por alguns bloggers, colunistas e curiosos que acharam que sabiam muito sobre politica económica. Foi uma verborreia pegada. A dada altura senti-me profundamente envergonhada e ganhei consciência que, afinal, muitos dos que aqui lançam “opiniões”, que tudo criticam são bem piores dos que os seus alvos de maledicência, se não piores, pelo menos iguais. Imagino-os no poder. É de arrepiar.
    Coloquei igualmente a questão “no final, vamos ver o que temos de agradecer ao sr. Mário Nogueira.” Eu respondo. NADA . E pergunto: Onde está a isenção política? Que moral tem de fazer sindicalismo enquanto vinculado a um partido cujo discurso está a cair de podre, com uma ideologia cuja economia se centra no estado ( retirando a liberdade individual) e que luta desesperadamente, em vão, para ser poder? Onde está a inteligência divergente, a capacidade de antecipação e a eficácia da estratégia sindicalista?
    Muito obrigada, Sr. Mário Nogueira por me ter mantido na escola até aos 66 anos e 5 meses, na altura de ir para a reforma serão mais meses. Vale-me uma boa saúde, uma boa consciência social, lucidez mental e, sobretudo, gostar de ser professora. Muito obrigada.

    • José Silva on 10 de Maio de 2019 at 16:37
    • Responder

    Há só um problemazito com alguns comentários e ironias: 1º – Só é sócio da Fenprof quem quer; 2º a Fenprof é. de muito longe, o maior sindicato de professores do país; 3º se os sócios da Fenprof não quiserem o Mário Nogueira a liderar a organização não o elegem; 4º não sou advogado de ninguém mas gostava de ver alguns , que têm tanto paleio, a aguentarem-se com as broncas do Mário Nogueira, é que é preciso ”tê-los no sítio”… 5º Para alguns a luta boa é a chamada luta do sindicalismo fofinho, ou seja, bom sindicato é aquele que verborreia” agarre-me que eu faço greve, ponho o ministro abaixo da cadeira” mas é tudo uma brincadeira e, no final dá-mos todos as mãos; 6º – O Mário Nogueira não passsa de uma pessoa, de um indivíduo, uma organização política não tem força sem movimentos de massas e muito menos a tem quando o apoio é feito atrás do computador com o rabo no sofá…

    • Joaquim on 10 de Maio de 2019 at 17:33
    • Responder

    Mário Nogueira foi claramente derrotado.

    Qual foi o último ano letivo em que deu aulas, em que trabalhou efetivamente com alunos?

    • Rui Filipe on 10 de Maio de 2019 at 17:45
    • Responder

    Sem duvida .Em vez de culparem o Mário Nogueira, culpem o governo.E eu até nem sou filiado na Fenprof.
    Abreviando, a 26 de maio, há que votar naqueles que votaram a favor dos professores.

    • pretor on 10 de Maio de 2019 at 17:54
    • Responder

    Olha olha voltar á escolinha primária… Havia de ser bonito.

      • Araújo on 10 de Maio de 2019 at 19:17
      • Responder

      Só lhe fazia bem, muito bem!

      Para experimentar na pele o quão difícil é ser professor em Portugal.

    • Susana on 10 de Maio de 2019 at 21:34
    • Responder

    Finalmente, alguém com juizo! Parece que os inimigos são os que defendem os direito dos professores (tempo de serviço contabilizado e direito à remuneração por esse trabalho) e, consequentemente, de todos os trabalhadores. Quem tanto achincalha o Mário Nogueira, de ia expermentar vestir-lhe a pele só por um dia… pois é! É preciso tê-los no sítio.
    Eu reclamo com quem tem dado cabodos direitos dos trabalhadores, há mais de 40 anos: PS, PSD e CDS-PP.

    • João Lima Ferreira. on 10 de Maio de 2019 at 23:06
    • Responder

    ..sejamos claros :
    NÃO EXISTE HOJE UMA CARREIRA DOCENTE, MAS DUAS .!
    A PRIMEIRA , COM PISO EM MAU ESTADO E ARMADILHAS, VIAJAM APERTADOS A MAIORIA DOS DOCENTES.
    SEM DESTINO E ESPERANÇA.!
    A SEGUNDA, EM AUTO-ESTRADA COM VIA VERDE , QUE ATÉ TEVE DIREITO A UM TROÇO COMPLEMENTAR. VIAJA CONFORTAVELMENTE E COM DESTINO
    À VISTA A MINORIA!
    …em que carreira viajam os dirigentes sindicais???

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores:

x
Gosta do Blog