Confirma-se a Mentira das Vagas Positivas

Directores dizem que é mentira que só tenham pedido 618 professores

 

Não foram apenas os directores a afirmar que “algo de estranho” se passa com este concurso. O autor do blog Dear Lindo, Arlindo Ferreira, juntou este sábado vários gráficos com tratamento de dados que indicam que o número e a localização de vagas agora abertas coincidem “quase a cem por cento, no que respeita aos grupos de recrutamento e às zonas, com as que abriram para concurso extraordinário em Janeiro, ou seja, antes de os directores das escolas fazerem a tal manifestação de necessidades. “Aparentemente, a decisão estava tomada antes de a pergunta ser feita, ou seja, a decisão foi política”, comentou Arlindo Ferreira, em declarações ao PÚBLICO.

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2013/04/confirma-se-a-mentira-das-vagas-positivas/

31 comentários

1 ping

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Espera-se por uma explicação da tutela!

      • pedro2 on 21 de Abril de 2013 at 15:12
      • Responder

      Este é o tipo que aparece no blogue do Umbigo a dizer bem de tudo do ministério?

    • Alda on 20 de Abril de 2013 at 20:39
    • Responder

    É VERGONHOSO!!! Vão acabar com o artigo 79 (redução da carga horária…). Só pode!!!

    • nuno on 20 de Abril de 2013 at 21:25
    • Responder

    A carga horária está legislada no ECD e só com a alteração do ECD é que é possível acabar com o artigo 79.
    Temos que ter calma, já se previa que não haveria vagas, mas na mobilidade e na contratação será quase igual (excepto o elevado nº de alunos a emigrar, cerca de 5% )

      • Eumesma on 20 de Abril de 2013 at 22:05
      • Responder

      Mas tb temos q contar o nº de alunos que passam do privado para o público.

    • Daniel on 20 de Abril de 2013 at 21:48
    • Responder

    Obrigado pelo trabalho disponibilizado.
    Têm a comparação das vagas para a zona 10?

    • tadeu on 20 de Abril de 2013 at 21:59
    • Responder

    Arlindo, a minha esposa entrou na VE no QZP2. Há uma vaga aberta num agrupamento que integra esse QZP (agora com os 10 ). Tem lógica existir essa vaga ou não? Se essa vaga não existisse seria estranho. Parece ser este o raciocinio certo, ou não? São tão poucas vagas que nem haverá diferença. O que acho é que o ME devia abrir muitas mais vagas para resolver o problema dos QZP? Isso sim.

    1. A solução seria fazer apenas um concurso interno com todas as vagas abertas, já o disse.

        • Margarida Ferreira on 21 de Abril de 2013 at 9:36
        • Responder

        Concordo plenamente…

        • Maria on 21 de Abril de 2013 at 18:08
        • Responder

        Eu também…

      • Paulo Pereira on 21 de Abril de 2013 at 14:37
      • Responder

      Se a vaga for numa escola/grupo para onde eu quero mudar, sendo QA fico com ela e a VE não serviu para anda.
      E isto porque a minha vaga atual será a extinguir!
      Portanto digo-lhe para não terem muitas esperanças nos resultados!
      PS: eu também não tenho pois sei que tenho uns horários zero que vão ficar com essa vaga!!

      Chama-se a isto “ser toureado”

    • Cristina on 20 de Abril de 2013 at 22:08
    • Responder

    Pouca vergonha!!!! Arlindo muito obrigado pelo teu trabalho…..

    • Maria on 20 de Abril de 2013 at 22:17
    • Responder

    Agradecia o esclarecimento das minhas dúvidas:

    Sou professora do QND da escola X (grupo240), nos finais de Junho tomei conhecimento que tinha horário zero. Concorri no concurso de Julho/Agosto da mobilidade interna. Fiquei e colada no presente ano letivo em mobilidade interna na escola y.

    As minhas dúvidas são as seguintes:

    Sou obrigada a concorrer neste concurso, uma vez que terminado este ano letivo volto à escola de origem X, mesmo que volte a ficar novamente com horário zero? Ou só volto a concorrer no concurso da mobilidade interna caso seja necessário?
    Quais as consequências de não concorrer agora neste concurso?

    Obrigada , desde já pelas respostas

    Read more: http://www.arlindovsky.net/2013/04/com-estes-numeros/#ixzz2R2Zj33Bm

      • Prof.Infinitto on 20 de Abril de 2013 at 23:43
      • Responder

      Nenhum professor Quadro de Escola é obrigado a concorrer ao Concurso Interno! Caso fique Em horário zero, será obrigado a concorrer à Mobilidade Interna na 1a prioridade.

    • Costa e Silva on 20 de Abril de 2013 at 22:32
    • Responder

    Entendo que cabe aos Diretores de escolas ou à sua Associação, em nome da ética profissional, apresentarem a totalidade de pedidos de professores solicitados ao MEC.
    É imperioso saber que políticas quer este governo alterar quanto ao decreto-lei 139, de 2012, de 5 de julho. Irá, por certo, ser aqui que vai ser dado o golpe na profissão…

    • marco on 20 de Abril de 2013 at 22:56
    • Responder

    Na minha escola do ensino secundário o meu grupo tem 6 professores do quadro e 1 contratado. No quadro de vagas aparece -8. O que significa? Que essa disciplina do ensino obrigatório deixa de existir nessa escola quando todos se reformarem..só pode ser piada 🙂 ou alguém não sabe fazer contas??

      • Bernardo on 21 de Abril de 2013 at 10:22
      • Responder

      É mesmo intencional. Guardar todos os horários para a mobilidade para que não haja horários zero.

    • Alberto on 20 de Abril de 2013 at 23:43
    • Responder

    Para o Arlindo:
    Pois é colega ARLINDO:
    – Greve de zelo por tempo indeterminado, para provar se os Professores fazem ou não falta à Escola Pública, não pois não era uma forma de greve, poucos iriam aderir (entenda-se lá porquê)… teria que ser algo espectacular, forte e único;
    – Greve total, por tempo indeterminado, não porque os Professores não têm já pé-de-meia para isso… esquecendo que os sindicatos já receberam muitos milhões de quotas, que costeariam essa greve (onde andará já esse dinheiro…);
    – (…)
    .
    E agora Colega Arlindo? Colocamos a corda à volta do nosso próprio pescoço e esticamo-la… ajudando assim o MEC?!!…
    .
    .
    E agora?… Quantos associados permanecerão ainda na FNE, com tanta responsabilidade nestas e em outras situações gravissimas, como o despedimento colectivo de 47 000 Professores contratados?…
    .
    E agora Arlindo, sendo que é um dirigente da FNE??!!..
    .
    (Espero ingenuamente uma resposta do Colega. No entanto, espero sentado…)

    • Elisabete on 20 de Abril de 2013 at 23:53
    • Responder

    Enfim… Obrigada Arlindo pelo valioso trabalho! 2af vou me dedicar à leitura dos posts dos blogs. O meu marido não me deixa trabalhar para esta profissão ao fim de semana… Ele tem razão. Pois somos mesmo muito mal tratados. 🙁 Não merecem a nossa dedicação.

    • Manuel Carvalho. Trofa. on 20 de Abril de 2013 at 23:55
    • Responder

    A não ser da lavra dos diretores e presidentes das CAP, esta pouca vergonha que está publicada e se foi um qualquer Relvas do ministério da educação, estes se tiverem um pingo de amor próprio, devem demitir-se em bloco e criar um caos no ensino publico, só desta forma ,mostram que têm dignidade e zelam pelos professores que administram.

    • Manuel Carvalho. Trofa. on 21 de Abril de 2013 at 0:02
    • Responder

    Volta Lurdinhas que estás perdoada. Apesar da tua crueldade e iincompetência que demonstraste, Crato e os seus muchachos ainda conseguem ser pior do que tu foste. Estrelinha vos guie a todos, pois não tendes o mínimo de cultura política para governar nem o vosso quintal, quanto mais esta coutada que se chama Portugal.

    • Vitor Cunha on 21 de Abril de 2013 at 0:38
    • Responder

    Pessoal : as coisas vistas a frio são simples e … cínicas. Acontece que com as reformas dos ultimos 4 anos, se deixassem preencher todos esses lugares nos quadros dos agrupamentos, TODOS os actuais QZPs entrariam para um lugar no quadro de um agrupamento ( QA ) , ficando assim o ME desprovido do volante para as necessidades pontuais e sendo por isso obrigado a recorrer a contratos.
    Logo, o que fazer ? É simples, cortar nas vagas dos QA de forma a IMPEDIR a acesso a estes dos QZP. Garante-se assim o volante para todo o serviço ( pessoal dos QZPs) , agora com zonas de intervenção muito maiores e minimiza-se o recurso á contratação.
    Notem que os totais de QZPs e de vagas cortadas é da mesma ordem de grandeza.
    Poder-se-ia até dizer : uma boa medida de gestão previsional, caramba ! Pois, mas a verdade é que as pessoas dos QZPs têm direito a desejar uma situação mais estável. Todos conhecemos professores há DEZENAS de anos nessa situação e que agora viram goradas todas as suas legítimas expectativas. No mínimo deveriam ter sido criadas condições para que fosse possível a transição QZPs –> QA a uma certa percentagem dos actuais QZPs.

      • Bernardo on 21 de Abril de 2013 at 10:27
      • Responder

      E é preciso não esquecer as expetativas dos contratados de um dia poderem finalmente efetivar…. Em tudo o resto concordo plenamente consigo. Trata-se de facto uma medida de gestão que permite enviar todos os horários para a mobilidade e assim evitar horários zero ou atribuição de poucas horas aos efetivos afetados numa escola…

    • ya110 on 21 de Abril de 2013 at 1:23
    • Responder

    Vergonhoso, simplesmente vergonhoso.
    Estou tão revoltada!
    Mentirosos, larápios, rrrrrrsssssss…..
    Peçam a demissão, já!!

  2. Um pensamento para reflexão (que espero se revele infundado!): não estarão as escolas a ser esvaziadas de quadros por forma a que quando forem “cedidas” à gestão privada vão “tábuas rasas” de encargos financeiros com pessoal “não seleccionado” pelos novos “donos”??????????????????????? A gestão de rede ainda não foi tornada pública mas Crato já afirmou pretender aumentar, já no próximo ano lectivo, o n.º de turmas abrangido por contrato de associação…Depois (mas não muito), irá seguir-se a “municipalização” do ensino que, à semelhança do que aconteceu com as AEC, mais não será do que uma “transferência encapotada” para o domínio privado financiado pelo erário público.

    • Bernoulli on 21 de Abril de 2013 at 8:41
    • Responder

    Sou professora QND da escola x, este ano pedi destacamento para a escola y. Na escola y existem 8 professores extra quadro com 24 horas (entre destacamentos e contratados) , no entanto só abriram 2 vagas para o grupo.

    As minhas dúvidas são:

    Sei que irá haver horário para mim na escola y, poderei ser reconduzida, nesse horário, sem precisar de concorrer nem ao destacamento (apesar de ser ano de concurso interno), até porque na minha escola x a minha vaga está -1 (eu sou a última do grupo), serei certamente horário zero?

    Como serei certamente horário zero, o que deverei fazer:
    Concorrer para tentar mudar de quadro, ainda que para longe? Ou concorrer só para onde me interessa e depois ser declarada como DACL e e em seguida concorrer ao destacamento (se não puder ser reconduzida)? O meu receio prende-se com o facto de me deixar cair em horário zero e depois ir para a mobilidade especial. Oa professores de horário zero podem ficar descansados, porque concorrem como é habitual ao destacamento? Ou será que vão para a mobilidade especial?

    Agradeço desde já as respostas às minhas perguntas.

      • Carlitos on 21 de Abril de 2013 at 10:21
      • Responder

      Bom dia.
      Atualmente um professor qe com horaruo 0 vai a dacl antes dos qzp.
      tera contudo que concorrer a dacl depois ou agora para o quadro que pretende…
      Nao deixe de tentar contudo as escolas do seu interesse… este é o meu conselho mas apenas isso.

    • Carlitos on 21 de Abril de 2013 at 9:19
    • Responder

    Bons dias… na minha escola abriram vaga para um lugar que sera horario 0…. e nao foi a escola que o abriu…

      • Bernardo on 21 de Abril de 2013 at 10:30
      • Responder

      As vagas estão todas trocadas…

    • maria on 21 de Abril de 2013 at 11:13
    • Responder

    Bom dia a todos:

    Em relação aos quadros apresentados aqui, será que alguém me pode explicar o fato de haver QZP em que não existem horários zeros para alguns grupos, e, no entanto, a esses mesmos grupos foram atribuídas bastantes vagas negativas.

    Obrigada

    • Costa e Silva on 21 de Abril de 2013 at 15:22
    • Responder

    Colegas.
    Esta proposta de vagas apresentadas em despacho por este ministério é uma farsa. Eles sabem disso! Estão a rir-se…da desgraça dos outros.
    Têm, com uma imagem de tudo bem e pessoas muito sensíveis, o objetivo da destruição a carreira e o sistema educativo público.
    Contratados, perceberam que este governo não quer nada com vocês? O Mário Nogueira anda a enganar-vos. Ele já se apercebeu disso. E não foi de agora. Mas com a sua ideologia, que parece estar a correr bem, vai levando a bom porto os seus interesses pessoais: ser o líder do PCP.
    Eu não estou com isto. Estou com um sindicato que coloque, acima de tudo, a defesa e os direitos de todos os trabalhadores. Só há conceito de sindicato, se for imparcial com todos os trabalhadores…

  1. […] primeiro lugar pelo que aconteceu em 2013, em que o número de vagas de agrupamento/escola que abriu no concurso interno foi praticamente […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: