Greve Nacional de Professores e Educadores

 

 

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2018/03/greve-nacional-de-professores-e-educadores/

10 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Mas que raio de cartaz. O governo já nos retrata como loucos, a FNE confirma a coisa… pelo amor da santa.

      • Paulo Liquito on 3 de Março de 2018 at 15:19
      • Responder

      Sem dúvida.

    • manuel on 3 de Março de 2018 at 20:23
    • Responder

    O cartaz ainda é o menos. Pior que isso são os sindicatos não esclarecerem os professores das suas intenções e limites na defesa da causa, tratando-nos como mentecaptos e facilmente manipuláveis.
    Eu não farei greve pois esta forma de luta só tem consequência para os grevistas. Esperarei pelas formas mais duras e contínuas.

      • bibicas on 3 de Março de 2018 at 21:33
      • Responder

      Como por exemplo? Greve ás avaliações e exames já eram, há serviços mínimos.

        • manuel on 4 de Março de 2018 at 15:35
        • Responder

        Repare, em breve, na próxima greve das enfermeiras.

        • Carvalho on 4 de Março de 2018 at 17:12
        • Responder

        Não há serviços mínimos, nas avaliações. E se a escola se organizar bem cada professor só perde 10 a 15 euros. Para nós só esta forma de greve faz sentido. O resto é para fazer de conta….

          • bibicas on 4 de Março de 2018 at 17:50

          Desculpe , mas está enganado. O Crato estabeleceu serviços mínimos nos exames e nas avaliações. É consultar o decreto-lei.

          • Carvalho on 5 de Março de 2018 at 11:03

          Explique então como são os serviços mínimos nas avaliações?????E sabe qual é o decreto? Publique por favor.

    • Carlos on 5 de Março de 2018 at 10:32
    • Responder

    Há muitos anos que defendo a greve de zelo por tempo indeterminado acompanhado do respetivo relógio de ponto; jamais trabalhando a mais do que está na Lei, nem desempenhando funções que não são nossas, em lugar de grevezinhas que só dão jeito quer aos “sindicatos”, quer aos partidos do estado a que isto chegou…
    Claro que, ao longo dos anos, tenho expressado este meu ponto de vista, quer em blogs do meio, quer a “colegas” “sindicalistas”, alguns dos quais já no topo de alguns “sindicatos”. A mudança destes “colegas” “sindicalistas” foi sempre o balbuciar algo sem sentido, acompanhado de uma notória mudança de cor do rosto… Por que seria/será?
    Penso que só uma posição deste tipo, usando o que está na Lei a nosso favor é que poderá ser o caminho…
    Claro que, por motivos bem óbvios, não serão os presentes partidos do estado a que isto chegou, nem os “sindicatos” a tomar esta posição… Afinal ser perpetuamente escravos não será a solução, nem para nós, nem para Portugal…
    Temos que deixar de ser manipulados pelos mesmos do costume e quebrar os grilhões.
    Afinal é preciso não esquecer que eles se governam pelo medo que nos incutem, mas também não deixa de ser verdade que eles também têm medo que nós não tenhamos medo…
    Basto cumprirmos o que está na própria Lei!!!!!

      • Carlos on 5 de Março de 2018 at 11:03
      • Responder

      Isto sim seria a doer e os neo-liberais nada poderiam fazer, pois estaríamos a fazer as coisas com base na própria Lei… O Sistema de Ensino só ainda existe na forma com está porque nós estupidamente temos aceitado ter chegado e estarmos como estamos: completamente escravizados, achincalhados, humilhados, enganados, gozados, agredidos física e verbalmente, degradados, desgastados, doentes, envelhecidos, completamente empobrecidos, chegando mesmo a comprar materiais do nosso bolso para as escolas funcionarem…
      Colegas, somos a principal força pensante do país e continuamos com medo de pensar?…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: