Blogosfera – APEDE

Reorganização curricular: a verdade “escondida” e as oportunidades perdidas

Comentário: O Ricardo Silva considera as alterações curriculares feitas por Nuno Crato como um “quase desastre” que não altera seriamente o curriculo dos alunos do ensino básico.

Não tenho essa ideia sobre estas leves alterações que poderão ser maiores para 2012/2013.

O Decreto-Lei 18/2011 previa era uma redução drástica da carga curricular dos alunos com a eliminação de Área Projecto e com a universalidade da área curricular não disciplinar de Estudo Acompanhado sem acréscimo algum do tempo perdido nas ACND para outras disciplinas, previa também a eliminação do par-pedagógico em EVT sem qualquer fundamentação de cariz pedagógico.

Apesar da sua área disciplinar não ser beneficiada com tempos lectivos, o Ricardo é de História, acho que não terá muitas razões para se queixar. Os grandes perdedores nestas alterações acabam por ser os professores de EVT, de Música, de Educação Física (estes mais pela redução de horas no desporto escolar) e principalmente os professores de Informática que ficam reduzidos no 3º ciclo a um bloco de 90 minutos por semana.

O Ricardo também foca a necessidade de ser revisto o currículo do 1º ciclo que não sofreu qualquer mudança para 2011/2012. Concordo com isso, mas não é pensar em retirar apenas a área de projecto, é pensar em mudanças que possam até terminar com a leccionação em monodocência.

Mas para isto exige-se tempo, coisa que faltou a Nuno Crato.

Link permanente para este artigo: https://www.arlindovsky.net/2011/07/blogosfera-apede/

4 comentários

Passar directamente para o formulário dos comentários,

  1. Caro Arlindo,

    Desculpa-me mas creio que leste mal o que escrevi. Eu NÃO considero que seja uma hecatombe mitigada e NÃO considero que não se alterou seriamente o currículo. Ao contrário, escrevi e penso que é mesmo uma hecatombe séria e grave e que as alterações colocam em causa milhares e milhares de horários, sem qualquer garantia que estas alterações resultem em assinalável melhoria dos processos de ensino e diminuição do insucesso.

    Achas mesmo que são leves alterações? Então aguarda e verás. Se quiseres saber mais, pega no telefone e liga para algumas Direcções Executivas, pergunta-lhes como estão a conseguir elaborar os horários e o que vai acontecer aos contratados. Pergunta-lhes também quantas turmas vão passar a ter os professores de História, Geografia, etc. etc.

    Eu não sou muito prejudicado, é verdade. Das 4 turmas que iria ter, passei de repente a precisar de 8 turmas para completar as 20 horas lectivas do meu horário. Enfim… nada prejudicado. Realmente há quem esteja muito pior, às portas do desemprego e sem grandes esperanças de retorno. Estás enganado quanto à minha disciplina não ser prejudicada. É prejudicada pelo meio bloco que em quase todas as escolas era atribuída à História, pelo menos, num dos anos de escolaridade, e que agora deixou de poder acontecer. Isto sem referir que a História já era uma das disciplinas mais sacrificadas. Outra nota: com todo o respeito pela Educação Física e sua importância no contexto curricular, não querendo aprofundar a discussão em torno de quem foi mais ou menos prejudicado, sei que não perdeu tempos lectivos (perdeu sim no Desporto Escolar) e sei, isso claramente, que a Educação Fìsica tem mais tempos lectivos no total do 3º ciclo do que a História, a Geografia, as Ciências Naturais e Fisico-Quimicas. Isso é clarinho como água.

    Abraço

  2. OK, reparei que já corrigiste o teu comentário. Como disse, estavas a interpretar mal o que tinha escrito.

    Independemente de continuarmos a ter opiniões diferentes sobre o assunto vais ver que se calhar é mais grave e menos leve do que pensas.

    Abraço

  3. Sim percebi logo que publiquei o post que o sentido estava contrário ao teu e rectifiquei de imediato.

    Se fizesses as contas ao que estava no decreto-lei 18/2011 aí é que vias o que era uma hecatombe séria.

  4. Repito: creio que ainda não percebeste bem o que esta reorganização curricular encerra, nomeadamente com a questão dos meios blocos e não só. Note-se que eu NÃO estou a defender a outra. Nem por sombras. Concordo que há diversas outras disciplinas prejudicadas, nomeadamente as que referes acima.

    Abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Seguir

Recebe os novos artigos no teu email

Junta-te a outros seguidores: