Pedido de Divulgação – Providência Cautelar ao Concurso Extraordinário

Várias vezes alertei para uma possível situação deste género e parece que vai mesmo acontecer.

 

Providência Cautelar a ser interposta ao Concurso externo Extraordinário

 

Como todos sabem no ano lectivo 2013/2014 foram colocados 600 professores contratados em QZP. Esses professores tiveram acesso a essas vagas através de um concurso externo extraordinário ao qual os professores do quadro não puderam ser opositores.

Amanhã irá abrir novo concurso externo extraordinário, onde aproximadamente 2000 professores contratados passarão a pertencer a um QZP. Mais uma vez e à semelhança do ano passado os professores do quadro não podem ser opositores a este concurso.

Nesse sentido foi preparada uma providência cautelar com o intuito não de suspender o concurso, mas sim que os professores do quadro também possam ser opositores.

 

Como a acção será interposta com a maior brevidade, chamo a atenção para que todos os interessados em participar entrem em contacto através do seguinte email: vale.helder@gmail.com

 

Certo da vossa atenção,

Helder Vale

Seguir:
arlindovsky
Seguir:

Latest posts by arlindovsky (see all)

Link permanente para este artigo: http://www.arlindovsky.net/2014/05/pedido-de-divulgacao-providencia-cautelar-ao-concurso-extraordinario/

120 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,


  1. Conte com o meu apoio e o da minha esposa. Vou já enviar um mail para saber como auxiliar.

    • António on 27 de Maio de 2014 at 21:30
    • Responder

    Não entendo esta providência cautelar. Supostamente já estão efetivos, correto? O ser humano português e as multimanias de reclamar de tudo!

      • Alexandre on 28 de Maio de 2014 at 12:30
      • Responder

      Olá Colega.

      Espero ajudar com este meu exemplo 😉

      No meu caso eu não quero ser opositor a este concurso, mas temos de respeitar quem quer. Pois há colegas que estão em QA no Algarve ou QZP 10 e têm o mesmo direito de poder concorrer às vagas no QZP da sua residência, por exemplo QZP1 ou QZP 2.

      A minha luta é a revisão da lei das prioridades, pois temos que começar por algum lado. A lei das prioridades não é ilegal é injusta. Assim, pegamos nesta ilegalidade (concurso extraordinário) para podermos depois termos assento em conversações com os partidos 😉

      Junta-te a nós 😉

      Envia os teus dados ao colega ( vale.helder@gmail.com ) e entra nesta luta.

      União = Força

    • Jorge Esperança on 27 de Maio de 2014 at 21:39
    • Responder

    Mais uma ENORME injustiça. Já enviei todos os meus dados e estarei convosco até ao fim. Grato pela iniciativa. Jorge


  2. Realmente que precisa de um ministro da educação, quando se tem colegas assim…

      • Alexandre on 28 de Maio de 2014 at 12:32
      • Responder

      Olá Colega.

      Espero ajudar com este meu exemplo 😉

      No meu caso eu não quero ser opositor a este concurso, mas temos de respeitar quem quer. Pois há colegas que estão em QA no Algarve ou QZP 10 e têm o mesmo direito de poder concorrer às vagas no QZP da sua residência, por exemplo QZP1 ou QZP 2.

      A minha luta é a revisão da lei das prioridades, pois temos que começar por algum lado. A lei das prioridades não é ilegal é injusta. Assim, pegamos nesta ilegalidade (concurso extraordinário) para podermos depois termos assento em conversações com os partidos 😉

      Junta-te a nós 😉

      Envia os teus dados ao colega ( vale.helder@gmail.com ) e entra nesta luta.

      União = Força


  3. Realmente quem precisa de um ministro da educação… Quando se tem colegas assim…


    1. É um concurso ilegal e é dever de todos, inclusivamente dos sindicatos atuar e denunciar esta situação, “quando se tem colegas assim…”

        • Externo on 28 de Maio de 2014 at 23:15
        • Responder

        E porque é que os sindicatos não alinham na providencia??? porque é absurda!

        Vão conseguir acabar com os Concursos, o Crato está de parabéns

    • Prof34 on 27 de Maio de 2014 at 21:58
    • Responder

    Peço desculpa mas também nao estou a perceber a iniciativa. Se já é do quadro, porquê querer concorrer ao quadro? Para ir para um QZP com menor probabilidade de ser horário zero? É isso? Obrigado

      • Nuno Coelho on 27 de Maio de 2014 at 22:13
      • Responder

      Ou para aproximar-se da residência.

      • Liliana Dias on 28 de Maio de 2014 at 0:26
      • Responder

      Eu estou numa escola a 150km de casa quando preferia estar na zona 5 apesar da extensão do QZP. Não me parece justo ser ultrapassada desta forma… sendo que para vincular arrisquei bastante e passei anos e anos longe de casa, sujeitando-me a muito e agora, não valeu de muito…


    1. É um concurso ilegal e é dever de todos, inclusivamente dos sindicatos atuar e denunciar esta situação.


      1. Concordo colega. Vamos impugnar esta ilegalidade.

          • Alexandre on 28 de Maio de 2014 at 11:32

          Que fique bem claro que a providência cautelar a ser interposta, nada tem a ver com os sindicatos, pelo contrário, foi exatamente pelos sindicatos nada fazerem que surgiu este Movimento Nacional de Professores Injustiçados, que tem como objetivo, mais premente, a possibilidade de todos os professores terem o direito de serem opositores ao concurso extraordinário.
          Porém, é bom as pessoas começarem a ter consciência que o princípio que está subjacente a toda esta indignação é o desrespeito demonstrado,pelos sucessivos governos, à nossa classe, ao legislarem de forma irresponsável (sem analisarem as consequências) e que destroem famílias que já tinham um projeto e outros que não avançam por causa da instabilidade. Em suma devemos estar todos unidos, pois não acredito que alguém esteja de acordo que não se respeite a lista de graduação, na mobilidade interna ou em qualquer outro concurso e, que esse facto permita que professores menos graduados estejam há 4 anos e a caminho de mais 4, a beneficiar de uma lei que não faz sentido.
          E para os colegas que não estão bem informados, vou só dar este exemplo: tenho todos os dias de fazer 110 km para dar aulas, tendo 4 colegas de QZP, menos graduados que eu, numa escola a 5 minutos de minha casa. Caros colegas nada tenho contra esses colegas, pois inclusivé conheço-os bem e sei que também são da nossa opinião. Contudo, vejam quanto é que isso não significa a nível financeiro, familiar, desgaste físico e psicológico.
          Tenho 15 anos de serviço, fiquei em QA porque arrisquei e fui colocado a centenas de kilómetros de minha casa, andei toda a minha vida profissional, com a casa às costas e agora mudam as coisas !!!!!! já fui ultrapassado por colegas no outro concurso extraordinário e agora vou lutar com todas as minhas força para que possa continuar a falar destas injustiças com legitimidade e com a consciência de que fiz tudo.

          Por isso colegas, enviem o email para o colega Helder ( vale.helder@gmail.com ) para que as despesas sejam mais leves para todos. Em minha casa somos dois nesta situação e vamos pagar os dois, apesar de nenhum de nós querer ser opositor a este concurso 😉

          MAS É TUDO UMA QUESTÃO DE PRINCÍPIO…

          A SEGUIR VÊM OUTROS COMBATES….E O PEDIDO DE RESPOSTA A ESTAS PERGUNTAS 😉

          Porque é que não é respeitada a graduação profissional em qualquer uma das fases dos concursos?
          -Porque é que no concurso da mobilidade interna, os QZP menos graduados, concorrem numa prioridade à frente dos QA?
          -Se os QZP concorrem numa prioridade à frente dos QA, porque razão é que não são obrigados a manifestar preferências, primeiro para as escolas da sua zona de vinculação?
          -Porque é que quando há concurso de professores, não se verifica um apuramento correto das vagas por parte do MEC?
          -Qual é a razão de continuar a existirem contratados com 10 e 15 anos de serviço, sem entrarem nos quadros, quando vemos em todos os concursos a necessidade real das vagas.

          Desculpem…mas é um desabafo 😉

      • Alexandre on 28 de Maio de 2014 at 12:34
      • Responder

      Olá Colega.

      Espero ajudar com este meu exemplo 😉

      No meu caso eu não quero ser opositor a este concurso, mas temos de respeitar quem quer. Pois há colegas que estão em QA no Algarve ou QZP 10 e têm o mesmo direito de poder concorrer às vagas no QZP da sua residência, por exemplo QZP1 ou QZP 2.

      A minha luta é a revisão da lei das prioridades, pois temos que começar por algum lado. A lei das prioridades não é ilegal é injusta. Assim, pegamos nesta ilegalidade (concurso extraordinário) para podermos depois termos assento em conversações com os partidos 😉

      Junta-te a nós 😉

      Envia os teus dados ao colega ( vale.helder@gmail.com ) e entra nesta luta.

      União = Força

    • a proxima on 27 de Maio de 2014 at 22:08
    • Responder

    Acha justo que um colega graduado fique com uma vaga que um efetivo preferiria? Eu não.
    Vou entrar


    1. É um concurso ilegal e é dever de todos, inclusivamente dos sindicatos atuar e denunciar esta situação.

    • Enfim on 27 de Maio de 2014 at 22:10
    • Responder

    Agora que muitos colegas, depois de muitos anos de sacrificios, vão poder entrar para os quadros, aparece uma ave rara que decide estragar-lhes a vida. Enfim! e cito “…quem precisa de um ministro da educação… Quando se tem colegas assim…”


    1. É um concurso ilegal e é dever de todos, inclusivamente dos sindicatos atuar e denunciar esta situação.


    2. Pois caro colega, mas as aves raras provavelmente andam a sacrificar-se há mais anos…e gostavam de trabalhar perto do local de residência e da família!

      • Alexandre on 28 de Maio de 2014 at 12:35
      • Responder

      Olá Colega.

      Espero ajudar com este meu exemplo 😉

      No meu caso eu não quero ser opositor a este concurso, mas temos de respeitar quem quer. Pois há colegas que estão em QA no Algarve ou QZP 10 e têm o mesmo direito de poder concorrer às vagas no QZP da sua residência, por exemplo QZP1 ou QZP 2.

      A minha luta é a revisão da lei das prioridades, pois temos que começar por algum lado. A lei das prioridades não é ilegal é injusta. Assim, pegamos nesta ilegalidade (concurso extraordinário) para podermos depois termos assento em conversações com os partidos 😉

      Junta-te a nós 😉

      Envia os teus dados ao colega ( vale.helder@gmail.com ) e entra nesta luta.

      União = Força

      • jhjkh on 28 de Maio de 2014 at 18:18
      • Responder

      Há mesmo aves raras na nossa profissão…mas quando ficares num quadro a 400km de distância de tua casa, família, amigos, etc. talvez te transformes numa ave extinta. A não ser que tenhas um PAiTROCÍNIO rico que pague mais uma renda de casa, combustíveis, portagens, e muitas outras despesas, para sobreviveres. BOA SORTE……FUTURA AVE EXTINTA

    • Prof34 on 27 de Maio de 2014 at 22:24
    • Responder

    Portanto, esta a confirmar o que eu disse. O interesse é simplesmente mudar de QZP. Escusava era de ter escrito nesse tom arrogante, agressivo e a roçar a falta de educação. Eu até tive o cuidado de pedir desculpa por não estar a entender o raciocínio da iniciativa


  4. Caiu-lhes a mascara, aqui se vê o que os srs. do quadro pensam dos “colegas” contratados.
    Pode ser que o tiro lhes saia pela culatra, pelo menos ficamos a saber quem eles são….

    • Profiu on 27 de Maio de 2014 at 22:28
    • Responder

    Caiu-lhes a máscara, ficamos a saber em definitivo o que esta “classe” pensa dos Contratados.
    Pode ser que o tiro lhes saia pela culatra, pelo menos ficamos a saber quem esles são…

    • ricardoB on 27 de Maio de 2014 at 22:30
    • Responder

    JÁ somos perto de uma centena e iremos ser mais. Podes contar comigo.

    • Profiu on 27 de Maio de 2014 at 22:33
    • Responder

    Caiu-lhes a máscara, ficamos a saber o que esta “classe” pensa dos Contratados.
    Pode ser que o tiro lhes saia pela culatra, pelo menos ficamos a saber quem eles são!!

    • Vítor B on 27 de Maio de 2014 at 22:37
    • Responder

    “Há quem pense que os professores do quadro que pretendem concorrer a estas vagas não querem que os professores contratados vinculem. Nada mais de errado! Apenas pretendem ter um pouco mais de estabilidade do que têm neste momento, tal como os contratados. A solução, sendo possível aos professores do quadro concorrerem, seria que os lugares que eles deixassem vagos fossem obrigatoriamente remetidos também a concurso, salvaguardando assim a existência das previsíveis 2000 vagas para os contratados efetivarem.” in blog professores ao infinito

    Para que se possa perceber melhor esta iniciativa, deixo alguns links:

    http://profsaoinfinito.blogspot.pt/2014/03/justica-ou-injustica-entao-e-lei.html

    http://profsaoinfinito.blogspot.pt/2014/03/as-injusticas-no-concurso-externo.html

    http://profsaoinfinito.blogspot.pt/2014/03/as-injusticas-no-concurso-externo_3.html


  5. Isso só faria sentido se houvesse vagas por escola e não por zona. Porque neste concurso quem concorrer pode ir parar a qualquer escola dessa zona, ou estou enganada?

    • Zé Augusto on 27 de Maio de 2014 at 22:51
    • Responder

    Sou contratado e dou totalmente razão Às pessoas do quadro. É uma autêntica vergonha! E contra mim falo! Mas sei ser justo.
    Não sei se fosse ao contrário eles seriam justos para comigo (noutra situações……) mas agora, e neste caso, é totalmente aberrante o que estão a fazer.

    • maria ferreira on 27 de Maio de 2014 at 22:52
    • Responder

    Plenamente de acordo… Há professores do quadro que querem mudar de QZP ou de grupo de recrutamento (como é o meu caso; pretendo mudar de grupo) e no concurso interno não o conseguirão. Não estão a roubar lugares, pois penso que libertariam os lugares que ocupam; essa seria a lógica. No entanto, quando tento entrar no mail do colega Hélder dá-me indereço incorreto. Alguém conseguiu?


  6. Colegas analisem a Mobilidade interna. Como é possível manter o resultado da mobilidade interna de 2013-2014 durante quatro anos quando há concurso em 2015. Será que se preparam para já não fazer concurso interno em 2015? Poderá ser erro? Eu já não acredito em boas intenções…
    E será que há mobilidade interna para quem não tem horário zero? É que me surgiram muitas dúvidas ao ler os artigos inerentes há mobilidade interna…


  7. Colegas já leram a parte da mobilidade interna? Os resultados da mobilidade interna de 2013-2014 mantêm-se por quatro anos? Então não há concurso interno em 2015?


  8. Colegas já leram a parte da mobilidade interna? Então os resultados da mobilidade interna de 2013-2014 mantêm-se durante quatro anos? Então mas não há concurso interno em 2015?

    • Anita on 27 de Maio de 2014 at 23:05
    • Responder

    Então a ideia seria dar aos 11 mil atuais QZP a possibilidade de mudar simplesmente de QZP. Mas depois o Ministério quase de certeza que não abria 2000 vagas. Diziam que tinham ficado vagas em sítios em que não são precisos. É melhor não se meteram nisso!

    • Profiui on 27 de Maio de 2014 at 23:19
    • Responder

    Caiu-lhes a máscara!
    Eis o que estes srs. pensam dos contratados. Ja não basta o que lhes fazem nas escolas, agora querem ir para os tribunais sonegar o direito a uma vida mais digna.
    Como dizia o outro, eles comem tudo….
    Pode ser que o tiro lhes saia pela culatra, pelo menos ficamos a saber quem esles são…e escusam de vir falar em justiça…falem antes de hipocrisia!!!


  9. hello!!!!!!!! anda tudo louco?
    Quem entrar no concurso agora, será apenas um docente de QZP, no próximo concurso interno ficará numa prioridade inferior a quem neste momento já pertence ao quadro…Isso não chega??? é preciso uma Providência Cautelar???
    isso é um complexo de superioridade…..

      • Liliana Dias on 28 de Maio de 2014 at 0:29
      • Responder

      Eu preferiria estar em QZP do que no quadro de escola onde estou a 150 km de casa…


    1. Mas fica mais perto de casa que outros que já são quadro há mais tempo e com maior graduação, por exemplo. E então, comparando um novo QZP com um QA/QE, na mobilidade de 2015 (sim, porque o interno do próximo ano, a ser igual ao do ano passado, não serve pra nada, pouco vinculam onde desejam) está em 1ª prioridade e os QA/QE em 2ª prioridade, com mais pessoas menos graduadas à sua frente. É isso justiça? E ninguém quer ser superior, mas inferior também não…


    2. No concurso interno, QZP’s e QA/QE’s concorrem exatamente na mesma prioridade. Na mobilidade interna, QZP, ainda que menos graduado, está numa prioridade melhor que QA/QE, logo é colocado à frente de quem, mais graduado, poderia querer ser colocado em lugares que acabam por ser dados a pessoas menos graduadas. Como já se disse atrás, não se trata de não querer a vinculação dos professores contratados, mas tão só de ter a possibilidade de, atendendo à graduação, ter acesso a um lugar mais perto de casa. Não se trata também de ser superior ou inferior: trata-se apenas de justiça. Ou será que quem está neste momento como contratado aceita, sem reclamar, que outro colega menos graduado o ultrapasse? Afinal, a justiça só interessa quando sentimos na nossa pele a ausência dela?


    3. É um concurso ilegal e é dever de todos, inclusivamente dos sindicatos atuar e denunciar esta situação.

      • Alexandre on 28 de Maio de 2014 at 12:38
      • Responder

      Olá Colega.

      Em primeiro lugar não está bem informada em relação às prioridades, pois os QZP têm prioridade, na mobilidade interna independentemente da graduação.

      Espero ajudar com este exemplo 😉

      No meu caso eu não quero ser opositor a este concurso, mas temos de respeitar quem quer. Pois há colegas que estão em QA no Algarve ou QZP 10 e têm o mesmo direito de poder concorrer às vagas no QZP da sua residência, por exemplo QZP1 ou QZP 2.

      A minha luta é a revisão da lei das prioridades, pois temos que começar por algum lado. A lei das prioridades não é ilegal é injusta. Assim, pegamos nesta ilegalidade (concurso extraordinário) para podermos depois termos assento em conversações com os partidos 😉

      Junta-te a nós 😉

      Envia os teus dados ao colega ( vale.helder@gmail.com ) e entra nesta luta.

      União = Força


      1. Alexandre, se os colegas ainda não perceberam é porque… não querem! é óbvio que é uma injustiça para o QA! Conheço colegas QZP que se dão ao luxo de dizer que se fossem colocados longe de casa, punham atestado médico!
        E as direções das escolas também têm culpa, pois estas vagas nunca vão para a 1.ª fase, ficando guardadas para os seus amigos!

    • Profiui on 27 de Maio de 2014 at 23:28
    • Responder

    Vergonha. Vejam o que estes srs pensam dos contratados. Caiu-lhes a máscara, não venham falar em justiça. Como dizia o Outro, eles comem tudo…

    • Helena Mendes on 27 de Maio de 2014 at 23:29
    • Responder

    Gente mesquinha.
    As vagas são abertas pelos contratados, não pelos professores dos quadros.
    Por esta via judicial, o que espera a estes tontos é, no futuro muito próximo, desaparecerem os concursos de vez.
    Qual é o sindicato que está por trás disto? Vá, digam…

      • Professora on 28 de Maio de 2014 at 0:31
      • Responder

      Acho muito bem que esteja algum sindicato envolvido nisto, pois é para situações como estas que pagamos quotas. É para nos representarem e fazerem cumprir a lei.

      Concordo totalmente com a providência cautelar. No entanto, é preciso ter em atenção que este concurso não tem prioridades e nós não devemos concorrer todos (quadro e contratados) na mesma, pois as condições em que estamos vinculados e a forma como integrámos a carreira são diferentes. Todos sabemos que existem contratados com muito tempo no privado e gente que nunca largou a beira da porta e que têm agora graduações muito elevadas. Assim, penso que esta providência deverá solicitar a transformação deste concurso externo em interno e externo e a ordenação ser feita de acordo com o que o novo DL 132 dispõe.

      E para os colegas contratados, entendam que não estamos contra a vossa vinculação. Simplesmente não pode ser assim, pois podemos pertencer a um quadro, mas só queremos trocar de lugar não retirar-vos o lugar. Já nos sacrificámos em estar bem longe ou caímos na situação de horário-zero, pelo que o justo é manter o concurso para todos (quadro e contratados) ordenados devidamente em prioridades.

      Estas vagas são necessidades permanentes do sistema, então são para todos.

        • Alexandre on 28 de Maio de 2014 at 13:58
        • Responder

        Olá Colega,

        Não é nenhum sindicato que está a tratar disto é um grupo de professores (já somos 100) que vão dividir, por sua conta, as custas judiciais com esta providência.

        Professores que passaram das palavras às ações.

        Por isso colega, se é da nossa opinião, junte-se a nós 😉

        Envie os seus dados (nome, email e contacto ) ao colega ( vale.helder@gmail.com ) e entre nesta luta.

        União = Força


    1. É um concurso ilegal e é dever de todos, inclusivamente dos sindicatos atuar e denunciar esta situação.

    • Margarida Faria on 27 de Maio de 2014 at 23:32
    • Responder

    Não consigo aceder ao mail! E concordo totalmente, acho completamente injusto, já hoje aqui tinha deixado o meu repúdio, e não tenho nada contra os professores dos quadros de zona, mas eu não sou pior que ninguém e tenho direito a que os meus direitos valham de alguma coisa, já que só tenho servido para ser roubada!

    • a proxima on 27 de Maio de 2014 at 23:36
    • Responder

    Eu consegui mandar mail. E já divulguei por todos os meus contactos. Esta injustiça tem de ser parada. E não venham com tretas, porque os próprios contratados não concordam. Pelo menos os que sabem ler a diretiva da UE. Os outros ainda pensam que podem ter sorte…


  10. “Nesse sentido foi preparada uma providência cautelar com o intuito não de suspender o concurso, mas sim que os professores do quadro também possam ser opositores”.
    Nem sei se que diga a isto… professores do quadro a quererem ser opositores a um concurso externo de vinculação extraordinária???? Ridículo… ainda por cima quando este concurso nem de perto nem de longe corrige toda a desgraça imposta a milhares de professores discriminados durante décadas… Eles comem tudo…


    1. É um concurso ilegal e é dever de todos, inclusivamente dos sindicatos atuar e denunciar esta situação.


      1. Sr. A deixe as pessoas em paz…e vá ensinar!

          • A on 28 de Maio de 2014 at 10:19

          Sr.(a) Fifia, e não estou a ensinar? Gostava de ler a sua opinião, certamente terá mais conteúdo que o que escreveu anteriormente. Estou inteiramente ao seu dispor para debater o tema mas indisponível para discussões que apenas passem pelo “..vá ensinar”.

    • Jorge Pereira on 28 de Maio de 2014 at 0:22
    • Responder

    Deixo aqui o meu caso, que é meramente exemplificativo para quem não entende ou não quer entender.

    Tenho 20 anos de ensino
    6 de contrato e 14 QZP
    Pertenço a um QZP que fica a 400Km (+-) da minha área de residência.
    Sempre que existiram concursos, (já lá vai o tempo…) concorri (para vários QPZ’s) para aproximar nem que fossem alguns “quilómetrinhos”, mas nunca consegui!
    É justo não poder concorrer ao fim destes anos todos? em que estive longe? Via escolas com mais do que um horário completo ao pé de casa e não podia concorrer, eram ocupados por professores contratados (nada contra) e não podia concorrer, pois não eram do meu QZP, onde estava a 400Km!

    É justo não poder concorrer ao fim destes anos todos?

    Deixo aqui o seguinte excerto de professores ao infinito:
    “Basta analisar o ponto 4 do artigo 6° da referida Lei, que diz:

    “4 – O recrutamento para constituição de relações jurídicas de emprego público por tempo indeterminado nas modalidades previstas no n.º 1 do artigo 9.º inicia-se sempre de entre trabalhadores com relação jurídica de emprego público por tempo indeterminado previamente estabelecida.”

    Ou seja, havendo a abertura de vagas para a vinculação de docentes, essas vagas têm de ser inicialmente disponibilizadas aos professores dos quadros.”


    1. A lei é clara, mas ainda há quem não queira compreender o exposto na lei e tente subverter tudo e todos. É uma vergonha que com esta lei apenas 1 em cada 80 professores fique satisfeito, uma vez que cria uma injustiça desproporciponal e ilógica. Imaginemos que ao mudar de grupo dentro do quadro abro uma vaga de grupo 110 e ocupo uma do 230. A vaga não é recuperada? Então qual é o problema de haver um concurso interno antes do externo? O colega contratado menos graduado poderia ter que concorrer para o 1º ciclo, mas as vagas, no computo geral, continuam as mesmas. Se isto for falso é porque o MEC mentiu e não havia necessidade de tantos contratos.

    • Eulália Almeida on 28 de Maio de 2014 at 1:13
    • Responder

    Eu partilho da opinião que é uma injustiça, estou sufocada!
    Contem com o meu apoio e digam-me como faço para ajudar?!

      • RicardoB on 28 de Maio de 2014 at 6:27
      • Responder

      Contacta vale.helder@gmail.com Já somos mais de 100. Quantos mais melhor. Não se esqueçam, em caso de conseguirmos ganhar a ação só usufrui quem participou.


      1. lol

          • RicardoB on 28 de Maio de 2014 at 19:17

          lol

    • Alexandre on 28 de Maio de 2014 at 3:27
    • Responder

    Uma providência cautelar é uma ação colocada em tribunal com caráter de urgência. Sempre que alguém mostre um fundado receio de que outrem cause lesão, dano ou de difícil reparação, pode requerer uma providência cautelar que é uma medida que assegura a atividade do direito que é ameaçado.

    Estes concursos extraordinários (e que já vão dois…em dois anos) tem um bom princípio, que é dar a oportunidade a professores, com muitos anos a contrato, entrem nos quadros do estado. Contudo, está a criar um clima de grande injustiça, pois professores mais graduados estão a ficar atrás de professores que acabaram de entrar em QZP e que ficam, na mobilidade interna, numa prioridade que lhes permite ficar em escolas perto de casa, ocupando o lugar, que professores mais graduados prefeririam;

    Depois desta providência outras lutas virão…pois alguém terá de explicar o seguinte:

    -Porque é que não é respeitada a graduação profissional em qualquer uma das fases dos concursos?
    -Porque é que no concurso da mobilidade interna, os QZP menos graduados, concorrem numa prioridade à frente dos QA?
    -Se os QZP concorrem numa prioridade à frente dos QA, porque razão é que não são obrigados a manifestar preferências, primeiro para as escolas da sua zona de vinculação?
    -Porque é que quando há concurso de professores, não se verifica um apuramento correto das vagas por parte do MEC?

    Juntem-se ao grupo do FaceBook – Movimento Nacional de Professores Injustiçados e mandem um email para vale.helder@gmail.com para entrar nesta luta.

    • narciso on 28 de Maio de 2014 at 8:36
    • Responder

    A história é sempre a mesma…. sempre a olhar para o seu umbigo.
    Vamos criar o MOVIMENTO DEIXEM OS CONTRATADOS EM PAZ. Estão sempre reclamar com a barriga cheia. Deixem os tristes aproveitar umas migalhas


    1. “A história é sempre a mesma… sempre a olhar para o seu umbigo.” – Pense bem no que escreveu e não pense apenas no seu umbigo. Os colegas que entraram no ano passado no externo extraordinários já estão contra este concurso porque vão abrir vagas mais perto de casa e às quais não puderam concorrer. Ir contra a lei que regula as contratações (12-A de 2008), vai criar e criou no ano passado, situações de injustiça gravíssimas, corrigir o que prejudica a maioria e beneficia ilegalmente alguns não é olhar para o umbigo de todos?
      Se para o ano entrar para quadro vai sentir a mesma injustiça quando ficar em horário zero, quiser mudar de grupo para o qual tem habilitação profissional e vir colegas menos graduados do seu grupo e com muito menos tempo de serviço passarem-lhe à frente -“ultrapassarem” nas palavras do secretário geral da FNE, do qual já nem me digno a pronunciar o nome.

    • 14 anos Contratado on 28 de Maio de 2014 at 9:48
    • Responder

    Por estas e outras é que o ensino está todo acabado em Portugal, é só gentinha sem a mínima vocação para ser professor, a vossa possibilidade de aproximar de casa com a redução abrupta de alunos é proporcional à vossa possibilidade de qualquer dia estarem é com horário zero, mobilidade especial e casa com vocês, gente mesquinha!!! Ilegalidade são contratados com 5, 10, 15 anos de serviço a receberem sempre pelo mesmo índice e a fazer mexer as escolas para os grandes efetivos não fazerem ponta como é costume. Estas vagas são abertas pela luta dos contratados, não pelos sindicatos que nunca quiseram saber destes para nada, muito menos por luta dos efetivos que agora querem “mamar” na luta dos outros! Meus amigos ganhem é vergonha na cara e calem-se!


    1. E nesses 14 anos que está contratado concorreu a todos os grupos de recrutamento aos quais tem habilitação? Concorreu a nível nacional para todas as vagas a concurso? As vagas em que ficou colocado estiveram alguma vez disponíveis para colegas de quadro? Beneficiou de recondução com colegas contratados com mais habilitação no desemprego por não ter liberto a vaga?
      A lei é bem clara, as vagas a concurso primeiro devem estar disponíveis aos docentes com vinculo de nomeação definitiva e só depois disponibilizadas para novas vinculações. Ninguém pede que não entrem mais contratados para os quadros, apenas ter acesso a essas mesmas vagas e que ao haver transição de grupo ou de zona que as vagas libertadas sejam recuperadas. É o justo, o normal e o legal.

        • inteligênciapura on 30 de Maio de 2014 at 20:49
        • Responder

        São contratados há 10 ou 15 anos porque são inteligentes:
        -há sempre muita pena dos coitadinhos e portanto alguém os há-de vincular a 100 m de casa;
        -são tão inteligentes que nem sequer pedem a majoração pelo tempo de serviço em que estão no público, ficam muito iguaizinhos aos do particular com mais classificação do que eles;
        -são tão inteligentes que não enxergam que muitas vagas serão ocupadas por tipos vindo do ensino particular que os põe na rua desde há 3 ou 4 anos.

      • maria ferreira on 28 de Maio de 2014 at 10:10
      • Responder

      E que tal, em vez de falar-se de cor, informar-se um pouco. Eu tenho 16 anos de serviço e há 14 sou do quadro e acha que estou em que índice? Pois, estou no 2º, a receber praticamente o mesmo que alguém com 2 anos de serviço e contratado. E sabe quando subirei? Possivelmente nunca mais, ou pelo menos não tão depressa….


      1. Eu estou há 11 anos no quadro, tenho catorze de serviço e estou no 1º escalão, ganho o mesmo que um professor contratado mas não posso concorrer para mais que um grupo de recrutamento apesar de ter a mesma habilitação profissional e mais graduação que muitos dos contratos que estão a leccionar na minha escola.
        Sou do grupo 300 e estou em horário zero, tenho habilitação para o grupo 910. Está a trabalhar no meu agrupamento uma colega do grupo 300, com 10 anos de serviço e que terminou a especialização no 910 no ano passado, ela pode concorre ao grupo e ficar colocada eu tenho que ficar em horário zero e ganhar para o ano 40% do ordenado (apesar de mais graduado, com a mesma especialização e de ganhar o mesmo que a colega). Onde está a lógica e a justiça????

          • MNGX on 28 de Maio de 2014 at 10:59

          Há tantas injustiças… Já estou fartinho de ver gente mais nova que eu, com menos tempo de serviço que eu, mas com médias “fantabulásticas” de fim de curso a entrar em quadro ou a obter colocação a contrato à minha frente. Curioso, depois, é que não sabem os conteúdos e passam o tempo todo a vir tirar dúvidas comigo.. Há tantas injustiças…

          • Alexandre on 28 de Maio de 2014 at 12:26

          Junta-te a nós 😉

          Envia os teus dados ao colega ( vale.helder@gmail.com ) e entra nesta luta.

          Eu não quero ser opositor a este concurso, mas temos de respeitar quem quer. Pois há colegas que estão em QA no Algarve ou QZP 10 e têm o mesmo direito de poder concorrer às vagas no QZP da sua residência, por exemplo QZP1 ou QZP 2.

          A luta que depois disto teremos que fazer, pois temos que começar por alguma coisa, pois a lei das prioridades não é ilegal é injusta. Assim, pegamos nesta ilegalidade para podermos depois termos assento em conversações com os partidos 😉

          União = Força

          • Externo on 28 de Maio de 2014 at 23:10

          A, não conseguiu um horário no 300? tentou mais que um QZP? Tipo contratado (explorado)…que vai a todas!!
          Tem a certeza que ganha o mesmo que um contratado?

        • 14 anos Contratado on 28 de Maio de 2014 at 17:17
        • Responder

        Cara Maria Ferreira, quem fala de cor é a colega: indice 151 (contratado) – 1373,13€ ; indice 188 (2º escalão) – 1709,60€; são só 336 euros a mais pelos seus 16 anos de serviço contra os meus 14 anos de serviço. Cara A, só concorro a 1 grupo de recrutamento (ao meu) não tirei especialidades em 1 ano para dar outros grupos de recrutamento…concorro sempre a todo o país, nunca estive a menos de 120km de casa (já estive a 300 vários anos). E para quem vem com teorias da legalidade, pela lei seria efetivo desde 2004, por isso não me venham com a história que estas vagas criadas para amenizar anos de ilegalidades em relação aos contratados devem ser disponibilizadas para os docentes de carreira. Não tenho nada contra os docentes de carreira, eu tb quero ser um deles…só quero é que lutem por vocês e não minem a luta dos outros.

          • AS on 28 de Maio de 2014 at 21:32

          Professora Q.A. com 14 anos de serviço, 1. escalão = 1518 € ( ilíquido) com os novos cortes 1350€ (ilíquido).


    2. Não posso deixar de concordar consigo! Há dezasseis anos contratado, já andei pela RAM e pela RAA, de Ponte de Lima à Grande Lisboa e sempre a mendigar colocação! Tenho média final de curso de 14 valores e nunca consegui um lugar de vínculo. Dou o litro, e mais ainda, pelas escolas por onde passo. Dedico-me aos meus alunos e ao seu sucesso. Não passo do “contratado que aguenta tudo e aceita qualquer horário” mas que recebe menos que os outros. Desde que trabalho só vivi na minha casa seis anos!
      Este concurso serve para os que andam há anos a tentar ver reconhecido o seu trabalho!
      Governem-se com o que já têm e deixem os contratados em paz!

        • Alexandre on 28 de Maio de 2014 at 12:48
        • Responder

        Olá Colega.

        Pela paixão das suas palavras não tenho dúvidas do seu profissionalismo e espero bem que entre nos quadros, são os meus votos sinceros.

        Agora vejamos:

        Imagine que entra no QZP10 e para o ano há um novo concurso extraordinário ( pois porque para extraordinário já é o segundo e nada garante que não o façam outra vez e até espero que façam, para mais professores entrarem) e que abre vagas para QZP da sua residência. Não seria justo o colega também ter o mesmo direito de concorrer à vaga. Pois o que está aqui em causa é que depois de concorrer e ficar nos quadros, se houver vagas para a sua zona de residência é para os outros… os professores do quadro não têm direito.

        Porém, a minha luta é a revisão da lei das prioridades, pois temos que começar por algum lado. A lei das prioridades não é ilegal é injusta. Assim, pegamos nesta ilegalidade (concurso extraordinário) para podermos depois termos assento em conversações com os partidos 😉

        União = Força


      1. Aqui ninguém está contra os contratados, mas se o MEC fizesse um concurso de contratação para escolas públicas apenas para docentes que quisessem sair das escolas privadas o colega com certeza que ficava indignado por não poder concorrer a essas vagas tivesse ou não colocação nesse ano, sentir-se-ia “ultrapassado”, ou não?

    • Castle on 28 de Maio de 2014 at 9:56
    • Responder

    Até que enfim que vejo algo de (mais) concreto. Eu já enviei mail.
    E todos aqueles colegas que não entendem (ou não querem) o cerne da questão, que se informem melhor das injustiças que estão a ser feitas com este concurso externo.
    Para além daquelas que já foram aqui citadas, apenas mais este exemplo:

    1. Professor de QZP do grupo xxx, mas com horário zero, pretendeu, por isso, concorrer ao grupo 910, para o qual tem habilitação profissional.
    2. Porém, isso foi-lhe vedado, dado que apenas podiam concorrer colegas contratados.
    3. Resultado: As vagas existentes para o grupo 910 foram ocupadas por professores contratados com menor graduação profissional que a dele e permanecendo no grupo xxx com horário zero porque não pode concorrer ao grupo 910, por se tratar apenas de um concurso externo.
    4. Constata-se que houve, efetivamente, uma ultrapassagem injusta e essas vagas já eram.
    5. Para além disso, não se justifica preencher vagas de quadro com contratados, havendo ainda professores do quadro com horário zero que poderão preencher as mesmas.


    1. Nem mais, subscrevo inteiramente o que o colega escreveu.

      Um like ao seu comentário.


    2. E acha que é justo estar contratado há 14 anos?! E não conseguir vincular, porque sou ultrapassado pelos colegas do 1º ciclo (eu concorro ao 2º) efetivos e com média e tempo de serviço inferior ao meu?! E pode parecer que não concorro a nível nacional… Mas não. Sempre concorri a nível nacional e sujeito-me, também, a ir parar a km de casa… Portanto não falem em justiça… Realmente é por estas e por outras que não a nossa classe está tão mal vista… Professores a impugnar um concurso de professores… Enfim…

        • Alexandre on 28 de Maio de 2014 at 12:55
        • Responder

        Olá Colega,

        Não conheço o seu caso, mas a questão que se coloca aqui é fazer frente a esta ilegalidade ou seja não faz sentido que alguém que já esteja no quadro não possaconcorrer a uma vaga de um quadro da sua residência.

        Depois disto pode ser uma oportunidade de levarmos aos partidos outras questões que não são ilegais, mas muito injustas 😉


  11. Este concurso é ilegal!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

      • Contratado há 13 on 29 de Maio de 2014 at 13:38
      • Responder

      Tu é que és ilegal! Sabes o que significa Extraordinário? Goodness me!
      Essa conversa de que os contratados ficaram sempre perto de casa vem de onde expliquem-me? É que ando há 13 anos nisto e estive apenas uma vez perto do Porto. Vocês não sabem qual é a sensação de estar 13 anos com o mês de agosto em angústia, imaginando se vai ter trabalho ou não?! E mais de metade desses anos a apresentar-se no dia 1 de setembro a meter a papelada para o subsídio de desemprego pq n se conseguiu colocação. Este concurso é para contratados. Lutem isso sim pela alteração de prioridades do interno!
      Gostava que o Arlindo fizesse um levantamento de quantos anos os colegas de QA/QE estiveram a contrato. Era giro comparar! Ahh..e não vale prestar falsas declarações!


  12. Vai haver uma ultrapassagem injusta. Professores do quadro com horário zero, temos que nos unir.

    • Alexandre on 28 de Maio de 2014 at 11:33
    • Responder

    Que fique bem claro que a providência cautelar a ser interposta, nada tem a ver com os sindicatos, pelo contrário, foi exatamente pelos sindicatos nada fazerem que surgiu este Movimento Nacional de Professores Injustiçados, que tem como objetivo, mais premente, a possibilidade de todos os professores terem o direito de serem opositores ao concurso extraordinário.
    Porém, é bom as pessoas começarem a ter consciência que o princípio que está subjacente a toda esta indignação é o desrespeito demonstrado,pelos sucessivos governos, à nossa classe, ao legislarem de forma irresponsável (sem analisarem as consequências) e que destroem famílias que já tinham um projeto e outros que não avançam por causa da instabilidade. Em suma devemos estar todos unidos, pois não acredito que alguém esteja de acordo que não se respeite a lista de graduação, na mobilidade interna ou em qualquer outro concurso e, que esse facto permita que professores menos graduados estejam há 4 anos e a caminho de mais 4, a beneficiar de uma lei que não faz sentido.
    E para os colegas que não estão bem informados, vou só dar este exemplo: tenho todos os dias de fazer 110 km para dar aulas, tendo 4 colegas de QZP, menos graduados que eu, numa escola a 5 minutos de minha casa. Caros colegas nada tenho contra esses colegas, pois inclusivé conheço-os bem e sei que também são da nossa opinião. Contudo, vejam quanto é que isso não significa a nível financeiro, familiar, desgaste físico e psicológico.
    Tenho 15 anos de serviço, fiquei em QA porque arrisquei e fui colocado a centenas de kilómetros de minha casa, andei toda a minha vida profissional, com a casa às costas e agora mudam as coisas !!!!!! já fui ultrapassado por colegas no outro concurso extraordinário e agora vou lutar com todas as minhas força para que possa continuar a falar destas injustiças com legitimidade e com a consciência de que fiz tudo.

    Por isso colegas, enviem o email para o colega Helder ( vale.helder@gmail.com ) para que as despesas sejam mais leves para todos. Em minha casa somos dois nesta situação e vamos pagar os dois, apesar de nenhum de nós querer ser opositor a este concurso 😉

    MAS É TUDO UMA QUESTÃO DE PRINCÍPIO…

    A SEGUIR VÊM OUTROS COMBATES….E O PEDIDO DE RESPOSTA A ESTAS PERGUNTAS 😉

    Porque é que não é respeitada a graduação profissional em qualquer uma das fases dos concursos?
    -Porque é que no concurso da mobilidade interna, os QZP menos graduados, concorrem numa prioridade à frente dos QA?
    -Se os QZP concorrem numa prioridade à frente dos QA, porque razão é que não são obrigados a manifestar preferências, primeiro para as escolas da sua zona de vinculação?
    -Porque é que quando há concurso de professores, não se verifica um apuramento correto das vagas por parte do MEC?
    -Qual é a razão de continuar a existirem contratados com 10 e 15 anos de serviço, sem entrarem nos quadros, quando vemos em todos os concursos a necessidade real das vagas.

    Desculpem…mas é um desabafo 😉

      • maria ferreira on 28 de Maio de 2014 at 12:24
      • Responder

      Colega Alexandre, concordo plenamente consigo, em todos os aspetos.
      Já assinei uma outra petição relativamente às prioridades de professores de quadro (1ª prioridade qzp e qa sem horário e 2ª prioridade qa). Sinto-me bastante prejudicada, mas infelizmente a petição que assinei não deu em nada… 🙁
      Não consigo aceder ao mail indicado. O que devo fazer?

        • maria ferreira on 28 de Maio de 2014 at 13:10
        • Responder

        Além do que referi, sou QA do 110, mas pretendo mudar para o 910. Isto não porque tenha horário zero, mas porque gosto. Trabalhei na educação especial durante 9 anos e tenho especialização desde 2006. Desculpem-me a sinceridade, mas a grande maioria dos colegas contratados que tiraram especializações fizeram-no por “necessidade”, por verem aqui mais uma hipótese e não porque gostam e têm vocação.

          • A on 28 de Maio de 2014 at 13:34

          Estou na mesma situação que a colega, com a agravante de estar em horário zero.

          • Alexandre on 28 de Maio de 2014 at 22:26

          Uma coisa pode ter a certeza Maria Ferreira,não vamos baixar os braços 😉 estamos a criar algo inédito, os professores estão a unir-se numa causa, que vai sair do bolso de cada um…ou seja estamos a passar das palavras à ação 😉 eu acredito 😉

        • Alexandre on 28 de Maio de 2014 at 13:20
        • Responder

        Olá Maria Ferreira,

        Envie o nome, email e contacto telefónico para ( vale.helder@gmail.com ). Faça copy do email é mais fácil. Se tiver facebook vá a Movimento Nacional de Professores Injustiçados e peça entrar no grupo. As informações são enviadas por email e colocado um post no FB. Se mesmo assim ainda tiver dificuldades avise 😉

          • maria ferreira on 28 de Maio de 2014 at 15:43

          Colega Alexandre, há anos que me debato com a causa que está a por em questão: as prioridades. Nem o meu sindicato quis saber do que lhe disse. Teve o desplante de dizer-me: então se já tem um lugar, que o quê dois? Ridículos… Assinei aquela petição há uns tempos e não deu em nada… Acha que conseguiremos?

    • Sílvia mayer on 28 de Maio de 2014 at 13:19
    • Responder

    Aleluia que os professores vinculados abrem os olhos, entrem agora não sei quantos contratados e para o ano com mais um choraminguinho há outro concurso extraordinário para os contratados.Ou seja os contratados ficam sempre com os melhores lugares e todos os anos tem um concurso extraordinário.os do quadro tem de 4 em 4 anos e estão no Gulag.Quando foi dos titulares houve colegas que estiveram impedidos de concorrer durante 6 anos(mesmo assim o Crato humanamente criou amobilidade interna.Pois apoio esta providência cautelar

      • Alexandre on 28 de Maio de 2014 at 13:23
      • Responder

      Olá Sílvia,

      Vamos lá passar das palavras às acções 😉 envie o nome, email e contacto telefónico para ( vale.helder@gmail.com ) pois quantos mais formos.. melhor. Já somos cerca de 100 a querer dividir as custas judiciais de uma providência cautelar. Nunca se viu nada assim… quantos mais formos mais barato fica.

      Seja bem vinda 😉

    • Maria on 28 de Maio de 2014 at 13:42
    • Responder

    Olá Alexandre já enviei email mas ainda não recebi resposta…


    1. Idem…

      • Alexandre on 28 de Maio de 2014 at 14:09
      • Responder

      Olá Maria,
      Não se preocupe que irá receber um mail com as informações todas 😉


      1. Colega Alexandre, também ainda não recebi mensagem, contudo a minha esposa já recebeu e tenho os dados todos para iniciar o processo. Gostaria apenas que me informasse se a providência será para podermos aceder às vagas enquanto docentes de quadro conforme expõe a Lei 12-A ou servirá para acedermos a concurso na lista como se fossemos docentes a contrato? No meu caso é indiferente a posição porque estou bem posicionado, no caso da minhga esposa pode já não compensar o esforço.
        Um abraço.

          • Alexandre on 28 de Maio de 2014 at 22:33

          Olá A.
          A providência cautelar vai no sentido de permitir que qualquer professor, se assim o entender, independentemente de ser contratado,QA ou QZP ter o direito a ser opositor a este concurso 😉

    • João Pestana on 28 de Maio de 2014 at 14:18
    • Responder

    Eu avisei que ía dar nisto…


  13. O mec devia acabar com os quadros… Tal como fizeram com os quadros de ardósia!!! Ai que agora tou longe de casa…. Ai que agora nao posso levar os filhos ao colégio privado….ide dar banho ao cão! Será que foram obrigados a concorrer e a aceitar as colocações longe de casa? Estas vagas serão ocupadas pelos contratados e com toda a justiça!


    1. Calma colega, ainda não ultrapassou…

      • Alexandre on 28 de Maio de 2014 at 22:41
      • Responder

      Olá Rfom.
      Não creio que seja professor, pois um professor é capaz de aceitar as opiniões dos outros e, com argumentos, tentar defender os seus.
      E respondendo à sua pergunta…afirmativo muitas colegas como foram obrigados a concorrer ao seu QZP todo e como estavam bem posicionados ficaram em QA e agora estão muito longe da sua área de residência 😉 por isso colega tente-se informar para ficar mais esclarecido. Obrigado.


  14. vou contactar o Helder Vale………mais que justo, e obrigada pela iniciativa.

    • S.Jorge Nunes on 28 de Maio de 2014 at 16:09
    • Responder

    É inconcebível que as pessoas que estão há anos colocados em QZP longe de casa, e sem hipótese de mudar, se vejam agora impossibilitados de concorrer às vagas que surgem para o seu grupo, à porta de casa.
    É inconcebível, mas infelizmente começa a tornar-se um hábito para os QZPs,que os sindicatos o tenham permitido.

      • Alexandre on 28 de Maio de 2014 at 22:43
      • Responder

      Olá S. Jorge Nunes. Junte-se a nós Vamos lá passar das palavras às acções 😉 envie o nome, email e contacto telefónico para ( vale.helder@gmail.com ) pois quantos mais formos.. melhor…. 😉

    • Maria Rodrigues on 28 de Maio de 2014 at 19:42
    • Responder

    Embora não seja politicamente correcto dizê-lo, devo afirmar que não tenho pena absolutamente nenhuma dos colegas contratados, com sucessivos contratos. Fui contratada durante sete anos, QZP, por opção, durante onze anos, e sou QE há 5.
    Sempre concorri a nível nacional e tenho andado, como se costuma dizer, «com a casa às costas»… literalmente; desde sempre que sou uma nómada e, apesar de efectiva em QE, estou distante de casa.
    Ao contrário de alguns colegas, que optaram por ficar no «bem bom», desculpem-me a expressão, junto da família, optando pela estabilidade afectiva e emocional, ou por ficar no colégio das redondezas ou, ainda, com poucas horas, em escolas públicas perto de casa, eu e outros arriscamos, com penalizações a todos os níveis.
    Os colegas contratados não têm que reclamar, agora, e os de QZP muito menos deverão ter prioridade relativamente aos colegas do QA/QE pois muitos não estão em QA/QE porque não quiseram.
    As pessoas fazem opções, estabelecem prioridades, e devem arcar com as consequências dos seus actos.
    Deveria ser feito, obrigatoriamente, um Concurso Interno em que todos os Professores do QA/QE fossem obrigados a concorrer, de modo a todos serem reposiocionados correctamente nos QA/QE de modo a sanar injustiças e ultrapassagens (muitas ilegalidades foram cometidas, tenho ouvido dizer, a nível de Secretaria…). Posto isso, seriam colocados os colegas de Zona Pedagógica e, posteriormente, seria útil, de acordo com o apuramento correcto das vagas, a realização de um Concurso Externo.


    1. Colega, não olhe só pra alguns casos, q acha injustos, mas pense em todos os casos possíveis… Há mts contratados que concorrem há anos a nível nacional que, embora tenham sp horários completos, não conseguem efetivar por falta de vagas.
      Os QZPs tb não têm culpa por uma injustiça criada pelo ministério. Não se combate injustiça com injustiça, que seria o q estava a pedir, ao dar prioridade aos QA/QE em relação aos QZPS…
      Lista graduada pra todos os concursos dos docentes do quadro, e criação de vagas prós contratados com mais de 3anos de serviço, estes atrás dos do quadro, claro.. É assim q tinha de ser!

      • Alexandre on 28 de Maio de 2014 at 22:51
      • Responder

      Olá Maria Rodrigues. Percebo o que diz, mas também existem outros que sempre tentaram e não conseguiram. Não estamos contra ninguém, pois cada um toma as suas opções em função da sua vida. O que queremos é que também os professores do quadro possam ser opositores ao concurso com vagas num quadro dentro da sua área de residência. Depois disto outras batalhas virão…temos de começar por algum lado, pois os sindicatos têm as suas linhas orientadoras que já vimos que é de agradar a gregos e troianos ao invés de defender um princípio. Igualdade de oportunidades, respeitando sempre a lista de graduação 😉
      Se está de acordo junte-se a nós e vamos lá passar das palavras às acções 😉 envie o nome, email e contacto telefónico para ( vale.helder@gmail.com ) pois quantos mais formos.. melhor…. 😉


  15. Todos pertencemos ao mesmo grupo. Estas divisões não são saudáveis. Contudo, acho muito engraçado quando outros professores afirmam… “Acha bem um QE estar no Algarve e abrir vagas no QZP 1?” Estou contratado há mais de 15 anos. Alguém sabe por onde andei? Alguém sabe que outros colegas passaram à minha frente porque efetivaram noutro grupo (o qual não gostam mas estiveram 1 ano a fazer o “sacrifício”)?

    A verdade é que consideramos sempre a nossa realidade a mais dura e esquecemos os outros com uma relativa facilidade. Alguém imagina que eu deixei de ter ADSE ou que o meu vencimento não teve alterações em termos de índice? Exato.

    E se analisarmos bem as listas há muitos contratados que em tempo de serviço estão à frente de professores de Quadro de Escola. Não porque deixaram de arriscar! Mas sabem, colegas, mesmo que o fizessem….as nossas escolhas são os únicos direitos que temos! E temos que nos respeitar.

    • contratada on 29 de Maio de 2014 at 12:42
    • Responder

    Mais umas vez … professores contra professores… na realidade, na minha condição de contratada, percebo as motivações desta providência cautelar! Mas gostava que cada grupo de professores (grupo=QA, QZP, Contratados) fosse tão unido para com os outros como quando lhes toca na pele. Se calhar se fossemos assim unidos, este Sr. Ministro já estaria na rua e a educação seria uma prioridade…
    Quando foi da prova, muitos colegas do quadro não quiseram saber, quando é algo que afeta os contratados , muitos QA e QZP lavam as mãos, depois quando é da mobilidade os QA e os QZP também entram em disputa!!!!
    Se fossemos uma classe unida como, por exemplo, os médicos que nunca ou muito raramente se atacam, não estaríamos nesta situação e a educação não seria o que é…

      • Cristina on 30 de Maio de 2014 at 1:28
      • Responder

      Não estamos a atacar ninguém. Tenho colegas contratados que tenho em elevada estima e consideração e se eu mudar de grupo de recrutamento ou zona liberto a vaga onde estou que pode ser ocupada por um contratado.
      Os últimos dois concursos não permitiram mobilidade geográfica porque os grupos de recrutamento para os quais concorri para mudar de Zona Pedagógica e grupo de recrutamento não abriram vagas e, as que abriram foram ocupadas por colegas de concurso interno que pretendiam mudar de grupo de recrutamento ou zona/escola. Se a tutela tivesse avaliado com rigor e celeridade as necessidades, as vagas colocadas agora a concurso externo, no ano transato teriam permitido a mobilidade a cerca de 2000 docentes nos diferentes grupos de recrutamento, libertando lugares noutros QZP que poderiam ser ocupados por contratados. Não obstante este aspeto, não se compreende a realização de um concurso externo extraordinário dois anos seguidos e interpolados por concursos internos.

        • contratada on 30 de Maio de 2014 at 10:46
        • Responder

        Eu não acho que a providência esteja a atacar ninguém… Acho que têm direito a lutar pelo que consideram ser uma injustiça! No entanto, alguns comentários de professores de quadro deixam-me bastante chateada! Há colegas contratados que têm mais tempo de serviço que alguns de quadro, mas pelo seu grupo de recrutamento ou por terem optado por não concorrer para todo o país (e há que respeitar essa escolha) continuam na contratação… portanto, alguns pedestais em que as pessoas se colocam não fazem sentido!

        E acho sinceramente que nós só nos aliamos em parcelas, de acordo com o que é bom para nós… quando estão os contratados em cheque muitos colegas de quadro nem querem saber (sei disto porque vi-o acontecer) e vice-versa… É por esta razão que este ministro continuou a exercer a sua destruição na nossa classe e no ensino!

    • Contratado há 13 on 29 de Maio de 2014 at 13:38
    • Responder

    Gostava que o Arlindo fizesse um levantamento de quantos anos os colegas de QA/QE estiveram a contrato. Era giro comparar! Ahh..e não vale prestar falsas declarações!

      • nenúfar on 30 de Maio de 2014 at 20:58
      • Responder

      Pode fazer e estender o inquérito aos professores aposentados.Já agora faça outro inquérito a perguntar quantos contratados recusam os lugares por oferta de escola, até o presidente da Junta arranjar um lugar para o pobre contratado(mas perto da vivenda do pobre infeliz).Também não vale mentir.Que surpresas iríamos ter.

    • João on 29 de Maio de 2014 at 21:15
    • Responder

    Boa noite
    Que dados são necessários e qual é o nib para efectuar a transferência.
    João

      • Alexandre on 29 de Maio de 2014 at 23:24
      • Responder

      Se já decidiu e já está de acordo junte-se a nós. Envie o nome, email e contacto telefónico para ( vale.helder@gmail.com ) pois quantos mais formos.. melhor…. 😉 para além disso se tiver FaceBook peça para aderir ao Grupo – Movimento Nacional de Professores Injustiçados e terá lá toda a informação que precisa 😉

    • Ana Gomes on 29 de Maio de 2014 at 21:53
    • Responder

    Manda mail para vale.helder@gmail.com


  16. Boa noite!

    Vejo aqui tanta falta de bom senso que nem sei o que diga.
    Não me parece que alguém queira tirar o lugar dos contratados. Todos nós ficaríamos felizes se todos vinculassem. Trata-se apenas de uma questão de justiça.
    Posso falar do meu caso. Pretendo mudar de grupo de recrutamento e não me parece justo que não o possa fazer, passando essas vagas a ser ocupadas por contratados. Não desejo que eles não concorram também, o que queria era poder igualmente fazê-lo. Não me parece que se trate de lhes “roubar” o lugar, até porque ao mudar de grupo de recrutamento estaria a “libertar” uma vaga no grupo em que me encontro atualmente.

    • nenúfar on 30 de Maio de 2014 at 21:01
    • Responder

    Nunca há falta de bom senso quando é para os contratados darem o golpe do baú em relação aos outros….Os sindicatos são um campo de lírios brancos….

    • Pedro Seromenho on 7 de Setembro de 2014 at 14:05
    • Responder

    Entristece-me ver um classe profissional tão desunida. Tenho a esperança de que a culpa seja de quem nos governa e não das pessoas em si. Muitos destes professores contratados têm, pela primeira vez, a possibilidade de saírem de uma situação precária, instável e ilegal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores:

x
Gosta do Blog