O Relatório com o Custo Por Aluno

Mostra-se bastante completo e apresenta uma metodologia interessante que retira os custos com as despesas de investimento e o plano tecnológico bem como outros custos com o pessoal docente em mobilidade e afetos a programas especiais.
No total o custo com o pessoal docente em mobilidade no ano letivo 2011/2012 representou 55.487.091€ considerados 12 meses de vencimento e 64.734.939€ considerados os 14 meses.
Em 2011/2012 o pessoal docente alocado a programas especiais gastaram 82.271.348€ considerando 12 meses e 95.983.240 se fossem considerados 14 meses.

Curioso o recado no final do relatório que aponta a DREC como tendo o custo mais elevado no sistema de ensino e indicia o relatório que deve haver um problema na concepção da rede de escolas que pode encarecer desnecessariamente o custo com o ensino em Portugal.
E não é a zona centro a que mais usufrui dos contratos de associação?

Considerando este aspeto do relatório com o recado do tribunal de contas para a revisão dos contratos de associação parece-me que alguns contratos na zona centro deverão ser revistos muito em breve.

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2012/11/o-relatorio-com-o-custo-por-aluno/

3 comentários

    • Alex on 20 de Novembro de 2012 at 19:31
    • Responder

    Qualquer estudo minimamente sério teria de chegar a esta conclusão. Conheço a realidade de escolas com contrato de associação curiosamente, na zona centro, e este resultado em nada me espanta!!! E a rede escolar da zona centro é, de facto, um “fenómeno” a precisar rapidamente de análise e reformulação pois está a “esvaziar” desnecessariamente os bolsos dos contribuintes com escolas públicas a verem negada a abertura de turmas para um dado nível de ensino e, ao lado, escolas com contrato de associação a manterem ou aumentarem o seu n.º de turmas. Interessante seria também “estudar” quanto do dinheiro pago por turma é realmente investido na escola… mas seria certamente difícil vislumbrar a verdade por entre as teias manhosas da contabilidade artística de (algumas) destas instituições. Sei de um médico que, em tempos, investiu numa cooperativa de ensino com contrato de associação e diz, ainda hoje, que nunca fez tão bom e rentável investimento…todos os anos “pinga”bem sem sequer nunca lá ter entrado!

    • JOÃO on 20 de Novembro de 2012 at 21:57
    • Responder

    Na zona centro é vergonhoso escolas públicas sem alunos e logo ao lado dois e três colégios do ensino particular e cooperativo.Como é possível o Estado financiar estes estabelecimentos de ensino quando os alunos tem lugar nas escolas públicas…olhem para onde vão os nossos impostos!! E agora só lhe pagam 85000 por turma . Quando lhe era dado 145000?? Vão verificar para onde foi esse dinheiro!! Eu sei mas não digo…….

  1. Gostei de alguns comentários a respeito de algo similar e pertinente…

    http://sicnoticias.sapo.pt/economia/2012/11/20/estado-gasta-em-media-86.333-euros-por-ano-com-cada-turma-no-ensino-publico-revela-um-estudo

    Natalia Rosa: “Permitam-me a correcção: o Estado INVESTE e não gasta. INVESTE no Futuro do seu proprio País!
    GASTA é nas mordomias dos politicos…
    Enquanto não vir nesta perspectiva isto não muda nunca!”;

    Luísa Puga: “O estado não gasta nada, quem paga somos nós os contribuintes, para o futuro dos nossoa filhos e ao que pagamos de impostos as escolas deveriam ter melhores condições e o ensino mais qualidade, mas ao que parece o estado ainda pensa que nos faz um favor!”;

    Ricardo Sousa: “O estado gasta ou investe! Estou cansado de jornalista pseudo tendencioso.”.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: