68% de Aprovações na Prova Específica

O próximo quadro faz a comparação do número de inscrições por componente específica com o número de aprovações.

Existiram 755 inscrições que foram não aprovadas ou então que não realizaram a prova específica.

A prova específica com uma maior taxa de insucesso (sem considerar o grupo 920) foram as específicas de Português – nível 2 e Física e Química com uma taxa de insucesso de 66%.

 

percentagem

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2015/05/68-de-aprovacoes-na-prova-especifica/

22 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Ainda bem que a estatística não se aplicou – para todo o universo – à semelhança de triângulos, à semelhança de respirações, muito menos a porcarias redox 1, dois e 3!

    1. É suposto ter piada ou alguma informação relevante neste comentário?!?

      1. Paciência, é sem legendas.

  2. Só peca por chegar atrasada… Tenho dito!

      • Bemdito on 7 de Maio de 2015 at 23:53
      • Responder

      Pelos resultados em certas específicas tem toda a razão.

  3. Os das ESECS de Mat. e Port. chumbaram todos… Façam uma reflexão sobre isso, por favor!

      • A ser verdade on 7 de Maio de 2015 at 23:59
      • Responder

      Por favor, façam exame a todos os contratados e aos dos quadros para o bem dos nossos filhos!!! Algo vai mal na Educação!! Estes candidatos são uma amostra do que está debaixo do tapete, é só a ponta do iceberg, ficaram todos sob suspeita já ninguém acredita que têm competências para ensinar! Esta “classe” ficou desacreditada!

        • sabemoslá on 8 de Maio de 2015 at 22:34
        • Responder

        Em parte tem muita razão .infelizmente nos anos 90 as notas deixaram de ser aferidas a nível nacional.Antes todos os estágios eram regulados pelo MEC, pois as instituições de formação de professores eram na sua maioria públicas.Daí para a frente foi o que todos sabemos, não vale a pena repetir.Claro que para já há 2 filtrosaparentes para os professores do quadro:o 2º e o 4º escalão.Só falta um filtro para o 10 º escalão, que pode ser atingido por qualquer professor sem ter em conta o seu currículo(alguns ingressaram licenciados e outros ingressaram com o antigo 5ºano dos liceus-Curso de Formação Feminina).O PS lá se lembrou de pôr este crivo, que apenas é uma amostra muito leve da incompetência de quem ingressou na carreira (sabe-se lá quantos professores não estariam pior preparados que estes jovens!!!)

          • l on 10 de Maio de 2015 at 11:47

          “… não estariam menos bem preparados…” Já que critica os outros agradece-se que escreva, corretamente.

      1. Cara “A ser verdade”, como em todas as profissões, há bons e maus profissionais… Esqueceu-se de um pormenor muito importante: as instituições superiores não preparam estes jovens nem toda a classe docente no que concerne à nova gramática e terminologia linguística do português daí a confusão instalada. E já agora, nem a ortografia está a ser aceite e cumprida por todos os portugueses… Eis a questão!
        Por fim, esqueceu-se de referir que você está por debaixo do tapete por isso, tenha muito cuidado….

    1. Tamanho disparate! port II matII fis/quim não são das ESE! Das ESE é porto mato pré-escolar

      1. Port I e Mar I

  4. eheheheheh…o cRato abriu a CAIXA DE PANDORA, venham lá provas para todos sem exceção.

  5. Não obstante haver bons resultados em determinadas disciplinas, o que é preocupante é haver tantas reprovações em Biologia, Economia,Educação Física, Filosofia, História, Físico-Química, Matemática e Português. Porventura, seria muito interessante saber em que instituições de Ensino se formaram aqueles que reprovaram.

      • Ary Kuzer on 8 de Maio de 2015 at 8:27
      • Responder

      Se reparar houve muitos candidatos que fizeram a prova de História e a de Geografia e reprovaram a História e tiveram aprovação a Geografia. Se calhar não tem a ver com a instituição mas sim com uma diferença enorme no grau de exigencia das provas.

      1. Exatamente! Será que alguém, com honestidade, já olhou com olhos de ver para a prova de FQ e para a prova de Biologia e Geologia? Será que já repararam que, por exemplo, na de FQ não era permitido o uso da máquina de calcular, em toda a prova e, não havia tempo, para fazer todos os cálculos à mão? Não era dado o devido formulário – o professor não é uma enciclopédia… e não tem que saber de cabeça todas as fórmulas e constantes… Quem analisar com atenção a prova de Biologia e Geologia reparará também em questões mal formuladas e que não fazem parte dos programas da disciplina… Considero injusto que se julguem os colegas que a fizeram, sem analisar os factos: analisar as provas e verificar o que foi questionado, como e com que dados?

        O MEC foi uma vez mais desleal, com quem a teve que fazer… e mais não digo…

          • B e G on 9 de Maio de 2015 at 15:18

          “Quem analisar com atenção a prova de Biologia e Geologia reparará também em questões mal formuladas e que não fazem parte dos programas da disciplina”

          Que questões são essas?

  6. Critica-se o estado do ensino, mas a maior parte dos que fizeram a prova, nunca deram aulas no ensino. Logo, há que repensar aonde é que está mal. Certamente não é só e apenas na formação e nas instituições.

    1. Por isso mesmo todos sem exceção devem fazer a prova e demonstrar à sociedade que nem todos são incompetentes, têm mesmo o dever de defender a honra da classe! Peçam e façam todos, inclusive os do quadro.

        • Angela on 8 de Maio de 2015 at 20:23
        • Responder

        Caro Zé, acha mesmo que a aprovação numa prova irá honrar a nossa classe???? Santa ignorância!!!! O único princípio fundamental que os colegas professores se esquecem de defender é a UNIÃO. Somos enxovalhados porque deixamos que toda a Comunidade Educativa e demais acéfalos mandem em nós. Não será uma prova de 2 horas que irá definir quem é ou não BOM ou MELHOR para dar aulas, poupem-me!!! É natural que, a título de exemplo, os resultados do exame de português II tenham sido menos positivos dadas as alterações sofridas nessa disciplinas nos últimos anos desde a gramática à ortografia…. Já pensou que por algum motivo os professores têm de preparar aulas??? Alguma vez as Universidades ou ESE’s prepararam os seus estudantes para o mercado de trabalho? Quantos colegas desistem do ensino na fase do estágio por não se identificarem com o que acontece na prática… Nenhum ser humano é dono do conhecimento, este último vai se construindo com mais ou menos trabalho e empenho.

          • Anónimo on 10 de Maio de 2015 at 10:32

          “Somos enxovalhados porque deixamos que toda a Comunidade Educativa e demais acéfalos mandem em nós”….!! Na mosca!! como se costuma dizer!! ” O único princípio fundamental que os colegas professores se esquecem de defender é a UNIÃO”!! Mais nada!! Está tudo dito!!

    • Barradas on 9 de Maio de 2015 at 15:57
    • Responder

    Afinal para que serve ter aprovação nestas provas se não somos colocados. Eu fiquei aprovado e sei que muito dificilmente vou ter colocação. O que faria sentido era quem ficasse aprovado nesta prova seria colocado mas não é assim. Por isso não deveria haver expulsão mas sim contar para a graduação com base na nota obtida na PACC e na nota do curso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: