Uma Greve mais do que expressiva…

Hoje, centenas e centenas de escolas encerraram devido à Greve de funcionários das escolas, 85% de adesão.

Do ministro, desculpem, não temos ministro. Da Secretária de Estado, nem uma palavra, começo a pensar que também não temos Secretária de Estado.

Os AO e AT estão de parabéns, pela força, união e pelo exemplo que demontraram.

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2019/11/uma-greve-mais-do-que-expressiva/

25 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Rui Filipe on 29 de Novembro de 2019 at 11:49
    • Responder

    É assim mesmo. Isto só lá vai com ação, pq quem cala, consente.

    • Manuel on 29 de Novembro de 2019 at 12:47
    • Responder

    https://expresso.pt/economia/2019-11-28-Fectrans-reivindica-reforma-antecipada-para-os-55-anos-no-sector-dos-transportes

    Porque será que o PCP defende a reforma aos 55 anos para os maquinistas e tem boicotado as propostas do PSD para que o tempo congelado possa contar para aposentação?! Precisam do dinheiro das quotas dos mais velhos? Tenham vergonha!

      • Frankie on 29 de Novembro de 2019 at 15:20
      • Responder

      Quais propostas do PSD? Quem vos fodeu 7 anos de serviço? Quem vos comeu o subsidio de Natal e de Férias em 2012????? Gelados na Testa

        • Vanda Maria de Bragança Serrão on 29 de Novembro de 2019 at 20:36
        • Responder

        Só lamento que as políticas do partido socialista para a educação andem pela rua da amargura, porque no que diz respeito aos outros senhores, espero bem que ninguém tenha um ataque de amnésia

    • Pardal on 29 de Novembro de 2019 at 13:00
    • Responder


    Fica claro que quem fez greve e, por isso, manifestou as suas preocupações foram os Assistentes Operacionais e Assistentes Técnicos.

    Os Professores, na sua generalidade, não fizeram greve. Este facto é importante porque evidencia que os professores estão com o governo na sua politica de melhoria continua do Serviço Público de Educação.

    Os professores, ao não aderirem à greve, demonstram desta forma uma atitude responsável e de identificação com as atuais politicas governativas.

    Sobre a greve dos funcionários (AO e AT) é isto que importa relevar.

    Os Professores, na sua esmagadora maioria, Não Aderiram à Greve.

      • Pardalito on 29 de Novembro de 2019 at 15:37
      • Responder

      O Pardal é um bombom! É um querido! Parece que tem SIDA!

    • ortodoxo on 29 de Novembro de 2019 at 13:35
    • Responder

    pardal vá levar na cloaca!!

      • Frankie on 29 de Novembro de 2019 at 15:11
      • Responder

      É mentira o que o sr. escreveu? Não tens nada para dizer, deixa de ofender. Também deves ser daqueles que come à conta das greves do pessoal que ganha 635.07€ por mês e ainda tem de aturar idiotas como tu.

        • António Martins on 29 de Novembro de 2019 at 16:06
        • Responder

        Pardal , versão 2!

    • Mr José Oliveira Oliveira on 29 de Novembro de 2019 at 15:06
    • Responder

    Sobre a não adesão dos professores, convém esclarecer alguns aspectos. Os sindicatos docentes sempre lutaram para separar as lutas docentes das dos funcionários. Recentemente, o STOP apresentou-se como a única estrutura sindical apostada em unir as duas lutas, pois é isso que faz sentido. Foi assim que em diversas escolas as lutas se unificaram. Aí, os professores, embora não fazendo greve em grande nº, organizaram fundos de greve para pagar aos funcionários. A solidariedade é isto mesmo. Nesse contexto, muitos funcionários têm aderido ao STOP

      • Frankie on 29 de Novembro de 2019 at 15:09
      • Responder

      Dá-me um exemplo onde isso acontece. Os professores nem para eles são bons quanto mais para os “subalternos”. Deves pensar que estás a “falar para o zé povo.

        • António Martins on 29 de Novembro de 2019 at 16:07
        • Responder

        Pardal, versão 3!

        • Sílvio José dos Santos Figueiredo Miguel on 30 de Novembro de 2019 at 4:25
        • Responder

        Como elemento pertencente à Direção do S.TO.P. não dou só um exemplo, dou 31 exemplos de escolas encerradas pela greve do S.TO.P., ver link:
        https://www.facebook.com/SindicatodeTodososProfessores/posts/2370391379942337?__tn__=K-R
        E os próximos pré-avisos de greve estão aqui:
        https://www.facebook.com/SindicatodeTodososProfessores/photos/a.1937013736613439/2383760161938792/?type=3&theater

    • Frankie on 29 de Novembro de 2019 at 15:08
    • Responder

    Os AOs e os ATs estão de parabéns principalmente com a solidariedade dos professores que vão para casa com o dia ganho, o subsidio de refeição ganho e ainda gozam com ” que belo dia de folga”. Pó caralhinho, meus caros.

    • Alexandra Almeida on 29 de Novembro de 2019 at 15:51
    • Responder

    Ó Pardal, os professores estão CONTRA o governo, CONTRA a proposta absurda do final dos chumbos, CONTRA o congelamento do tempo de serviço!
    Não é por fazerem greve ou deixar de o fazer que se lê o estar “com” o governo, ó palerma!
    Ir à escola e corrigir testes foi o nosso trabalho hoje. Em casa também o faríamos mas era uma situação estúpida: estar a trabalhar e ser descontado. Então, se a escola já estava encerrada, ao menos trabalhou-se no que era preciso para não o fazermos no fim de semana.
    Vê-se mesmo, ó “inseto do PS” que tu não és docente. És um canalha! Uma besta!

      • Maria on 30 de Novembro de 2019 at 19:13
      • Responder

      A escola fechou para os alunos, não para os professores. Não fiquei em casa.

    • Marta on 29 de Novembro de 2019 at 18:09
    • Responder

    Os professores vão para casa? Onde? Só se for na tua escola, porque na minha cumprimos o horário na integra na Escola, sempre, em qualquer greve. E olha que não faltou o que fazer , com tanto papel a fazer e organizar, como a DT, a elaborar testes, fichas….

      • Pardal on 29 de Novembro de 2019 at 19:16
      • Responder


      Quem não aderiu à Greve deve permanecer na Escola pela simples razão de que está a ser remunerado para isso.

      Por outro lado, é importante que os professores que não aderiram à Greve se demarquem completamente daqueles que a fizeram e que são uma minoria. Quem aderiu à greve foram maioritariamente Assistentes Operacionais e Assistentes Técnicos.

        • Alexandra Almeida on 29 de Novembro de 2019 at 23:18
        • Responder

        Sabes ler, Marta? Então lê lá: “Ir à escola e corrigir testes foi o nosso trabalho hoje.”
        Na minha escola lá estivemos, cumprimos o horário no que foi preciso: ver testes.
        Portanto, vê se sabes ler que eu não tenho pachorra para gente que não sabe interpretar. Já me basta aturar o Pardal.

        • Mário Ferreira on 30 de Novembro de 2019 at 0:47
        • Responder

        L-A-B-R-E-G-O!

    • Alexandra Almeida on 29 de Novembro de 2019 at 23:20
    • Responder

    Eu só não percebo por que razão o Arlindo não exclui este Pardalzeco…
    Professores unidos contra esta corja, tendo aderido à greve ou não. Entendeste; Pardalzeco?

    • João on 30 de Novembro de 2019 at 12:16
    • Responder

    Não esquecer os jovens que ontem, de forma muito consciente, fizeram greve às aulas em nome de uma questão maior e que a todos interessa. O problema das alterações climáticas é demasiado sério para que o esqueçamos e é bom ver os jovens na primeira linha de acção, num combate que deve ser global.

    • Marta on 30 de Novembro de 2019 at 20:53
    • Responder

    Cara Alexandra, não se enerve…porque presumiu que a resposta era para si? O mundo não gravita só à volta do seu umbigo! Leu a resposta do/a Frankie?…
    Eu sei ler, escrever e interpretar muito bem, que não me formei na tasca da esquina (Piaget ou ESE), – ou aos fins de semana – mas sim numa Universidade pública, há 30 anos….
    Haja mais elevação, que o blog merece e o nome “Professor” exige!

    • Alexandra Almeida on 30 de Novembro de 2019 at 23:10
    • Responder

    Desculpe, Marta, Já estava enervada com o Pardal e presumi que a sua resposta era para mim porque vinha imediatamente abaixo do meu comentário.
    As minhas desculpas.

    • Marta on 1 de Dezembro de 2019 at 20:53
    • Responder

    Desculpas aceites, Alexandra!
    Sim, somos professores, devemos manter um nível elevado de diálogo, educação, postura…!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: