Um Exemplo Alemão

Tive o prazer de conhecer a escola do ensino público do 1ºCiclo que é frequentada pelo filho do meu casal amigo alemão. Lá o ano letivo 2013/2014 já começou.
A turma é constituída por vinte alunos, sendo dois discentes da educação especial (um menino é autista e outro é praticamente cego).
A turma tem três professores na sala de aula (um deles é só para acompanhar os dois alunos da educação especial daquela turma).
Impressionou-me várias aspetos na escola: as boas condições físicas do edifício, as obras de arte realizadas pelos alunos que decoravam os corredores, o campo de futebol relvado na escola, o parque infantil para as crianças brincarem e o espaço verde à volta da escola.
Todos os dias, no final das aulas, um encarregado de educação vai para junto da passadeira da estrada que passa perto da escola, onde manda parar o trânsito para as crianças atravessarem essa estrada (usa colete e um sinal de trânsito).
Pedi autorização para tirar fotografias à sala de aula que é frequentada pelo filho do meu casal amigo.
Alberto Miranda
27-08-2013 Alemanha 058 27-08-2013 Alemanha 059 27-08-2013 Alemanha 062 27-08-2013 Alemanha 063

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2013/08/um-exemplo-alemao/

61 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Sito on 28 de Agosto de 2013 at 10:46
    • Responder

    Em Portugal há turmas com mais de três professores e com menos alunos. Veja o caso dos Piefs por exemplo e não precisam de ter alunos com necessidades educativas especiais. Na Alemanha as instalações estão impecáveis porque existe disciplina e respeito pelo património e também existe autoridade do professor.

      • PIEF4ever on 28 de Agosto de 2013 at 12:01
      • Responder

      Caro Sito, denoto claramente o seu trabalho exaustivo no dia a dia com as turmas PIEF e o seu evidente conhecimento dessa realidade. Também penso como o Sito: essas turmas nem deviam ter professores porque esses alunos deviam ser todos autodidatas. Só assim Portugal terá futuro…

        • PIEF5ever on 28 de Agosto de 2013 at 12:37
        • Responder

        Por acaso não esta perto de casa à conta dos piefs? Dão muito “jeito” não? Sujeitou-se a concurso?

          • margomes on 28 de Agosto de 2013 at 13:05

          Não entrem por aí… Ninguém ganha com isso… a classe dos professores, para seu bem, não pode criar este tipo de mesquinhez (desculpem a expressão).

          • ZM on 28 de Agosto de 2013 at 14:50

          caros colegas… nem em todo o lado é como dizem….. no ano passado tive a surpresa de ser colocada numa turma pief e sou do 110, e não era perto de casa. E todos os outros professores lá colocados ninguém pediu para ter piefs… havia sempre dois professores na sala de aula mas imaginem porquê?… só faltou haver agressões fisicas porque todo o resto eu presenciei…. desde ameaças, palavrões, desobediência total em sair da sala, alunos drogados dentro da sala…etc…etc….mas se têm dúvidas peçam para ir dar aulas aos piefs…

          • Profa farta de medíocres on 28 de Agosto de 2013 at 14:57

          @ZM

          Por outras palavras, animais que estão a desbaratar os nossos impostos. Num país atrasado como a Finlândia acha que esses sujeitos metem o cu numa escola?

      • Profa farta de medíocres on 28 de Agosto de 2013 at 14:55
      • Responder

      Totalmente de acordo Sito

    • JHfdr on 28 de Agosto de 2013 at 10:50
    • Responder

    Ó Alberto, na Alemanha o estado não gasta dinheiro com quem não quer estudar. Os meninos que não querem ou não “podem” ficam-se pelo 9º ano e são encaminhados (“obrigados”) a seguir a via profissional e não lhes é permitido frequentar o 10º ano – Realshule.

      • Alberto Miranda on 28 de Agosto de 2013 at 13:32
      • Responder

      Caro “JHdr”,
      Só descrevi uma escola do 1ºciclo que conheci pessoalmente. Agradeço a sua informação adicional.

    1. Desculpe, mas desconhece do que fala! A realschule é ensino profissional de grande exigência que dá acesso normal ao ensino superior! A escola que se destina aos alunos problemáticos é a Hauptchule (sem certeza da ortografia!).

        • Estudantenaalemanha on 28 de Agosto de 2013 at 16:41
        • Responder

        VªExª é que desconhece. Aos 10 anos de idade, as crianças alemãs são “separadas” por três percursos educativos secundários (Hauptschule, Realschule e Gymnasium), totalmente diferentes.
        Todos o que não conseguem entrar – no 5º ano – no Gymnasium ou na Realschule, o que acontece com muita frequência, são “encaminhados” para a Hauptschule. Aí permanecem 5 anos para cumprir a escolaridade obrigatória até ao 9º ano. Caso terminem com sucesso a Hauptshule podem optar por continuar a estudar em escolas vocacionais, ou candidatar-se ao Sistema Dual.

          • Lixado pelo TC on 28 de Agosto de 2013 at 22:26

          Isto sim é informação.

          • Ana on 29 de Agosto de 2013 at 9:07

          Explicação sucinta e correcta.
          Como mãe e ex-docente, considero o sistema alemão demasiado elitista. Reconheço a sua funcionalidade no encaminhamento profissional dos alunos e na ligação entre a escola e as empresas. Contudo, ao nível da integração e apoios aos alunos estrangeiros, deixa muito a desejar.

    • Manuela Lourenço on 28 de Agosto de 2013 at 11:01
    • Responder

    Que maravilha!!! nós estamos a ano luz disto…

  1. Simplesmente fantástico… Cá, para ser assim, ainda tem muito que andar… Embora já tenha trabalhado em salas de boa qualidade, o espaço exterior deixa muito a desejar. Estou a falar de um Jardim de Infância que não tinha sequer um escorrega ou um baloiço para os miúdos brincarem, quando nessas idades se deve promover o desenvolvimento psicomotor. Havia apenas terra, areia e troncos… Há vários anos que se tem pedido a requalificação desse espaço mas até agora nada feito.

    • Paulo on 28 de Agosto de 2013 at 11:12
    • Responder

    A alemanha é um mundo à parte que tem excelentes exemplos a seguir.
    Até os pais têm outro sentido do que é educar. É normal ver-se crianças a brincar nos parques infantis mesmo em dias de chuva… aqui tem tudo medo de sujar as calças de marca e de estragar os bibes…
    Temos muito que aprender e isto parte de todos… pois temos excelentes educadores/professores capazes de dar um novo rumo a toda esta estagnação e recuos constantes.

    • Who...? on 28 de Agosto de 2013 at 11:16
    • Responder

    Pena que a Alemanha, tendo condições assim, venha dizer que Portugal tem de cortar na educação! Ou será que ninguém diz nada disso e afinal são os nossos governantes que preferem cortar na educação do que noutros setores? Fiquei confusa!

      • HGHGFD on 28 de Agosto de 2013 at 12:39
      • Responder

      Cortam no desperdício.

      • Alberto Miranda on 28 de Agosto de 2013 at 13:36
      • Responder

      Os grandes responsáveis pelos cortes na educação são aqueles que criaram as Scuts, as PPP, os Swaps e a dívida da Madeira, para não falar noutras situações.

        • Profa farta de medíocres on 28 de Agosto de 2013 at 15:04
        • Responder

        Mais as abortadeiros e toda a escroque de parasitas que nada dá ao país, mas passa a vida a exigir despesa.

          • Caçador De Bestas Quadradas on 28 de Agosto de 2013 at 15:45

          Realmente tu não és uma abortadeira, és um aborto, malcheirosa!

          • Contribuinte on 28 de Agosto de 2013 at 16:55

          O “Caçador De Bestas Quadradas” deveria respeitar as ideias dos outros. É um mal educado(a).

        • Contribuinte on 28 de Agosto de 2013 at 16:46
        • Responder

        Então os da “bancarrota” onde ficam? O problema do nosso ensino é que não há respeito pelos professores, não há disciplina e valorizam-se as “festinhas” em vez de quem trabalha. Um aluno que se porte mal tem tudo. Um aluno que seja educado e trabalhador é uma “vítima”.

          • Lixado pelo TC on 28 de Agosto de 2013 at 22:25

          festinhas, projectos…palavras que já não posso ouvir.

      • Profa farta de medíocres on 28 de Agosto de 2013 at 15:03
      • Responder

      Então diz lá qual a % do PIB que a Alemanha gasta em educação e a nossa %. Podes ter uma má surpresa!

        • Contribuinte on 28 de Agosto de 2013 at 16:57
        • Responder

        Isso é demais para ele(a). O “Caçador De Bestas Quadradas” deve ser mais um(a) que se “encosta” ao estado.

  2. Qualquer semelhança é pura coincidência… É lamentável que os bons exemplos nunca sejam seguidos. É exatamente por aqui que se tem de começar… É esta a chave para uma sociedade melhor e, consequentemente uma economia melhor…

    • Isabel Pereira on 28 de Agosto de 2013 at 11:20
    • Responder

    Há 30 anos atrás eu fiz o 1 e 2 anos do 1 ciclo. Tinhamos uma escola como os centros escolares, ginásio, sala de musica, vários professores, livros gratuitos, prémios de mérito, etc., sempre com reforços positivos para todos os alunos. Ainda hoje me lembro de adorar a escola e quando nevava ficar muito triste por ñ poder ir. Quando regresei a Portugal tive imensa dificuldade em me adaptar! Hoje sou prf. do 1 ciclo em Canas!

  3. Lá existe disciplina e respeito pelo trabalho do professor. Lá quem não quer estudar vai para um curso profissionalizante.E nós cá?

      • Contribuinte on 28 de Agosto de 2013 at 12:42
      • Responder

      Muito bem Armando. Tem toda razão. Por alguma razão estamos na cauda da Europa. Aqui premeia-se os indisciplinados.

        • Profa farta de medíocres on 28 de Agosto de 2013 at 15:06
        • Responder

        Agradeçam à esquerda e a muitos directores imbecis.

    1. Há os que não querem…
      E os que não conseguem???

        • ARTI on 28 de Agosto de 2013 at 17:00
        • Responder

        Os que não conseguem deverão ser apoiados até onde conseguirem mas desde que sejam educados e respeitadores.

        • TRSAD on 28 de Agosto de 2013 at 17:02
        • Responder

        Eu queria ser piloto aviador mas não consegui. Tive que seguir outro caminho. A vida é assim.

          • Lixado pelo TC on 28 de Agosto de 2013 at 22:30

          Sempre quis ser o Al Capone,mas os socialistas chegaram todos primeiro, com o seu séquito de sucateiros.

          • JR on 29 de Agosto de 2013 at 22:31

          Sim, mas ser aviador nao é obrigatório e a escolaridade é!
          E há criancas com dificuldades que têm tanto direito como as outras em aprender!
          A escola é para servir as crianças, não são as crianças que têm de servir a escola!

          Certamente nunca ouviu falar em dislexia, discalculia, disortografia, défice de atenção e hiperatividade, Asperger, autismo, Down, paralisia cerebral, etc, etc, enfim NEE’s.
          Deita-se no “lixo” e faz-se de conta que não existem?!

          Boa! Humanidade, igualdade, pfffff

  4. Em nada parecido com o panorama Tuga!

  5. É lamentável que por cá, no Colégio Alemão, não pratiquem essa inclusão tal como é sobejamente conhecido… Não há qualquer apoio de educação especial.
    As crianças “não capazes” são diplomaticamente convidadas a sair porque não conseguem acompanhar os colegas…
    É frequente que pais que tenham de mudar um dos seus filhos de escola, deixando o filho “sem dificuldades” no CA e o “com dificuldades” tenha de mudar para outra escola que lhe proporcione condições para estudar.
    O mesmo, com professores do próprio colégio com filhos com dificuldades.

    E cá, o ano letivo 2013/2014 ainda não começou.

      • Profa farta de medíocres on 28 de Agosto de 2013 at 15:08
      • Responder

      Só vai para o Colégio Alemão quem quer. As regras não são previamente conhecidas? A escola pública tinha a OBRIGAÇÃO de proporcionar escolas com a qualidade e exigência do colégio alemão, para que a classe média e a classe média-baixa tivessem acesso à excelência.

        • Caçador De Bestas Quadradas on 28 de Agosto de 2013 at 15:43
        • Responder

        Estúpida, só vai para o Colégio Alemão quem eles escolhem e desde que tenha muita massa!

          • Contribuinte on 28 de Agosto de 2013 at 17:06

          Não seja mal educado(a). Se é particular tem todo o direito de escolher. Em sua casa também manda o “vizinho”? A “Profa farta de medíocres” é das comentadoras mais realista goste Vª Exª ou não.

          • JR on 29 de Agosto de 2013 at 10:02

          E viva a democracia!
          Ainda gostava de saber para que serve o 3/2008…
          Pelo que leio lá é para o ensino publico, PRIVADO e cooperativo

          • Profa farta de medíocres on 29 de Agosto de 2013 at 22:14

          Quem me dera ter dinheiro para colocar os meus dois filhos no Colégio Alemão. Anseio pelo cheque-ensino.

    • ana on 28 de Agosto de 2013 at 12:37
    • Responder

    eu concordo quando se envia os alunos que não querem estudar mais para um profissional. Afinal que tiver uma área profissioanl terá com certeza mais trabalho. as licenciaturas já não nos garantem nada

    1. Há os que não querem…
      E os que não conseguem???

  6. Desde quando é que o pief teve três professores? Antes do fim das codocencias eram dois e agora só ficou um! Além disso os alunos do pief não têm nada a ver com os alunos desta escola alemã…

      • Profa farta de medíocres on 28 de Agosto de 2013 at 15:11
      • Responder

      Deviam filmar as aulas das turmas PIEF e enviar para a Merckel, holandeses e finlandeses. Tenho a certeza que a percepção que eles têm dos países do sul ia mudar drasticamente.

    1. Então o “pessoal” das misericórdias onde param?

    • Ana Balão on 28 de Agosto de 2013 at 15:54
    • Responder

    Vamos por partes. Em Portugal o ano letivo ainda não começou, pela simples razão de que não é humanamente possível colocar alunos numa sala de aula, com temperaturas a rondar os 40ºC. Na Alemanha, estão uns “míseros” 20/22ºC. Quanto às instalações, também as temos em Portugal. Jardins? Não temos em todas as Escolas, mas também temos. Qualidade de ensino, seremos certamente melhores professores em Portugal. Apoio a alunos com necessidades educativas especiais, também temos “especialistas”, todos eles vindos do 1º ciclo e com qualidade profissional sobejamente reconhecida. O que nos falta?? Um governo com TOMATES! Peço desculpa, leiam antes, Um Governo com falta de NABOS!

      • tania on 28 de Agosto de 2013 at 20:54
      • Responder

      ola boa tarde
      concordo com a sra Ana Balão quando diz que nos temos certamente os melhores professores Parabéns a estes e principalmente tenham paciência e força os alunos não tem culpa do que estão a fazer á classe docente. mas descordo quando diz que temos apoio a alunos com NEE eu tenho um filho com Dislexia severa e um QI de 119 e depois de muito lutar não tenho apoio NENHUM! Uma criança com Dislexia que é e infelizmente será para sempre PERMANENTE não tem direito a apoio: ele sabe a matéria toda e em matemática ate podemos dizer que esta nos melhores alunos da escola mas não lê nem escreve e agora!!!!!

      • Lixado pelo TC on 28 de Agosto de 2013 at 22:35
      • Responder

      Muito bem Ana Balão, continua a dormir. Nada do que tu dizes é corroborado pelas notas REAIS dos alunos. Bons sonhos!!!

    • João on 28 de Agosto de 2013 at 19:32
    • Responder

    Temos o país que merecemos com a nossa atitude.

    Lá é um encarregado de educação que se responsabiliza pela saída dos alunos. Por cá, temos um trânsito caótico à porta das escolas, com os luxosos popós dos papás estacionados em cima dos passeios e passadeiras, mesmo que os meninos morem a 1.000 metros da escola.

    Nas escolas primárias alemãs não há refeitórios, cozinhas e mais pessoal auxiliar. Os meninos levam o almoço de casa, ajudam na limpeza dos espaços e a vigilância nos intervalos é feita pelos professores.

    Às duas ou três da tarde vai tudo para casa e não é preciso pagar prolongamentos de horário, AEC’s e afins.

    Qualquer novo centro escolar da Parque Escolar é faraónico comparado com a generalidade das escolas alemãs. Por cá gasta-se muito mais em ar condicionado para aquecimento no Inverno em vez de aquecimento central ligado a caldeira e em embelezamentos fúteis em vez de funcionais (basta comparar com as nossas casas com acabamentos de luxo em vez de bom isolamento térmico).

    • Miguel on 28 de Agosto de 2013 at 23:44
    • Responder

    NINGUÉM ENTENDE ESTE ARLINDO… Primeiro defende o fim da monodocência e agora como na Alemanha há monodocência, já está tudo bem.

      • Colego on 29 de Agosto de 2013 at 9:23
      • Responder

      Pois. Talvez tenha ficado em horário zero.

  7. Realmente não entendo como é possível o nosso país ainda ter direito a pertencer à União Europeia quando não defende os direitos do Homem…vejam o caso da falta de pagamento da indemnização por caducidade de contrato ou da precariedade laboral dos professores contratados há anos…enfim, vamos manter a calma.

    • Luís on 29 de Agosto de 2013 at 11:16
    • Responder

    Querem uma escola melhor em Portugal? Mandem embora a tralha que nos (des)governa.

      • Profa farta de medíocres on 29 de Agosto de 2013 at 22:12
      • Responder

      A prova serve para isso mesmo. Mandar embora a tralha pedagógica e científica que empesta as escolas públicas portuguesas.

    • Krystyana on 29 de Agosto de 2013 at 15:36
    • Responder

    Bem eu não tenho filhos mas vivo na Alemanha e tenho amigos que têm filhos e portanto posso dizer que sim as escolas são bem preparadas mas para o inverno. Mal vem dias um pouco mais quentes e já não se aguenta, pelo menos aqui no norte da Alemanha. As férias escolares aqui são normalmente em Junho ou Julho. Aqui podem ter jardins verdes na escola como campos de futebol pois chove muito, portanto o dinheiro que gastam a cuidar deles não é tanto como nós em Portugal teríamos de gastar para um igual resultado. Em relação as passadeiras isso é verdade à sempre alguém com colete a ajudar as criança a atravessar, e há serviços em que as criança são levadas de manhã e de tarde de bicicleta com pessoas a vigiar. No entanto aqui os apoios à natalidade também são muito maiores logo há mais condições.

      • Alberto Miranda on 29 de Agosto de 2013 at 19:53
      • Responder

      Cara Krystyana,
      Hoje, tive a informação, que há escolas do 1ºCiclo, pertencentes a um Agrupamento de Escolas no concelho de Santa Maria da Feira, que tem turmas com trinta alunos e existem alunos do 1ºano e do 4ºano na mesma turma. Nem vou comparar as instalações com as que vi na Alemanha.
      Deve-se nivelar por cima e não por baixo.

        • tania on 31 de Agosto de 2013 at 14:01
        • Responder

        ola o meu filho pertence a um agrup de santa maria da feira a k escolas te referes com trinta alunos? duas turmas juntas infelizmente é normal ele esteve numa turma de 1 e 4 ano depois 2 e 3 ano e agora vai estar axo eu 3 e 4 ano juntos e ele é NEE

    • mjfigueiredo on 21 de Setembro de 2013 at 16:23
    • Responder

    Não preciso ver estas fotos e este texto, para me recordar de quando frequentei a escola pública na Rodésia, atual Zimbabwe (país da Commonwealth), já lá vão muitos e muitos anos. Nessa altura a realidade era muita parecida com esta da escola alemã. Portugal…, bem Portugal nunca se adaptou e tudo porque sempre existiram muitos interesses económicos e políticos que, deterioraram a cada dia que passa, o ensino das nossas crianças e jovens. Veja-se por exemplo o monopólio existente na venda dos livros escolares…ridículo. Até quando esta realidade? Até quando os políticos forem realmente honestos e que trabalhem em prol do país e não dos interesses próprios. Muitos gastos, pouco desenvolvimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores:

x
Gosta do Blog no Facebook