Aumentos de 0,3% ou 0,4% para os Funcionários Públicos e de 2,7% para o Privado

No dia 18 de novembro é anunciado na imprensa que o governo se prepara para alterar as regras do calculo dos aumentos na Função Pública para poupar dinheiro e dar um aumento ridiculamente baixo aos seus trabalhadores. “Governo deverá aumentar função pública entre 0,3% e 0,4%. É uma opção mais barata para o Estado: os aumentos salariais ficarão assim entre 0,3% e 0,4% e não 1,6% que é a previsão de inflação do Governo para 2020. A notícia é avançada pelo Jornal de Negócios. O valor de 1,6% como referência para os aumentos salariais é um número considerado incomportável pela equipa do Ministério das Finanças.”

No dia de hoje, o mesmo governo que tenta tramar os seus funcionários enquanto “patrão”, vem defender que os trabalhadores do setor privado tenham aumentos de 2,7%, desafiando os parceiros sociais a assumir o objetivo de negociar aumentos acima da inflação e produtividade.

É caso para dizer: “Olha para aquilo que eu digo, não olhes para aquilo que eu faço.”

 

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2019/11/aumentos-de-03-ou-04-para-os-funcionarios-publicos-e-de-27-para-o-privado/

5 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

    • Paulo Anjo Santos on 27 de Novembro de 2019 at 18:50
    • Responder

    E o mesmo se passa quando defende constantemente que estão a fazer tudo para evitar que as empresas abusem dos contratos a prazo quando eles contratam professores a prazo durante décadas, no meu caso são já duas e meia, mas há milhares em situação idêntica, em alguns casos até são mais anos…

    • Pedro on 27 de Novembro de 2019 at 20:27
    • Responder

    Estamos assim tão bem a nível de contas publicas/produtividade/défice, e é esta migalha de aumentos que querem aplicar à função pública?
    Senhores políticos, vão enganar outros…

    • Rui Filipe on 28 de Novembro de 2019 at 12:05
    • Responder

    Razão tem os ingleses em quererem sair desta U E., como todos os outros países que não quiseram pertencer a este estado de coisas.
    Bruxelas manda e os pobres cumprem.

      • Paulo Anjo Santos on 28 de Novembro de 2019 at 12:17
      • Responder

      Não estou a ver o que é que uma coisa tem a ver com a outra?! Acho que fora da UE estaríamos bem pior… Bruxelas obriga a ter contas certas, o que acho muito bem. A forma como chegam às contas certas é que é diferente de país para país… se não fosse um certo PM que endividou o país de uma forma brutal estaríamos bem melhor, mas nunca fora da UE.

        • Caça pardais on 28 de Novembro de 2019 at 16:13
        • Responder

        Vamos pedir um empréstimo à caixa geral de depósitos ou então temos um amigo (fraterno) que nos empresta. 😏

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: